No sopé da Cabra e à beira do Mondego eu escrevo, ao som dos pássaros que cantam, do vento que bate no meu rosto eu escrevo, escrevo ao sabor das pequenas ondas que entoam deste rio repleto de vida, histórias e lágrimas. Porém estas são lágrimas de saudade, que é exatamente o que os estudantes de Coimbra sim, aqueles dessa bela cidade, sentem por esta altura. Para muitos trata-se da primeira vez que experienciam o verdadeiro significado de ser estudante de Coimbra, mas para tantos outros significa o fim, o fim de um ciclo da vida, em que chega a hora de deixar tanto para trás, deixar para trás aquilo que relembram como sendo os melhores anos da sua ainda curta vida… são experiências vividas, amizades que se criam e momentos que ficam.



Ó Coimbra, é tão difícil dizer-te adeus. Lembras-te do dia em que deixei o conforto e a segurança dos meus pais para me entregar a ti por completo? Lembras-te do medo que senti? É assim mesmo que me sinto… com tanto medo de agora ter que me despedir de ti e seguir o meu caminho. Mas sabes? Foi e é aqui que me sinto verdadeiramente bem e feliz e, acredita que nunca serás esquecida. Se tinha carinho por ti pelo facto de aqui ter nascido, agora posso dizer que aquilo que sinto por ti é amor. Obrigado por me teres acolhido entre a multidão da baixa, entre as ruas estreitas da Alta, entre a praça e o penedo, a praça da canção e os CHUC, entre a minha universidade e a minha AAC, a minha segunda casa nesta jornada. Viste-me crescer e ensinaste-me a ser um homem, a ser alguém melhor. Contigo chorei, sorri, sei lá, vivi tanto ao teu lado. Só te posso agradecer por seres parte de mim e acredita que parte de mim fica aqui, junto a ti, junto ao eco que entoa dos sinos da Torre que tudo vê e muito faz.

Coimbra, este sol que te ilumina é tão especial, tão diferente de tudo aquilo que já senti, este sol que nos aquece e aconchega é único, acredita!

Coimbra, obrigado por me teres aceitado aqui, obrigado por me ensinares tanto, obrigado por finalmente saber o que é realmente o significado de sentir saudade, saudade que já sinto por ti ainda mesmo antes de partir.

Obrigado!

Uma vez Coimbra, para sempre Coimbra…

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.