(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Universidade do Porto concentra quase metade dos casos de covid-19 entre estudantes do Ensino Superior público, que são perto de 500 no total. As autoridades de saúde identificaram, pelo menos, três festas entre os estudantes estrangeiros na origem do surto.

De acordo com o Público, é na Universidade do Porto onde se concentram praticamente metade dos casos de infeção pelo novo coronavírus entre os estudantes do ensino superior público, sendo que boa parte do número será explicada por um foco de contágio entre a comunidade de alunos Erasmus no Norte.



Até agora, 101 estudantes do programa Erasmus da Universidade do Porto foram diagnosticados com Covid-19, aos quais se juntam mais 29 no Instituto Politécnico do Porto e 67 na Universidade de Aveiro. No total, registaram-se 197 estudantes Erasmus infetados nas três instituições, o que representa 98% do total de contágios em alunos estrangeiros. De acordo com a publicação, devido à proximidade entre as cidades, muitos estudantes de Aveiro viajam até ao Porto para participar em festas e outros convívios.

Segundo a notícia do Público, as autoridades de saúde identificaram pelo menos três festas entre os estudantes. A comunidade espanhola, que é mais representativa nas instituições nacionais, foi a mais impactada pelo surto.

O coordenador da task-force desenvolvida na Universidade do Porto, José Castro Lopes, explicou à publicação que o contágio também foi potenciado entre os que não participaram nos convívios, pelo facto de “muitos destes alunos partilharem casa”.

A notícia afirma ainda que o foco entre estes alunos será o principal responsável pelo total de 483 casos de Covid-19 nos alunos do ensino superior, num total de mais de 380 mil estudantes inscritos – dados apurados pela publicação junto das 24 universidades e politécnicos públicos, excluindo o ISCTE e os Politécnicos da Guarda, Tomar e Castelo Branco.