Não é nada fácil falar sobre a experiência do primeiro ano da faculdade! O sentimento de saudade invade-me a alma, de tal maneira que, não consigo expressar num simples texto, todos os bons momentos que vivi sem que uma lágrima me corra involuntariamente pelo rosto.

Assusta a ideia de sair de casa. Não nego, foi o que mais me custou. As saudades de casa tomaram conta de mim imensas vezes, mas sempre que isso acontecia, eu pensava que estava ali realmente por algum motivo, para lutar por um sonho e que, embora longe, os meus familiares me apoiariam em todas as circunstâncias. Não é fácil passar fins de semana fora de casa e, saber que ao domingo, todos estão à volta da mesa da sala de jantar e, um único lugar está livre, o teu. Não é fácil veres os mais pequenos a crescer longe de ti, não é fácil ouvires a pergunta “quando é que vens a casa?”. Não é fácil, mas acredita que, no fim, tudo valerá a pena.



Entrei em Direito, na Faculdade de Direito da Universidade do Porto (FDUP), e só depois de ter algumas aulas é que tive, efetivamente, a certeza que era aquilo que eu queria (por isso, não te assustes, se ainda estiveres com dúvidas é, absolutamente, normal). Sim, Direito não é apenas Coimbra. Não tirando o mérito à Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, a FDUP é também uma Faculdade que deve ter o seu devido destaque. Destaca-se das restantes Faculdades de Direito do país pela sua vertente de investigação, nomeadamente, no que diz respeito, à Escola de Criminologia.

No que diz respeito a classificações, vais notar uma clara diferença entre o Ensino Secundário e o Ensino Superior. Não vão ser notas iguais às que vens acostumado(a) a ter, 17, 18, 19 e, até mesmo, 20. Nada é impossível mas, uma coisa é certa, os alunos que entram nesta Faculdade entram com a média mais alta do país, mas acabam a Licenciatura com a média mais baixa. Não é segredo para ninguém que os professores das unidades curriculares do curso de Direito são exigentes e, os da FDUP não fogem à regra. Tal como no Ensino Secundário, vais encontrar professores de todo o tipo, professores que explicam muito bem, professores que se preocupam, verdadeiramente, se estás a perceber a matéria ou não… Sim! Os professores preocupam-se contigo, preocupam-se se estás a perceber a matéria, não é como a grande parte das pessoas diz “Ah, na Faculdade ninguém tira dúvidas”.

Sabes, quanto a estudar, é mesmo como as pessoas dizem, vais ter mesmo de estudar muito. Não ao ponto de ficares sem vida como se costuma dizer, se estudares diariamente durante o semestre, vais ter uma época de exames muito mais desafogada. Se souberes gerir o teu tempo, irás verificar que é como a sabedoria popular diz “há tempo para tudo!”. A este nível, posso dizer-te que o primeiro ano, assim como, o primeiro de outros cursos, é muito teórico. É um ano onde aprendes a História de tudo e mais alguma coisa, como é que as coisas apareceram, é o ano onde vais ter a famosa disciplina em todos os cursos, Introdução e, no caso do curso de Direito, será Introdução ao Direito.

No entanto, sei do que estás à espera… A parte académica, a vida boémia e estudantil que todo e qualquer universitário se lembrará (ou não) quando acabar a sua licenciatura. Posso dizer-te que não é como a maioria das pessoas diz, só festas. A vida académica é muito mais do que isso, é o conjunto de experiências que farão, efetivamente, parte do teu crescimento. É nessa vida académica que conhecerás as melhores pessoas que levarás da faculdade, aquelas que sofreram e viveram os bons momentos contigo, aquelas que se orgulharam de te ver crescer enquanto pessoa, aquelas que te vão traçar a capa preta que tanto orgulho terás em usar…

Para quem assim o pensar, a serenata será o ponto alto da vida académica e, para mim, foi mesmo esse. Vestir o traje e sentir que, realmente, pertences ali, àquela cidade que te viu crescer desde o primeiro dia é um sentimento inexplicável. Irás sentir que aquela caminhada valeu a pena, irás sentir o orgulho dos teus pais quando te virem trajado, irás sentir o orgulho dos teus padrinhos quando te traçarem a capa. Irás sentir que uma caminhada está a acabar e, outra está prestes a ter início. Espero que olhes para a cidade que te acolher com o mesmo ar de esperança que eu olho para a cidade Invicta, a esperança de pertencer sempre ali.

De modo a concluir esta reflexão, quero dizer-te que recordo este primeiro ano, como um ano de muito trabalho, de muita responsabilidade (sim, viver sozinho(a) e, quando chegas a casa não ter o pai ou a mãe, não é nada fácil), mas, acima de tudo, um ano de crescimento, quer enquanto pessoa, quer enquanto aluna.

Acredita, vais apaixonar-te pela Faculdade em tão pouco tempo e, de uma coisa podes ter a certeza, SERÃO OS MELHORES ANOS DA TUA VIDA!

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.