Geografia C, Direito, Biologia, Química, Fisíca, Aplicações Informáticas B, Clássicos da Literatura, Inglês, Oficina de Arte, Oficina Multimédia B…ufa! E a lista é enorme! Na tua passagem para a última etapa do secundário, o 12ºano, ficarás bastante aliviado(a) no teu horário porque as duas disciplinas bienais que tiveste no 10º e 11ºano
desaparecerão, e darão lugar às chamadas duas “opcionais de 12º”. Assim,em vez de 7 disciplinas, terás apenas 5: Português, Educação Fisíca, Matemática A ou História A ou Desenho A e essas mesmas opcionais. Só falta a cereja no topo deste bolo: com isto,tens um dia livre! Ouviste bem… Um Dia Livre!

Elas variam consoante os cursos científico-humanísticos: ciências e tecnologias, socioeconómicas, línguas e humanidades e artes visuais e também com a oferta formativa de cada escola e, têm a duração de 1 ano letivo, e muitos alunos aproveitam esta oportunidade para aumentarem a média final do secundário como também para o ensino superior pois também,tal como as outras disciplinas, fazem o ajuste final de contas. Lembro-me de estar na biblioteca da escola, e de ouvir uma professora a falar com um aluno após a primeira aula de uma destas disciplinas e aconselhá-lo:” Vejam-nas como uma forma de aumentar a vossa média e muito!” Depois de um 11º ano esgotante, escolhi por curiosidade e pelas minhas dificuldades, as duas disciplinas que iriam impulsionar a minha média: Sociologia e Psicologia B. Como aluna de Humanidades, vou partilhar contigo a minha relação e experiência com ambas. Já as conhecia de forma superficial com o que ouvia nos media em estatísticas de dados nas notícias em revistas sobre a saúde entre outros meios. Não pus as expectativas nem altas nem baixas, porque acabaria por ter uma surpresa agradável ou desagradável. E elas espelhavam a minha personalidade de uma pessoa interessada em saber o sentido de tudo o que acontece à nossa volta.



De uma forma simples, Sociologia significa “Estudo da Sociedade”. No início, aprendes como é ser sociólogo, o seu trabalho, quais os métodos de recolha, tratamento e exposição da informação, a sua origem, quem foram os “pais”desta ciência social, os diferentes conceitos comuns a todas as sociedades como a pobreza, classe social, cultura… etc. Depois de lidares com estas noções básicas, avanças para as diferentes variáveis estudadas, no caso português, tais como os estilos de vida, a família, a escola, a alimentação, o ambiente, a homossexualidade entre outros, e no final, no meu caso, testar-me com um trabalho final em que eu e duas colegas escolhemos o tema ”Os percursos escolares escolhidos pelos alunos”. Inquirimos uma amostra de 10 alunos aleatoriamente dos quais 5 rapazes e 5 raparigas do 10º, do 12ºano e de cursos profissionais de turmas diferentes, sobre se queriam ingressar na universidade ou no mercado de trabalho e o que queriam seguir para compararmos o nível de decisão no começo e no fim do secundário. Na elaboração tive 17 valores. De seguida, tratámos os dados seguindo escrupulosamente o guião do trabalho dado pela professora em vários aspetos: tipo de letra, espaçamento, tamanho do título como do texto… E digo-vos não foi nada fácil! 14 foi a nota obtida pois fui a única a preocupar-me com a estética do trabalho estipulado no guião. Mas fim… No 3º período apresentámos oralmente os resultados e o inquérito em versão digital, tendo-me destacado pela positiva com 19 valores. O meu estudo foi sempre orientado para os conceitos de cada unidade, as suas definições e a atenção prestada nas aulas. Já nos testes, as matérias eram relativas, algumas mais fáceis, outras mais difíceis, as minhas notas variavam entre o 13 e o 16. Mas com esforço e persistência acabei com 16 na pauta.

Já com Psicologia foi diferente. Tal como o nome indica quer dizer “O estudo da mente e dos processos mentais e comportamentais”. As matérias estão separadas em 6 temas: antes de mim ligada à genética (genes, o genótipo ou o fenótipo…) ao cérebro (a constituição do sistema simpático ou do parassintático e funções…) e à cultura (a
socialização, casos de crianças ”selvagens”…) O Eu associado à mente e aos processos mentais (emoções, sentimentos…), eu com os outros relacionado com as relações precoces (bebé-mãe) e interpessoais, eu nos contextos onde se encaixa o modelo ecológico do desenvolvimento (família,escola,trabalho…) ,os problemas e conceitos teóricos estruturantes da psicologia (os fundadores da psicologia no séc XX em relação à do séc XXI) e a psicologia aplicada (as diferentes áreas) onde fiz uma apresentação oral. Já o meu método de trabalho mudou, sublinhando as partes mais importantes dadas em aula pela professora, pelo que se tornou, ao longo do ano um fio condutor, o que resultou em notas entre 14 e 15 nos testes. O meu gosto à disciplina e todo o trabalho desenvolvido culminaram com 16 valores ao longo dos três períodos. A minha média mudou de 13,6 para 14 valores no secundário!

Espero que com a minha experiência possa ter ajudado algumas pessoas indecisas em relação a estas disciplinas. Não quero, mesmo, mudar a opinião de ninguém a estas escolhas. Cada um terá de escolher realmente o que quer. Isso é o que a escola proporciona-te: conheceres-te a ti próprio.

O meu conselho final é: agarra esta oportunidade com unhas e dentes, usa o teu método de estudo, treina as apresentações orais e arrasa! Espero que chegues à média que tanto desejas!

Boa Sorte e bom estudo!

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.