Agência Espacial Portuguesa desafia estudantes universitários a voarem em gravidade zero

Agência Espacial Portuguesa (AEP)

Entre fevereiro e outubro de 2022, Portugal e França unem-se na Terra e no Espaço para incentivarem o estudantes do Ensino Superior a criarem experiências científicas em microgravidade.

A Portugal Space juntamente com o Centre National d’Etudes Spatiales (CNES) está a desafiar os estudantes do Ensino Superior a criarem experiências científicas em microgravidade, ao mesmo tempo que promove a interação entre estudantes universitários de Portugal e França através da participação no concurso.

A iniciativa visa reforçar a cooperação estratégica entre os dois países e estimular a interação entre alunos e investigadores de Portugal e França. Assim, “além de criar oportunidades para que os estudantes portugueses possam desenvolver investigação fundamental, estreitando laços de cooperação internacional, esta iniciativa pretende reforçar a estratégia de desenvolvimento de um quadro educativo capaz de impulsionar o crescimento sustentável do sector espacial em Portugal”, pode-se ler no site oficial da Portugal Space.

A investigação em microgravidade, que tem um enorme potencial no desenvolvimento de aplicações médicas, de produtos farmacêuticos, processos biológicos, novos materiais entre muitos outros, é uma das apostas da Agência Espacial Portuguesa”, refere Marta Gonçalves, responsável por projetos de Educação e Ciência promovidos pela Portugal Space.

As candidaturas estão abertas até 28 de outubro e podem-se inscrever candidatos provenientes de França e Portugal que frequentem o ensino superior. No final serão selecionados três projetos de estudantes universitários protagonizados por equipas franco-portuguesas e os resultados conhecidos a 29 de novembro.

Os voos serão realizados entre o fim de setembro e início de outubro do próximo ano a bordo do Airbus A310-OG, operado pela Societé Novespace, na cidade francesa de Mérignac. Segundo a Agência Espacial Portuguesa, esta aeronave permite a realização de manobras específicas, chamadas de parábolas, que irão possibilitar aos passageiros experienciarem cerca de 22 segundos de gravidade reduzida ou microgravidade.