Manda a boa educação que comece por me apresentar, sou finalista na FFUC e queria só dar-te uns conselhos antes de terminar esta aventura para que tu aproveites ainda melhor do que eu. Não sou o detentor da verdade por isso não te vou dizer como deves fazer, apenas te digo o que funcionou (ou não) comigo, cabe-te a ti retirar das minhas experiência,s e aplicar no teu percurso. Isto pode parecer longo e maçudo, mas se o Proust pode demorar meia vida a descrever o simples ato de comer uma madalena, eu dou-me ao luxo de demorar um bocado (pega um chá e senta-te confortável).

Antes de qualquer outra coisa deixa-me dar-te os parabéns por teres entrado no Ensino Superior. Finalmente viste a recompensa daquelas horas infindáveis de estudo. Espero que já tenhas percebido que tudo o que vale a pena demora tempo, exige paciência, esforço, dedicação e uma dose saudável de obsessão. Mas já nos debruçamos sobre isso tudo a sério.

Ok, vamos lá. Agora que aqui chegaste, prepara-te, isto não é nada parecido ao Secundário, e rapidamente te vais aperceber disso. A vida passou de andar a 10 à hora para andares à 1000. Provavelmente saíste de casa, garanto-te que vais começar a dar valor ao trabalho que a tua mãe fazia, porque a roupa não se lava sozinha, a casa está sempre suja e a comida não aparece por magia na mesa. E aí está o primeiro conselho: aprende a cozinhar e a fazer a lide da casa. Acredita que vais fazer um brilharete quando jantares com amigos que estão saturados de comer massa à bolonhesa ou arroz com atum, e lhes puseres um petisco à frente (lembra-te é que todos comem, todos ajudam, logo quem cozinha não lava a loiça, nem levanta a mesa). Não precisas de ser um Gordon Ramsay ou um Jamie Oliver, basta saberes os mínimos.



Portanto, em vez de pedires à tua mãe que te mande tupperwares de comida ao fim-de-semana, pede que te ensine como fazeres as coisas (olha que ir às compras não é tão linear como parece). Ela vai passar a olhar-te de uma maneira mais adulta e tu vais ganhar uma ferramenta para a vida. Descansa que vais levar comida à mesma, que ela ainda não confia nos teus dotes culinários. Se continuas em casa dos teus pais, podes muito bem também aprender e começar a ajudar. Quando te sentires confiante para experimentar cenas novas, o que não falta são páginas de Facebook (há tastemade de praticamente todos os países, por isso não percas a oportunidade de aprender a fazer um gumbo igual aos cajun), blogs, sites e informação de como cozinhar. Até o Snapchat tem receitas da food network.

De fome já não morres, podes ficar descansado, mas não te esqueças que o teu principal objetivo é tirares um curso. Não precisas de andar todos os dias agarrado aos livros, mas também não deixes para as épocas de exame para ir levantar os apontamentos. Estuda alguma coisa todos os dias, 2 horas chegam. Revê a matéria que deste a semana passada que aquilo que ouviste hoje ainda está fresco. Isto se fores às aulas todas (acredita que não vai acontecer), se (quando) não fores pergunta a quem foi o que deram. Todos somos diferentes, por exemplo, eu detesto estar sentado em frente aos livros a empinar matéria, por isso vejo vídeos sobre a matéria (Khan Academy, fixa isto que salva vidas), leio coisas aqui e ali, o suficiente para formular dúvidas que depois levo aos professores, e no geral resulta, às vezes melhor, outras nem por isso. Fala com os mais velhos, pergunta se te emprestam apontamentos, como é que fizeram para passar às cadeiras, as rasteiras habituais, etc.. Por tentativa e erro vais chegar ao teu método ideal, depois é efetivamente estudar. O Abraham Lincoln (sim o presidente dos EUA) disse “se tivesse 8 horas para cortar uma árvore passava as primeiras 6 a afiar o meu machado”, isto serve para tudo, quanto melhor te preparares durante o semestre melhor vai ser o teu desempenho durante as épocas de exames.

Pronto, já estás orientado para a parte séria da coisa, agora só te restam as “atividades extracurriculares”. Aqui, mais uma vez, digo-te da minha experiência e não uma verdade universal. Eu pratico desporto federado desde os meus 11 anos, fiz voluntariado, fiz parte do Núcleo de Estudantes de Farmácia, da Associação Portuguesa de Estudantes de Farmácia, e ainda andei 1 ano numa tuna. Como podes imaginar sempre tive um horário preenchidíssimo e o meu dia também só tem 24 horas como o teu. Aprende a gerir bem o tempo que ele não estica, consegues fazer de tudo desde que tenhas as prioridades bem assentes. Se trocava o tempo que gastei no associativismo ou desporto por notas melhores? Não, o que retirei de todas estas experiências permite-me ter uma opinião mais completa e uma visão mais ampla, o que não é possível se só andares agarrado ao livros e/ou aos copos (já vamos a esta parte). Envolve-te em alguma coisa, dá o teu contributo. Digo-te já que não vais conseguir mudar o mundo sozinho, mas fazes a diferença no mundo de alguém. Mantém mente aberta e a humildade de aceitar que podes aprender com toda a gente, desde o teu professor, até à peixeira do mercado (que provavelmente trabalha mais arduamente que tu e eu juntos). Não te esqueças é que ninguém faz o curso por ti!

Agora que já temos alguma confiança, podemos falar mais à vontade, não vou dourar a pílula. Vais sair bem mais do que o que fazias até agora, vais chegar a casa às 7h com aulas às 9h, vais fazer figuras tristes na noite (todos fazemos, e tu não és especial). Só te lembro que tens de ser responsável, conhece-te a ti mesmo e sabe quando tens que parar de beber (não foi aquele fino que te fez vomitar, foram os 5 litros que bebeste de estalo antes). Não tenhas medo de dizer que não queres mais, vão respeitar a tua opinião, mesmo que insistam um bocado mais, o provável é estarem bêbedos e só quererem festa. Se realmente estiverem numa de te emborrachar manda passear, que tanto podem ficar contigo se ficares em coma, como te podem deixar numa valeta sozinho, e isso não é gente boa. Vai acontecer que te tenham de levar a casa por excesso, é normal e acontece a todos, não faças é hábito disso. Os teus amigos vão compreender que tenhas abusado um bocado mais naquele dia e ajudam-te sem hesitar (lembra-te de agradecer no dia a seguir), mas se o fizeres todas as vezes que sais, rapidamente te vão deixar de convidar. Se não gostas de cerveja vais passar a gostar, e toda a gente gosta de vinho (alguns só não o sabem ainda). Traçado, sangria, finos ou litradas vão a passar a ser companhias de todas as noites. Não comeces a noite logo a virar shot’s que rapidamente os vais provar 2ª vez (e a seguir ainda são piores). Um whisky ou uma vodka sabe bem, mas desengana-te se achas que aguentas o mesmo volume de bebidas brancas que aguentas de cerveja ou vinho, e antes que te apercebas andas aos caídos e nem consegues ter coerência a falar (deixa para os outros fazerem figuras de urso, poupa-te para uma ocasião especial).

Acho que já só te preciso de falar de uma última coisa, a Praxe. Esquece o que viste na TVI e na SIC, nem todos são assim, é verdade que anormais há em todo o lado. Experimenta, se não for a tua cena, explica os motivos para não quereres participar mais, e põe de parte. Tal como nos copos, a malta decente vai compreender e aceitar, nalguns casos vão mesmo dizer-te para não desistires e passam a ter mais cuidado contigo. Se tiveres algum problema de saúde avisa, isto não é suposto ser para massacrar ninguém, mas vais apanhar muita gente que usa isto como um escape de frustrações. O meu conselho passa por sorrires (é a tua melhor arma) mesmo que estejas pelos cabelos com alguém. Encara isto como uma maneira de derrubares a barreira da vergonha e conheceres gente nova (não faz sentido estares envergonhado em apresentares-te ao teu colega do lado, depois de vocês terem estado os dois a berrar que querem uma bombeira para vos apagar o fogo) e lembra-te que na sua génese esta tradição serve para tu teres noção que ainda não alcançaste nada de palpável e seres humilde, porque tal como tu também quem te praxa conseguiu entrar no Ensino Superior. No fim de contas isto é como tudo, não precisas de estar lá tipo recruta para te começares a dar com alguém, mas ajuda se passares as provações ao lado de quem pode vir a ser o teu melhor amigo.

E pronto, acho que para 1ª impressão basta isto, diverte-te mas sê responsável. Respeita a “santa trindade” da vida de estudante (Estudo-Descanso-Vida Social). Aproveita este que é o melhor ano da tua vida académica, que vais ver que isto passa num piscar de olhos. Agora tenho que ir indo, que ainda tenho de ultimar uns pormenores para a defesa da Tese.

Um abraço.

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.