Para quem procura emprego e está disposto a trabalhar para isso, a Academia de Código abriu candidaturas para mais 2 bootcamps intensivos de programação. Destinam-se a quem não tem medo de – em apenas 14 semanas – abraçar uma nova carreira como Junior Software Developer.

Em menos de dois anos de atividade, os coding bootcamps da Academia de Código já se podem orgulhar de terem mudado a vida de 160 pessoas, que aí aprenderam que nunca é tarde para se mudar de carreira e encontrar uma nova paixão profissional. Mais de 6.000 candidaturas depois, este projeto conta com uma taxa de empregabilidade de 94% e com uma média salarial “entry-level” de 950 Euros, segundo refere a organização em comunicado enviado ao Uniarea.

A proposta é simples: aceitam-se candidaturas de todas e quaisquer “mentes brilhantes no desemprego” que se
disponham a viver 14 semanas de reconversão profissional intensiva em modo “EAT SLEEP CODE REPEAT”, findas as quais contarão com o apoio incondicional da equipa da Academia de Código para uma inserção expedita no mercado de trabalho, como programadores. Não é obrigatório ter conhecimentos prévios de programação, mas o domínio da língua inglesa é fundamental, dado que é a língua franca da aprendizagem da programação.

Os interessados contam, à data, com duas possibilidades, ambas com inscrições abertas: #10 Bootcamp {FUNdão} – que terá início a 4 de Setembro – e o #11 Bootcamp {Lisboa} – que começa a 11 de Setembro.

No #10 Bootcamp {FUNdão}, organizado em parceria com a Câmara Municipal do Fundão, o IEFP e a Fundação Calouste Gulbenkian – e para o qual existem 20 vagas disponíveis – o aluno só inicia o pagamento do curso após encontrar trabalho. A iniciativa resulta da vontade comum, de todos os parceiros envolvidos, de combater o desemprego e fixar novos talentos da programação nas muitas empresas tecnológicas da região e prevê-se que se estenda por, pelo menos, mais dois anos. As candidaturas para este novo bootcamp estão abertas, online, até dia 8 de Agosto e as condições detalhadas de frequência podem ser consultadas no FAQ YOURSELF {FUNdão}.

O #11 Bootcamp {LisBOA} tem 40 vagas abertas e um custo de 5.000 Euros + IVA. No entanto, a Academia de Código dispõe de condições muito favoráveis de pagamento. Catarina Campino, Head of Detail, afirma: “Sabemos muito bem que não existem muitos desempregados com 6 mil balas no bolso. Daí estarmos constantemente a procurar criar novas parcerias de financiamento que nos permitam acolher toda e qualquer pessoa que anseie por – e mereça – esta oportunidade.” As inscrições para o #11 Bootcamp podem ser feitas até dia 22 de Agosto e todas condições estão descritas em FAQ YOURSELF {LisBOA}.

Ambos os bootcamps decorrem oficialmente de 2a a 6a feira, entre as 9h e as 18h, mas na prática será muito comum encontrar “Code Cadets” a trabalhar nos seus projectos pela noite dentro e aos fins de semana, conta a organização. Esta exigência de entrega total e incondicional à programação, tem sido uma das características que mais impacto tem tido na excelente recepção que do mercado aos alumni da Academia de Código. Empresas como a Altran, Logicalis, Accenture, Proef IT, CGI, agap2IT ou Uniplaces não conseguiram passar ao lado do talento e da capacidade de trabalho dos recém-convertidos e saídos dos bootcamps, desta startup portuguesa.

Outro dos factores de diferenciação desta proposta é a
cultura disruptiva e humanizada que se respira nos campus
da Academia de Código.

João Magalhães, Co-Fundador e CEO, avança que “O melhor feedback que podemos ter é estarmos constantemente a ser contactados por empresas que, satisfeitas com o desempenho dos nossos alumni, querem contratar mais. Claramente estamos, não só a aumentar o número de profissionais com competências de programação no mercado, como também a sua qualidade.”

Numa área onde o desemprego é virtualmente zero, três meses e meio de trabalho árduo e dedicação sem desculpas à aprendizagem do código, abrem portas a uma nova e promissora carreira a quem tiver a coragem de aprender a aprender uma nova paixão com a Academia de Código.