O Google Glass é um dispositivo semelhante a um par de óculos que, fixado em um dos olhos, disponibiliza uma pequena tela acima do campo de visão. O utilizador pode visualizar a previsão do tempo, rotas de mapas, fazer pesquisas e, além disso, efetuar chamadas de vídeo e tirar fotos de algo que estejas a ver e compartilhar imediatamente na internet.

Durante os últimos meses este projeto foi testado em diferentes ambientes de forma a estudar as suas diferentes aplicações, estando disponível para compra desde o passado mês de maio.

O professor de física  Andrew Vanden Heuvel, que dá aulas online a alunos de escolas que não têm esta disciplina, foi um dos que pode experimentar esta nova tecnologia.

Para demonstrar como esta tecnologia pode dar uma nova experiência interativa em tempo real (da qual se poderão fazer vídeos) a sítios de difícil acesso, este professor levou-nos ao Grande Colisionador de Hadrões, o maior acelerador de partículas do mundo no CERN, na Suíça: 

O mesmo tipo de experiência poderia ser feito com uma visita à Antártica, às pirâmides no Egito, ao Monte Everest, a uma zona de guerra ou mesmo à Casa da Moeda ou o Palácio Nacional de Belém.

Outras experiências estão a ser realizadas no âmbito do ensino para testar o potencial deste aparelho. Destacamos para a possibilidade dos alunos poderem enviar diretamente dúvidas para o professor sobre algo que não estejam a perceber da matéria enquanto ela está a ser lecionada, sem a terem de dizer perante os colegas.  O professor pode também a qualquer momento aceder a mais informação sobre dúvidas que lhe sejam colocadas e fazer votações em direto sobre assuntos que estejam a ser estudados.

Que achas desta experiência de ensino e que outras aplicações poderiam ser feitas?