Parabéns! E não te felicito por teres estudado e teres conseguido a colocação. Parabéns por teres escolhido Coimbra! Parabéns porque, de agora em diante, jamais voltarás a ser a mesma pessoa. Quando pisares Coimbra, quando olhares para a cidade como só os estudantes olham, quando lá chegares vais perceber.

Escreve-te alguém que deixou Coimbra há nove meses, mas que, quando chegou, a amou com todas as forças, a viveu de todas as formas. Coimbra é mesmo tudo aquilo que dizem, quem a vive ama-a intensamente, sente saudade para sempre. Coimbra é mesmo dos amores, e todos os dias vais ter novos.

É normal teres medos, mas eles vão passar, não os deixes prevalecer, não tenhas medo de te entregares a Coimbra de corpo e alma, pois é mais provável que te arrependas se não o fizeres.



Acredita que os próximos anos serão mesmo os melhores da tua vida, Coimbra marcar-te-á! Não tarda irás também saber porque é que nos abraçamos em círculos e choramos quando ouvimos a Balada da Despedida. E, um dia, irás ter uma capa nos ombros e toda a tua vida fará sentido… mas, até lá, ainda falta, e acredita que o primeiro ano é mesmo o mais especial.

Se eu pudesse voltar a ser caloira de Coimbra… eu pagaria qualquer preço para voltar. Não sei como é a praxe dos outros cursos, mas aconselho-te a experimentares sem compromisso. Para mim, a praxe foi o melhor da vida académica – esquece tudo o que vês na televisão, porque não é nada disso. A praxe ensinou-me muito sobre a tradição de Coimbra e a importância de a manter viva, mas também me transmitiu valores fundamentais para a vida profissional e para a vida em sociedade. Espero que encontres um grupo de praxe como o meu e possas sentir o que senti.

Coimbra é a poesia dos livros e ainda se respira ali o amor de Pedro e Inês. E se não gostas de poesia vais passar a gostar. Mas, se por acaso gostas, vais morrer de emoções todos os dias. Eu morro ainda hoje de emoções quando penso em Coimbra, quando olho para a minha capa, e, nunca mais vou trajar. Mas tu ainda vais! Permite-me que te peça – que te implore – que honres esta cidade!

Talvez um dia entres trajado/a no Mondego, talvez um dia vejas a Cabra refletida no rio, talvez passes uma noite inteira no Penedo da Saudade a ler poemas e viver Coimbra, talvez passes muitas noites em claro, faltes a muitas aulas, cometas excessos e loucuras. Se puderes, faz isso tudo porque são as memórias a única coisa que podes arrancar da cidade e levar um dia contigo, guardadas.

Não quero já assustar-te, mas é verdade que o tempo voa, e que é muito importante que vivas literalmente cada segundo com toda a intensidade. Eu fiz isso, eu vivi tudo intensamente e ainda assim, olha, não foi suficiente, soube a pouco.

Coimbra é mágica, nunca te esqueças disso. Mesmo que nem tudo corra conforme desejes – é claro que vais ter decepções e vais chorar de tristeza também – mas, principalmente no primeiro ano, Coimbra tem uma magia que não há em mais nenhuma parte do mundo. E desculpa a revelação mas Coimbra não tem mais encanto na hora da partida, é na hora da chegada que Coimbra tem mais encanto. Então, procura todos os dias em cada pormenor esse encanto e deixa-o viver em ti. Emociona-me pensar naquilo que estás prestes a viver… vai ser tão bonito, acredita!, tão bonito! E tu só precisas de te deixar ir, Coimbra está à tua espera e guiar-te-á. A ti cabe saber receber o que a cidade te proporcionará, saber respeitá-la e partilhá-la. Parabéns! Morro de inveja de ti (boa inveja), porque és caloiro/a de Coimbra, e eu já não. E, olha, ser estudante de Coimbra é das mais sublimes condições de que enquanto humanos podemos usufruir.

PS: Fica o apreço pelo Uniarea e agradecimento por me terem permitido partilhar alguns pedaços da minha vida académica. Este é, em princípio, o meu último artigo. A todos, um bem haja!

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.