Depressão. Ultimamente tem-se ouvido falar tanto desta maldita doença. Bem, o que é que eu tenho a dizer sobre isto? EU TENHO UMA DEPRESSÃO! Sou estudante universitária, no 2ºano e estou a ser acompanhada há mais de 6 meses por uma psiquiatra e uma psicóloga.

Não sei dizer como é que tudo começou, sempre fui alegre, ativa e apesar de não ser a pessoa com o maior grupo de amigos sempre fui uma rapariga com o espirito mais altruísta. Contudo, o meu sonho sempre foi entrar em medicina. Não consegui um ano, não consegui dois, nem três. Aliás, perdi a conta aos exames que realizei e às tentativas falhadas. Estive 1 ano noutra faculdade da Universidade do Porto, mas não me senti realizada, acho que não cheguei a dar hipótese. Fui obrigada a abrir horizontes. Se não conseguia alcançar o meu sonho, tinha de pensar em alternativas do que fazer à minha vida. Tenho a dizer que sempre tive uns pais incríveis, sempre tive total liberdade e responsabilidade. Escolhi outro curso, onde me sinto feliz!



Mas, há sempre um mas não é verdade? Nunca me consegui adaptar ao ensino superior. Ao ritmo, ao trabalho, aos horários, às exigências. Talvez por sempre ter estado demasiado presa a 2/3 disciplinas. Isto a somar a uma autoestima bastante reduzida, foi uma autentica bola de neve! Não me conseguia concentrar, não tinha resultados, não conseguia articular uma conversa como uma pessoa normal, chorava sistematicamente e não tinha paciência para nada nem para ninguém. Custou-me demasiado admitir que precisava de ajuda, afinal os psiquiatras não são só para os maluquinhos?! Não, não são! Encontrei uma psiquiatra incrível que me faz sentir incluída e uma psicóloga igualmente profissional. E sabem o melhor? Apercebi-me que existem tantos colegas com o mesmo problema. É uma realidade e não um bicho de 7 cabeças.

Todos os dias são novos dias. Não me posso esquecer de tomar a medicação, de controlar a ansiedade, de respirar fundo e principalmente de não desistir. Todos os dias são um desafio, portanto se te identificaste de alguma forma não desistas, fala pede ajuda! No caso especifico da universidade do porto, pesquisa nos serviços e tens direito a apoio gratuito.

E se não te identificas com o problema, mas tens um colega com algo semelhante, apoia-o! Não têm de se tornar os melhores amigos, não têm de saber tudo da vida um do outro, mas há pequenas coisas que podem fazer a diferença. Sejam essas pessoas!

E como a minha psiquiatra uma vez disse numa consulta: ‘’A depressão acontece a quem tenta ser demasiado forte, durante demasiado tempo.’’

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.