Alunos que concluíram o Ensino Secundário há mais de 2 anos

Anasofiaa

Membro
Matrícula
1 Outubro 2017
Mensagens
38
Como tinha dito, andei a ver o que era necessário para a petição. Já redigi um texto. Se concordarem ainda hoje publico :)

Devido aos tempos conturbados que vivemos, muitas têm sido as alterações efetuadas ao nível dos Exames Nacionais e do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior de 2020.

A 17 de abril, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior apresentou uma nova medida que tem como objetivo o igual tratamento dos estudantes à luz das novas regras. Todos os alunos que tenham realizado exames em anos letivos anteriores, e que estejam válidos nos termos do concurso nacional de acesso, passam a estar sujeitos a uma das seguintes situações:

  • Caso a classificação do exame nacional tenha sido inferior à classificação interna da disciplina, deve utilizar-se a classificação interna da disciplina;
  • Caso a classificação do exame nacional tenha sido igual ou superior à classificação interna da respetiva disciplina, deve utilizar-se a classificação final da disciplina.
Tendo em conta estas novas normas, o recálculo das classificações dos alunos levará a um aumento generalizado das médias internas utilizadas para o acesso ao Ensino Superior. Por conseguinte, todos os alunos que concluíram o secundário antes de 2018, e que se pretendem candidatar ao Ensino Superior este ano, estarão em clara desvantagem. Visto que não se encontram abrangidos por esta medida, estarão a concorrer contra alunos que a priori foram beneficiados.

Por esta razão, solicita-se o aumento excecional da validade das provas de ingresso. Só assim estas medidas, que visam promover o tratamento igual dos alunos, irão tornar-se verdadeiramente justas. Quanto ao número do aumento em questão, esse ficará reservado às entidades competentes. Gostaria ainda de se salientar, que a concretização desta medida poderá fazer com que menos alunos se candidatem a exame, por passarem a ter prova de ingresso novamente válida. Tal facto poderá contribuir para a diminuição do número de estudantes que terá de se deslocar às escolas para realizar exame, algo que se revelaria benéfico nesta situação de pandemia.

Da autoria de Ana Sofia A. M. Fernandes e em nome de todos os assinantes.
 

Sedcpm

Membro
Matrícula
1 Abril 2019
Mensagens
54
Concordo com o que escreveste! Por mim vai em frente :)
Post automatically merged:

Estava a ler de novo a petição!

Reparei na parte "Por esta razão, solicita-se o aumento excecional da validade das provas de ingresso. Só assim estas medidas, que visam promover o tratamento igual dos alunos, irão tornar-se verdadeiramente justas."

Não sei se tal vai ser possível, até porque há pessoas que fizeram exames antes de 2006 (quando todo os sistema mudou) e tais exames estão completamente desfasados face ao que se avalia hoje.

Seria muito mais plausível e possível, creio, pedir o recálculo das nossas médias. Ou seja, caso não tenhamos descido em exame no nosso ano, manter a média, caso tenhamos descido, subir para a média com que originalmente fomos a exame.

Teríamos de realizar na mesma as provas de ingresso que nos são pedidas, mas com a consciência de que, pelo menos, as médias internas vão estar em pé de igualdade com a de todos os outros alunos.
 
Última edição:
  • Like
Reactions: Anasofiaa

Eduardo_IF

Membro Caloiro
Matrícula
22 Abril 2020
Mensagens
3
Como tinha dito, andei a ver o que era necessário para a petição. Já redigi um texto. Se concordarem ainda hoje publico :)

Devido aos tempos conturbados que vivemos, muitas têm sido as alterações efetuadas ao nível dos Exames Nacionais e do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior de 2020.

A 17 de abril, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior apresentou uma nova medida que tem como objetivo o igual tratamento dos estudantes à luz das novas regras. Todos os alunos que tenham realizado exames em anos letivos anteriores, e que estejam válidos nos termos do concurso nacional de acesso, passam a estar sujeitos a uma das seguintes situações:

  • Caso a classificação do exame nacional tenha sido inferior à classificação interna da disciplina, deve utilizar-se a classificação interna da disciplina;
  • Caso a classificação do exame nacional tenha sido igual ou superior à classificação interna da respetiva disciplina, deve utilizar-se a classificação final da disciplina.
Tendo em conta estas novas normas, o recálculo das classificações dos alunos levará a um aumento generalizado das médias internas utilizadas para o acesso ao Ensino Superior. Por conseguinte, todos os alunos que concluíram o secundário antes de 2018, e que se pretendem candidatar ao Ensino Superior este ano, estarão em clara desvantagem. Visto que não se encontram abrangidos por esta medida, estarão a concorrer contra alunos que a priori foram beneficiados.

Por esta razão, solicita-se o aumento excecional da validade das provas de ingresso. Só assim estas medidas, que visam promover o tratamento igual dos alunos, irão tornar-se verdadeiramente justas. Quanto ao número do aumento em questão, esse ficará reservado às entidades competentes. Gostaria ainda de se salientar, que a concretização desta medida poderá fazer com que menos alunos se candidatem a exame, por passarem a ter prova de ingresso novamente válida. Tal facto poderá contribuir para a diminuição do número de estudantes que terá de se deslocar às escolas para realizar exame, algo que se revelaria benéfico nesta situação de pandemia.

Da autoria de Ana Sofia A. M. Fernandes e em nome de todos os assinantes.
Olá Ana, sabes que ainda não existe nenhuma decisão sobre isso, certo? Neste momento vocês estão apenas a supor que ficam de fora destas medidas, porque o regulamento do Concurso nacional de Acesso ainda não foi publicado. Apenas houve um parecer do CNAES.
 
Última edição:
  • Like
Reactions: Anasofiaa

davis

Administrador
Equipa Uniarea
Moderador
Matrícula
13 Outubro 2014
Mensagens
23,959
Curso
MEAer + MEGIE
Instituição
Técnico - ULisboa
Olá Ana, sabes que ainda não existe nenhuma decisão sobre isso, certo? Neste momento vocês estão apenas a supor que fiquem de fora destas medidas, porque o regulamento do Concurso nacional de Acesso ainda não foi publicado. Apenas houve um parecere do CNAES.
O parecer, no entanto, é claro a excluir esses alunos. 🙂

Recorde-se que cabe ao CNAES a direção de todo o processo relacionado com avaliação da capacidade para a frequência, bem como com a fixação dos critérios de seleção e seriação dos candidatos à matrícula e inscrição no ensino superior. Não é propriamente um parecer consultivo sem consequências. O que obviamente não implica que o CNAES emita um novo parecer com outras alterações no futuro, tal como o fez na passada sexta-feira, que serão reflectidas no regulamento do concurso nacional de acesso.
 

Rafa.p20

Membro
Matrícula
11 Abril 2020
Mensagens
24
O parecer, no entanto, é claro a excluir esses alunos. 🙂

Recorde-se que cabe ao CNAES a direção de todo o processo relacionado com avaliação da capacidade para a frequência, bem como com a fixação dos critérios de seleção e seriação dos candidatos à matrícula e inscrição no ensino superior. Não é propriamente um parecer consultivo sem consequências. O que obviamente não implica que o CNAES emita um novo parecer com outras alterações no futuro, tal como o fez na passada sexta-feira.
Penso que o parecer não seja claro a excluir quaisquer alunos. É claro que a nota emitida se refere a quem concluiu o ensino secundário e ainda tem PI válidas. Contudo, para exclusão de determinado grupo, tem de ser explícito que a medida não engloba o mesmo. Com isto quero dizer que, na eventualidade da medida não abranger os alunos que concluíram há mais de 2 anos, isto tem de ser explícito. A não referência ou omissão a este grupo de alunos não implica que estejam abrangidos pelo parecer emanado da CNAES, uma vez que deduções só em matemática e não em decretos que regulamentam concursos. :)

Já agora, gostava só de acrescentar que muitos moderadores/admin aqui do Fórum andaram a responder a n mensagens de alunos que se questionavam sobre a conclusão do ensino secundário, quando tinham tido positiva na nota interna e terminado com nota negativa por causa do exame. Responderam aos mesmos, com “evidente” certeza que, com as novas medidas, estes se encontravam passados, ou seja, que concluíam as disciplinas sem terem de ir a Exame Nacional, sendo que isto não é, de todo verdade, uma vez que a conclusão do ensino secundário continua dependente da aprovação em Exame Nacional, visto não estar relacionada com o acesso ao ES. Não quero, com isto, criticar o vosso trabalho, quero apenas deixar a minha opinião: estamos todos sem certezas de nada. Se nem a CNAES, nem o Ministério têm ainda a certeza das coisas, como poderemos nós ter? Por isso, mensagens que mostrem muita “certeza” sobre coisas não definidas, só geram mais ondas de ansiedade e stress para todos os alunos.
 
Última edição:

Ariana_

Mod Bolinhos
Equipa Uniarea
Moderador
Apoiante Uniarea
Matrícula
26 Junho 2017
Mensagens
12,394
Curso
Estudos de Teatro
Instituição
FLUL
Penso que o parecer não seja claro a excluir quaisquer alunos. É claro que a nota emitida se refere a quem concluiu o ensino secundário e ainda tem PI válidas. Contudo, para exclusão de determinado grupo, tem de ser explícito que a medida não engloba o mesmo. Com isto quero dizer que, na eventualidade da medida não abranger os alunos que concluíram há mais de 2 anos, isto tem de ser explícito. A não referência ou omissão a este grupo de alunos não implica que estejam abrangidos pelo parecer emanado da CNAES, uma vez que deduções só em matemática e não em decretos que regulamentam concursos. :)
E é produtivo falar dessa maneira quando começas com a frase "penso"? O parecer tem em vias apenas as provas que possam ainda ser válidas, visto que a validade das provas não é assim tão curta quanto isso. Fazer com que provas de 2006, por exemplo, sejam válidas não tem muito sentido, compreendes? Daí o Davis dizer que o parecer é claro 😅
 
  • Like
Reactions: davis

davis

Administrador
Equipa Uniarea
Moderador
Matrícula
13 Outubro 2014
Mensagens
23,959
Curso
MEAer + MEGIE
Instituição
Técnico - ULisboa
Penso que o parecer não seja claro a excluir quaisquer alunos. É claro que a nota emitida se refere a quem concluiu o ensino secundário e ainda tem PI válidas. Contudo, para exclusão de determinado grupo, tem de ser explícito que a medida não engloba o mesmo. Com isto quero dizer que, na eventualidade da medida não abranger os alunos que concluíram há mais de 2 anos, isto tem de ser explícito. A não referência ou omissão a este grupo de alunos não implica que estejam abrangidos pelo parecer emanado da CNAES, uma vez que deduções só em matemática e não em decretos que regulamentam concursos. :)
A não referência de um grupo implica que a regra que está a ser especificada não se aplica a esse grupo, obviamente. É assim com qualquer regulamento. A existência de omissões é resolvida no âmbito de outros regulamentos que estejam em vigor, neste caso as "velhas regras" que voltam em 2021, ou no âmbito de um regulamento específico que tem de estar especificado no fim do regulamento em causa. Da mesma forma que o parecer não inclui, nem precisa, toda uma outra panóplia de alunos a qual aquela norma não faz sentido (profissionais, artístico, vocacional, recorrente, EFAs, científico-tecnológicos com planos próprios, alunos com equivalências de secundários no estrangeiro, entre outros)
 

Rafa.p20

Membro
Matrícula
11 Abril 2020
Mensagens
24
E é produtivo falar dessa maneira quando começas com a frase "penso"? O parecer tem em vias apenas as provas que possam ainda ser válidas, visto que a validade das provas não é assim tão curta quanto isso. Fazer com que provas de 2006, por exemplo, sejam válidas não tem muito sentido, compreendes? Daí o Davis dizer que o parecer é claro 😅
Também não me parece produtivo ter “certezas” que depois se mostram erradas. 😅
 

davis

Administrador
Equipa Uniarea
Moderador
Matrícula
13 Outubro 2014
Mensagens
23,959
Curso
MEAer + MEGIE
Instituição
Técnico - ULisboa
Já agora, gostava só de acrescentar que muitos moderadores/admin aqui do Fórum andaram a responder a n mensagens de alunos que se questionavam sobre a conclusão do ensino secundário, quando tinham tido positiva na nota interna e terminado com nota negativa por causa do exame. Responderam aos mesmos, com “evidente” certeza que, com as novas medidas, estes se encontravam passados, ou seja, que concluíam as disciplinas sem terem de ir a Exame Nacional, sendo que isto não é, de todo verdade, uma vez que a conclusão do ensino secundário continua dependente da aprovação em Exame Nacional, visto não estar relacionada com o acesso ao ES. Não quero, com isto, criticar o vosso trabalho, quero apenas deixar a minha opinião: estamos todos sem certezas de nada. Se nem a CNAES, nem o Ministério têm ainda a certeza das coisas, como poderemos nós ter? Por isso, mensagens que mostrem muita “certeza” sobre coisas não definidas, só geram mais ondas de ansiedade e stress para todos os alunos.
Isso não é verdade. Ao contrário de outros sites que disseram isso em directos no Instagram, o Uniarea sempre referiu que essa norma não aprovava o aluno, mediante a correcta interpretação do documento. Podes colocar aqui essas mensagens? 🙂
 

Ariana_

Mod Bolinhos
Equipa Uniarea
Moderador
Apoiante Uniarea
Matrícula
26 Junho 2017
Mensagens
12,394
Curso
Estudos de Teatro
Instituição
FLUL
Já agora, gostava só de acrescentar que muitos moderadores/admin aqui do Fórum andaram a responder a n mensagens de alunos que se questionavam sobre a conclusão do ensino secundário, quando tinham tido positiva na nota interna e terminado com nota negativa por causa do exame. Responderam aos mesmos, com “evidente” certeza que, com as novas medidas, estes se encontravam passados, ou seja, que concluíam as disciplinas sem terem de ir a Exame Nacional, sendo que isto não é, de todo verdade, uma vez que a conclusão do ensino secundário continua dependente da aprovação em Exame Nacional, visto não estar relacionada com o acesso ao ES. Não quero, com isto, criticar o vosso trabalho, quero apenas deixar a minha opinião: estamos todos sem certezas de nada. Se nem a CNAES, nem o Ministério têm ainda a certeza das coisas, como poderemos nós ter? Por isso, mensagens que mostrem muita “certeza” sobre coisas não definidas, só geram mais ondas de ansiedade e stress para todos os alunos.
Já que falas nisso, podes mostrar as "inúmeras mensagens" de que falas e as provas "evidentes"? 🧐 É que, até agora, sempre que alguma informação errada foi dada, com o máximo de celeridade foi corrigida e, genuinamente, não me recordo de andarmos a dizer a alunos chumbados que não precisariam fazer exame (pelo menos, não me recordo disso vindo da moderação ou administração, daí estar a pedir que me envies as ditas mensagens; além da equipa do Uniarea, temos membros que respondem e nem sempre me recordo dos mais de 5 ou 6 membros que vão respondendo também). O que aumenta o stress nos alunos não é o Uniarea quase de certeza 🙃
Também não me parece produtivo ter “certezas” que depois se mostram erradas. 😅
Mas alguma vez dissemos ter a certeza? Na minha honesta opinião, não é pior ver as esperanças dos alunos aumentarem face a algo que é improvável acontecer? Epá, não sei, se calhar somos nós que andamos a ser realmente uns mauzinhos e que comentamos coisas sem evidências, uma vez que, se estamos errados, agradecemos sempre colaboração dos membros.
 

Eduardo_IF

Membro Caloiro
Matrícula
22 Abril 2020
Mensagens
3
Davis, tenho um e-mail do João Guerreiro a dizer que o CNAES não teve isso em consideração e que iam voltar a reunir para, se necessário, retificarem o parecer. Por outro lado, o próprio indica que é um parecer, ficando a cargo do MCTES decidir e regulamentar o Concurso Nacional, que ainda vai ter direito até a discussão pública. Portanto, tal como disse, ainda nada está decidido nesse âmbito.
 

davis

Administrador
Equipa Uniarea
Moderador
Matrícula
13 Outubro 2014
Mensagens
23,959
Curso
MEAer + MEGIE
Instituição
Técnico - ULisboa
Davis, tenho um e-mail do João Guerreiro a dizer que o CNAES não teve isso em consideração e que iam voltar a reunir para, se necessário, retificarem o parecer. Por outro lado, o próprio indica que é um parecer, ficando a cargo do MCTES decidir e regulamentar o Concurso Nacional, que ainda vai ter direito até a discussão pública. Portanto, tal como disse, ainda nada está decidido nesse âmbito.
Não é preciso um e-mail do João Guerreiro para saber isso, o próprio Ministro já o tinha referido publicamente à comunicação social.

A panóplia de casos é tão grande que solicitei à Comissão Nacional do Acesso ao Ensino Superior para dar uma solução a todas as questões levantadas e já homologuei o [respetivo] parecer, sobretudo para os casos das melhorias de notas, que se põe para um número reduzido — mas bastava ser um. São estudantes que já tinham acabado o ensino superior há uns anos (por exemplo, os que já estão no ensino superior e que querem mudar de área, muito típico em alguns que não entraram em Medicina e que estão hoje em faculdades de Ciências ou de Farmácia) e que querem fazer melhorias de notas; ou para outros que já tinham acabado o ensino secundário há uns anos e não tinham entrado no ensino superior. E, por isso, foi proposta uma solução, que autorizei, que dá vantagem sempre ao candidato para poder optar pela sua melhor nota, partindo do princípio que se mantém a base do acesso ao ensino superior, que é uma nota de candidatura com duas componentes: uma componente da prova de acesso; e outra componente da nota do ensino secundário. Foi definida uma fórmula, que já está disponível desde sexta-feira passada no sítio da internet da Direção Geral do Ensino Superior, e penso que resolve, protegendo sempre ou sendo favorável a todas as soluções. Há vários tipos de estudantes: aqueles que têm uma nota superior àquela que tinham tido ou aqueles que podem ter uma nota inferior.

Retirado aqui:

No entanto, até novo parecer, os alunos devem guiar-se pela informação que foi disponibilizada até agora, obviamente. Sendo que o que foi publicado sexta-feira está homolgado, não é uma simples proposta. Da mesma forma que quase todas as semanas têm saído alterações, nada impede que sejam realizadas outras até ao concurso nacional.
 
  • Like
Reactions: Edgar H and Ariana_

Joao Duarte

Membro
Matrícula
10 Março 2015
Mensagens
50
Entao ao dia de hoje (e vou expor o meu caso) um aluno que concluiu o secundário em 2015 no curso de LH e agora em 2020 pretende ingressar em enfermagem relaizando exame de biologia vai ter recálculo dos exames que realizou quer prejudiquem que beneficiem, certo?
Atendendo a isto reconhecerão que é injusto os exames valerem 30% no meu caso e neste ano valerem 0 caso prejudiquem? É que a meu ver torna o CNA injusto para quem está nestas condições.
Vocês que tem mais experiência nestas coisas digam-se sff se o meu raciocínio esta errado, é que parece óbvio que é desigial.
 
Última edição:

Ariana_

Mod Bolinhos
Equipa Uniarea
Moderador
Apoiante Uniarea
Matrícula
26 Junho 2017
Mensagens
12,394
Curso
Estudos de Teatro
Instituição
FLUL
Entao ao dia de hoje (e vou expor o meu caso) um aluno que concluiu o secundário em 2015 no curso de LH e agora em 2020 pretende ingressar em enfermagem relaizando exame de biologia não tem recálculo nenhum do exames que realizou, certo?
Atendendo a isto reconhecerão que é injusto os exames valerem 30% no meu caso e neste ano valerem 0 caso prejudiquem? É que a meu ver torna o CNA injusto para quem está nestas condições.
Vocês que tem mais experiência nestas coisas digam-se sff se o meu raciocínio esta errado, é que parece óbvio que é desigial.
O que está vigente, de momento, parece indicar que não há recálculos para o teu caso. No entanto, ainda não se sabe se entretanto surgirão ou não alterações a isto. Ainda assim, de momento, a tua média de secundário encontra-se fixa e só a PI é que poderá ser substancial para o valor da nota de candidatura.

Sim, é desigual, mas se fizerem recálculos a tudo, acabam por cair no paradoxo de estarem a validar notas, sei lá, de 2006, 2008, etc etc. Quanto mais medidas abrangentes tomarem, mais descontrolo haverá na desigualdade de inflacções que existiram em anos anteriores. O meu conselho mesmo é manteres-te o mais calmo possível e dares tudo o que for possível no exame de PI. Boa sorte!
 

Anasofiaa

Membro
Matrícula
1 Outubro 2017
Mensagens
38
Não sabia que o parecer ainda não era oficial. É provável que várias mudanças vão acontecendo até à realização dos exames, por isso é que pensei que seria importante sermos ouvidos. Com o aumento da validade dos exames obviamente nunca me quis referir a provas que foram feitas há mais de 10 anos, concordo que isso não faça sentido.

Com isto tudo já nem sei se vale a pena começar uma petição. Vou estar atenta às medidas enquanto continuo a estudar e tento manter a calma 😬
 
  • Like
Reactions: Teresa P.
Matrícula
12 Março 2020
Mensagens
23
Entao ao dia de hoje (e vou expor o meu caso) um aluno que concluiu o secundário em 2015 no curso de LH e agora em 2020 pretende ingressar em enfermagem relaizando exame de biologia vai ter recálculo dos exames que realizou quer prejudiquem que beneficiem, certo?
Atendendo a isto reconhecerão que é injusto os exames valerem 30% no meu caso e neste ano valerem 0 caso prejudiquem? É que a meu ver torna o CNA injusto para quem está nestas condições.
Vocês que tem mais experiência nestas coisas digam-se sff se o meu raciocínio esta errado, é que parece óbvio que é desigial.
Estou exatamente nessa mesma situação com a única diferença que o exame que vou realizar é Português...
Tencionas portanto candidatar-te a uma faculdade pública certo?
 

Gonçalo Santos Silva

Politécnicos Advocate
Matrícula
4 Junho 2016
Mensagens
12,042
Curso
Farmácia
Instituição
ESS-IPP
Já agora, gostava só de acrescentar que muitos moderadores/admin aqui do Fórum andaram a responder a n mensagens de alunos que se questionavam sobre a conclusão do ensino secundário, quando tinham tido positiva na nota interna e terminado com nota negativa por causa do exame. Responderam aos mesmos, com “evidente” certeza que, com as novas medidas, estes se encontravam passados, ou seja, que concluíam as disciplinas sem terem de ir a Exame Nacional, sendo que isto não é, de todo verdade, uma vez que a conclusão do ensino secundário continua dependente da aprovação em Exame Nacional, visto não estar relacionada com o acesso ao ES.

Eu ando a abrir quase todos os tópicos relacionados a isso e ainda não vi nenhuma resposta assim por parte da Staff do fórum.