(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

A praxe em Aveiro é a nossa tão adorada Faina, não é o tipo de praxe que eu ouvia falar antes de entrar na universidade … não é física, não é abusiva, não é o bicho papão de que tanto nos falam mal.

Para mim a Faina tornou- se união, dedicação, respeito … tudo isto e muito mais. (para mim e para tantos outros estudantes da Universidade de Aveiro!)

Aquelas belas quarta feiras à tarde, em que tudo o que nos pesa nos ombros desvanece, as frequências, o medo do fracasso, a incansável sensação que não estamos da dar tudo o que temos, o frio na barriga devido a não estarmos na nossa zona de conforto… tudo isto desaparece, naquela quarta à tarde somos meros aluviões , todos no mesmo lugar , todos iguais, sem barreiras , prontos para dar tudo o que temos, gritar em plenos pulmões , criar ligações, criar memórias! E acredita de todas as memórias que tive até hoje as da Faina são aquelas que mais me marcam. Nunca me vou arrepender de ter dedicado o meu tempo a Faina Aveirense e às suas tradições. Fico sim indignada por no início ter achado… se calhar é melhor não… vou perder tempo que poderia usar a estudar… se não tivesse dado o passo e aceitar a Faina com todo o meu coração aí sim tinha perdido o meu tempo.



Quando dizem que a Faina é integração eu penso… hum talvez! Mas para mim a Faina é união, eu estaria integrada no meu curso se não a tivesse feito, mas não teria criado amizades tão fortes fora da Faina. A Faina ensina-nos a ser humanos, que por muito que não gostes de alguém se esse alguém precisar de ajuda tu vais lá estar, porque tens valores. A Faina vai-te ensinar que tens de te levantar e defender os teus princípios mas sempre respeitando o outro.

A Faina foi e será sempre o meu alicerce que me manteve a tona durante o meu percurso académico. Somos tão pequenos no mundo, mas na Faina eu encontrei o meu lugar, uma família , todos diferentes , cada um com as suas crenças, com os seus ideais, com as suas particularidades… mas que de alguma forma encaixavam perfeitamente e formavam esta família. A Faina é uma família fora de casa!

A decisão de fazeres praxe é só tua, o conselho que deixo para quem não sabe o que fazer: Experimenta, só assim saberás se queres ou não, e se não quiseres tens as tuas razões fundamentadas, porquê? Porque experimentas-te e posteriormente sabes que não é para ti! Mas não descartes algo só porque alguém te diz que não o deves fazer… experimenta e cria a tua própria opinião.

Por isso para ti que estás agora num sítio completamente novo, espero que encontres o teu lugar! Boa sorte.

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.