Há um ano atrás estava exatamente como tu. Com todas as dúvidas e incertezas de quem entra pela primeira vez numa faculdade. Prepara-te! Será um dos capítulos mais inesquecíveis da tua história! Sei que no início assusta-te a ideia de viver longe de casa, deixar os teus amigos e a tua família. Começas agora do zero, tal como todos os que estão à tua volta.

Eu sou a Inês e estudo na Universidade do Porto (Faculdade de Letras), em Ciências da Comunicação: Jornalismo, Assessoria e Multimédia e tal como tu, embarquei no desconhecido.



Certamente que já ouviste falar em formas de te integrares, ou pelo menos numa delas: A praxe. Pessoalmente concordo que pode ser uma forma de integração, por exemplo para aqueles que gostam de atividades físicas árduas. O que quero dizer, é que pode sê-lo para alguns, mas não obrigatoriamente para todos.

No meu curso existe A Real Tertúlia dos Bastardos, uma associação académica que se alicerça na vida universitária e em todas as suas tradições. Nasceu no ano de 2003 e desde então não parou de evoluir. Privilegia valores como a igualdade, a humildade, o respeito e a entreajuda. O seu grande objetivo é proporcionar-nos uma experiência única e inesquecível, nesta que é uma das fases mais importantes e decisivas da nossa formação.

A familiaridade entre pessoas de diferentes origens, personalidades e formas de estar, acaba por ser o que nos define enquanto grupo. Assim é possível termos uma visão mais abrangente, não só do curso, mas do mundo que nos rodeia. Hoje posso dizer que daqui levo uma família, amigos para a vida e momentos que nem o tempo será capaz de apagar.

É difícil encontrar uma palavra que possa descrever a minha experiência na Tertúlia e o grande impacto que teve na minha vida. É impossível condensar em palavras o que senti quando diante do Douro “vesti a camisola” e me comprometi com esta família. Dentro de pouco tempo senti-me em casa nas ruas e recantos, onde antes andava perdida.

Não estás sozinho! Ao teu lado vão estar os mestres, os conselheiros e todos os que como tu vivem pela primeira vez esta experiência. Vão apoiar-te em cada decisão, em cada projeto, em cada dificuldade que encontres no caminho. Alguns desses laços vão inclusive prolongar-se e dar origem a lágrimas e sorrisos rasgados no dia em que decidires que alguém passará a ter um papel ainda mais especial nesta tua, ainda que curta, jornada.

O teu padrinho/madrinha. Aquele que vai guardar o teu pedido para sempre, que não vai medir esforços para estar presente em cada pequeno passo que dês e que se orgulhará de ti, acima de qualquer coisa. É quem vai cobrir-te com a capa no ar gélido da manhã. Essa que também te irá secar a água do batismo, momento que só quem já viveu sabe o que significa. É alguém que estará ao teu lado quando vestires o traje pela primeira vez, que te colocará nos ombros o peso da responsabilidade e que não irá conter as lágrimas quando te traçar a capa na monumental serenata. É um amor inigualável que se prolongará para sempre.

Esta é a tua casa. O cortejo, a imposição, os jantares de natal e de final de ano, as reuniões, a solidariedade com crianças, os jogos, as músicas ao berro, os abraços, as quintas mágicas e as sextas (trágicas) são apenas alguns dos momentos que levarás contigo para a vida. Não tenhas medo, arrisca, aproveita, procura por alternativas na tua faculdade, mas nunca desistas e eu prometo-te que valerá a pena.

A Real Tertúlia dos Bastardos é a minha academia, é a tua vez de descobrires a tua.

Desejo-te a maior sorte nessa aventura!

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.