(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Valentyn Frechka era ainda um estudante do ensino secundário a viver na zona rural da Ucrânia quando começou um projecto científico para transformar folhas caídas de árvores e plantas em papel. Passados três anos, o jovem de 19 anos lidera uma iniciativa chamada Re-Leaf Paper, que produz sacos de papel e embalagens a partir de fibra extraída de folhas secas.

O projecto, sediado na cidade de Zhytomyr, 140 quilómetros a oeste da capital Kiev, quer reduzir o impacto ambiental da produção de papel. Valentyn estabeleceu uma​ parceria com um fabricante de cartão na cidade, que o contratou como especialista em pesquisa e desenvolvimento em 2018.

“A ideia é muito simples. Coisas que se acredita serem resíduos podem ser reutilizadas ou recicladas. As folhas são resíduos que precisam de ser removidos dos parques porque emitem muito carbono quando apodrecem”, disse Frechka à Reuters. “É uma oportunidade para o cliente usar embalagens amigas do ambiente.”

Em Outubro, a Re-leaf Paper produziu o seu primeiro lote de papel, feito a partir de folhas recolhidas em sacos grandes em Kiev e noutras cidades, e está a planear entrar na produção comercial.

Em 2020, a edição ucraniana da revista Forbes incluiu Frechka na lista dos 30 ucranianos de maior sucesso com menos de 30 anos.