Já foram apurados os vencedores da 9.ª edição do Angelini University Award (AUA!), que teve por tema “Viver com Doença Mental Grave”. O evento que decorreu no dia 24 de outubro, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa.

O trabalho classificado em 1.º lugar, “Informar para desestigmatizar”, vem da Universidade do Minho – Escola de Medicina, e teve como autores João Pedro Lima e Nuno de Sousa e Castro, orientados pelo Professor Pedro Morgado.



Em 2.º lugar ficou o projecto D-Fox, da Universidade Autónoma de Lisboa, apresentado pelas Dr.ªs Sara Calado, Sara Moreira e Inês Fernandes e a supervisão da Prof.ª Doutora Luísa Ribeiro. O trabalho favorito do público foi “A outra face”, do Dr. Francisco Queirós, das Dr.ªs Joana Lourenço e Luana Hanysz do ISPA, apoiados pelo Prof. Doutor Csongor Juhos.

O projecto vencedor – “Informar para desestigmatizar” – tem por objectivo desenvolver uma plataforma digital para alojar materiais educativos e recursos didácticos acerca das doenças mentais, num formato inovador e em português, que possam ser livre e facilmente utilizados pelos profissionais de saúde, doentes, familiares, amigos, escolas, entre outros.

Desta forma, pretende-se um acesso generalizado à informação necessária, melhorar os cuidados de saúde em psiquiatria, a qualidade de vida dos doentes e diminuir os custos associados às principais doenças psiquiátricas.

A equipa vencedora acredita que estes custos podem ser reduzidos através da prevenção primária e, nomeadamente, da (in)formação generalizada sobre estas doenças.

Foram também divulgados os vencedores das duas categorias da 1.ª edição do Prémio de Jornalismo “AUA! – ANGELINI UNIVERSITY AWARD”. Tendo por objetivo ajudar a sensibilizar a opinião pública para as questões da doença mental, o prémio de jornalismo foi dirigido aos jornalistas da imprensa escrita, internet e audiovisual, bem como a estudantes do ensino superior das áreas de comunicação e jornalismo.

Clara Soares venceu a categoria de Jornalistas com carteira profissional, com o texto “Os miúdos não estão bem”, publicado na revista Visão, recebendo um prémio no valor de 2250 euros, entregue pela representante do Sindicato dos Jornalistas, Isabel Nery. A categoria estudante, com um prémio no valor de 750 euros, foi ganha pelo trabalho “Alentejo, precisamos falar de saúde mental”, de Júlia Zampieri de Lima