Sou a Beatriz, estudo Educação Social e a minha licenciatura  é de 3 anos e ao fim desse tempo ainda não acabei o curso. E depois, qual é problema? Quem é que morreu por causa disso? Exato, ninguém morreu, por isso não há problema nenhum. Tudo se faz, e se não for agora, será um dia. O importante é não desistir, e continuar a tentar. Para quê ter pressa de sair da escola para ir trabalhar, se teremos uma vida inteira para o fazer? Se não nos sentimos preparados para o mercado de trabalho, não tem mal nenhum, desde que continuemos a trabalhar para nos tornarmos melhores profissionais. Cada pessoa tem o seu tempo, e esse tempo deve ser respeitado.

Eu reprovei ao estágio, e é essa a única razão para ainda não ter acabado o curso. Fiquei feliz? Não, mas entendi que fazer a cadeira novamente me podia trazer mais experiência, que me podia tornar melhor profissional, e sobretudo que ia poder aprender muito mais. Como podem ver, reprovar não é o fim do mundo, e pode tornar as pessoas melhores do que o que elas já são.



Se acontecer a algum de vós isto que aconteceu comigo, pensem no quão podem aprender ao fazer a cadeira novamente. Só isto. Pensar que ao tentar de novo podem ir mais longe.

Eu  vou voltar a tentar fazer a cadeira no próximo ano letivo, por isso ainda não sei como vai correr, mas só penso na experiência que vou adquirir.

Sei o que devem estar a pensar. Que nem todas as cadeiras nos trazem algo que no futuro viremos a precisar de saber realmente. Sim, eu sei que há cadeiras que nada têm a ver com o curso em que estamos. Isso aconteceu comigo, em diversas disciplinas. Eu compreendi tudo isto que vos contei quando reprovei a Sociologia da Educação, naquele longínquo e maravilhoso primeiro semestre do curso. Entrei em pânico. Não sabia o que fazer, mas quando comecei a estudar para o exame, entendi que podia aprender muito sobre algo que à primeira vista era inútil. Até pode não ser algo que me vá ser útil, mas fiquei a saber mais sobre a educação e a sua história. Não fiz apenas 1 exame para fazer a cadeira, mas sim 4. E cada vez que voltava a estudar para passar à cadeira, aprendia sempre um pouco mais. Foi divertido estudar sociologia da educação? Não, mas foi algo que fez acreditar que reprovar é a segunda oportunidade para aprender aquilo que ainda precisamos de aprender. Não são os 4 exames à mesma cadeira que me orgulham, longe disso, mas sim o ter entendido que reprovar pode ser algo bom.

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.