Rui Bragança, do taekwondo, conquistou esta manhã a medalha de prata na categoria -58kg das Universíadas, naquele que foi o primeiro pódio de Portugal nesta edição de 2017 que se está a realizar em Taipé, repetindo assim a participação que tivera há dois anos em Gwangju, na Coreia do Sul, onde tinha apenas cedido frente ao cazaque Nursultan Mamayev.

Aos 25 anos, Rui Bragança, que trocou o V. Guimarães pelo Benfica após os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, é uma das grandes esperanças de Portugal para Tóquio-2020, tendo já no seu currículo uma medalha de ouro nos Jogos Europeus (2015, Baku) e outra no Campeonato da Europa (Montreux, 2016), além da prata do Mundial de 2011, em Gwangju, e do bronze no Europeu de 2014, em Baku. O estudante de medicina nascido em Guimarães já conquistou também várias medalhas no plano nacional e internacional, em Taças do Mundo.

Francisco Belo, por ser lado, conquistou esta quarta-feira a medalha de ouro no lançamento do peso. O atleta do Benfica lançou o peso com 20,86 metros, o que constitui também um novo recorde pessoal.

Este está a ser o melhor ano da carreira do atleta de 25 anos e aluno da Universidade de Lisboa. Belo já tinha batido o recorde de Portugal, mas no lançamento do disco em junho, numa prova que decorreu em Vagos. O atleta conseguiu, no mesmo dia, bater o máximo português, com dois lançamentos acima dos 61 metros: 61,68 e 62,01 metros.

Francisco Belo conquista assim a primeira medalha de ouro de Portugal nas Universíadas 2017, a sétima na história do atletismo na competição: Jessica Augusto nos 5.000 metros em 2007, Nélson Évora no triplo salto em 2009 e 2011, Sara Moreira nos 3.000 metros obstáculos e nos 5.000 metros em 2009 e Alberto Paulo nos 3.000 metros obstáculos em 2011.