A primeira fase do Exame Final Nacional de Matemática A está a menos de um mês, e este não é um exame qualquer. O exame de Matemática A é prova de ingresso no ensino superior para a avassaladora maioria dos cursos ligados à área de Ciências e Tecnologia, pelo que a sua importância é de enorme relevo para dezenas de milhares de alunos deste país. É então pertinente questionares-te acerca da tua preparação para o exame. Como é que te deves preparar? Que exercícios deves fazer? Tentarei então dar resposta a estas questões.



O Exame Final de Matemática A, desde 2015, prima por ser uma prova bastante adequada a todos os alunos do país. Lembre-se que entre 2012 e 2014, a média dos exames era muito baixa, situando-se entre os 8,7 valores em 2012 e os 7,8 valores em 2014. Após 2015, em que a média foi de 12,0 valores, os resultados dos alunos têm sido muito mais satisfatórios, rondando os 11 a 12 valores.

O que mudou então? Muita coisa. As provas já não incidem tanto em capacidades de cálculo, e isso leva a que, no tema de maior importância no exame, funções reais de variável real, os alunos consigam amealhar mais pontos. Para além disso, o tema de números complexos tem vindo a ser uma fonte de pontos para os alunos, o que não acontecia antes de 2015, muito devido à existência de uma segunda pergunta de resposta restrita de carater demonstrativo.

Através do mais recente relatório aos exames nacionais feito pelo IAVE, que pode ser encontrado aqui, é possível compilar uma série de dados relativamente ao aproveitamento dos alunos nos diferentes temas (Probabilidades e Combinatória, Funções, Números Complexos, Geometria e Sucessões) da prova de Matemática A.

Com o auxílio dos dados da Figura 2, retiram-se conclusões fundamentais acerca de como assentar uma boa preparação para o exame:

  • os grupos a verde (Probabilidades e Combinatória de 2012, Funções de 2015, Números Complexos de 2016, Geometria de 2017 e Sucessões de 2014) constituem um limite inferior de dificuldade, ou seja, uma prova que contemplasse estes grupos seria a prova com melhor média dos últimos 6 anos. Estes são grupos ideais para alunos que estão a começar a sua preparação, e querem obter uma primeira noção da estrutura das perguntas do exame. Naturalmente, não conseguir responder às perguntas destes grupos não é motivo para pânico, uma vez que estás apenas a começar a tua preparação.
  • os grupos a laranja e vermelho são grupos ideais para alunos que já estão confortáveis com os conteúdos da prova, ou que estão a finalizar a sua preparação. Estes grupos constituem um limite superior de dificuldade. São ótimos para quem quer desafiar-se, pelo que se conseguires responder às perguntas destes grupos estás, quase garantidamente, preparadíssimo para a prova de dia 25 de junho.
  • estes dados são apenas referentes aos exames da primeira fase de cada ano, pelo que existem mais 12 provas, contando com as provas de 2ª fase e época especial, para além destas. Vale a pena realizá-las? Sim, algumas. As provas não têm questões repetidas, pelo que, certamente, a prova de dia 25 de junho será diferente das 18 provas anteriores desde 2012. Não estudes em quantidade, estuda antes em qualidade.
  • a realização de Provas Modelo de Exame é mais adequada do que a realização das próprias provas de Exame Final Nacional anteriores, uma vez que as primeiras poderão ser mais desafiantes, e poderão contemplar questões semelhantes às da prova final.



Outras considerações gerais importantes para te preparares para o exame:

  • tem cuidado com os exercícios resolvidos. Para uma primeira fase, os exercícios resolvidos podem ser fundamentais para obter um modelo estrutura do de resposta para diferentes questões de diferentes conteúdos, mas, a partir de um dado ponto, começam a não ser benéficos, pois podes acabar por não puxar por ti, por não pensar por ti, e isso é o que terá, necessariamente, de acontecer na prova final.
  • testa-te aquando da realização de uma prova. A partir de um dado ponto na tua preparação, deves começar a realizar as provas sozinho, e a consultar apenas as soluções no fim, por mais tentador que seja consultar as soluções enquanto realizas a prova. A criação de um cenário de exame o mais realista possível é uma ferramenta muito importante.

Para um bom estudo e preparação para o Exame Final Nacional de Matemática A deixo ainda um conjunto de links muito úteis:

  • www.sinalmaismat.com, onde poderás encontrar:
    • 12 provas modelo de exame originais resolvidas na íntegra, sendo que as do ano letivo 2017/2018 vão de encontro à estrutura indicada pelo IAVE a dezembro de 2017.
    • 6 provas modelo de exame divulgadas pela Porto Editora, que também constituem um fantástico recurso para te preparares para o exame.
  • https://mat.absolutamente.net/, onde poderás encontrar:
    • todos os exames nacionais resolvidos desde 2006, isto é, 36 provas com resolução detalhada.
    • enunciados e resoluções detalhadas de fichas de trabalho para os diferentes conteúdos do exame, que contemplam as questões de exame e testes intermédios desde 1998.
  • https://recursos-para-matematica.webnode.pt/, onde poderás encontrar:
    • 9 provas modelo de exame originais resolvidas na íntegra.