Escolaridade do ensino superior entre os 30 e 34 anos fixada nos 45%

Foto de kasto | Depositphotos.com

A taxa de escolaridade do ensino superior entre os 30 e os 34 anos fixou-se nos 45% no terceiro trimestre de 2021, mantendo-se acima da meta europeia, segundo um balanço divulgado esta quinta-feira.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgados esta quinta-feira pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), a percentagem de diplomados pelo ensino superior entre os 30 e os 34 anos desceu apenas algumas décimas, mantendo-se nos 45%, quando no semestre anterior se tinha fixado nos 45,5%.

Em comunicado, o ministério sublinha que o número registado no terceiro trimestre reforça a tendência de crescimento registada nos últimos anos, apontando que, comparativamente ao segundo trimestre de 2015, registou-se um aumento de 14,4 pontos percentuais, ou seja, 60 mil adultos entre os 30 e 34 anos com ensino superior concluído.

Com este resultado, Portugal mantém-se acima da meta europeia de 40% assumida no âmbito da Estratégia Europa 2020 e reforça a tendência crescente registada nos últimos anos.

A tutela assinala ainda o balanço da taxa de escolaridade entre os 25 e 29 anos, que ultrapassa os 50% desde o primeiro trimestre deste ano e cresceu 17 pontos percentuais desde o segundo trimestre de 2015.

Face a estes números, o MCTES considera que a tendência crescente é estrutural e tem vindo a ser consolidada e acrescenta que, quanto à faixa etária dos 25 aos 29 anos, os dados mais recentes permitem “antecipar o cumprimento da meta de 50% relativa à taxa de escolaridade do ensino superior na faixa etária 30-34 até 2025”.

“Este resultado confirma o claro reforço da qualificação da população residente em Portugal nos últimos anos em consonância com os mais recentes dados de diplomados e em associação com a prioridade política conferida ao alargamento efetivo da base social de apoio ao conhecimento e ao ensino superior”, sublinha o ministério.

No ano letivo 2019/2020, Portugal registou um máximo histórico no número de diplomados: as instituições emitiram 85.799 diplomas, mais 4.661 do que no ano letivo anterior (6%), o quarto crescimento anual consecutivo e o maior, em percentagem, desde 2006/2007.

Por outro lado, no último concurso nacional de acesso ao ensino superior foram colocados 50.859 novos alunos, um número que confirma as estimativas do Governo que apontavam um número total de colocados no ensino superior público e privado superior a 100 mil estudantes, consideradas todas as vias de acesso.

Este número, acrescenta a tutela, permite “manter o crescimento do número de estudantes no ensino superior, que se verifica desde 2015 e atinge mais de 400 mil estudantes em 2020/21, enquanto eram 358 mil estudantes nos setores público e privado em 2015”.