(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Olho para o calendário pelo que parece ser a milésima vez. Como me devo organizar? Quais são as coisas que tenho para fazer online e presencialmente? As tarefas acumulam-se e sinto que não tenho tempo…os dias são preenchidos com aulas e trabalhos, temos de gerir as atividades presenciais (aulas, saídas com amigos, tempo para a família, tarefas domésticas, tempo para estudar e para nós próprios) com aquilo que temos para fazer online (reuniões, pesquisas, tempo para as redes sociais e para lazer/ver vídeos). Sentes-te a desesperar? Não tens tempo, mas às vezes dás por ti sem saberes o que fazer? Apresento-te cinco passos que podem parecer óbvios, mas que nunca são demais relembrar porque são essenciais para o bem-estar, para a tua sanidade mental e para o teu rendimento!

1. Organização

A organização é o primeiro passo para a produtividade, com tanta coisa para fazer temos de estabelecer prioridades, neste ponto anotar as tarefas numa agenda (fazer uma “To do list”) ajuda bastante, pode até ser um calendário como o do google. Assim, consegues ter uma noção do que já fizeste, do que falta fazer, do que podes deixar para mais tarde e daquilo que não podes mesmo adiar, bem como uma visão global das coisas. Assim, não tens de decorar tudo o que precisas de fazer e massacrar o teu cérebro ao pensar nisso a toda a hora, encara a agenda como o seu auxiliar que te permite ter mais e melhor controlo sobre a tua vida e anda sempre com ela!

2. Fazer pausas

Para esticar as pernas ou beber café, o que importa é parar um pouco e descansar, não é preciso fazer tudo de uma vez, o que interessa é fazeres as coisas ao teu ritmo e não as deixares acumular. O cansaço é inimigo da concentração, pelo que mais vale parar e recuperar energia se estiveres muito distraído(a), com fome ou sonolento(a). Além de mudares o contexto (nem que seja mudares da sala para a cozinha), podes também, fazer uma coisa que gostes durante 15 minutos (como ligar a um amigo) após 50 minutos de estudo, por exemplo. O importante é que aproveites os intervalos para apanhar ar e desviar um pouco o foco do que estás a fazer.

3. Meditar

Podes até não perceber nada sobre meditação, mas podes sempre procurar uma posição confortável, fechar os olhos por uns instantes, fazer respirações lentas e profundas e tentar não pensar em nada. Acredita que faz milagres! O truque é abrandar o ritmo e ter atenção ao que estamos a fazer no momento, em vez de pensar no futuro.

4. Garantir um ambiente confortável

Tenta procurar um espaço só para ti, sem distrações (e.g. televisão, telemóvel outras pessoas, etc.), acolhedor e com uma temperatura adequada, deves também distinguir o teu espaço de lazer do teu espaço de trabalho (por mais tentador que seja assistir às aulas online na cama!) criar rotinas e definir bem as horas de sono (que nunca devem faltar!). Se costumas ouvir música enquanto estudas, certifica-te de que não prestas mais atenção à música do que aos apontamentos ou se costumas assistir às aulas online e e sentes que não é a mesma coisa, tenta manter a câmara ligada, a comunicação é tão escassa que é importante manter o contacto (e não queiras ficar de pijama, é batota!).

5. Pedir ajuda

Sempre ouvimos dizer que duas cabeças pensam melhor do que uma, daí a importância de trabalhar em equipa. Não somos seres isolados, não sabemos tudo e por isso não devemos ter medo de perguntar, de trocar impressões e de debater ideias, os outros acrescentam coisas àquilo que somos e vice-versa. Se não te apetece mesmo estudar porque não fazes uma sessão de estudo conjunto? Podes até pedir ajuda naquela parte em que tens mais dificuldades e retribuir com alguma matéria, na qual te sintas mais à vontade. Ao trabalhar em equipa também dividimos tarefas, o que evita que fiques sobrecarregado(a).

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.