Com os custos do alojamento universitário a subir em todo o país, especialmente nas cidades de Lisboa e do Porto, alguns alunos exploram a possibilidade de estudar no estrangeiro. Mais não seja para um programa de intercâmbio, como é o caso do programa Erasmus. A consultora de ensino superior QS compilou uma lista das cidades mundiais mais acessíveis para estudantes, com base no preço das propinas e no custo de vida geral. Na lista entraram cidades onde se encontram pelo menos 2 universidades.

 

=10º Joanesburgo, África do Sul

Universidade de Witwatersrand, uma das principais universidades em África

Classificada em 10º lugar em termos de acessibilidade, a ensolarada cidade sul-africana de Johannesburgo também está classificada em 79º lugar no índice das melhores cidades para estudantes. As propinas médias para estudantes internacionais de ambas as universidades classificadas custam cerca de 3.500€ para alunos de licenciatura. E de acordo com o site Numbeo, uma única pessoa residente em Joanesburgo pode esperar ter uma média de 493.71€ (excluindo a renda) de despesas, e um mínimo de cerca de 418,88€ a 510,11€ por um apartamento de um quarto.



 

=10º Taipé, Taiwan

Biblioteca da National Taiwan University

Partilhando a 10ª posição com Joanesburgo na acessibilidade, Taipé também ocupa o 20º lugar no índice das melhores cidades para estudantes, tornando-a a cidade mais bem colocada entre as 11 apresentadas neste artigo. Os estudantes pagam uma média de 4.000€ em propinas nas universidades, incluindo a instituição mais reputada da cidade, a Universidade Nacional de Taiwan (NTU). O custo de vida mensal (excluindo a renda) não supera os TW $ 226.000 (~ 6.400€) por ano, ~530€/mês, de acordo com a NTU, e podes economizar ao aproveitar ao máximo a variedade de comida de rua barata e deliciosa disponível.

 

9º Manila, Filipinas

De La Salle University

A seguinte da lista das cidades mais acessíveis para os estudantes em 2018 é Manila, capital das Filipinas, que ocupa o nono lugar para acessibilidade (subindo nove lugares relativamente ao ano passado) e 95º no ranking global. Os custos mensais para uma única pessoa nesta cidade metropolitana, sem renda, devem ficar à volta de 440€. No entanto, as rendas aqui não são particularmente baratas e, para um apartamento de um quarto, a Numbeo estima que pagarias entre 883,77€ e os 2.155,30€. As propinas médias para estudantes internacionais nas quatro universidades classificadas de Manila também são baixas, à volta de 3.500€ por ano.

 

8º Vilnius, Lituânia

Biblioteca da Vilnius University

A capital da Lituânia é famosa pela sua arquitetura gótica do século XVI. Com o 84º lugar no melhor índice de cidades estudantis e o oitavo em acessibilidade, este ano, a cidade histórica conseguiu subir uns impressionantes 12 lugares para as melhores cidades estudantis, e uns surpreendentes 51 lugares para o indicador de acessibilidade.

A Universidade de Vilnius, a universidade mais bem reputada nos rankings, estima que o orçamento mensal de um aluno seja de 489€, sendo necessário apenas cerca de € 100 por mês para o alojamento. No que toca às propinas, os estudantes internacionais podem esperar pagar uma média de apenas 2.400€ por ano.



 

7º São Petersburgo, Rússia

Saint-Petersburg State University

Uma cidade bonita e culturalmente enriquecida, São Petersburgo é famosa pelos seus locais e edifícios históricos. Também possui algumas das universidades mais bem classificadas do país, incluindo a Saint-Petersburg State University.

A cidade ocupa o sétimo lugar em termos de acessibilidade na tabela das melhores cidades estudantis e o 76º lugar geral. De acordo com a Numbeo, pode-se esperar que o custo de vida mensal seja de 446.57€ (sem renda), o que a torna 31.07% mais barata que Lisboa. As propinas são em média 4.000€ em ambas as instituições classificadas internacionalmente.

 

6º Novosibirsk, Rússia

Novosibirsk State University

A próxima cidade russa ocupa o 96º lugar no melhor índice de cidades estudantis e a sexta no indicador de acessibilidade. Às várias atracções turísticas que esta cidade siberiana tem para oferecer, junta-se um custo de vida barato (374.06€ por pessoa, excluindo renda). Com custos mensais da renda de um apartamento com um quarto que variam entre 196,60€ e 300€, o custo total de vida de Novosibirsk é 41.00% mais barato do que em Lisboa, conforme indicado pela Numbeo.

A cidade de Novosibirsk oferece duas universidades classificadas internacionalmente, com umas propinas médias a rondar os 3.900€ anuais.

 

5º Hsinchu, Taiwan

National Tsing Hua University

Apresentando-se em quinto no indicador de acessibilidade e no ranking geral na posição 73, esta cidade no norte de Taiwan subiu 10 lugares como um dos destinos estudantis mais acessíveis neste índice de melhores cidades estudantis. As propinas são baixas, em média à volta de 2.000€ em ambas as instituições classificadas internacionalmente, e podes esperar um custo de vida mais baixo que em Taipei – a instituição mais reputada da cidade, a National Tsing Hua University, estima que o alojamento para estudantes não ultrapasse TW US $ 26.640 (750€) por ano.



 

4º Tomsk, Rússia

Tomsk State University

A cidade nevosa siberiana de Tomsk subiu uns impressionantes 17 lugares para alcançar a 74ª posição nas melhores cidades estudantis deste ano, e subiu dois lugares na acessibilidade – agora em quarto lugar para este indicador. De acordo com o Numbeo, os custos de vida são confortavelmente baratos, variando entre 150€ e 225€ por mês para apartamentos com um quarto. Quanto às propinas, podes esperar pagar uma média de 2.900€ anualmente nas universidades classificadas internacionalmente.

 

3º Riade, Arábia Saudita

Porta de entrada da King Saud University

Classificada em 72º lugar no índice de melhores cidades estudantis deste ano, e em terceiro por acessibilidade económica, Riade é a maior cidade da Arábia Saudita, aproveitando os negócios, a cultura e o deserto. Capital de um país conhecido pela sua riqueza, as propinas médias em ambas as universidades classificadas internacionalmente custam meros 430€.

Embora o custo de vida de Riade não seja considerado o mais barato do mundo (com custo mensal médio de 565.08€ por pessoa excluindo a renda), a cidade oferece alojamentos de um quarto que custam entre 246€ e 385€ mensais, o que o torna uma escolha mais acessível (até 86% mais barata, segundo a Numbeo) em comparação com destinos de estudo mais populares, como Londres e Nova York.

 

2º Kuala Lumpur, Malásia

Universiti Malaya

Depois de passar do topo da categoria de acessibilidade por dois anos consecutivos para ficar em segundo lugar neste ano, a capital da Malásia subiu quatro posições e ficou em 37º lugar no índice geral de melhores cidades estudantis.

Combinando propinas razoavelmente baixas bem como o custo de vida, Kuala Lumpur é um hotspot ideal para estudantes que procuram estudar com orçamento limitado. Em média, as propinas custam 3.000€ nas quatro universidades classificadas internacionalmente, e a renda média de um apartamento de um quarto custa entre 290€ e 483€ por mês, segundo a Numbeo.

 

1º Budapeste, Hungria

Biblioteca da Eotvos Lorand University

Primeira classificada em termos de acessibilidade este ano, e 49º no ranking de melhores cidades estudantis, a capital da Hungria subiu sete posições em relação ao ano anterior na categoria de acessibilidade.

Budapeste é um destino turístico com muito para ver e fazer, e os custos de vida são muito razoáveis, com a Universidade Central Europeia estimando que os estudantes precisem de cerca de 7.500€ por ano, com 2.600€  para o alojamento.

A cidade tem 35 instituições de ensino superior, três das quais figuram os rankings internacionais. Podes estudar numa licenciatura como estudante internacional por cerca de 2.800€ por ano.

 

Podes consultar a lista completa aqui. A única cidade portuguesa que marca presença é Lisboa, colocada na posição 50 das melhores cidades para estudantes. Já se ordenarmos no critério da acessibilidade aparece no lugar 29.