Estou no curso superior errado. E agora? Sabe aqui como mudar de curso


“Este ano ingressei pela 1ª vez no ensino superior, porém não estou de todo a gostar do curso e já tomei a decisão, quero mesmo mudar.” Este é um dos muitos testemunhos que temos recebido diariamente no nosso e-mail, fórum e redes sociais, de alunos a explorar as possibilidades que têm ao seu dispor.

Estar no curso superior errado é mais comum do que pode parecer. Segundo os dados do InfoCursos, só 79% dos alunos se encontravam a frequentar o mesmo curso ao fim do 1º ano. Parte dos restantes alunos não foram encontrados no ensino superior nacional (10,9%), outros estavam inscritos noutro curso do mesmo estabelecimento (4,5%) e outros num curso de outro estabelecimento de ensino superior (5,6%).  Estes dados são relativos aos alunos que ingressaram no ensino superior em 2021/2022, e estão aqui excluídos os alunos que acabam por abandonar o curso nos anos seguintes, pelo que o número é superior.

Também segundo a mesma fonte, do total de alunos que ingressaram no ensino superior no ano letivo 2021/2022, 3.614 alunos entraram através de concursos de mudança de instituição/curso, representando 5,7% do total. A este número temos de adicionar os que acabam por concorrer e entrar via o concurso nacional de acesso novamente, como iremos explicar em baixo.

O que leva os alunos a não gostarem do curso superior?

Das centenas de casos que já nos chegaram, apontamos como principais motivos para a mudança ou desistência de um curso superior:

  • Desconhecimento do curso superior: os alunos são levados pela imagem que é criada por determinados cursos e profissões que acaba por não ser real. Aconselhamos sempre a veres além do nome do curso, explorares os planos de estudos e falares com alunos que o frequentem (já conheces o nosso fórum?)
  • Levados pela pressão: mais comum em alunos com boas notas, há uma maior pressão para seguir determinados cursos não só dos pais, como também de professores, familiares e colegas. Aqui enquadram-se alguns alunos colocados em Medicina ou Engenharia Informática, por exemplo, que são dos cursos mais referidos pelos alunos que nos contactam nesta situação.
  • Não habituação ao local: aplica-se a alunos deslocados, que acabam por não se habituar à cidade e ao ambiente académico onde ficaram colocados.
  • Simplesmente não tem a ver contigo: também há os que chegam a uma altura do curso em que simplesmente percebem que o curso não é o esperavam e que já não os motiva.

Quais é que são as alternativas?

Se já decidiste que está na altura de mudar, tens ao teu dispor duas alternativas:

  1. Regime de Mudança de Curso/Instituição: caso queiras mudar para um curso superior diferente daquele em que estás ou estiveste matriculado, na mesma instituição de ensino superior ou noutra. Este forma de acesso integrou em 2014 as transferências, ou seja, quando queres mudar para o mesmo curso superior mas para uma instituição de ensino superior diferente. Estas duas situações são atualmente referidas por mudança de curso e incluídas no mesmo concurso.
  2. Concurso Nacional de Acesso ou Concurso Institucional: podes voltar a concorrer pelo Concurso Nacional de Acesso (ensino superior público) ou pelo Concurso Institucional (ensino superior privado), inclusive repetindo os exames nacionais para os melhorar. Chamamos à atenção que deverás pedir uma nova senha para acesso à candidatura online no concurso nacional de acesso, como explicamos aqui, bem como uma nova ficha ENES na altura própria.

Como funciona o concurso de Mudança de curso?

Começamos por definir o que é que se entende como uma Mudança de Curso para efeitos desde concurso próprio. Considera-se como uma mudança de curso, a inscrição de um estudante num curso diferente daquele em que estava inscrito e que se encontrava a frequentar, seja na mesma ou noutra instituição de ensino superior, podendo ou não verificar-se uma interrupção da sua atual inscrição no ensino superior.

Ao contrário do concurso nacional de acesso, que é centralizado e gerido pela Direção-Geral do Ensino Superior (DGES), os concursos de mudança de curso são geridos pelas próprias instituições de ensino superior. Cabe a cada uma definir as suas próprias regras, regulamentos e prazos de candidatura, dentro da legislação geral em vigor.

Tal como acontece no concurso nacional de acesso, a mudança de curso na universidade também está ainda sujeita a limitações quantitativas (vagas), sendo estas fixadas pela instituição de ensino superior onde pretendes ingressar.

No que toca aos prazos em que podes requerer mudança de curso, estes são também fixados, em cada ano letivo, pelas próprias Instituições de Ensino Superior e publicados no seu site. Muitas divulgam esta informação nas vésperas de abrirem as candidaturas, pelo que deverás manter-te atento e informado para não falhares os prazos, acontecendo tipicamente entre o fim do ano letivo e o início do seguinte.

No que toca aos requisitos, podem requerer a mudança de curso, todos os estudantes que:

  • Tenham estado matriculados e inscritos noutro curso e não o tenham concluído;
  • Realizaram os exames nacionais do ensino secundário correspondentes às provas de ingresso fixadas para esse curso nesse ano, no âmbito do regime geral de acesso;
  • Tenham, nesses exames, a classificação mínima exigida pela instituição de ensino superior, nesse ano, no âmbito do regime geral de acesso;
  • Satisfaçam os pré-requisitos, quando exigidos pelo curso pretendido.

Além disto, é importante ainda realçar que este regime de mudança de curso também se aplica aos estudantes que tenham estado matriculados e inscritos numa instituição de ensino superior estrangeira, num curso definido como superior pela legislação do país em causa, e que não o tenham concluído.

Podem ainda requerer a mudança de curso os candidatos que:

  • Ingressaram no ensino superior através das provas especialmente adequadas destinadas a validar a capacidade para a frequência do ensino superior dos maiores de 23 anos;
  • Entraram no ensino superior com a titularidade de um diploma de especialização tecnológica;
  • Ingressaram no ensino superior com a titularidade de um diploma de técnico superior profissional.

Perguntas frequentes:

Posso concorrer pelas duas formas simultaneamente?

Sim! Podes concorrer por mudança de curso ao mesmo tempo que concorres novamente pelo concurso nacional de acesso.

Posso mudar de curso no fim do 1º semestre?

Não, a mudança de curso não é permitida no ano letivo em que o estudante tenha sido colocado em par instituição/curso de ensino superior ao abrigo de qualquer regime de acesso e ingresso e se tenha matriculado e inscrito. Ou seja, só podes concorrer via mudança de curso no fim do ano letivo.

Posso pedir equivalências?

Sim! Quer fiques colocado no novo curso por mudança de curso ou pelo concurso nacional de acesso podes pedir equivalências às cadeiras que tiveres realizado no anterior curso.

Mantenho a bolsa?

Desde que aproves pelo menos 60% dos créditos do ano que estás a frequentar manténs a bolsa no novo curso.

Posso concorrer via Mudança de Curso com a matrícula anulada?

Sim, como podes ver na definição de mudança de curso acima, podem concorrer alunos que tenham interrompido a sua última inscrição.

A mudança de curso é garantida?

Não, tal como no concurso nacional existem vagas limitadas, e cabe a cada instituição definir critérios para ordenar todos os candidatos que queiram ocupar as vagas disponíveis.