No próximo ano letivo, as universidades e politécnicos de Lisboa e do Porto vão ter menos 5% de vagas, com exceção dos cursos de Medicina, Informática e Física, de acordo com o despacho a que o Público teve acesso. A ideia é permitir que mais estudantes se inscrevam em instituições de ensino fora das grandes cidades.

À Antena 1, o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, disse que a proposta para reduzir 5% nas vagas de seis instituições públicas de Lisboa e Porto deverá acontecer de forma gradual nos próximos dois anos. E que o objetivo é o de tentar equilibrar os números, evitando o que acontece atualmente, em que 48% dos estudantes do ensino superior público estudam em Lisboa e no Porto.



À agência Lusa, o presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP), António Fontainhas Fernandes, disse que esta redução de vagas nas instituições de ensino superior de Lisboa e do Porto não garante que os alunos decidam estudar nas universidades no Interior.

“O despacho deve ser avaliado na globalidade e só iremos tomar uma posição depois do próximo plenário”, sublinhou António Fontainhas Fernandes, lembrando que a redução de vagas é apenas um dos pontos da proposta, cita o Diário de Notícias.

O ministro também anunciou na Antena 1 que os empréstimos que foram suspensos no tempo da troika vão voltar no próximo ano letivo e que não está nos planos do Governo aumentar as propinas. A ideia é que a médio e a longo prazo, estas desapareçam.