A Câmara de Lisboa e a Universidade de Lisboa assinaram um protocolo destinado à criação de um banco de manuais da cidade, no valor de 35 mil euros, projecto vencedor de uma edição do Orçamento Participativo da capital.

O protocolo de cooperação, ao qual a agência Lusa teve acesso, refere que “a Universidade de Lisboa é promotora do ensino em todas as áreas do saber, oferecendo 425 cursos direccionados a cerca de 50 mil estudantes”.



Por isso, a universidade vai ficar responsável por adquirir “livros de apoio ao ensino superior, para todas as áreas científicas, em suporte de papel ou electrónico”, que ficarão disponíveis “para consulta e empréstimo aos alunos da cidade de Lisboa, podendo os livros que o integram ser requisitados durante o período de um semestre”, aponta o documento. Já o investimento, de 35 mil euros, é da responsabilidade do município.

O vereador da Educação da Câmara de Lisboa, Manuel Grilo, salientou que o município “tem a honra de poder contribuir para o fim das barreiras na educação e garantir o acesso a manuais, livros e artigos para que ninguém fique para trás no acesso ao conhecimento”. “Não devíamos aceitar a existência de obstáculos para o acesso e conclusão do ensino superior, como, por exemplo, as propinas”, acrescentou o eleito do Bloco de Esquerda.