Gostam de histórias? Pois eu vou-vos contar a minha.

Eu era apenas um de muitos que tinham pesadelos com um monstro. Um bicho de sete cabeças, que estava sempre presente no meu percurso escolar. A matemática. Desde muito cedo que me fechei por completo à matemática. A minha birra começou logo no 4° ano, quando começamos a usar letras em vez de números. Afinal, a ideia que sempre tive da matemática é que lidávamos com números e não letras!

Teimoso como sou esta birra durou até ao 11° ano. Do 3° ano até ao 11° ano não tive uma única positiva. Do 5° até ao 9° passei sempre com nota 2.

Chegando à altura de escolher o curso secundário, arrisquei e escolhi Ciências e Tecnologia, mesmo quando a maioria dos meus professores me dizia que iria cometer um grande erro, face as minhas dificuldades com a matemática. Posso dizer que foi o melhor erro que alguma vez cometi na minha vida !

Sem ter adquirido quaisquer métodos de estudo para a matemática no ensino básico, estava completamente perdido em relação à matéria, pensando que ao “ler” os exercícios resolvidos do manual seria suficiente. Resumindo, conclui todas as disciplinas do secundário, excepto o “monstrinho”.

Demorei 5 anos a concluir o secundário. Dois anos seguidos a ver os meus colegas a começar uma nova etapa nas suas vidas e eu parado. Até que, quando reparei que tinha que repetir matemática pela quinta vez, acordei do pesadelo e decidi por mãos à obra. A frustração e desgosto acumulado todos aqueles anos por não entender matemática serviu como combustível e algo especial aconteceu. O monstro de que vos falei, rapidamente se tornou em algo especial. No verão de 2016, arrumei os calções e toalha de praia e comecei a mais difícil, mas também a mais gratificante jornada da minha vida, preparação para o exame de matematica 2017. Porque quem escolhe abdica e quem abdica perde. Ao escolher aplicar-me a 100% à matemática e atingir os meus sonhos abdique de amizades, saídas e até mesmo do meu relacionamento de 2 anos.

Passei de 0.3 e 1.6 nos testes para 16 e até um 18.8 no ultimo teste do 3° período e consegui tirar 17 no exame de matemática ( como fui como externo foi essa a nota dos 3 anos ).

Nada disto teria sido possível sem 3 excelentes profissionais que dão apoio grátis em plataformas online. O professor Vítor Pereira, do explicamat, o professor Jorge Penalva, do matemática no mocho e o professor José Carlos Silva Perera, autor do livro da raíz editora. Estes 3 excelentes profissionais criaram em Outubro uma plataforma de ensino e explicação da matemática : O MathSuccess. Desde fichas com explicações em vídeo até uma turma online onde os alunos conseguiam colocar as suas dúvidas com uma simples foto do exercício.

Todo este auxilio, como também um grande suporte familiar, permitiu ultrapassar o meu maior pesadelo que rapidamente se tornou em algo que passei a respeitar e acima de tudo gostar.

Desejo as maiores felicidades e sucesso para quem vai iniciar um novo ano letivo no secundário e que tal como muitos outros, sentem um medo perante a matemática. Não se deixem desmotivar, lutem pelos vossos sonhos e tudo será possível. Façam bastantes exercícios, pois a repetição é a mãe da competência. Não existem fracasso na vida, apenas resultados e cabe a vocês a mudança, porque é nos momentos de decisão que o destino ganha forma.

E não se deixem ir abaixo por pessoas que dizem ” tens de ser realista, não vais conseguir essa nota “, pois essas pessoas estão a criar limitações. Tudo é possível com muito esforço e dedicação e vocês são capazes de TUDO. Senão virmos o fracasso como um desafio para mudar aquilo em que nos concentramos, mas sim como um problema só nosso, vamos sentir sufocados pelo medo. Todas as conquistas pessoais começam com uma mudança e há que transformar desafios em oportunidades. Temos que criar uma alavanca, uma noção de urgência, fundamental para criar essa mudança e lutar pelo que queremos e o maior sistema de alavancagem é a dor que sentimos quando não conseguimos cumprir os padrões da nossa vida, no meu caso, a dor de não conseguir atingir bons resultados a matemática.

Por isso não desistam! E não esqueçam : o inverno não dura para sempre !