Ao entrar para a universidade, um dos primeiros conceitos de que me falaram foi o de soft skills. Apesar de não me ser desconhecido ainda não tinha noção da sua importância. Soft skills são as qualidades intrínsecas que cada um de nós possui e que não se adquirem através da formação, mas através das experiências que vivenciamos e das interações que estabelecemos.

Desengane-se quem pensa que um dia ao tentar entrar para o mercado de trabalho, bastará apresentar uma boa média de curso para abrir todas as portas! Como alguém disse, “As hard skills garantem a entrevista, mas são as soft skills que garantem o emprego.”

É verdade que a média é um fator valorizado por muitas empresas (ter boas notas só traz vantagens), mas há qualidades que nos podem distinguir e que devem ser trabalhadas durante a faculdade. Cada vez há uma maior oferta de atividades por parte das universidades que deve ser aproveitadas pelos alunos, mediante os gostos e as necessidades de cada um.



O saber ouvir e partilhar ideias, a interajuda, a adaptabilidade, a capacidade de comunicação, são essenciais par trabalhar em equipa, independentemente de se ser líder ou apenas membro de um projeto, já que é preciso estar disposto a partilhar responsabilidades e a cooperar com os colegas de trabalho de forma a produzir o melhor resultado possível. Estas capacidades não se aprendem nos livros; para as apurar temos de integrar grupos e participar em projetos, mesmo que já tenhamos uma certa facilidade para algumas delas.

Outra soft skill bastante valorizada é a gestão do tempo, dado que um trabalhador que consiga terminar os trabalhos dentro do prazo estipulado é mais produtivo. Esta qualidade pode ser aperfeiçoada durante o curso; um estudante que se envolva em atividades extracurriculares, tem desde logo uma maior necessidade de gerir eficientemente o tempo que dispõe para o estudo, tornando o seu trabalho muito mais eficaz e com maior rendimento.

Também é muito importante estar disposto a aprender e a melhorar aquilo que foi feito, uma atitude irredutível só traz desvantagens! É essencial ser flexível e ter a capacidade de adaptação de forma a encarar de frente qualquer projeto.

Qualidades como as que referi podem ser adquiridas através do associativismo, de atividades de voluntariado, de práticas desportivas, de atividades relacionadas com a música, como as tunas académicas, mas também através da dança, do teatro, da fotografia, pois todas elas incluem o contacto com pessoas e em muitos casos obrigam-nos a sair da nossa zona de conforto, a contactar com novas realidades e a aperfeiçoarmo-nos enquanto seres humanos.

Acho importante considerarmos a pertinência das soft skills, pois de facto são uma mais valia para cada um de nós e certamente facilitarão a nossa integração num mercado de trabalho cada vez mais exigente e em constante mutação.

Colabora!

Este texto faz parte de uma nova série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.