A disciplina de Educação Física vai voltar a contar para a média final do secundário e para o acesso ao ensino superior. A mudança resultará da entrada em vigor do diploma que estabelece os novos currículos do ensino básico e secundário, assegurou ao jornal Público o secretário de Estado da Educação, João Costa.

O texto do diploma que está em consulta pública até 30 de abril não tem qualquer referência ao fim do regime de excepção para a disciplina de Educação Física, mas no preâmbulo – que o jornal descobriu na página eletrónica da Assembleia Legislativa dos Açores – pode ler-se que “a valorização de todas as componentes do currículo impõe a eliminação do regime excepcional relativo à classificação da disciplina de Educação Física, passando esta a ser considerada, a par das demais disciplinas, para o apuramento da classificação final de todos os cursos do ensino secundário”.



Ao Público, o secretário de Estado justificou que se dedicidiu colocar em consulta pública “um documento-síntese” do projeto de diploma, “de modo a que se possa compreender melhor” o que ali se encontra estipulado.

O fim do peso da Educação Física nas classificações finais foi uma decisão tomada pelo anterior ministro da Educação, Nuno Crato, em 2012, que a atual equipa do Ministério – mais concretamente o secretário de Estado João Costa – já tinha dado por diversas vezes sinais de pretender reverter.

O tema é polémico: mesmo entre as confederações de pais, as opiniões dividem-se, com a CNIPE a revelar-se claramente favorável ao regresso do peso da disciplinas nas médias e a CONFAP – com muito maior peso representativo – a lembrar que a decisão de 2012 foi ditada por queixas de pais.

A medida deverá ser aplicada a tempo do próximo ano lectivo, sendo aplicada aos alunos que iniciarem nessa altura o ensino secundário.