(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Eu bem sei o quão intimidante e assustador é chegares ao teu último ano de mestrado e seres deparado com a escolha de um tema e a responsabilidade de lhe fazeres justiça, sendo que o que escreveres vai influenciar se acabas o teu curso com uma nota muito melhor ou muito pior.

Para mim, foi uma mistura de sentimentos entre pânico e entusiasmo. O pânico de sentir que pela primeira vez no meu percurso académico tenho de conseguir “sozinha” realizar um estudo e uma pesquisa durante um longo, e ao mesmo tempo curto, espaço de tempo de 1 ano. O entusiasmo por estar finalmente a acabar o meu curso e a perfectiva de um futuro próximo a exercer na área que sempre admirei.

Todavia, a motivação para começar a escrever e organizar as minhas tarefas por ordem de prioridade era nula. O medo de falhar começou a instalar-se dentro de mim e durante os primeiros meses tudo o que conseguia fazer era pesquisar informação sobre o meu tema porém, sem nunca me atrever a usá-la. E sabem o que resultou para me acordar deste estado de desmotivação? O YouTube! Sim lês-te bem! O YouTube foi e sempre será o meu ajudante pessoal, para todas as minhas questões, quer teóricas quer práticas, é a ferramenta a que recorro, com mais frequentemente do que gostava de admitir.

Comecei a ver todos os vídeos em português e inglês sobre como começar uma dissertação de sucesso, como organizar e priorizar da melhor forma. Acreditem ou não, depois de alguns vídeos comecei a perceber que tenho ao meu alcance o poder de tornar a minha tese a melhor obra-prima que alguma vez vou realizar, isto se começar já e esquecer a preocupação de escrever tudo perfeitinho à primeira. Tens tempo para errar e corrigir com a ajuda do teu orientador, professores da tua universidade, amigos que já tenham passado pela mesma experiência ou até colegas do teu curso. Não penses que toda a gente que já escreveu uma tese é um grande expert na escrita! Desde que faças a tua pesquisa ou experiência e saibas bem (preferencialmente desde o inicio) quais os objetivos que tens de cumprir e quais as respostas que tens de responder tens o essencial para que tudo corra bem.

Eu estou neste momento a uns meses de entregar a minha tese e se, e algo que tenho tentado cumprir, confesso que as vezes sem sucesso, é fazer algo todos os dias. Pode ser apenas ler um artigo, procurar mais informações para o Estado de Arte ou escrever algumas equações/definições na metodologia. Nos dias que me sinto mais inspirada aproveito para escrever, nos restantes dias realizo as tarefas mais simples mas também importantes. O fundamental é tentares não perder o ritmo de trabalho mesmo que ainda estejas longe do prazo de entrega. Contudo, não te martirizes se não o conseguires fazer! Cada pessoa tem a sua ética de trabalho e o que funciona para mim pode não ser o mais adequado para ti!

Finalmente, resta-me desejar-te a melhor sorte do mundo na concretização da tua tese e espero que este artigo seja útil para ti.

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.