Apadrinhamento

Rockytiger14

Membro Caloiro
Matrícula
23 Março 2020
Mensagens
2
Bom dia a todos. Venho contar a minha experiência em relação ao apadrinhamento na praxe académica do meu curso do qual não foi o melhor.
Em 2018,tive a cerimónia de apadrinhamento da praxe e do qual, só se pode escolher uma madrinha ou um padrinho de entre os trajados do 3ºano do meu curso.
Eu escolhi uma rapariga, a única com quem me identifiquei por termos coisas em comum por me ter ajudado na minha integração logo na 1ª semana de praxe entre outras.
No meu pedido disse que gostava que ela me acompanhasse no meu percurso académico como na minha vida pessoal e que me desse força nas minha derrotas e prometi estar sempre do lado dela.Sou a única afilhada dela.
Ela aceitou o meu pedido
Dentro da praxe sempre me acompanhou.
Mas fora dela já não foi assim

O que aconteceu foi o precisamente o contrário do que tinha imaginado:
A relação nunca foi recíproca e era sempre eu que tomava a iniciativa em tudo em suma:

-Nunca tomou a iniciativa para vir ter comigo e falar(era sempre eu que o fazia);
-Quando lhe enviava uma mensagem dava vista e não respondia(ás vezes) e nunca me enviou mensagem a perguntar como é que eu estava e se as coisas na minha vida na faculdade estavam a correr bem;
-Nunca dispensou um pouco do tempo dela para fazermos alguma coisa juntas como tomar um café por exemplo(dizia sempre que "não!" ,mas dizia que "sim" aos planos das outras pessoas e sendo ela de longe e se gostasse realmente de mim ,tirava um pouco de tempo para o fazer);
-Quase nunca me deu apoio quando estava em baixo;
-Cumprimentava algumas colegas minhas que não eram afilhadas dela com um enorme sorriso na cara e a mim ,com um simples olá;

Disseram-me que a madrinha/padrinho são para o bem e para o mal
No meu caso senti mais o mal do que o bem

Agora ,estou no 2ºano a trajar e a praxar este ano pelo meu curso e gostava de saber se alguém passou por isto, em que a madrinha ou o padrinho não o acompanhou da forma como devia ser(não digo o que falei neste texto, mas de outra forma) e o que fez para ultrapassar essa situação

Será que vale a pena insistir ou esquecer?

Agradeço os conselhos e a ajuda. :)
 
  • Like
Reactions: Azami

Teresa P.

Membro
Matrícula
14 Agosto 2019
Mensagens
49
Curso
Serviço Social
Eu frequentei o ensino superior há alguns anos (nos anos 90). Também tive madrinha e apadrinhei alguém. Devo dizer que nem me lembro da minha madrinha - não houve qualquer acompanhamento por parte da mesma. No entanto, não senti falta desse acompanhamento porque contactava com outros veteranos que me foram prestando o apoio que necessitava, além dos meus próprios colegas na turma. Como madrinha posso dizer, sem falsa modéstia, que procurei proporcionar o apoio e acompanhamento junto da minha afilhada como gostaria que tivessem feito comigo. Fomos amigas durante muitos anos e apenas nos afastámos por contingências da vida.

Não sei como é agora (acho que o meu filho não tem padrinho e se tiver não parece importante para ele), mas não acredito que haja grandes diferenças. Não há muito a fazer quando alguém não nos liga nenhuma. É avançar e procurar apoio junto de quem efetivamente está disponível para o prestar. Se for possível, troca de madrinha. Se não, apoia-te noutros veteranos (há sempre alguém disposto a ajudar, mesmo não sendo nossos padrinhos) ou até nos colegas de turma. Só precisamos de quem nos quer ajudar. É importante, também, aprendermos cedo na vida que (quase) ninguém dá nada de graça e que não podemos depender da boa vontade dos outros para alcançar os nossos objetivos. Só dependemos de nós, da nossa capacidade individual para superar obstáculos e aprender com eles. Claro que uma ajudinha é sempre útil, mas não pode ser indispensável.

Passa à frente e junta-te com quem quer estar na tua companhia. Esquece a madrinha!

Boa sorte!
 

Rockytiger14

Membro Caloiro
Matrícula
23 Março 2020
Mensagens
2
Obrigada Teresa pela ajuda :)
Penso que no meu curso(não tenho bem a certeza) não posso trocar de madrinha visto que ela apadrinhou-me,batizou-me e trajou-me no final do meu 1ºano e ainda não desistiu oficialmente da praxe.
Acho que só podia trocar se,por exemplo,ela me apadrinhasse mas se desvinculasse à praxe logo de seguida,não me chegando a batizar nem a trajar-me.
Tenho um amigo da faculdade que lhe aconteceu isso:teve uma primeira madrinha que aceitou apadrinhá-lo mas mais tarde,antes de ele ser batizado,ela desvinculou-se à praxe.E a representante de curso pediu-lhe para que escolhesse outro trajado/trajada para o acompanhar
Mas a uma colega minha aconteceu-lhe o contrário:a madrinha dela esteve com ela nas três cerimónias que falei acima e no final do ano letivo(no Verão) saiu da praxe pelo que ela teve que escolher outra pessoa para batizar-lhe a capa no 2ºano.

No 2ºano temos duas cerimónias:
O batismo da capa em que só podemos escolher uma pessoa para nos batizar a capa sendo doutor ou veterano(podendo ser a madrinha/padrinho ou não);
E o traçar da capa em que podemos escolher quem quisermos,entre pastranos,(doutores ou veteranos podendo ser a madrinha/padrinho ou não) e mais do que um para nos traçar a capa.

Gostava de saber mais opiniões de outras pessoas sobre este assunto.
 
Última edição:

Alexandra S.

Membro Dux
Colaborador Editorial
Matrícula
10 Março 2015
Mensagens
2,802
Curso
Mestrado CCTI
Instituição
ISCTE-IUL
Obrigada Teresa pela ajuda :)
Penso que no meu curso(não tenho bem a certeza) não posso trocar de madrinha visto que ela apadrinhou-me,batizou-me e trajou-me no final do meu 1ºano e ainda não desistiu oficialmente da praxe.
Acho que só podia trocar se,por exemplo,ela me apadrinhasse mas se desvinculasse à praxe logo de seguida,não me chegando a batizar nem a trajar-me.
Tenho um amigo da faculdade que lhe aconteceu isso:teve uma primeira madrinha que aceitou apadrinhá-lo mas mais tarde,antes de ele ser batizado,ela desvinculou-se à praxe.E a representante de curso pediu-lhe para que escolhesse outro trajado/trajada para o acompanhar
Mas a uma colega minha aconteceu-lhe o contrário:a madrinha dela esteve com ela nas três cerimónias que falei acima e no final do ano letivo(no Verão) saiu da praxe pelo que ela teve que escolher outra pessoa para batizar-lhe a capa no 2ºano.

No 2ºano temos duas cerimónias:
O batismo da capa em que só podemos escolher uma pessoa para nos batizar a capa sendo doutor ou veterano(podendo ser a madrinha/padrinho ou não);
E o traçar da capa em que podemos escolher quem quisermos,entre pastranos,(doutores ou veteranos podendo ser a madrinha/padrinho ou não) e mais do que um para nos traçar a capa.

Gostava de saber mais opiniões de outras pessoas sobre este assunto.
Olá! Se a tua faculdade tiver Código de Praxe, já tentaste procurar lá? Às vezes, podes não conseguir mudar de padrinhos (oficiais) mas podes escolher os chamados "padrinhos do coração", cujos deveres são os mesmos, embora em determinadas cerimónias, como Traçar da Capa por exemplo, não tenham esse direito.
 
  • Like
Reactions: Rockytiger14

N&M

Membro
Matrícula
14 Setembro 2015
Mensagens
50
DEIXEM-SE DE INVENÇÕES QUANTO AO APADRINHAMENTO.
Deixem-se de preocupações para algo que não merece grande importância sequer.
Leiam, informem-se, informem os demais e vivam a vida académica com menos preciosismos (muitos deles puras invenções):
 
Thread starter Tópicos Semelhantes Forum Replies Date
Beatriz Topa Apadrinhamento Tradições Académicas 2
Tópicos Semelhantes