Os exames nacionais do ensino secundário podem deixar de ter influência no acesso ao ensino superior nos institutos politécnicos.

Segundo a proposta entregue pelos representantes destas instituições de ensino superior, as regras atualmente em vigor seriam apenas aplicadas às instituições universitárias. O Governo está a analisar a proposta, que permitiria que no acesso a estas instituições contasse apenas a média final do ensino secundário.

Não deixarias de ter de fazer os exames nacionais, no caso em que eles são obrigatórios para concluíres o ensino secundário, apenas deixariam de ter um peso determinante na tua nota de candidatura ao ensino superior politécnico. Esta proposta do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP), acaba com a figura das Provas de Ingresso como componente obrigatória no acesso, no entanto, a medida prevê que as instituições possam definir provas específicas para cursos em que entendem que estas devem existir.

Estas novas regras implicariam a coexistência de dois modelos de ingresso díspares para o ensino universitário e politécnico. Sendo contabilizada apenas a média do ensino secundário, permitiria o ingresso nos politécnicos a alunos que não conseguem atingir os atuais mínimos nos exames nacionais de 9.5 valores, e que vêm assim bloqueado o acesso ao ensino superior.

Justificada pela “necessidade de admissão de mais estudantes no ensino superior” pelo presidente do CCISP, Joaquim Mourato, também Presidente do Instituto Politécnico de Portalegre, não é uma proposta consensual. Os politécnicos de Coimbra, Leiria, Lisboa e Porto votaram contra esta sugestão, um conjunto de instituições que embora represente praticamente metade dos alunos deste sector de ensino superior, ficou em minoria no número de institutos politécnicos representados no CCISP.

Esta proposta surge no âmbito da reforma do ensino superior que está a ser preparada. O Governo irá agora analisá-la, não se tendo pronunciado sobre as medidas sugeridas.

Qual a tua opinião sobre esta medida? Deixa o teu comentário.