Não foi uma decisão nada fácil de tomar. Foram várias as noites que passei em branco na dúvida de poder cometer um grande erro.

Ao longo de toda a minha vida sonhei com o dia em que entraria na faculdade. Acreditava que teria média para entrar no curso que queria e que sentir-me-ia desde logo realizada, mas enganei-me.

Os exames nacionais não correram como esperado e mais uma vez um simples número ditou o futuro de uma aluna. Não entrei em medicina, o curso que sempre quis.



Acabei por entrar em bioquímica. Adorei a faculdade, o ambiente entre colegas e professores e fiz amigos que julgo serem para a vida.

Apesar disto, não me sentia preenchida. A minha vocação não seria esta, mas tinha medo de arriscar.

Afinal para que é que serviram todos aqueles anos em que estudei arduamente e abdiquei de tanta coisa? Não fazia qualquer sentido.

E se ao desistir de Bioquímica me acomodasse e deixasse de lutar por tudo aquilo em que acredito?

Sonhei alto e trabalhei muito desde cedo, por isso tive de acreditar que não seria agora que isso iria mudar.

Foi então que tomei a grande decisão: anulei a matrícula.

Depois disto, achei que deveria repetir os exames nacionais e tentar aumentar a minha média, mas infelizmente não consegui.

Estava perdida, sem saber qual o meu rumo. E ainda me sinto um pouco assim.

Parece que a vida está constantemente a empurrar-me para outro lugar, só não sei qual.

Presentemente não sei o quero ser, muito menos que área seguir na faculdade.

Apenas tenho de continuar a procurar, por mais difícil que seja ver todos os meus planos alterados.

Creio que o esforço daqueles que realmente lutam será sempre recompensado, mais cedo ou mais tarde. Não perder a esperança é crucial, bem como acreditar que por vezes temos mesmo de nos perder para que nos possamos encontrar.

No fundo, a vida é uma escalada que requer calma, perseverança, paciência e claro, a consciência de que por mais complicada que seja a subida, a vista é linda.

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.