Aquece-te, mas já nem tens a noção o quão pesado é. E todos os dias vês dezenas de “miúdos” como tu, e todos esses dias percebes que a maioria se veste da mesma maneira. Provavelmente até és um deles. E mesmo assim não entendes o que carregas aos ombros. É tão pesado. Provavelmente chegas a um ponto da tua vida em que pensas que porque deixaste de ser novato nestas andanças tens o direito a ignorar tudo e todos à tua volta. E é tão pesado quando percebes que tens uma capa às costas que tens de honrar tudo o que és e ambicionas ser, com tudo o que tens.

Fica a saber que nem todos têm a sorte que tu tens. Nem todos conseguiram chegar aqui, e se é o teu caso então parabéns: chegaste ao Ensino Superior. És agora, definitivamente, um estudante. Mas olha que ser estudante tem muito que se lhe diga. Pergunta às pessoas mais velhas se algum deles teve, algum dia, esta oportunidade que estás a ter. Os que não tiveram choram, os que tiveram choram. Uns pelo que perderam, pela injustiça da vida; outros pela alegria, pelas memórias que nunca se lhe hão de apagar. Isto não foi sempre um mar de rosas, ouve bem. Ser estudante já foi, em tempos, coisa destinada a quem realmente estava disposto a abdicar de muita coisa para perseguir um futuro. E hoje aqui estás tu, estudante. És a esperança de toda uma geração, e provavelmente ainda nem pensaste nisso. Mas é verdade. E pareceu tudo tão fácil até agora. Ser estudante implica que tens acesso a fontes brutais de informação, e que passas a ser uma das pessoas mais cultas e respeitadas do mundo em que vives. Ou pelo menos devias querer ser. E à medida que lês isto, aposto que a tua capa vai pesando cada vez mais. Não só porque, calculo eu, sentes o peso de todo o teu percurso e orgulho pelo que alcançaste, mas como também da necessidade permanente de ser uma referência para os outros.



Ser uma referência para os outros não é fácil, e nem sempre vais conseguir ser. É preciso trilhares o teu próprio destino e provares a ti e ao mundo que mereces estar aqui. Ninguém te pede que sejas um aluno perfeito, ou o que não falha uma festa. Pedem-te sim que faças tudo o que possas para deixar uma marca no mundo. E é com o teu exemplo que podes ser uma influência, seja em que área for. É preciso cultivar esta vontade de ser cada vez melhor, em ti e nos outros. Provavelmente até foste praxado, e agora estás a começar a tua vida como praxante. Provavelmente és o pior aluno de todos. E talvez até sejas a pior pessoa do mundo, com um conjunto de defeitos que nunca mais acaba. E mesmo assim, és a grande referência para aquelas dezenas de olhos que nunca viram mais nada nem ninguém na faculdade, que não sabem onde estão nem para onde vão. Porque estás trajado, e porque representas o conceito de ser estudante. Tudo o que tu fizeres a partir daquele momento vai ter repercussões, seja negativas ou positivas, na vida daquelas pessoas. E mesmo quando sentires os anos a passar, hão de chegar novas gerações de praxantes, para os quais deves continuar a ser uma influência positiva. Faz por melhorar os outros à tua volta, e faz por ser melhor ainda. Se já fores o teu melhor modelo, vais dar-te lindamente.

Lembra-te que és estudante. Agora, quando vestires o teu traje, pensa bem em quem queres ser. E depois, quando em Setembro vires aquele grupo de caloiros completamente à toa, pensa duas vezes no que vais fazer e dizer. Porque a capa pesa. E muito.

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.