É permitido proibirem o reingresso a partir de quanto tempo?

Matrícula
3 Junho 2016
Mensagens
47
Gostos
14
Curso
Ciências Farmacêuticas
#1
Boa noite
Mandei um e-mail a minha faculdade e fiquei muito preocupada com a resposta. Em 2010 ingressei num curso na área da Saúde que acabaria em 2014-2015 se corresse tudo bem. Porém em 2014 não pude fazer a matrícula por problemas financeiros e pessoais (é uma faculdade privada).
O curso em 2016-2017 foi retirado da instituição tendo voltado este ano. Quando mandei email a perguntar se podia tentar o reingresso pois apenas me falta a entrega da tese e uma cadeira foi-me negado. Pois como o curso teve uma reorganização já tem conteúdos diferentes e créditos diferentes por cadeira. E que teria de fazer “mais de metade do curso outra vez” como me foi mandado no e-mail. Só me faltava uma cadeira e a entrega da tese sendo que paguei 4 anos de um curso na privada que nao tenho culpa de ter sido retirado. Há alguma coisa que possa fazer? Pensei em ligar para o apoio ao estudante. Obrigada desde já!
 

davis

Administrador
Equipa Uniarea
Moderador
Matrícula
13 Outubro 2014
Mensagens
16,527
Gostos
19,838
Curso
Eng. Aeroespacial
Instituição
IST - ULisboa
#2
Olá @AS25
Só me faltava uma cadeira e a entrega da tese sendo que paguei 4 anos de um curso na privada que nao tenho culpa de ter sido retirado. Há alguma coisa que possa fazer?
Se o curso foi realmente reestruturado acho que não há muito que possas fazer. Quando o curso mudou devem ter realizado um período de transição para os estudantes que o frequentavam para que pudessem acabar as cadeiras em atraso, que imagino que deva ter acontecido quando estiveste sem inscrição. Tenta falar com o coordenador do curso em causa e expõe o teu caso.
 
Matrícula
3 Junho 2016
Mensagens
47
Gostos
14
Curso
Ciências Farmacêuticas
#3
Eu tentei falar mas ela não quis marcar sequer uma reunião. Respondeu-me ao e-mail dizendo que teria de fazer mais de metade do curso outra vez pagando tudo de novo. A faculdade só teve sem o curso o ano passado e voltou este ano não houve tempo para o período de transição. Obrigada mais uma vez.
 

davis

Administrador
Equipa Uniarea
Moderador
Matrícula
13 Outubro 2014
Mensagens
16,527
Gostos
19,838
Curso
Eng. Aeroespacial
Instituição
IST - ULisboa
#4
Eu tentei falar mas ela não quis marcar sequer uma reunião. Respondeu-me ao e-mail dizendo que teria de fazer mais de metade do curso outra vez pagando tudo de novo. A faculdade só teve sem o curso o ano passado e voltou este ano não houve tempo para o período de transição. Obrigada mais uma vez.
Pois, assim fica complicado. Diria então que se quiseres voltar vais mesmo ter de fazer essas cadeiras que te referem.

Se o curso existir noutra instituição podes explorar uma mudança de instituição e perceber se noutra farias menos cadeiras.
 
Matrícula
3 Junho 2016
Mensagens
47
Gostos
14
Curso
Ciências Farmacêuticas
#5
Pois estava na esperança de que ao menos não tivesse de pagar tudo outra vez. Obrigada! Vou fazer isso.
 
Matrícula
4 Outubro 2018
Mensagens
26
Gostos
15
#6
Tens acesso ao documento que especifica as equivalências internas (tabela de equivalências)? Quantos ECTS te faltam para os 300 (os 30 do segundo semestre do 5ºano não podem alterar). Se a instituição não abriu um novo ciclo de estudos, o curso é o mesmo, tem a mesma duração e confere exactamente o mesmo grau, tem de existir um período de transição progressivo e uma comissão de acompanhamento. Se a instituição não te facultou os documentos deves procurar o despacho. Qualquer alteração tem de ser aprovada pela DGES e publicada em DR.

Acho esta história muito estranha...O que é que significa ter de repetir "mais de metade do curso"? Mais de 150ECTS? Que ECTS? Alterarem 150ECTS é obra. É quase o equivalente a uma licenciatura. Há pessoas a fazer a adequação ao mestrado integrado em CF e repetem UC's pontuais; não o curso inteiro.
 
Gostos: davis
Matrícula
3 Junho 2016
Mensagens
47
Gostos
14
Curso
Ciências Farmacêuticas
#7
Tens acesso ao documento que especifica as equivalências internas (tabela de equivalências)? Quantos ECTS te faltam para os 300 (os 30 do segundo semestre do 5ºano não podem alterar). Se a instituição não abriu um novo ciclo de estudos, o curso é o mesmo, tem a mesma duração e confere exactamente o mesmo grau, tem de existir um período de transição progressivo e uma comissão de acompanhamento. Se a instituição não te facultou os documentos deves procurar o despacho. Qualquer alteração tem de ser aprovada pela DGES e publicada em DR.

Acho esta história muito estranha...O que é que significa ter de repetir "mais de metade do curso"? Mais de 150ECTS? Que ECTS? Alterarem 150ECTS é obra. É quase o equivalente a uma licenciatura. Há pessoas a fazer a adequação ao mestrado integrado em CF e repetem UC's pontuais; não o curso inteiro.
Obrigada pela resposta. O curso e de quatro anos não cinco. Ciências farmacêuticas e o que estou a tirar neste momento o curso em questão é de Ciencias da Nutrição. Mandei email a DGES pois achava que não seria legal o que me responderam muito menos uma coordenadora me enviar em e-mail que para acabar o curso teria de refazer o estágio e fazer “mais de metade das cadeiras pois a estrutura das mesmas é diferente bem como o número de créditos de cada uma”. Eu neste momento tenho feitos 219 créditos dos quatro anos desse curso pois só me faltava mesmo uma disciplina e apresentar a tese final. O curso atualmente tem 245 créditos como tinha na altura. Faltam 26 sendo que 30 pertencem a parte da tese é da cadeira que me faltam são mais 4.
 
Matrícula
4 Outubro 2018
Mensagens
26
Gostos
15
#8
Eu nunca estive na tua situação, mas apanhei a transição para o processo de Bolonha. A maior parte das UCs tinha equivalências directas (o que está na tabela de equivalências) enquanto que outras estavam sujeitas a análise por parte da coordenação do curso. Cadeiras extra plano eram incluídas no suplemento ao diploma. Nunca vi ninguém a ter de fazer mais de 60ECTS numa situação de transição, daí achar tudo isto muito estranho, mas já não meto as minhas mãos no fogo.

Tens de ver que créditos específicos te atribuíram com o novo plano (219ECTS?) e se há cadeiras de precedência. Para as restantes UCs que consideres homólogas (conteúdos, horas de trabalho, avaliação) resta-te fazer um requerimento à coordenação a justificar a equivalência e esperar que seja deferido.

Se te sentes injustiçado(a) e tens fundamento para tal, acho que fazes bem em expor a situação à DGES, principalmente se não houve período de transição.

Mesmo que a transferência para outra instituição seja possível, ninguém te garante que te sejam atríbuidas todas as equivalências.
 
Gostos: davis