8 dicas para identificar “notícias falsas”


A desinformação é uma ameaça crescente para as democracias europeias. Os seus efeitos, cada vez mais nocivos para a sociedade em toda a União Europeia, exigem uma abordagem coordenada, conjunta e sustentável para combater o fenómeno de forma abrangente. Para tal, a União Europeia desenvolveu um plano de ação assente em quatro pilares: melhorar a deteção da desinformação, reforçar a cooperação entre as instituições da UE e os Estados-Membros, mobilizar o sector privado e sensibilizar o público.

Com a Comissão Europeia, que tem lançado várias iniciativas dedicadas ao combate à desinformação, deixamos-te várias dicas para identificares as “notícias falsas” (fake news).

1. Verifica o conteúdo 

Os factos e os números são exatos? O artigo é tendencioso? Um órgão de comunicação social credível mantém os pareceres subjetivos no espaço reservado aos artigos de opinião e não no espaço reservado às notícias propriamente ditas

2. Verifica o órgão de comunicação

Já ouviste falar dele? O URL parece-te estranho? Verifica a seção “Sobre Nós”. Quem está por trás desse órgão de comunicação? Quem o financia? Faz uma verificação adicional daquele que outras fontes (credíveis) dizem. 

3. Verifica o autor

Essa pessoa realmente existe? É sempre possível encontrar informações sobre o trabalho de um jornalista conceituado. Se o autor inventou o próprio nome (ou não o mencionar), é provável que o resto também seja falso. 

4. Verifica as fontes

O autor utiliza fontes fidedignas (por exemplo, órgãos de comunicação social conceituados e respeitados)? Os peritos citados são verdadeiros especialistas? Se a história utiliza fontes anónimas (ou mesmo nenhuma), poderá ser falsa.

5. Verifica as imagens

As imagens são poderosas e é fácil manipulá-las. Através de uma pesquisa de imagens é possível perceber se a imagem foi utilizada anteriormente num contexto diferente.

6. Pensa antes de partilhar

A história pode ser uma distorção de acontecimentos reais ou antigos – ou pode ser uma paródia. O título pode ser concebido com o objetivo de provocar emoções fortes. Se um acontecimento for real, os meios de comunicação credíveis dar-lhe-ão cobertura.

7. Questiona os teus próprios preconceitos e estereótipos 

Por vezes, uma história é demasiado boa ou divertida para ser verdadeira. Respira fundo, confronta a história com informações mencionadas em fontes credíveis e não te deixes manipular.

8. Ajuda a descobrir informações falsas 

Mantém-te a par dos últimos truques e técnicas narrativas utilizados para propagar desinformação. Denuncia as notícias falsas. Passa a palavra e informa os teus amigos.

Explora mais informação no site de combate à desinformação da Comissão Europeia – EUvsDisinfo.

Conteúdo baseado em documento elaborado para os deputados e o pessoal do Parlamento Europeu como material de referência, a fim de os ajudar no seu trabalho parlamentar, pelo Serviço de Estudos do Parlamento Europeu, da autora Naja Bentzen.