Casas para Estudantes – Onde é mais Barato Arrendar?

Foto de Nguyen Dang Hoang Nhu / Unsplash

Ciclicamente, surge a temática um pouco por todo o país. Findos os estudos no ensino secundário, muitos optam (e bem) por complementar a sua educação no ensino superior. Com inúmeras instituições de ensino e cursos à espera para dar resposta aos sonhos de sucesso profissional de cada estudante, cabe frequentemente aos pais fazer contas à vida.

O alojamento, esse particularmente complexo quebra-cabeças, move milhares de famílias um pouco por todo o país em romaria pelo menos uma vez ao ano. Entre as caraterísticas pretendidas, reside um balanço por vezes impossível de alcançar. Uma casa ou quarto dentro de um orçamento estrito que deve contemplar as inúmeras outras despesas, a proximidade da instituição e, idealmente, a paz de espírito possível para os pais que aqui deixam os seus filhos num novo nível de independência.

Distritos Mais Económicos Atraem

Ainda que este paradigma se repita há décadas, existem atualmente mais instituições de ensino superior do que outrora, o que se reflete na possibilidade de obter um valioso canudo num distrito onde o alojamento seja mais em conta. Distritos como Portalegre, Guarda e particularmente Bragança seguem na linha da frente na resposta a este desafio.

Com o preço médio do arrendamento em Bragança situado atualmente nos €355 (dados fornecidos pela Imovirtual relativos a janeiro de 2021), existe um atrativo adicional para considerar este distrito e similares como base para a formação superior.

Os outros distritos anteriormente mencionados seguem a mesma tendência no que se refere a valores mais acessíveis. Portalegre com €391, Castelo Branco com €423 ou a Guarda com €469 refletem valores médios de arrendamento para todos os gostos e orçamentos. Ainda assim, entre os quatro distritos onde é mais económico arrendar habitação, surgem diferenças na mensalidade superiores a €100.

Alojamento para Estudantes – Um Investimento Sólido?

Um segmento bastante apelativo na área do arrendamento imobiliário reside precisamente no mercado estudantil. Em cidades onde exista uma ou mais instituições de ensino superior, este é um motor económico local de particular importância.

Para aqueles que procurem um investimento com potencial, apresenta-se como um segmento onde a procura tende habitualmente a superar a oferta. Não sem riscos associados, obviamente, pois a elevada mobilidade dos estudantes em relação à habitação significa que a tarefa associada em gerir este tipo de imóvel exija mais tempo e atenção do que aquela normalmente expetável num arrendamento de média ou longa duração.

Ainda assim, e considerando somente os distritos onde o arrendamento é mais barato, é possível nestes moldes obter um retorno de investimento superior ao da média habitual. Trata-se essencialmente de medir correta e atempadamente os riscos e benefícios associados ao arrendamento a estudantes. Para muitos, é um modelo de negócio que proporciona rendimentos elevados com frequência, apenas afetado pela interrupção do período letivo durante o verão.

Arrendamento Estudantil – O Timing é Fulcral

Tal como havíamos mencionado anteriormente, a procura por este tipo de arrendamento é elevada e regra geral fixada num muito curto espaço de tempo. Tal significa que as melhores casas e os melhores negócios tendem a desaparecer primeiro do mercado.

Aqueles que esperam mais tempo para agir encontram uma crescente curva de dificuldades, onde o resultado tende frequentemente a concretizar-se numa habitação mais cara, com piores condições, ou o alargar da base de busca para distâncias superiores em relação à instituição de ensino.

Como tal, obter uma habitação estudantil de qualidade dependerá sempre de inúmeros fatores. Desde logo, é essencial a correta expetativa orçamental por parte de quem arrenda e uma ação o mais atempada possível em conhecer o mercado a fundo, agindo rapidamente sobre as opções pretendidas.