Todos os anos abrem novos cursos superiores, mas se explorares bem irás aperceber-te que muitos deles não são propriamente nenhuma novidade. Fizemos o levantamento dos 14 cursos cujo nome não existiu no ano passado, e fomos perceber quais é que são uma nova oferta no ensino superior e quais é que resultaram de uma “mudança de visual”.

Se estás a concorrer ao ensino superior deste ano certamente já te deparaste com cursos que no site da DGES que não disponibilizam as notas dos últimos colocados de anos anteriores. Deves ter assumido que são novos cursos que foram abertos apenas este ano, o que não é verdade para a maioria. Basta uma mudança no nome para que lhe seja atribuído um novo código na base de dados da DGES, e consequentemente as informações do curso com a denominação anterior não lhe é associada. Decidimos por isso fazer uma lista dos 14 novos cursos deste ano, em que na verdade apenas 6 são mesmo cursos que não existiam, sendo os outros 8 resultado de um reposicionamento do mesmo pela instituição, incluindo a mudança do seu nome.

Novos Cursos

 

1) Acupuntura

É provavelmente a maior novidade este ano. A Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Setúbal decidiu abrir a licenciatura em acupuntura. Refere a instituição que esta “área milenar integrada nas terapias não convencionais e com reconhecimento crescente das suas potencialidades e benefícios na promoção e qualidade de vida das pessoas, assume atualmente no panorama do Ensino Superior Português o reconhecimento enquanto área de formação de nível superior.” Iniciará este ano com 20 vagas.

 

2) Artes da Performance Cultural

Este é o novo curso da Escola Superior de Educação de Viseu do Instituto Politécnico de Viseu. Refere a escola que este curso “visa a formação de um perfil de profissional na área da arte performativa e as exigências atuais da ação dos diplomados enquanto agentes de desenvolvimento cultural e artístico em variados contextos junto de diferentes públicos. ” Disponibiliza 26 vagas.

 

3) Comércio e Relações Económicas Internacionais

Uma nova aposta do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra do Instituto Politécnico de Coimbra. Quer a apresentação, as competências e as saídas profissionais constam no site com o texto “[Sem informação]”, pelo que a única coisa que é possível saber é o seu plano curricular.

 

4) Engenharia de Redes e Sistemas de Computadores

É uma das 3 novas engenharias da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo. Existindo as outras duas noutras instituições, Engenharia Alimentar e Engenharia Mecatrónica, este curso acaba por ser a verdadeira novidade. Segundo a instituição “a licenciatura em Engenharia de Redes e Sistemas de Computadores é o novo curso de engenharia da ESTG/IPVC com um plano de estudos orientado para as áreas das redes de comunicação, integração e administração de sistemas e cibersegurança.” Iniciará com 30 vagas.

 

5) Informática e Tecnologias Multimédia

É o novo curso da Escola Superior de Tecnologia de Abrantes do Instituto Politécnico de Tomar. “O perfil do programa de estudos compreende a formação e o desenvolvimento de competências de natureza técnico-profissional nas seguintes áreas de estudos das Ciências Informáticas: desenvolvimento de Software (multiplataforma); especificação, instalação e gestão de sistemas informáticos; e desenvolvimento de projetos web. Começa com 33 vagas.

 

6) Tecnologias Bioanalíticas

Novo curso da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Beja. A página de descrição do curso ainda apresenta um “(conteúdo a introduzir brevemente)”, mas nos seus objectivos é possível saber que “o plano de estudos do curso de Tecnologias Bioanalíticas visa proporcionar conhecimentos científicos e tecnológicos nas áreas de: planeamento e procedimentos de amostragem; implementação e desenvolvimento de programas de controlo de qualidade analítica; gestão da segurança e higiene dos laboratórios; gestão de laboratórios; gestão e controlo da qualidade de matrizes dos diferentes domínios de atuação do curso ambiental, alimentar, agro-ambiental e clínico; e avaliação de risco (humano e ambiental) de substâncias perigosas.” O curso abre 25 vagas.

 

Cursos que mudaram de nome

 

1) Design de Comunicação e Audiovisual

Este curso da Escola Superior de Artes Aplicadas do Escola Superior de Artes Aplicadas surge de uma ligeira mudança de nome do anterior “Design de Comunicação e Produção Audiovisual“. Segundo esta escola, tem como objectivo o “desenvolvimento da criatividade e da imaginação, aliado à capacidade de análise e exploração dos materiais, processos e novas tecnologias capazes de dar respostas adequadas e inovadoras face aos problemas suscitados pelo mundo actual.”

 

2) Engenharia Naval e Oceânica

Corresponde ao curso de Engenharia e Arquitectura Naval, como inclusive continua a ser nomeado no site do Instituto Superior Técnico. Segundo a instituição, “a Engenharia Naval é uma actividade profissional reconhecida e regulamentada pela Ordem dos Engenheiros e que consiste fundamentalmente na concepção, construção e gestão da operação dos sistemas que se destinam à exploração do mar, nas suas vertentes de via de transporte marítimo, de fonte de recursos vivos e minerais e ainda como local de actividades de desporto e recreio.” Foi considerado recentemente o 3º melhor curso do mundo na sua área.

 

3) Estudos Orientais: Estudos Chineses e Japoneses

Substitui o anterior curso “Línguas e Culturas Orientais” na Universidade do Minho. Este curso “pretende dotar os seus estudantes com competência linguística, capacidade comunicacional e sensibilidade cultural que lhes permitam agir em todas as áreas e atividades profissionais que tenham relação com os mundos chinês e japonês, num estabelecer de pontes com estas sociedades. A formação dos alunos terá como núcleo duro da sua aprendizagem as línguas de referência, Chinês (major) e Japonês (minor), línguas de trabalho e aquisição, pelo que no plano curricular constatar-se-á uma forte incidência do tempo de trabalho nestas áreas.”

 

4) Estudos de Cultura

Resulta muito provavelmente do anterior curso que a Universidade da Madeira tinha com o nome “Ciências da Cultura”. No site da instituição apenas é disponibilizado o plano de estudos do mesmo sem qualquer descrição, objectivos ou saídas profissionais.

 

5) Estudos de Cultura e Comunicação

Tal como a universidade anterior, a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa mudou o nome ao seu curso de “Ciências da Cultura”. A mesma refere que este curso “aposta na formação de quadros capazes de se adaptarem com flexibilidade às condições e exigências de um mercado de trabalho em constante mutação, nos sectores público e privado da cultura e da comunicação.”

 

6) Estudos Musicais Aplicados

Este curso da Escola Superior de Educação de Coimbra resulta de outro que tinha como nome apenas “Música”. É descrito pela instituição como um curso que “tem por missão a formação de profissionais de qualidade, capazes de se inserirem activamente no mercado de trabalho e de aí prestarem serviços no campo da Intervenção Musical em contextos de reabilitação ou reinserção social e ainda no campo das Tecnologias áudio, ligadas ou não às tecnologias visuais.”

 

7) Gestão de Bioindústrias

É provavelmente a mudança mais pequena de todas, já que o curso passou de “Gestão da Bioindústria” para “Gestão de Bioindústrias”. Este curso da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital do Instituto Politécnico de Coimbra tem como objectivo “formar profissionais que combinam o domínio de métodos e técnicas de gestão com sólida formação em biociência, e o conhecimento de processos biotecnológicos, para que possam ter uma carreira profissional nas indústrias de base biológica, organizações que apoiam a bioeconomia e em centros de investigação.”

 

8) Ortóptica e Ciências da Visão

A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa decidiu alterar este ano o nome de apenas “Ortóptica”, acrescentando-lhe o “e Ciências da Visão”. Consultando site da instituição ficamos a saber que “o Ortoptista identifica, quantifica e qualifica as anomalias da visão e os distúrbios da motilidade ocular. Define e aplica, com base no diagnóstico, programas terapêuticos com vista à reeducação e reabilitação motora e funcional da visão binocular e da deficiência visual.”.

Artigo editado às 00h56 de dia 7 de Agosto para adicionar o curso de Comércio e Relações Económicas Internacionais.

  • Simão Oliveira

    Há uma pequena falha neste artigo. “Estudos Orientais: Estudos Chineses e Japoneses” já existia apenas mudou de nome. Era o antigo curso de “Línguas e Culturas Orientais” 🙂

    • Olá @disqus_GV2z1KDKSd:disqus
      Obrigado pela informação. Já atualizamos. 🙂