Gostam de histórias? Pois eu vou-vos contar a minha.

Eu era apenas um de muitos que tinham pesadelos com um monstro. Um bicho de sete cabeças, que estava sempre presente no meu percurso escolar. A matemática. Desde muito cedo que me fechei por completo à matemática. A minha birra começou logo no 4° ano, quando começamos a usar letras em vez de números. Afinal, a ideia que sempre tive da matemática é que lidávamos com números e não letras!

Teimoso como sou esta birra durou até ao 11° ano. Do 3° ano até ao 11° ano não tive uma única positiva. Do 5° até ao 9° passei sempre com nota 2.

Chegando à altura de escolher o curso secundário, arrisquei e escolhi Ciências e Tecnologia, mesmo quando a maioria dos meus professores me dizia que iria cometer um grande erro, face as minhas dificuldades com a matemática. Posso dizer que foi o melhor erro que alguma vez cometi na minha vida !

Sem ter adquirido quaisquer métodos de estudo para a matemática no ensino básico, estava completamente perdido em relação à matéria, pensando que ao “ler” os exercícios resolvidos do manual seria suficiente. Resumindo, conclui todas as disciplinas do secundário, excepto o “monstrinho”.

Demorei 5 anos a concluir o secundário. Dois anos seguidos a ver os meus colegas a começar uma nova etapa nas suas vidas e eu parado. Até que, quando reparei que tinha que repetir matemática pela quinta vez, acordei do pesadelo e decidi por mãos à obra. A frustração e desgosto acumulado todos aqueles anos por não entender matemática serviu como combustível e algo especial aconteceu. O monstro de que vos falei, rapidamente se tornou em algo especial. No verão de 2016, arrumei os calções e toalha de praia e comecei a mais difícil, mas também a mais gratificante jornada da minha vida, preparação para o exame de matematica 2017. Porque quem escolhe abdica e quem abdica perde. Ao escolher aplicar-me a 100% à matemática e atingir os meus sonhos abdique de amizades, saídas e até mesmo do meu relacionamento de 2 anos.

Passei de 0.3 e 1.6 nos testes para 16 e até um 18.8 no ultimo teste do 3° período e consegui tirar 17 no exame de matemática ( como fui como externo foi essa a nota dos 3 anos ).

Nada disto teria sido possível sem 3 excelentes profissionais que dão apoio grátis em plataformas online. O professor Vítor Pereira, do explicamat, o professor Jorge Penalva, do matemática no mocho e o professor José Carlos Silva Perera, autor do livro da raíz editora. Estes 3 excelentes profissionais criaram em Outubro uma plataforma de ensino e explicação da matemática : O MathSuccess. Desde fichas com explicações em vídeo até uma turma online onde os alunos conseguiam colocar as suas dúvidas com uma simples foto do exercício.

Todo este auxilio, como também um grande suporte familiar, permitiu ultrapassar o meu maior pesadelo que rapidamente se tornou em algo que passei a respeitar e acima de tudo gostar.

Desejo as maiores felicidades e sucesso para quem vai iniciar um novo ano letivo no secundário e que tal como muitos outros, sentem um medo perante a matemática. Não se deixem desmotivar, lutem pelos vossos sonhos e tudo será possível. Façam bastantes exercícios, pois a repetição é a mãe da competência. Não existem fracasso na vida, apenas resultados e cabe a vocês a mudança, porque é nos momentos de decisão que o destino ganha forma.

E não se deixem ir abaixo por pessoas que dizem ” tens de ser realista, não vais conseguir essa nota “, pois essas pessoas estão a criar limitações. Tudo é possível com muito esforço e dedicação e vocês são capazes de TUDO. Senão virmos o fracasso como um desafio para mudar aquilo em que nos concentramos, mas sim como um problema só nosso, vamos sentir sufocados pelo medo. Todas as conquistas pessoais começam com uma mudança e há que transformar desafios em oportunidades. Temos que criar uma alavanca, uma noção de urgência, fundamental para criar essa mudança e lutar pelo que queremos e o maior sistema de alavancagem é a dor que sentimos quando não conseguimos cumprir os padrões da nossa vida, no meu caso, a dor de não conseguir atingir bons resultados a matemática.

Por isso não desistam! E não esqueçam : o inverno não dura para sempre !

  • Primrose Blanc

    Olá, desde já, muitos parabéns. Não fazes ideia do quanto isto me está a ajudar neste momento em que me sinto uma falhada.Vou para o 11º e deixei matemática por fazer. Inscrevi-me este ano de novo e se tudo correr bem, terei matemática de 10º ano. Desde o 8º que desliguei para a matemática apenas porque não tinha garra suficiente para lutar e cada vez que abria o livro sentia-me já uma falhada e que nunca ia conseguir. Este ano passado foi o mesmo. Ouvia as pessoas a dizer-me que eu não “era para a matemática”, que não ia conseguir, que tinha muitas dificuldades e isso subiu-me à minha cabeça e deixei de tentar e simplesmente desliguei de novo para a matemática. Comecei a sentir que não era boa e que nunca ia conseguir, que não era inteligente como as da minha turma e a matemática tornou-se um terror (e isso foi intensificado pelo facto de estar a lutar com depressão e ansiedade e consequentemente baixa auto-estima, falta de confiança em mim mesma, etc desde o meu oitavo ano. daí ter reprovado um ano). Via os meus colegas a tirar boa nota ou simplesmente a safarem-se seja a copiar ou não e ainda pior me sentia. E havia sempre aquela sensação de o professor me olhar de lado como se eu não pertencesse ali e me julgasse pelo meu mísero fracasso. Enfim, espero fazê-la este ano, embora vá andar sempre um ano atrasada. E isto deu-me muita força e esperança e também fé em mim mesma. Obrigada por partilhares isto e já agora obrigada por partilhares esses sites que me vão ajudar imenso. Muito, muito obrigada mais uma vez por partilhares isto porque não fazes ideia do quanto me está a motivar. Obrigada e muito sucesso para ti.

    • Rafael Oliveira

      Olá,

      Desde já agradeço as tuas palavras em relação ao artigo. Fico muito contente que tenhas gostado! 🙂

      Em relação à tua situação : Tu não estás sozinha! Muitos alunos estão na mesma situação, mas é importante seguir em frente e não baixar os braços. Ainda vais muito a tempo de dar a volta à situação e eu tenho a certeza que vais conseguir! Ignora todos os comentários negativos, pois estão a criar uma barreira, limitando as tuas verdadeiras capacidades !

      Quando nos deparamos com situações de desafio começamos a criar ideias que nos vão tirar dessa situação de dor e desanimo e temos que transformar essa ideia numa crença. Pensa numa ideia como um tampo de uma mesa sem pernas. Sem pernas, o tampo da mesa nem se manterá em pé. A crença, por outro lado, tem pernas e essas pernas são as nossas referências de acontecimentos passados. No teu caso ( tal como foi o meu ) tens referências suficientes com o teu percurso escolar na matemática para duvidar das tuas capacidades. É necessário eliminar essa crença negativa e dizer para ti mesma “Eu sou capaz!”. Este ano, com o teu empenho, vais conseguir criar referencias necessárias para formar essa crença positiva e tirar excelentes resultados à disciplina! Todas as conquistas pessoais começam com uma mudança nas crenças. O passado não é igual ao futuro e os resultados menos bons são apenas um desafio para mudar aquilo em que te concentras!

      Tens que interromper esse padrão limitativo. O problema é que muitos desejam um resultado, mas continuam a agir da mesma maneira! Agora que tens este desafio está na hora de o tornar numa oportunidade! Uma oportunidade de mostrar a ti mesma e todos os outros que consegues fazer tudo! Basta querer! O pensamento gera o sentimento que determina o comportamento : ao pensar que consegues, vais sentir compelida para fazer uma mudança de comportamento.

      Desejo tudo de bom para ti neste ano letivo e eu sei que tu vais CONSEGUIR!
      Visita os sites que referi no artigo e vais ver que o estudo da matemática se vai tornar extremamente prazeroso!

      Vai dando notícias, se quiseres manda mensagem privada, e-mail, o que quiseres e vamos mantendo contacto neste próximo ano letivo, para te motivar, dar conselhos, livros de exames, o que precisares.

      Um grande, grande abraço e pensamento positivo! Tu vais conseguir! 😉

      Rafael Oliveira.

      • Primrose Blanc

        Olá, Rafael. Primeiro, Obrigada pelas palavras de incentivo. Desculpa a minha resposta tardía mas decidi esperar pelo início das aulas para então te puder dizer a minha situação com matemática e tudo mais. Antes de mais, o meu nome é jessica. comecei a escola esta terça passada como deves saber. comecei numa escola nova, numa cidade nova e então estou longe de casa, numa residência de estudantes…Estou extremamente depressiva. O meu estado piorou e o facto de estar ali sozinha e não ter o meu sossego, o meu espaço, tornou as coisas piores. Então estou extremamente desmotivada e sem um pingo de forças para continuar. informei me sobre a minha situação sobre matemática e o subdirector disse que vou ter que fazer por exame, como externo, no 12° ano e todos sabemos que é um risco enorme visto que posso chegar lá e chumbar e sempre ouvi dizer a explicadoras que é muito mais difícil. Estou a assistir às aulas de 11° de matemática e sinto me completamente à toa pois o meu décimo ano e afins não estão nem perto de estar sólidos na minha mente então não sei bem o que fazer. irei trabalhar o 10° ano numa explicadora (assim que encontrar uma) pois assim a minha professora de matemática de este ano me aconselhou. O que achas disto de ter que fazer por exame? como foi no teu caso? fizeste por exame, como externo ou foste fazendo cada ano?
        aproveitando, como sabes vou ter exame de f.q e b.g e queria saber se tens algum conselho para mim ou livros de apoio para preparação de exames que aches que deva comprar. Tenho que mudar drasticamente a minha média global e ter sucesso nos exames pois o meu 10° ano foi uma miséria graças à minha falta de motivação, falta de fé em mim mesma, e à minha depressão. Não é uma desculpa, contudo. Sei que foi totalmente culpa minha mas agora já não posso fazer nada e tenho um medo terrível de me sentir uma falhada de novo. E acho que é isto que te queria dizer. Obrigada pelo apoio e espero que tudo esteja a correr bem e tenhas sido aceite no curso que queres. Se tiveres alguns conselhos que me queiras dar e aches que sejam úteis, gostaria muito de ouvir pois não tenho ninguém da família que tenha passado por ciências nem que tenha ido para a universidade. Obrigada mais uma vez 🙂
        Ps: se quiseres podes passar me o teu email para não estarmos a falar por comentários e já que iria ser mais privado.