Acho que estou no curso errado... Preciso de ajuda

Ana21Marques

Membro Caloiro
Matrícula
9 Junho 2020
Mensagens
6
É o meu primeiro ano na universidade e não é de todo aquilo que imaginei. Entrei na minha primeira opção, e na altura chorei de alegria por ter entrado, mas agora o sentimento que tenho é apenas tristeza, sinto-me profundamente triste e nem tenho bem a certeza porquê. Inicialmente pensei que fosse por causa da praxe, porque sim, fiz questão de experimentar, e apesar de em alguns dias de praxe me sentir tão frustrada com aquilo, sendo questionei imensas vezes o porquê de estar ali, de me estar a sujeitar aquilo e da "perda de tempo" que era. Contudo, quando saía de lá, saía feliz e orgulhosa comigo própria mas, dia seguinte, mal punha os pés na universidade sentia-me simplesmente mal, sentia-me deslocada, como se não pertencesse ali. O que contribuiu para que saísse da praxe, e a verdade é que mal saí, e disse para mim própria "já não estás na praxe" senti um vazio do tamanho do mundo, como se me tivessem tirado parte de uma mim, e não há decisão da qual eu me tenha arrependido mais.
E assim começou o meu trágico primeiro semestre.
Agora que estava fora, pensei que já não me ia sentir da forma que sentia, ia ter mais tempo para estar com a minha família, para sair com amigos e para estudar. A verdade é que não foi isso o que aconteceu, aquele sentimento de desconforto, de tristeza ainda existia e parecia cada vez maior. Sentia-me sozinha, porque antes, mesmo o sentimento negativo que tinha, tinha as pessoas da praxe, sabia que podia contar com elas fosse para o que fosse, e agora nem isso.
Começou a semana de frequências, e apesar de a minha motivação ser abaixo de zero, ainda me consegui safar na primeira ronda, mas na segunda foi um completo desastre. Chumbei a 4 cadeiras no primeiro semestre.
A partir deste momento, as minhas dúvidas em relação ao curso foram cada vez maiores, porque eu sempre fui muito boa aluna, sem negativas, sem nada e chego à universidade e levo uma "tareia". Ficou muito claro que não era a culpa da praxe, muito pelo contrário, a praxe era a melhor coisa que tinha lá, e felizmente consegui manter o contacto com os "coleguinhas", sendo este o único ponto a favor neste ano.
Ainda assim, entrei focada para o segundo semestre e apesar de não ser nenhum mar de rosas, é de longe melhor que o primeiro.
Apesar de o semestre estar a correr melhor, não me identifico minimamente com algumas das matérias, simplesmente não tenho motivação para sequer tentar aprender aquilo. Eu tento estudar, eu vejo vídeos, faço exercícios, apontamentos e continuo a ver navios, já repensei o meu método de estudo, mas nada resulta. Eu quero gostar do curso, quero mesmo, mas há algo que não bate certo. Um grande problema que tenho, é que me identifico com várias áreas, ou melhor, imagino-me a fazer muita coisa diferente, mas só posso escolher uma, o que culminou num curso de informática, tendo eu vindo de Ciências e Tecnologias. Por ser um curso com saída, sendo este um ponto demasiado importante para os meus pais, principalmente para o meu pai, e ser algo diferente daquilo que fui habituada em 3 anos de secundário, decidi arriscar e, honestamente, ainda não sei se o risco compensou, porque estou em risco de chumbar o ano e é algo que tenho muito medo de ter de dizer aos meus pais.
Posto isto, ainda não tenho a certeza se é o curso para mim, mas também não me consigo imaginar num diferente.

Se alguém tiver umas dicas ficaria muito agradecida!

PS: E já agora umas dicas para estudar programação :)
 

Ariana_

Mod Bolinhos
Equipa Uniarea
Moderador
Apoiante Uniarea
Matrícula
26 Junho 2017
Mensagens
11,459
Curso
Estudos de Teatro
Instituição
FLUL
É o meu primeiro ano na universidade e não é de todo aquilo que imaginei. Entrei na minha primeira opção, e na altura chorei de alegria por ter entrado, mas agora o sentimento que tenho é apenas tristeza, sinto-me profundamente triste e nem tenho bem a certeza porquê. Inicialmente pensei que fosse por causa da praxe, porque sim, fiz questão de experimentar, e apesar de em alguns dias de praxe me sentir tão frustrada com aquilo, sendo questionei imensas vezes o porquê de estar ali, de me estar a sujeitar aquilo e da "perda de tempo" que era. Contudo, quando saía de lá, saía feliz e orgulhosa comigo própria mas, dia seguinte, mal punha os pés na universidade sentia-me simplesmente mal, sentia-me deslocada, como se não pertencesse ali. O que contribuiu para que saísse da praxe, e a verdade é que mal saí, e disse para mim própria "já não estás na praxe" senti um vazio do tamanho do mundo, como se me tivessem tirado parte de uma mim, e não há decisão da qual eu me tenha arrependido mais.
E assim começou o meu trágico primeiro semestre.
Agora que estava fora, pensei que já não me ia sentir da forma que sentia, ia ter mais tempo para estar com a minha família, para sair com amigos e para estudar. A verdade é que não foi isso o que aconteceu, aquele sentimento de desconforto, de tristeza ainda existia e parecia cada vez maior. Sentia-me sozinha, porque antes, mesmo o sentimento negativo que tinha, tinha as pessoas da praxe, sabia que podia contar com elas fosse para o que fosse, e agora nem isso.
Começou a semana de frequências, e apesar de a minha motivação ser abaixo de zero, ainda me consegui safar na primeira ronda, mas na segunda foi um completo desastre. Chumbei a 4 cadeiras no primeiro semestre.
A partir deste momento, as minhas dúvidas em relação ao curso foram cada vez maiores, porque eu sempre fui muito boa aluna, sem negativas, sem nada e chego à universidade e levo uma "tareia". Ficou muito claro que não era a culpa da praxe, muito pelo contrário, a praxe era a melhor coisa que tinha lá, e felizmente consegui manter o contacto com os "coleguinhas", sendo este o único ponto a favor neste ano.
Ainda assim, entrei focada para o segundo semestre e apesar de não ser nenhum mar de rosas, é de longe melhor que o primeiro.
Apesar de o semestre estar a correr melhor, não me identifico minimamente com algumas das matérias, simplesmente não tenho motivação para sequer tentar aprender aquilo. Eu tento estudar, eu vejo vídeos, faço exercícios, apontamentos e continuo a ver navios, já repensei o meu método de estudo, mas nada resulta. Eu quero gostar do curso, quero mesmo, mas há algo que não bate certo. Um grande problema que tenho, é que me identifico com várias áreas, ou melhor, imagino-me a fazer muita coisa diferente, mas só posso escolher uma, o que culminou num curso de informática, tendo eu vindo de Ciências e Tecnologias. Por ser um curso com saída, sendo este um ponto demasiado importante para os meus pais, principalmente para o meu pai, e ser algo diferente daquilo que fui habituada em 3 anos de secundário, decidi arriscar e, honestamente, ainda não sei se o risco compensou, porque estou em risco de chumbar o ano e é algo que tenho muito medo de ter de dizer aos meus pais.
Posto isto, ainda não tenho a certeza se é o curso para mim, mas também não me consigo imaginar num diferente.

Se alguém tiver umas dicas ficaria muito agradecida!

PS: E já agora umas dicas para estudar programação :)
Olá, Ana! Tudo bem contigo? Espero que te encontres um pouco melhor depois de escreveres esta enorme mensagem sobre a tua situação 😊

Primeiro de tudo, queria só tranquilizar-te quanto a este primeiro ano. A verdade é que não é assim tão incomum muitos alunos terem dificuldades de adaptação quando passam para o ensino superior e mesmo os que não chumbaram a cadeiras, conseguirão identificar-se com o struggle inicial e com a confusão que é sentirmos que estamos a fazer tudo mas, por alguma razão, os resultados não aparecem (não chumbei a nada, mas cheguei a tirar notas 4 e 5 valores abaixo do que o que estava habituada e na altura foi um choque que causou alguma crise existencial sobre se estaria eu a fazer o que era certo). Como tal, creio que conheço essa situação de pensar se estamos realmente no sítio certo e vim só dizer-te que as dificuldades que passaste são admissíveis no primeiro ano e que, por vezes, isso pode não ser um sinal de que precisas mudar de curso e que não gostas de todo do que estás a fazer. A conversa de que todos temos talentos especiais é dura porque não é realista: na verdade, a ideia "assustadora" é que és tu que decides o teu próprio percurso e não precisas ser brilhante para seres competente numa área. Como tal, se te imaginas a trabalhar na área que estudas, experimenta dar uma segunda chance ao curso e continua a batalhar nele.
Sobre não te identificares com algumas matérias: novamente, normal. Não gosto muito das narrativas fantasiosas que nos fazem crer que nos cursos superiores vamos encontrar tudo aquilo que amamos e que se estivermos aptos para a área, gostaremos de tudo. Isso não é verdade, vai sempre existir alguma coisa com que não nos identificamos lá muito, que achamos secante, difícil ou nada de interessante - e isto valerá provavelmente para o mundo do trabalho também, não imagino pessoal alguma a acordar de manhã e todos os dias ter o trabalho que mais adora. No meio das coisas que gostamos, teremos sempre de lidar com coisas que gostamos menos e, novamente, isso é normal e não é demonstrativo de que estejas no "lugar errado".
O meu conselho prende-se mesmo em repensares se te imaginas a tentar novamente e se te visualizas a trabalhar nessa área ou se preferias talvez outra coisa e se for esse o caso, recomendo que navegues um pouco pelo índice de cursos da DGES e complementes essa pesquisa aqui pelo Uniarea: de certeza que encontras pessoas a falar de imensos cursos que até te podem vir a interessar!

Sobre a praxe: Desisti também da praxe e não sei qual é o teu sentimento de arrependimento, mas, se te sentias mal durante a praxe, não vejo qualquer motivo para te sujeitares a algo que não gostas. Amizades encontras fora da praxe também, por vezes, nos locais mais inusitados (eu fiz amigos fora da praxe e fiz amigos também aqui pelo Uniarea, por exemplo e isso foi uma sorte numa cidade como Lisboa).

Dá algum tempo a ti mesma para tomares uma decisão! Quando tiveres tomado, fala com os teus pais com calma - qualquer que seja a decisão, é investir no teu futuro.

Alguma coisa que precises, posso tentar ajudar, dentro do possível. Boa sorte 🤗
 

Ana21Marques

Membro Caloiro
Matrícula
9 Junho 2020
Mensagens
6
Olá, Ana! Tudo bem contigo? Espero que te encontres um pouco melhor depois de escreveres esta enorme mensagem sobre a tua situação 😊

Primeiro de tudo, queria só tranquilizar-te quanto a este primeiro ano. A verdade é que não é assim tão incomum muitos alunos terem dificuldades de adaptação quando passam para o ensino superior e mesmo os que não chumbaram a cadeiras, conseguirão identificar-se com o struggle inicial e com a confusão que é sentirmos que estamos a fazer tudo mas, por alguma razão, os resultados não aparecem (não chumbei a nada, mas cheguei a tirar notas 4 e 5 valores abaixo do que o que estava habituada e na altura foi um choque que causou alguma crise existencial sobre se estaria eu a fazer o que era certo). Como tal, creio que conheço essa situação de pensar se estamos realmente no sítio certo e vim só dizer-te que as dificuldades que passaste são admissíveis no primeiro ano e que, por vezes, isso pode não ser um sinal de que precisas mudar de curso e que não gostas de todo do que estás a fazer. A conversa de que todos temos talentos especiais é dura porque não é realista: na verdade, a ideia "assustadora" é que és tu que decides o teu próprio percurso e não precisas ser brilhante para seres competente numa área. Como tal, se te imaginas a trabalhar na área que estudas, experimenta dar uma segunda chance ao curso e continua a batalhar nele.
Sobre não te identificares com algumas matérias: novamente, normal. Não gosto muito das narrativas fantasiosas que nos fazem crer que nos cursos superiores vamos encontrar tudo aquilo que amamos e que se estivermos aptos para a área, gostaremos de tudo. Isso não é verdade, vai sempre existir alguma coisa com que não nos identificamos lá muito, que achamos secante, difícil ou nada de interessante - e isto valerá provavelmente para o mundo do trabalho também, não imagino pessoal alguma a acordar de manhã e todos os dias ter o trabalho que mais adora. No meio das coisas que gostamos, teremos sempre de lidar com coisas que gostamos menos e, novamente, isso é normal e não é demonstrativo de que estejas no "lugar errado".
O meu conselho prende-se mesmo em repensares se te imaginas a tentar novamente e se te visualizas a trabalhar nessa área ou se preferias talvez outra coisa e se for esse o caso, recomendo que navegues um pouco pelo índice de cursos da DGES e complementes essa pesquisa aqui pelo Uniarea: de certeza que encontras pessoas a falar de imensos cursos que até te podem vir a interessar!

Sobre a praxe: Desisti também da praxe e não sei qual é o teu sentimento de arrependimento, mas, se te sentias mal durante a praxe, não vejo qualquer motivo para te sujeitares a algo que não gostas. Amizades encontras fora da praxe também, por vezes, nos locais mais inusitados (eu fiz amigos fora da praxe e fiz amigos também aqui pelo Uniarea, por exemplo e isso foi uma sorte numa cidade como Lisboa).

Dá algum tempo a ti mesma para tomares uma decisão! Quando tiveres tomado, fala com os teus pais com calma - qualquer que seja a decisão, é investir no teu futuro.

Alguma coisa que precises, posso tentar ajudar, dentro do possível. Boa sorte 🤗


Olá Ariana!
Muito muito obrigada por essas palavras, acho mesmo que era algo que estava a precisar de ouvir neste momento :)
 

Serienis

Membro Caloiro
Matrícula
14 Maio 2020
Mensagens
4
Boas, apesar de não ser de informática tenho uma ideia do que estas a passar. Tenho dois exemplos de dus colegas minhas ambas em informática. Uma delas, como tu, sempre quis ir para informática e era uma exelente aluna de matemática e afins mas ao chegar ao ensino superior adorou as cadeiras de matemática mas detesta as de programação por não se vizualizar a fazer aquilo para o resto da vida e porque tem muita dificuldade a perceber aquilo. Atualmente está no 3º ano do curso apenas com 2 cadeiras de atraso, mas diz-me muitas vezes que não gosta daquilo e não se vê a trabalhar naquilo. Então arranjou uma motivação. Quando acabar engenharia informática vai tirar outra licenciatura mas desta vez em jogos digitais por que ela gosta de jogos, só por isso, nunca aprendeu a programar para jogos mas como é uma coisa que vizualiza melhor dá-lhe motivação para continuar e também o facto que vai ter equivalência a muita coisa. A minha outra colega foi para informática porque o pai quase a forçou, porque é o que está a dar e é o que ela achava que gostava. Chegando ao curso detesta aquilo e entretanto no meio de tanta tristeza descobriiu que adora línguas e que o que realmente queria era línguas, sendo ela de ciencias do 12 ano. Mas a ela o pai não lhe paga outra licenciatura.
Em conclusão o que quero dizer é: se não estás a gostar do que estas a fazer vai ver as saídas profissionais, vai ver vídeos para ver o que as pessoas com esse curso fazem. Vês te a fazer aquilo? Tens gosto pelo que vês? É mesmo isso? Então não desistas porque é o que a tua caminhada te vai levar. Agora senão gostares aproveita que ainda és nova vê outras coisas, vê o mercado de trabalho. O que te fascina, o que queres fazer? Ainda não é tarde para mudar e se de facto explicares tudo à tua família de certeza que vão entender. Ninguém quer ver o filho triste ou deprimido.
O meu exemplo é bem mais maluco, tirei Artes no secundário porque queria ir para conservação e restauro, e adivinha até sou bastante boa naquilo tive um 17 na tese de mestrado. Mas depois veio o mundo e a treta que é.....CR neste país é a coisa mais mal organizada do mundo, nem legislação existe e enchem-te a cabeça de sonhos na universidade e chegas cá fora e és um trolha com um mestrado ( a sério). Andei ai uns tempos triste como a noite e um dia decidi mudar tudo, 360º, não me defino por uma coisa e nunca é tarde para mudar. Atualmente estou a estudar para aprender a matemática de 10, 11 e 12 sozinha (e ando à procura de um part-time), e vou tirar um curso ligado a video jogos, mas não me refiro aos que desenham refiro-me aos que programam se não perceber vou até ser a melhor e já nada deste mundo me vai parar. Quando se chega ao fundo o único caminho é subir.
Não te desmotives, arranja um ponto um trabalho de sonho para te motivares. Se chumbares uma vez na segunda vez serás bem melhor. Boa Sorte, se precisares de mais alguma coisa diz.
 

Ms. Angie

Membro Veterano
Matrícula
1 Abril 2016
Mensagens
399
Curso
Engenharia Química
Instituição
FEUP
É o meu primeiro ano na universidade e não é de todo aquilo que imaginei. Entrei na minha primeira opção, e na altura chorei de alegria por ter entrado, mas agora o sentimento que tenho é apenas tristeza, sinto-me profundamente triste e nem tenho bem a certeza porquê. Inicialmente pensei que fosse por causa da praxe, porque sim, fiz questão de experimentar, e apesar de em alguns dias de praxe me sentir tão frustrada com aquilo, sendo questionei imensas vezes o porquê de estar ali, de me estar a sujeitar aquilo e da "perda de tempo" que era. Contudo, quando saía de lá, saía feliz e orgulhosa comigo própria mas, dia seguinte, mal punha os pés na universidade sentia-me simplesmente mal, sentia-me deslocada, como se não pertencesse ali. O que contribuiu para que saísse da praxe, e a verdade é que mal saí, e disse para mim própria "já não estás na praxe" senti um vazio do tamanho do mundo, como se me tivessem tirado parte de uma mim, e não há decisão da qual eu me tenha arrependido mais.
E assim começou o meu trágico primeiro semestre.
Agora que estava fora, pensei que já não me ia sentir da forma que sentia, ia ter mais tempo para estar com a minha família, para sair com amigos e para estudar. A verdade é que não foi isso o que aconteceu, aquele sentimento de desconforto, de tristeza ainda existia e parecia cada vez maior. Sentia-me sozinha, porque antes, mesmo o sentimento negativo que tinha, tinha as pessoas da praxe, sabia que podia contar com elas fosse para o que fosse, e agora nem isso.
Começou a semana de frequências, e apesar de a minha motivação ser abaixo de zero, ainda me consegui safar na primeira ronda, mas na segunda foi um completo desastre. Chumbei a 4 cadeiras no primeiro semestre.
A partir deste momento, as minhas dúvidas em relação ao curso foram cada vez maiores, porque eu sempre fui muito boa aluna, sem negativas, sem nada e chego à universidade e levo uma "tareia". Ficou muito claro que não era a culpa da praxe, muito pelo contrário, a praxe era a melhor coisa que tinha lá, e felizmente consegui manter o contacto com os "coleguinhas", sendo este o único ponto a favor neste ano.
Ainda assim, entrei focada para o segundo semestre e apesar de não ser nenhum mar de rosas, é de longe melhor que o primeiro.
Apesar de o semestre estar a correr melhor, não me identifico minimamente com algumas das matérias, simplesmente não tenho motivação para sequer tentar aprender aquilo. Eu tento estudar, eu vejo vídeos, faço exercícios, apontamentos e continuo a ver navios, já repensei o meu método de estudo, mas nada resulta. Eu quero gostar do curso, quero mesmo, mas há algo que não bate certo. Um grande problema que tenho, é que me identifico com várias áreas, ou melhor, imagino-me a fazer muita coisa diferente, mas só posso escolher uma, o que culminou num curso de informática, tendo eu vindo de Ciências e Tecnologias. Por ser um curso com saída, sendo este um ponto demasiado importante para os meus pais, principalmente para o meu pai, e ser algo diferente daquilo que fui habituada em 3 anos de secundário, decidi arriscar e, honestamente, ainda não sei se o risco compensou, porque estou em risco de chumbar o ano e é algo que tenho muito medo de ter de dizer aos meus pais.
Posto isto, ainda não tenho a certeza se é o curso para mim, mas também não me consigo imaginar num diferente.

Se alguém tiver umas dicas ficaria muito agradecida!

PS: E já agora umas dicas para estudar programação :)

Olá. O que te aconteceu, acontece a muita gente! O primeiro semestre é sempre uma novidade e o teu curso, Eng.Informática, ainda mais! Porque relativamente à programação as pessoas trazem 0 bases do secundário e isso é o que mais se faz no curso. Eng. Informática é um curso de extremos. Há aquelas pessoas que parecem ter nascido para programar, percebem mesmo bem da cena e fazem aquilo sem esforço nenhum. Já outros têm que trabalhar imenso para entenderem como funciona a programação. Na minha opinião, é no 2º semestre que as pessoas começam a perceber o que é, efetivamente, a faculdade. Esse foi o meu caso! Só comecei a gostar do meu curso no 2ºsemestre. Neste ano atípico não tiveste a oportunidade de "viver" o 2º semestre. Mas talvez para no próximo ano letivo (espero bem....) as coisas voltem calmamente ao normal e a tua ideia relativamente ao curso possa mudar. As coisas começam a ficar mais interessantes com o avançar dos anos. Assim, o conselho que te dou é que para o próximo ano letivo vás vendo se estás a gostar mais do curso. Sei que tens algumas cadeiras por fazer e isso te pode sobrecarregar um pouco mas não te preocupes. Conheço bué gente que se perdeu no 1º ano, deixou cadeiras por fazer mas depois conseguiu organizar tudo e acabar o curso nos 5 anos previstos. Também se precisares de mais um ano para acabares o curso não é o fim do mundo. Aliás, é muito comum!
Nesta altura e com a quarentena, é normal uma pessoa sentir-se desmotivada pois o ensino à distância está longe de ser favorável para a nossa aprendizagem (minha opinião) mas agora é dar o litro. Está quase a acabar o ano 🙂

Btw, andas na FEUP?
 
  • Love
Reactions: Ana21Marques

Ana21Marques

Membro Caloiro
Matrícula
9 Junho 2020
Mensagens
6
Olá. O que te aconteceu, acontece a muita gente! O primeiro semestre é sempre uma novidade e o teu curso, Eng.Informática, ainda mais! Porque relativamente à programação as pessoas trazem 0 bases do secundário e isso é o que mais se faz no curso. Eng. Informática é um curso de extremos. Há aquelas pessoas que parecem ter nascido para programar, percebem mesmo bem da cena e fazem aquilo sem esforço nenhum. Já outros têm que trabalhar imenso para entenderem como funciona a programação. Na minha opinião, é no 2º semestre que as pessoas começam a perceber o que é, efetivamente, a faculdade. Esse foi o meu caso! Só comecei a gostar do meu curso no 2ºsemestre. Neste ano atípico não tiveste a oportunidade de "viver" o 2º semestre. Mas talvez para no próximo ano letivo (espero bem....) as coisas voltem calmamente ao normal e a tua ideia relativamente ao curso possa mudar. As coisas começam a ficar mais interessantes com o avançar dos anos. Assim, o conselho que te dou é que para o próximo ano letivo vás vendo se estás a gostar mais do curso. Sei que tens algumas cadeiras por fazer e isso te pode sobrecarregar um pouco mas não te preocupes. Conheço bué gente que se perdeu no 1º ano, deixou cadeiras por fazer mas depois conseguiu organizar tudo e acabar o curso nos 5 anos previstos. Também se precisares de mais um ano para acabares o curso não é o fim do mundo. Aliás, é muito comum!
Nesta altura e com a quarentena, é normal uma pessoa sentir-se desmotivada pois o ensino à distância está longe de ser favorável para a nossa aprendizagem (minha opinião) mas agora é dar o litro. Está quase a acabar o ano 🙂

Btw, andas na FEUP?


Olá!
Esse é mais um ponto negativo para mim, o ensino à distância, simplesmente não dá com nada.
Em termos de programação é muito trabalhoso

UMinho! :)
 
  • Love
Reactions: Ms. Angie

Marco Esperança

Membro Catedrático
Especialista
Eng. Informática & Engenharia
Matrícula
28 Maio 2017
Mensagens
1,673
Curso
Engenharia Informática
Instituição
UMinho
É o meu primeiro ano na universidade e não é de todo aquilo que imaginei. Entrei na minha primeira opção, e na altura chorei de alegria por ter entrado, mas agora o sentimento que tenho é apenas tristeza, sinto-me profundamente triste e nem tenho bem a certeza porquê. Inicialmente pensei que fosse por causa da praxe, porque sim, fiz questão de experimentar, e apesar de em alguns dias de praxe me sentir tão frustrada com aquilo, sendo questionei imensas vezes o porquê de estar ali, de me estar a sujeitar aquilo e da "perda de tempo" que era. Contudo, quando saía de lá, saía feliz e orgulhosa comigo própria mas, dia seguinte, mal punha os pés na universidade sentia-me simplesmente mal, sentia-me deslocada, como se não pertencesse ali. O que contribuiu para que saísse da praxe, e a verdade é que mal saí, e disse para mim própria "já não estás na praxe" senti um vazio do tamanho do mundo, como se me tivessem tirado parte de uma mim, e não há decisão da qual eu me tenha arrependido mais.
E assim começou o meu trágico primeiro semestre.
Agora que estava fora, pensei que já não me ia sentir da forma que sentia, ia ter mais tempo para estar com a minha família, para sair com amigos e para estudar. A verdade é que não foi isso o que aconteceu, aquele sentimento de desconforto, de tristeza ainda existia e parecia cada vez maior. Sentia-me sozinha, porque antes, mesmo o sentimento negativo que tinha, tinha as pessoas da praxe, sabia que podia contar com elas fosse para o que fosse, e agora nem isso.
Começou a semana de frequências, e apesar de a minha motivação ser abaixo de zero, ainda me consegui safar na primeira ronda, mas na segunda foi um completo desastre. Chumbei a 4 cadeiras no primeiro semestre.
A partir deste momento, as minhas dúvidas em relação ao curso foram cada vez maiores, porque eu sempre fui muito boa aluna, sem negativas, sem nada e chego à universidade e levo uma "tareia". Ficou muito claro que não era a culpa da praxe, muito pelo contrário, a praxe era a melhor coisa que tinha lá, e felizmente consegui manter o contacto com os "coleguinhas", sendo este o único ponto a favor neste ano.
Ainda assim, entrei focada para o segundo semestre e apesar de não ser nenhum mar de rosas, é de longe melhor que o primeiro.
Apesar de o semestre estar a correr melhor, não me identifico minimamente com algumas das matérias, simplesmente não tenho motivação para sequer tentar aprender aquilo. Eu tento estudar, eu vejo vídeos, faço exercícios, apontamentos e continuo a ver navios, já repensei o meu método de estudo, mas nada resulta. Eu quero gostar do curso, quero mesmo, mas há algo que não bate certo. Um grande problema que tenho, é que me identifico com várias áreas, ou melhor, imagino-me a fazer muita coisa diferente, mas só posso escolher uma, o que culminou num curso de informática, tendo eu vindo de Ciências e Tecnologias. Por ser um curso com saída, sendo este um ponto demasiado importante para os meus pais, principalmente para o meu pai, e ser algo diferente daquilo que fui habituada em 3 anos de secundário, decidi arriscar e, honestamente, ainda não sei se o risco compensou, porque estou em risco de chumbar o ano e é algo que tenho muito medo de ter de dizer aos meus pais.
Posto isto, ainda não tenho a certeza se é o curso para mim, mas também não me consigo imaginar num diferente.

Se alguém tiver umas dicas ficaria muito agradecida!

PS: E já agora umas dicas para estudar programação :)
Olá 😁
Sou aluno de Engenharia Informática do 1º ano da Universidade do Minho e percebo perfeitamente o que estás a passar. Eu próprio senti-me muito perdido no primeiro semestre e deixei uma cadeira de programação para trás. Quanto ao facto de referires que não te identificas minimamente com matérias, isso também acontece comigo, principalmente nas cadeiras de matemáticas, uma vez que compreendo a necessidade de saber alguns conceitos de cálculo/álgebra já que estou numa engenharia, mas não tão aprofundado. Relativamente a este ponto acho que é um problema que irias encontrar em todos os cursos, há sempre coisas que gostamos e não gostamos.
Quanto a programação, é duro, não há que negar, mas tudo se faz com esforço. Aqui qualquer erro mínimo pode ser crucial para ditar uma avaliação. Com a aprendizagem que obtive dos erros do primeiro semestre posso dizer-te que a melhor maneira de estudares programação "é bater com a cabeça contra a parede", isto é, tentar fazer o máximo de exercícios possíveis e aprender com os erros para os ires eliminando sucessivamente. Eu tento sempre resolver os meus erros (nem que demore 4h), mas se vir que estou preso, costumo pedir ajuda a outros colegas. Espero que tenha ajudado e se precisares de ajuda não hesistes em mandar-me PM. 🤗
 

Ana21Marques

Membro Caloiro
Matrícula
9 Junho 2020
Mensagens
6
Olá 😁
Sou aluno de Engenharia Informática do 1º ano da Universidade do Minho e percebo perfeitamente o que estás a passar. Eu próprio senti-me muito perdido no primeiro semestre e deixei uma cadeira de programação para trás. Quanto ao facto de referires que não te identificas minimamente com matérias, isso também acontece comigo, principalmente nas cadeiras de matemáticas, uma vez que compreendo a necessidade de saber alguns conceitos de cálculo/álgebra já que estou numa engenharia, mas não tão aprofundado. Relativamente a este ponto acho que é um problema que irias encontrar em todos os cursos, há sempre coisas que gostamos e não gostamos.
Quanto a programação, é duro, não há que negar, mas tudo se faz com esforço. Aqui qualquer erro mínimo pode ser crucial para ditar uma avaliação. Com a aprendizagem que obtive dos erros do primeiro semestre posso dizer-te que a melhor maneira de estudares programação "é bater com a cabeça contra a parede", isto é, tentar fazer o máximo de exercícios possíveis e aprender com os erros para os ires eliminando sucessivamente. Eu tento sempre resolver os meus erros (nem que demore 4h), mas se vir que estou preso, costumo pedir ajuda a outros colegas. Espero que tenha ajudado e se precisares de ajuda não hesistes em mandar-me PM. 🤗


Olá Marco!!
Vou seguir o teu conselho e obrigada por me ajudares!! 😊
 
  • Love
Reactions: Marco Esperança

Ms. Angie

Membro Veterano
Matrícula
1 Abril 2016
Mensagens
399
Curso
Engenharia Química
Instituição
FEUP
Olá!
Esse é mais um ponto negativo para mim, o ensino à distância, simplesmente não dá com nada.
Em termos de programação é muito trabalhoso

UMinho! :)

Conheço imensa gente na UMinho. É uma excelente universidade!
Não vás abaixo. Tenho a certeza que essa desmotivação tem muita a ver com a quarentena e o ensino à distância. Mas vai tudo melhorar 😘
E quando precisares, fala com o pessoal aqui do Uniarea ou com os teus colegas de curso. Tenho a certeza que alguns também estão como tu!
E também podemos conversar por mensagem privada!🙂
Fica bem. Beijinhos
 

Ana21Marques

Membro Caloiro
Matrícula
9 Junho 2020
Mensagens
6
Conheço imensa gente na UMinho. É uma excelente universidade!
Não vás abaixo. Tenho a certeza que essa desmotivação tem muita a ver com a quarentena e o ensino à distância. Mas vai tudo melhorar 😘
E quando precisares, fala com o pessoal aqui do Uniarea ou com os teus colegas de curso. Tenho a certeza que alguns também estão como tu!
E também podemos conversar por mensagem privada!🙂
Fica bem. Beijinhos
Obrigada ❤
 
  • Love
Reactions: Ms. Angie
Matrícula
27 Junho 2018
Mensagens
36
Curso
Engenharia Civil
Instituição
Instituto Superior Técnico
É o meu primeiro ano na universidade e não é de todo aquilo que imaginei. Entrei na minha primeira opção, e na altura chorei de alegria por ter entrado, mas agora o sentimento que tenho é apenas tristeza, sinto-me profundamente triste e nem tenho bem a certeza porquê. Inicialmente pensei que fosse por causa da praxe, porque sim, fiz questão de experimentar, e apesar de em alguns dias de praxe me sentir tão frustrada com aquilo, sendo questionei imensas vezes o porquê de estar ali, de me estar a sujeitar aquilo e da "perda de tempo" que era. Contudo, quando saía de lá, saía feliz e orgulhosa comigo própria mas, dia seguinte, mal punha os pés na universidade sentia-me simplesmente mal, sentia-me deslocada, como se não pertencesse ali. O que contribuiu para que saísse da praxe, e a verdade é que mal saí, e disse para mim própria "já não estás na praxe" senti um vazio do tamanho do mundo, como se me tivessem tirado parte de uma mim, e não há decisão da qual eu me tenha arrependido mais.
E assim começou o meu trágico primeiro semestre.
Agora que estava fora, pensei que já não me ia sentir da forma que sentia, ia ter mais tempo para estar com a minha família, para sair com amigos e para estudar. A verdade é que não foi isso o que aconteceu, aquele sentimento de desconforto, de tristeza ainda existia e parecia cada vez maior. Sentia-me sozinha, porque antes, mesmo o sentimento negativo que tinha, tinha as pessoas da praxe, sabia que podia contar com elas fosse para o que fosse, e agora nem isso.
Começou a semana de frequências, e apesar de a minha motivação ser abaixo de zero, ainda me consegui safar na primeira ronda, mas na segunda foi um completo desastre. Chumbei a 4 cadeiras no primeiro semestre.
A partir deste momento, as minhas dúvidas em relação ao curso foram cada vez maiores, porque eu sempre fui muito boa aluna, sem negativas, sem nada e chego à universidade e levo uma "tareia". Ficou muito claro que não era a culpa da praxe, muito pelo contrário, a praxe era a melhor coisa que tinha lá, e felizmente consegui manter o contacto com os "coleguinhas", sendo este o único ponto a favor neste ano.
Ainda assim, entrei focada para o segundo semestre e apesar de não ser nenhum mar de rosas, é de longe melhor que o primeiro.
Apesar de o semestre estar a correr melhor, não me identifico minimamente com algumas das matérias, simplesmente não tenho motivação para sequer tentar aprender aquilo. Eu tento estudar, eu vejo vídeos, faço exercícios, apontamentos e continuo a ver navios, já repensei o meu método de estudo, mas nada resulta. Eu quero gostar do curso, quero mesmo, mas há algo que não bate certo. Um grande problema que tenho, é que me identifico com várias áreas, ou melhor, imagino-me a fazer muita coisa diferente, mas só posso escolher uma, o que culminou num curso de informática, tendo eu vindo de Ciências e Tecnologias. Por ser um curso com saída, sendo este um ponto demasiado importante para os meus pais, principalmente para o meu pai, e ser algo diferente daquilo que fui habituada em 3 anos de secundário, decidi arriscar e, honestamente, ainda não sei se o risco compensou, porque estou em risco de chumbar o ano e é algo que tenho muito medo de ter de dizer aos meus pais.
Posto isto, ainda não tenho a certeza se é o curso para mim, mas também não me consigo imaginar num diferente.

Se alguém tiver umas dicas ficaria muito agradecida!

PS: E já agora umas dicas para estudar programação :)

Acho que essa indecisão deve ser do nome hahaha É normal teres essas duvidas todas mas, podes fazer toda a diferença se as analisares de uma forma "eficiente". Também entrei na minha 1ª opção, fui à praxe e exatamente como tu sentia um vazio que me fazia ir todos os dias, passado uns dias conheci pessoas mesmo boas (doutores, não me identifiquei com os caloiros porque acho que sou séria demais pras brincadeiras mas estou a adorar ser doutora), e agora curto bué dos convívios e perdi a vergonha.
Digo-te ainda hoje tenho todas as duvidas... por isso tento focar me nos meus princípios, estratégia que criei sempre que me ia abaixo com notas/curso/tudo e mais alguma coisa :

1)Ter atividades para além da uni que cimentam os meus valores, estudo no IST e não me identifico de todo com as cenas deles xD
2)Focar-me naquilo que pretendo fazer com o meu curso enquanto profissional, por mais que algumas cadeiras sejam uma merda e o caminho seja difícil
3)Aprender as coisas com o sentimento de "ya percebi isto, percebo as cenas e sei aplicá-las se for preciso", deixa as notas... não são quase nada sobre ti nem sobre as tuas capacidades
4)Não ter medo de falhar! provavelmente tens 18/19 anos e tens uma vida pela frente. Garanto-te que nada está acima do teu bem estar, encontra aquilo que gostas mesmo que isso demore mais do que demorou com os teus colegas, somos todos muitooo diferentes. Vais a tempo de tudo!
5)Passa uns bons anos, desenvolve-te como pessoa, é isso que te vai distinguir.

Pensa nestas coisas, pensa em ti. Eu estou em engenharia civil e até já ponderei trocar pra cenas como Antropologia... Estes tempos em casa deixam a cabeça toda confusa. Também era boa aluna, entrei com boa média e foi e está a ser difícil mas, estar em casa estragou-me muito muito o estudo e ainda só passei a uma cadeira, posso perder a bolsa e está a ser um stress. Se for uma hipótese pensa na época especial, descansas um pouco, percebes como tens de organizar e fazes mais umas cadeiras até do semestre passado.
Qualquer coisa diz!
 
  • Love
Reactions: Ana21Marques

AEL

Membro Veterano
Matrícula
7 Julho 2017
Mensagens
120
Curso
Medicina
Instituição
FMUC
É o meu primeiro ano na universidade e não é de todo aquilo que imaginei. Entrei na minha primeira opção, e na altura chorei de alegria por ter entrado, mas agora o sentimento que tenho é apenas tristeza, sinto-me profundamente triste e nem tenho bem a certeza porquê. Inicialmente pensei que fosse por causa da praxe, porque sim, fiz questão de experimentar, e apesar de em alguns dias de praxe me sentir tão frustrada com aquilo, sendo questionei imensas vezes o porquê de estar ali, de me estar a sujeitar aquilo e da "perda de tempo" que era. Contudo, quando saía de lá, saía feliz e orgulhosa comigo própria mas, dia seguinte, mal punha os pés na universidade sentia-me simplesmente mal, sentia-me deslocada, como se não pertencesse ali. O que contribuiu para que saísse da praxe, e a verdade é que mal saí, e disse para mim própria "já não estás na praxe" senti um vazio do tamanho do mundo, como se me tivessem tirado parte de uma mim, e não há decisão da qual eu me tenha arrependido mais.
E assim começou o meu trágico primeiro semestre.
Agora que estava fora, pensei que já não me ia sentir da forma que sentia, ia ter mais tempo para estar com a minha família, para sair com amigos e para estudar. A verdade é que não foi isso o que aconteceu, aquele sentimento de desconforto, de tristeza ainda existia e parecia cada vez maior. Sentia-me sozinha, porque antes, mesmo o sentimento negativo que tinha, tinha as pessoas da praxe, sabia que podia contar com elas fosse para o que fosse, e agora nem isso.
Começou a semana de frequências, e apesar de a minha motivação ser abaixo de zero, ainda me consegui safar na primeira ronda, mas na segunda foi um completo desastre. Chumbei a 4 cadeiras no primeiro semestre.
A partir deste momento, as minhas dúvidas em relação ao curso foram cada vez maiores, porque eu sempre fui muito boa aluna, sem negativas, sem nada e chego à universidade e levo uma "tareia". Ficou muito claro que não era a culpa da praxe, muito pelo contrário, a praxe era a melhor coisa que tinha lá, e felizmente consegui manter o contacto com os "coleguinhas", sendo este o único ponto a favor neste ano.
Ainda assim, entrei focada para o segundo semestre e apesar de não ser nenhum mar de rosas, é de longe melhor que o primeiro.
Apesar de o semestre estar a correr melhor, não me identifico minimamente com algumas das matérias, simplesmente não tenho motivação para sequer tentar aprender aquilo. Eu tento estudar, eu vejo vídeos, faço exercícios, apontamentos e continuo a ver navios, já repensei o meu método de estudo, mas nada resulta. Eu quero gostar do curso, quero mesmo, mas há algo que não bate certo. Um grande problema que tenho, é que me identifico com várias áreas, ou melhor, imagino-me a fazer muita coisa diferente, mas só posso escolher uma, o que culminou num curso de informática, tendo eu vindo de Ciências e Tecnologias. Por ser um curso com saída, sendo este um ponto demasiado importante para os meus pais, principalmente para o meu pai, e ser algo diferente daquilo que fui habituada em 3 anos de secundário, decidi arriscar e, honestamente, ainda não sei se o risco compensou, porque estou em risco de chumbar o ano e é algo que tenho muito medo de ter de dizer aos meus pais.
Posto isto, ainda não tenho a certeza se é o curso para mim, mas também não me consigo imaginar num diferente.

Se alguém tiver umas dicas ficaria muito agradecida!

PS: E já agora umas dicas para estudar programação :)

Olá Ana 😊 já venho um bocadinho tarde ahah mas queria mesmo dar-te um apoio.
No 1º ano que estive na faculdade, entrei em medicina dentária, que não era o curso que queria mas até era algo que me via a fazer no futuro e com cadeiras iguais às de medicina no 1º ano. Acontece que tal como tu, sempre fui muito boa aluna no secundário e quando cheguei à faculdade vi as minhas notas descerem imenso e algumas cadeiras nem conseguia passar. Fiquei extremamente em baixo, depressiva e não via motivos para me levantar e ir para mais um dia na faculdade. A única coisa que me motivava na altura era realmente a praxe e saber que tinha ali pessoas com quem contar. A realidade é que quando lá estava muitas vezes também pensava porque é que estou aqui a perder tempo e apanhar esta seca e não a estudar, que isso sim é o fundamental. Mas sem ser a praxe já nada me deixava feliz e alguns momentos que lá vivia davam-me mesmo ânimo para continuar. E tal como tu também comecei a ponderar se seria mesmo o curso certo.
A verdade é que nos passam sempre a mensagem de que o que custa é entrar no curso e quando lá estivermos, a estudar aquilo que sonhamos, vai ser tudo mais fácil. E não é bem assim. Claro que há cadeiras que vamos adorar e que nos vão dar todo o sentido para estarmos ali a estudar, mas também há muitas que vamos odiar e perder muitos neurónios a estudar aquilo. Ainda hoje que estou no curso que quero não adoro tudo o que estudo. Também há cadeiras que me deixam muito stressada mas depois há outras que compensam tudo isso.
Aquilo que te aconselho é, pergunta a outros colegas de curso como estudam para X cadeira em que tens mais dificuldade, combina sessões de estudo com eles, façam os mesmos exercícios e tirem dúvidas uns aos outros enquanto vão fazendo.
Não vás abaixo, acredita que o 1º ano é sempre mais complicado para algumas pessoas e até encontrares o teu método de estudo pode ser difícil mas vais conseguir!
Não estás sozinha e qualquer coisa podes sempre mandar-me mensagem. Beijinho
 
  • Love
Reactions: Ana21Marques

Ana21Marques

Membro Caloiro
Matrícula
9 Junho 2020
Mensagens
6
Acho que essa indecisão deve ser do nome hahaha É normal teres essas duvidas todas mas, podes fazer toda a diferença se as analisares de uma forma "eficiente". Também entrei na minha 1ª opção, fui à praxe e exatamente como tu sentia um vazio que me fazia ir todos os dias, passado uns dias conheci pessoas mesmo boas (doutores, não me identifiquei com os caloiros porque acho que sou séria demais pras brincadeiras mas estou a adorar ser doutora), e agora curto bué dos convívios e perdi a vergonha.
Digo-te ainda hoje tenho todas as duvidas... por isso tento focar me nos meus princípios, estratégia que criei sempre que me ia abaixo com notas/curso/tudo e mais alguma coisa :

1)Ter atividades para além da uni que cimentam os meus valores, estudo no IST e não me identifico de todo com as cenas deles xD
2)Focar-me naquilo que pretendo fazer com o meu curso enquanto profissional, por mais que algumas cadeiras sejam uma merda e o caminho seja difícil
3)Aprender as coisas com o sentimento de "ya percebi isto, percebo as cenas e sei aplicá-las se for preciso", deixa as notas... não são quase nada sobre ti nem sobre as tuas capacidades
4)Não ter medo de falhar! provavelmente tens 18/19 anos e tens uma vida pela frente. Garanto-te que nada está acima do teu bem estar, encontra aquilo que gostas mesmo que isso demore mais do que demorou com os teus colegas, somos todos muitooo diferentes. Vais a tempo de tudo!
5)Passa uns bons anos, desenvolve-te como pessoa, é isso que te vai distinguir.

Pensa nestas coisas, pensa em ti. Eu estou em engenharia civil e até já ponderei trocar pra cenas como Antropologia... Estes tempos em casa deixam a cabeça toda confusa. Também era boa aluna, entrei com boa média e foi e está a ser difícil mas, estar em casa estragou-me muito muito o estudo e ainda só passei a uma cadeira, posso perder a bolsa e está a ser um stress. Se for uma hipótese pensa na época especial, descansas um pouco, percebes como tens de organizar e fazes mais umas cadeiras até do semestre passado.
Qualquer coisa diz!
Obrigada <3
Post automatically merged:

Olá Ana 😊 já venho um bocadinho tarde ahah mas queria mesmo dar-te um apoio.
No 1º ano que estive na faculdade, entrei em medicina dentária, que não era o curso que queria mas até era algo que me via a fazer no futuro e com cadeiras iguais às de medicina no 1º ano. Acontece que tal como tu, sempre fui muito boa aluna no secundário e quando cheguei à faculdade vi as minhas notas descerem imenso e algumas cadeiras nem conseguia passar. Fiquei extremamente em baixo, depressiva e não via motivos para me levantar e ir para mais um dia na faculdade. A única coisa que me motivava na altura era realmente a praxe e saber que tinha ali pessoas com quem contar. A realidade é que quando lá estava muitas vezes também pensava porque é que estou aqui a perder tempo e apanhar esta seca e não a estudar, que isso sim é o fundamental. Mas sem ser a praxe já nada me deixava feliz e alguns momentos que lá vivia davam-me mesmo ânimo para continuar. E tal como tu também comecei a ponderar se seria mesmo o curso certo.
A verdade é que nos passam sempre a mensagem de que o que custa é entrar no curso e quando lá estivermos, a estudar aquilo que sonhamos, vai ser tudo mais fácil. E não é bem assim. Claro que há cadeiras que vamos adorar e que nos vão dar todo o sentido para estarmos ali a estudar, mas também há muitas que vamos odiar e perder muitos neurónios a estudar aquilo. Ainda hoje que estou no curso que quero não adoro tudo o que estudo. Também há cadeiras que me deixam muito stressada mas depois há outras que compensam tudo isso.
Aquilo que te aconselho é, pergunta a outros colegas de curso como estudam para X cadeira em que tens mais dificuldade, combina sessões de estudo com eles, façam os mesmos exercícios e tirem dúvidas uns aos outros enquanto vão fazendo.
Não vás abaixo, acredita que o 1º ano é sempre mais complicado para algumas pessoas e até encontrares o teu método de estudo pode ser difícil mas vais conseguir!
Não estás sozinha e qualquer coisa podes sempre mandar-me mensagem. Beijinho
Obrigada !! Beijinho
 
  • Like
Reactions: AEL

Ricardo Santos Rosa

Membro Veterano
Matrícula
15 Julho 2016
Mensagens
291
Curso
Desporto
Instituição
IPG
É o meu primeiro ano na universidade e não é de todo aquilo que imaginei. Entrei na minha primeira opção, e na altura chorei de alegria por ter entrado, mas agora o sentimento que tenho é apenas tristeza, sinto-me profundamente triste e nem tenho bem a certeza porquê. Inicialmente pensei que fosse por causa da praxe, porque sim, fiz questão de experimentar, e apesar de em alguns dias de praxe me sentir tão frustrada com aquilo, sendo questionei imensas vezes o porquê de estar ali, de me estar a sujeitar aquilo e da "perda de tempo" que era. Contudo, quando saía de lá, saía feliz e orgulhosa comigo própria mas, dia seguinte, mal punha os pés na universidade sentia-me simplesmente mal, sentia-me deslocada, como se não pertencesse ali. O que contribuiu para que saísse da praxe, e a verdade é que mal saí, e disse para mim própria "já não estás na praxe" senti um vazio do tamanho do mundo, como se me tivessem tirado parte de uma mim, e não há decisão da qual eu me tenha arrependido mais.
E assim começou o meu trágico primeiro semestre.
Agora que estava fora, pensei que já não me ia sentir da forma que sentia, ia ter mais tempo para estar com a minha família, para sair com amigos e para estudar. A verdade é que não foi isso o que aconteceu, aquele sentimento de desconforto, de tristeza ainda existia e parecia cada vez maior. Sentia-me sozinha, porque antes, mesmo o sentimento negativo que tinha, tinha as pessoas da praxe, sabia que podia contar com elas fosse para o que fosse, e agora nem isso.
Começou a semana de frequências, e apesar de a minha motivação ser abaixo de zero, ainda me consegui safar na primeira ronda, mas na segunda foi um completo desastre. Chumbei a 4 cadeiras no primeiro semestre.
A partir deste momento, as minhas dúvidas em relação ao curso foram cada vez maiores, porque eu sempre fui muito boa aluna, sem negativas, sem nada e chego à universidade e levo uma "tareia". Ficou muito claro que não era a culpa da praxe, muito pelo contrário, a praxe era a melhor coisa que tinha lá, e felizmente consegui manter o contacto com os "coleguinhas", sendo este o único ponto a favor neste ano.
Ainda assim, entrei focada para o segundo semestre e apesar de não ser nenhum mar de rosas, é de longe melhor que o primeiro.
Apesar de o semestre estar a correr melhor, não me identifico minimamente com algumas das matérias, simplesmente não tenho motivação para sequer tentar aprender aquilo. Eu tento estudar, eu vejo vídeos, faço exercícios, apontamentos e continuo a ver navios, já repensei o meu método de estudo, mas nada resulta. Eu quero gostar do curso, quero mesmo, mas há algo que não bate certo. Um grande problema que tenho, é que me identifico com várias áreas, ou melhor, imagino-me a fazer muita coisa diferente, mas só posso escolher uma, o que culminou num curso de informática, tendo eu vindo de Ciências e Tecnologias. Por ser um curso com saída, sendo este um ponto demasiado importante para os meus pais, principalmente para o meu pai, e ser algo diferente daquilo que fui habituada em 3 anos de secundário, decidi arriscar e, honestamente, ainda não sei se o risco compensou, porque estou em risco de chumbar o ano e é algo que tenho muito medo de ter de dizer aos meus pais.
Posto isto, ainda não tenho a certeza se é o curso para mim, mas também não me consigo imaginar num diferente.

Se alguém tiver umas dicas ficaria muito agradecida!

PS: E já agora umas dicas para estudar programação :)
Olá! Eu não estou em Programação, mas sim em Desporto e identifico muito com o teu texto.
Eu quando entrei para a faculdade há 3 anos atrás, eu era um dos pouquíssimos que acabou o curso profissional e acabei em 2016. A minha nota de candidatura não era a melhor, mas a minha nota do curso profissional + exames também não foi fantástica (antes era fazer apenas o exame de Português e um a tua escolha, fiz Geografia em 2016 e fiz Inglês em 2017, agora não sei) e a minha nota final sem os exames, foi 14. Quando fui, não conhecia a cidade, nem as pessoas, com a exceção de uma ex-colega minha do 9º ano. Não frequentei a praxe e nem fui para as equipas universitárias no meu primeiro ano. Senti-me sozinho, sem ninguém para falar, sem ninguém para conviver. Tive que adaptar aos meus colegas, quer de turma, quer de residência, quer de quarto e aos meus professores aos poucos. No primeiro semestre fiquei com 3 cadeiras para fazer. Melhorei no segundo semestre fiquei com 2 para fazer. E numa altura fiquei a pensar se queria mudar de faculdade, mas acabei por ficar, não pelas pessoas que tinha no curso, mas sim, pela minha determinação e luta. E neste momento, estou nas equipas universitárias, tenho poucas cadeiras para fazer (3 todas do primeiro semestre e o estágio) ,estou quase a terminar o curso e cada ano tem sido melhor do que o anterior, mesmo com o confinamento. Claro, tenho cadeiras que não gosto como Natação e Ginástica, mas com força e determinação, tenho que ultrapassar os meus medos e dificuldades.
Um conselho: vê o que te fez motivar para estares no curso que gostes e se é o curso que gostas, não desistas de ti e arranja maneira de estares motivada e altera o teu método de estudo e verás que tudo irá correr bem.
Qualquer coisa, podes mandar mensagem.
 
  • Love
Reactions: Ana21Marques