As praxes são uma perda de tempo?

_.Mafalda._

Membro Caloiro
Matrícula
8 Julho 2020
Mensagens
5
Este ano vou ingressar na faculdade e estava curiosa com uma questão: Acham que, no geral, se "perde"/investe muito tempo em praxes? Isso alguma vez vos atrapalhou no que toca ao vosso estudo e aproveitamento?
Desculpem a minha ignorância mas realmente não faço ideia e estava intrigada :)
 
  • Like
Reactions: redhotbonbon
Este ano vou ingressar na faculdade e estava curiosa com uma questão: Acham que, no geral, se "perde"/investe muito tempo em praxes? Isso alguma vez vos atrapalhou no que toca ao vosso estudo e aproveitamento?
Desculpem a minha ignorância mas realmente não faço ideia e estava intrigada :)
Olá, Mafalda. Sê bem-vinda.

Creio que essa questão seja como tudo na vida: depende de pessoa para pessoa. Fiz parte da Comissão de Praxe durante toda a minha licenciatura e isso nunca me prejudicou a nível de ter tempo para estudar/ fazer outras coisas. Depende muito de como te organizas e de como lidarás com a tua própria entrada na Universidade - que pode ser todo um mundo novo.

Talvez não esteja a ajudar muito mas é mesmo o feedback que te posso dar. Also, não precisas de estar o dia todo na Praxe. É uma questão de veres com os trajados do teu curso e ires nas horas em que tiveres maior disponibilidade e assim não há necessidade de faltares às aulas.
 
Olá, este ano vou ingressar também no ensino superior, e no meu ponto de vista acho que com organização dá para ires a praxe sem te prejudicares, isto caso mores perto da universidade, por exemplo caso tenhas de fazer um trajeto de 1h para cada lado imaginemos e frequentes algum tipo de atividade fora da universidade, acho que será um pouco puxado, mas cada caso é um caso :)
 
  • Like
Reactions: vasopressina
Este ano vou ingressar na faculdade e estava curiosa com uma questão: Acham que, no geral, se "perde"/investe muito tempo em praxes? Isso alguma vez vos atrapalhou no que toca ao vosso estudo e aproveitamento?
Desculpem a minha ignorância mas realmente não faço ideia e estava intrigada :)

Olá. A praxe é realmente uma perda de tempo, e não é por não ires à praxe que vais ficar sozinha.
Infelizmente vais ter de aturar os fanáticos da praxe que vão aparecer aqui a dizer maravilhas.
No entanto, como somos todos diferentes e temos visões diferentes do mundo, o melhor é experimentares e veres se gostas. Se não gostares ninguém te pode impedir de abandonar.

Boa sorte para esta nova etapa ^^
 
Este ano vou ingressar na faculdade e estava curiosa com uma questão: Acham que, no geral, se "perde"/investe muito tempo em praxes? Isso alguma vez vos atrapalhou no que toca ao vosso estudo e aproveitamento?
Desculpem a minha ignorância mas realmente não faço ideia e estava intrigada :)
Olá, querida! Eu gostei muito de andar na praxe e não senti que foi de todo uma perda de tempo. Eu não gostava nada do meu curso e ainda assim acabei com média de 15. Acho que é uma ótima brincadeira para aliviar o stress! Só não te podes esquecer disso: é mesmo uma brincadeira, se sentires que não tens tempo ou que não está a fazer sentido para ti, não vais! A praxe varia imenso de faculdade para faculdade e também vai depender imenso das pessoas que lá estão a praxar-te, por isso é que só sabes se experimentares 😋 pode parecer cliché, mas é mesmo verdade ahahah
 
A verdade é que muita gente arranja o "seu grupo de amigos" na praxe. Ora, para essas pessoas tenho a certeza que não é uma perda de tempo.

É como ir a discotecas todas as semanas. Para uns não será nada de especial, para outros será algo normal e que vale a pena. Uma pessoa não deve é agarrar-se só à faculdade e estar obcecada com o ato de estudar.
 
A verdade é que muita gente arranja o "seu grupo de amigos" na praxe. Ora, para essas pessoas tenho a certeza que não é uma perda de tempo.

É como ir a discotecas todas as semanas. Para uns não será nada de especial, para outros será algo normal e que vale a pena. Uma pessoa não deve é agarrar-se só à faculdade e estar obcecada com o ato de estudar.

Eu não digo que não tens razão, mas é preciso ter em conta algumas coisas.

1. Nem toda a praxe é decente, pelo menos eu não acho normal ter meia duzia de anormais aos gritos a chamar-te verme , a obrigar-te a prestar vassalagem ou obrigar-te a imitar animais. Eu já vi muita coisa mesmo, e tu sendo da FEUP (segundo o teu perfil) e eu também dado que já estudei lá, sabes perfeitamente que a praxe é uma porcaria em vários cursos. Não vale a pena mentir.
2. Estamos numa pandemia, e dúvido muito que isto melhore, espero que seja como no ano passado, para o bem de todos não haver praxe!
3. A praxe faz sentido para quem ainda é um jovem de 18 anos, como deves imaginar no primeiro ano vais encontrar pessoas com mais de 25 e é chato chatear essas pessoas por causa de algo tão futil, quando elas tem vida fora da faculdade (como cuidar da casa, do marido e dos filhos).
4. Não é por não andares na praxe que não vais ter amigos, ou que vais ficar obcecado com o curso.
 
Aviso que a minha opinião é bastante enviesada porque detestei a minha (tentativa de) praxe:

Depende muito de quem a faz. No meu caso, detestei a minha e participei apenas no 1º dia (tarde inteira ao sol a fazer apresentações """divertidas"""). No 2º dia vieram pedir-me satisfações (sim, aconteceu), quase um inquérito sobre porque não tinha ido. Enfim. Implicava faltar às aulas para ir à praxe e eu não queria fazer isso.

Posto isto, nunca tive problemas em relacionar-me com as pessoas lá. Saí do curso com alguns bons amigos, penso que apenas um deles foi à praxe.

Sim, há boas amizades que se formam em praxes, não há dúvida, mas é um bocado questão de sorte/azar.

Planeio entrar na faculdade de novo este ano e não colocarei os pés numa praxe, seja ela feita por quem for. Pessoalmente e para mim mesma, acho uma perda de tempo e muita gente abusa do "poder" (com muitas aspas) que tem. Para quem quer participar, não tenho nada contra, cada um sabe de si.
 
Aviso que a minha opinião é bastante enviesada porque detestei a minha (tentativa de) praxe:

Depende muito de quem a faz. No meu caso, detestei a minha e participei apenas no 1º dia (tarde inteira ao sol a fazer apresentações """divertidas"""). No 2º dia vieram pedir-me satisfações (sim, aconteceu), quase um inquérito sobre porque não tinha ido. Enfim. Implicava faltar às aulas para ir à praxe e eu não queria fazer isso.

Posto isto, nunca tive problemas em relacionar-me com as pessoas lá. Saí do curso com alguns bons amigos, penso que apenas um deles foi à praxe.

Sim, há boas amizades que se formam em praxes, não há dúvida, mas é um bocado questão de sorte/azar.

Planeio entrar na faculdade de novo este ano e não colocarei os pés numa praxe, seja ela feita por quem for. Pessoalmente e para mim mesma, acho uma perda de tempo e muita gente abusa do "poder" (com muitas aspas) que tem. Para quem quer participar, não tenho nada contra, cada um sabe de si.
Infelizmente há gente muito frustrada na Praxe. Até tiveste sorte, segundo aquilo que disseste aqui. Uma vez que já vi situações ridículas como obrigar putos de 18 anos a ingerir bebidas alcoólicas, a beijarem a cabeça de uma vaquinha morta, a comerem ovos crus, raparigas de 4 enquanto eram insultadas. Não vejo onde é que isto é integração. Para mim é apenas um ritual de superiodade.
 
Infelizmente há gente muito frustrada na Praxe. Até tiveste sorte, segundo aquilo que disseste aqui. Uma vez que já vi situações ridículas como obrigar putos de 18 anos a ingerir bebidas alcoólicas, a beijarem a cabeça de uma vaquinha morta, a comerem ovos crus, raparigas de 4 enquanto eram insultadas. Não vejo onde é que isto é integração. Para mim é apenas um ritual de superiodade.

Ok isso já ultrapassa muitos limites. Enfim. Felizmente no meu foram só estúpidos.

No meu caso, o 1o dia era levar os cerca de 80 alunos do curso para o jardim e cada um tinha de se apresentar, dizendo nome, idade, de onde eramos, copa do soutien e posição sexual favorita. Ok, ao início até tem alguma piada, mas passado horas de ouvir as mesmas coisas, enfim.

No dia seguinte faltei como disse, e estava muito bem sentada e vieram ter comigo:
- o teu nome, por favor?
- ???
- sim, como faltaste à praxe, para registar aqui para te chamar para o ano que vem.
- Quelra
- Ok, obrigado.

No ano seguinte não chamaram. Simplesmente gostaram daquele pedaço de poder. Curiosidade: quando fui a um exame de 1o ano, o gajo que me perguntou isso estava lá e ele era bem mais velho. Isso não me deu grande imagem do pessoal lá.

Resumindo: praxe, não obrigada
 
Ok isso já ultrapassa muitos limites. Enfim. Felizmente no meu foram só estúpidos.

No meu caso, o 1o dia era levar os cerca de 80 alunos do curso para o jardim e cada um tinha de se apresentar, dizendo nome, idade, de onde eramos, copa do soutien e posição sexual favorita. Ok, ao início até tem alguma piada, mas passado horas de ouvir as mesmas coisas, enfim.

No dia seguinte faltei como disse, e estava muito bem sentada e vieram ter comigo:
- o teu nome, por favor?
- ???
- sim, como faltaste à praxe, para registar aqui para te chamar para o ano que vem.
- Quelra
- Ok, obrigado.

No ano seguinte não chamaram. Simplesmente gostaram daquele pedaço de poder. Curiosidade: quando fui a um exame de 1o ano, o gajo que me perguntou isso estava lá e ele era bem mais velho. Isso não me deu grande imagem do pessoal lá.

Resumindo: praxe, não obrigada
Infelizmente, não são incomuns os casos de abusos. Apesar de ter tido uma excelente experiência na Praxe, tanto enquanto caloira como enquanto trajada, condeno bastante as pessoas que a usam como demonstração de poder. A Praxe é suposto ser divertida para os caloiros, não para os trajados. Tal como referimos imensas vezes, a Praxe é dos caloiros, é o único ano em que podem realmente divertir-se (confirmo: embora tenha adorado trajar e praxar, é muito mais giro participar nas brincadeiras do que estar a organizá-las).

Lamento muito que a tua experiência e a de tantos outros não tenha sido boa. Como já referi há bastante tempo, praxe abusiva não é praxe: é bullying. E ninguém que goste verdadeiramente da Praxe pode compactuar com esse tipo de abusos.
 
O problema é que, normalmente, quem não vai à praxe não é respeitado. As pessoas ainda não perceberam que existe o direito de escolher aquilo que queres ou não fazer.
Já fui insultada por não querer ir.
Lamento imenso pela situação desagradável que tiveste, mas eu não diria que é assim tão normal desrespeitarem quem não vai à praxe. Acho que depende imenso da instituição e das pessoas em si. Na FLUL, a maioria dos alunos não são praxados e felizmente, os grupos da praxe são bastante pacíficos e não iam tratar mal os colegas que não fazem parte a praxe. Sim, é verdade que muitos deles eram mais próximos entre si/ou com pessoal das tunas, mas pretty much as pessoas misturam-se completamente.

Experimentei a praxe e não gostei particularmente de algumas pessoas lá e da atitude que tinham, portanto saí. Nunca me perguntaram nada, eles sabem perfeitamente que muita gente desiste depois do 1° dia e decidem simplesmente focar-se naqueles que vão ficando.

Quanto à pergunta do tópico, depende muito da pessoa em si e do tipo de experiências que procura. Se estivermos a pensar no ponto de vista de alguém que quer ter bastante tempo para estudar e se calhar conjugar com actividades extracurriculares, focar-se no tipo de coisas que colocarias no CV, então a praxe é uma perda de tempo nesse sentido - não é a praxe que te vai dar mais tempo para fazer essas coisas.
 
Infelizmente, não são incomuns os casos de abusos. Apesar de ter tido uma excelente experiência na Praxe, tanto enquanto caloira como enquanto trajada, condeno bastante as pessoas que a usam como demonstração de poder. A Praxe é suposto ser divertida para os caloiros, não para os trajados. Tal como referimos imensas vezes, a Praxe é dos caloiros, é o único ano em que podem realmente divertir-se (confirmo: embora tenha adorado trajar e praxar, é muito mais giro participar nas brincadeiras do que estar a organizá-las).

Lamento muito que a tua experiência e a de tantos outros não tenha sido boa. Como já referi há bastante tempo, praxe abusiva não é praxe: é bullying. E ninguém que goste verdadeiramente da Praxe pode compactuar com isso tipo de abusos.

Sim, concordo. Ainda bem que a tua foi boa. Vários amigos meus tiveram boas praxes, e gostei muito das coisas que descreveram. Lá está, é uma questão de sorte, muitas vezes.
 
Infelizmente há gente muito frustrada na Praxe. Até tiveste sorte, segundo aquilo que disseste aqui. Uma vez que já vi situações ridículas como obrigar putos de 18 anos a ingerir bebidas alcoólicas, a beijarem a cabeça de uma vaquinha morta, a comerem ovos crus, raparigas de 4 enquanto eram insultadas. Não vejo onde é que isto é integração. Para mim é apenas um ritual de superiodade.
Que horror... nunca vi nada assim nem nunca passei por isso, mas infelizmente não me surpreende. Acho que tive muita sorte com às pessoas à minha volta. Nunca aceitem fazer esse tipo de coisas sob a desculpa da tradição académica. Isso não é praxe, é abuso, e não são esses os valores que aprendi nesse grupo. Mesmo atividades consideradas "normais", como por exemplo utilizar ovos para um jogo de equilíbrio, podem ofender algumas pessoas, neste caso em concreto pessoas veganas. Nós tentamos sempre ir por outro lado, arranjar outra coisa, ou quanto muito perguntar se a pessoa está confortável com aquilo. Garantir sempre que as pessoas estão confortáveis é o mínimo dos mínimos.
 
Ok isso já ultrapassa muitos limites. Enfim. Felizmente no meu foram só estúpidos.

No meu caso, o 1o dia era levar os cerca de 80 alunos do curso para o jardim e cada um tinha de se apresentar, dizendo nome, idade, de onde eramos, copa do soutien e posição sexual favorita. Ok, ao início até tem alguma piada, mas passado horas de ouvir as mesmas coisas, enfim.

No dia seguinte faltei como disse, e estava muito bem sentada e vieram ter comigo:
- o teu nome, por favor?
- ???
- sim, como faltaste à praxe, para registar aqui para te chamar para o ano que vem.
- Quelra
- Ok, obrigado.

No ano seguinte não chamaram. Simplesmente gostaram daquele pedaço de poder. Curiosidade: quando fui a um exame de 1o ano, o gajo que me perguntou isso estava lá e ele era bem mais velho. Isso não me deu grande imagem do pessoal lá.

Resumindo: praxe, não obrigada


Que horror, só para mostrarem o quão frustrados são e como parecem cães com o cio.
Não estou admirada, até digo mais, na altura que entrei pela primeira vez para a faculdade aquela gente era tão stalker que ainda nem tinha feito a matricula e já estava a receber mensagens de gente da praxe.

Eles são manipuladores, no primeiro dia não parecia nada ofensivo, basicamente ensinaram-nos uma música da praxe e apresentamo-nos (Apenas saber o nome e de onde viemos). Segundo dia foi proposto andar a dar abraços a pessoas aleatorias na rua, pronto ok normal. Tudo só para atrair malta para a praxe. Começaram finalmente a revelar-se, lembro-me perfeitamente de haver uma sala escura que chamavam sala de veteranos, levaram para lá os caloiros vendados enquanto lhes metiam medo. A única coisa que se ouvia era tesouras, facas e maluquinhos a dizer "hoje vais morrer" de noite. Uma rapariga acabou por ir às urgencias com um ataque de pânico.
Passado uns dias eu comecei a receber mensagens de cariz sexual, nojentos mesmo e até passo a citar "Bons olhos te vejam , quando é que pintas os meus bancos do carro de vermelho ?" e o suposto dux "Passava-te a lingua onde mais gostas" ainda tenho essas mensagens entre outras guardadas.
A parte mais engraçada é que no ano passado fui assistente de uma unidade curricular, e essa pessoa ainda não consegiu fazer essa uc.

É Obvio que não vai ser assim em todo o lado, mas era bom que as pessoas não tivessem medo de agir contra estes abusos, porque isto não é praxe.
Conheço pessoas muito mais velhas do que eu, que atualmente são contra a praxe simplesmente porque as pessoas mancharam a tradição, qd eles não passaram por nada disto. Portanto, eu vou sempre jogar pelo seguro e nunca recomendar a praxe, independemente se naquela escola vai ser ofensiva ou não.

Este ano mudei-me de curso e quando passei na escola nova também já fui perseguida, mas respondi-lhes que era veterana lá deixaram de me chatear.
Post automatically merged:

Infelizmente, não são incomuns os casos de abusos. Apesar de ter tido uma excelente experiência na Praxe, tanto enquanto caloira como enquanto trajada, condeno bastante as pessoas que a usam como demonstração de poder. A Praxe é suposto ser divertida para os caloiros, não para os trajados. Tal como referimos imensas vezes, a Praxe é dos caloiros, é o único ano em que podem realmente divertir-se (confirmo: embora tenha adorado trajar e praxar, é muito mais giro participar nas brincadeiras do que estar a organizá-las).

Lamento muito que a tua experiência e a de tantos outros não tenha sido boa. Como já referi há bastante tempo, praxe abusiva não é praxe: é bullying. E ninguém que goste verdadeiramente da Praxe pode compactuar com esse tipo de abusos.


Infelizmente nem toda a gente pensa dessa da maneira, alias é muito dificil encontrar pessoas "normais". Inclusive existe aqueles que tentam impedir as pessoas de trajar por não irem à praxe.
Acho que uma boa praxe era incentivar as pessoas a fazerem voluntariado mas pronto...
 
lembro-me perfeitamente de haver uma sala escura que chamavam sala de veteranos, levaram para lá os caloiros vendados enquanto lhes metiam medo.
Felizmente nem todas as faculdades têm isso...

Passado uns dias eu comecei a receber mensagens de cariz sexual, nojentos mesmo e até passo a citar "Bons olhos te vejam , quando é que pintas os meus bancos do carro de vermelho ?" e o suposto dux "Passava-te a lingua onde mais gostas" ainda tenho essas mensagens entre outras guardadas.
Que coisa nojenta... lamento imenso, mesmo.
 
Que horror... nunca vi nada assim nem nunca passei por isso, mas infelizmente não me surpreende. Acho que tive muita sorte com às pessoas à minha volta. Nunca aceitem fazer esse tipo de coisas sob a desculpa da tradição académica. Isso não é praxe, é abuso, e não são esses os valores que aprendi nesse grupo. Mesmo atividades consideradas "normais", como por exemplo utilizar ovos para um jogo de equilíbrio, podem ofender algumas pessoas, neste caso em concreto pessoas veganas. Nós tentamos sempre ir por outro lado, arranjar outra coisa, ou quanto muito perguntar se a pessoa está confortável com aquilo. Garantir sempre que as pessoas estão confortáveis é o mínimo dos mínimos.
Fico feliz em saber que tiveste uma boa experiência, e deves passar essa mesma boa experiência aos novos caloiros.
Se toda a gente tivesse essa mesma consciência, a praxe não era tão problematica. E a verdade é que cabe aos mais novos mudar o rumo disto.
 
Que horror, só para mostrarem o quão frustrados são e como parecem cães com o cio.
Não estou admirada, até digo mais, na altura que entrei pela primeira vez para a faculdade aquela gente era tão stalker que ainda nem tinha feito a matricula e já estava a receber mensagens de gente da praxe.

Eles são manipuladores, no primeiro dia não parecia nada ofensivo, basicamente ensinaram-nos uma música da praxe e apresentamo-nos (Apenas saber o nome e de onde viemos). Segundo dia foi proposto andar a dar abraços a pessoas aleatorias na rua, pronto ok normal. Tudo só para atrair malta para a praxe. Começaram finalmente a revelar-se, lembro-me perfeitamente de haver uma sala escura que chamavam sala de veteranos, levaram para lá os caloiros vendados enquanto lhes metiam medo. A única coisa que se ouvia era tesouras, facas e maluquinhos a dizer "hoje vais morrer" de noite. Uma rapariga acabou por ir às urgencias com um ataque de pânico.
Passado uns dias eu comecei a receber mensagens de cariz sexual, nojentos mesmo e até passo a citar "Bons olhos te vejam , quando é que pintas os meus bancos do carro de vermelho ?" e o suposto dux "Passava-te a lingua onde mais gostas" ainda tenho essas mensagens entre outras guardadas.
A parte mais engraçada é que no ano passado fui assistente de uma unidade curricular, e essa pessoa ainda não consegiu fazer essa uc.

É Obvio que não vai ser assim em todo o lado, mas era bom que as pessoas não tivessem medo de agir contra estes abusos, porque isto não é praxe.
Conheço pessoas muito mais velhas do que eu, que atualmente são contra a praxe simplesmente porque as pessoas mancharam a tradição, qd eles não passaram por nada disto. Portanto, eu vou sempre jogar pelo seguro e nunca recomendar a praxe, independemente se naquela escola vai ser ofensiva ou não.

Este ano mudei-me de curso e quando passei na escola nova também já fui perseguida, mas respondi-lhes que era veterana lá deixaram de me chatear.
Post automatically merged:




Infelizmente nem toda a gente pensa dessa da maneira, alias é muito dificil encontrar pessoas "normais". Inclusive existe aqueles que tentam impedir as pessoas de trajar por não irem à praxe.
Acho que uma boa praxe era incentivar as pessoas a fazerem voluntariado mas pronto...

Mas isso é horrível! Estou chocada. Lamento muito muito muito que essa tenha sido a tua experiência. Mesmo muito.
 
  • Like
Reactions: marisaafernandes