O ISCTE Business School disparou no ranking dos melhores mestrados em Finanças do Financial Times. Subiu 13 lugares em comparação com o ano passado, ao alcançar a 27.ª posição neste top dos 65 melhores mestrados. Uma lista que também conta com a Católica Lisbon School of Business and Economics e a Nova School of Business, a melhor entre as escolas portuguesas.

Depois de ter entrado no ranking do jornal britânico no ano passado, quando estava na 40.ª posição, o ISCTE Business School deu mais um salto na tabela, aproximando-se das outras escolas portuguesas. “A construção de mestrados de nível europeu não é uma corrida de 100 metros, mas uma maratona que exige uma elevada preparação e perseverança”, diz José Paulo Esperança, reitor do ISCTE Business School.



Há uma outra escola que também ganhou terreno (apesar de a subir não ser tão expressiva como a do ISCTE) neste ranking. A Católica Lisbon School of Business ocupa agora o 23.º lugar depois de ter conquistado a 26.º posição no ano passado.

“A subida da Católica Lisbon no ranking global do Financial Times para os Mestrados em Finanças é, para nós, um motivo de grande orgulho, mas acima de tudo é um reconhecimento da qualidade dos nossos mestrados. Este resultado reflete igualmente a nossa forte aposta na internacionalização, cada vez mais um pilar crítico de afirmação da escola”, afirma Nuno Fernandes, reitor da Católica.

A Católica é a escola portuguesa há mais tempo nos rankings do FT, no qual entrou em 2006, ficando na segunda posição entre as escolas portuguesas, que tal como no ano anterior são três.

Tanto o ISCTE como a Católica conseguiram subir alguns lugares neste top, mas não é por isso que são as escolas melhor classificadas. Esse título é da Nova School of Business, ainda que tenha perdido algum terreno: passou de 19.º para 21.º lugar na classificação deste ano (depois de ter estado em 14.º há dois anos).

Baixou do top 20, num total de 65 escolas a nível mundial, ranking com três escolas espanholas, várias francesas, mas em que são as norte-americanas e as britânicas que brilham. Há 14 escolas dos EUA e 17 do Reino Unido.

Apesar de em menor número, são as francesas que estão no topo da lista. A HEC Paris é mesmo a melhor, este ano, tendo superado a Edhec Business School, também de França (que agora está na terceira posição). Skema e Essec Business School, igualmente gaulesas, ocupam a quarta e quinta posições, respetivamente. Em segundo lugar, depois de ter subido duas posições face a 2017, está a ESCP Europe, uma escola europeia.