(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

A campanha #QuebraOSilencio está a dar visibilidade à discriminação que muitos jovens sofrem nas suas escolas por parte de colegas, mas também professores e funcionários.

Foi criada para divulgar o Observatório de Educação, o projeto da associação de jovens LGBTI rede ex aequo que recolhe as denúncias de homofobia e transfobia ocorridas no contexto escolar português.

Conforme adiantou ao Uniarea Cátia Figueiredo, da associação de jovens, “está na hora de dar visibilidade aos casos de discriminação que estão a acontecer neste momento nas escolas, espaços que deveriam primar pela segurança e inclusão de qualquer jovem. Assim, reunimos uma série de voluntários que mostram uma série de insultos que foram ouvidos, sentidos e interiorizados por jovens nos mais diversos distritos e ao longo de diferentes níveis académicos”.



Pretendem também alertar para a existência do Observatório de Educação, para que “os jovens percam o medo da denuncia e que se apercebam que o que não é ok é discriminar. Assim, poderemos atuar com uma maior precisão e contribuir para uma sociedade mais justa mas acima de tudo melhorar a qualidade de vida dos jovens LGBTI em portugal”, adiantou a representante desta associação.

A rede ex aequo é uma rede de apoio, quebra de isolamento e ativismo para jovens lésbicas, gays, bissexuais, trans, intersexo e apoiantes entre os 16 e os 30 anos.

Podes visualizar os 3 vídeos divulgados da campanha #QuebraOSilencio em baixo: