Aspirantes a Medicina 2020/2021

 

Qual é a faculdade de medicina que vais escolher em 1ª. opção?


  • Total voters
    613
Neste ponto, até tenho um testemunho diferente.. Dormir foi uma das coisas que, até hoje, nunca prescindi. Muito menos, numa véspera de exame ou dia importante. Já tentei inúmeras vezes fazer direta a estudar, quando precisava mesmo de avançar na matéria, mas, no máximo, chegava às 3 da manhã, tinha a cabeça a latejar e pensava "que se lixe isto, amanhã há mais"... E como o estudo é mais leitura, perceber e memorizar, do que exercícios práticos, chega a um ponto em que tudo o que leio é igual a ler nada, por isso, mais vale ir dormir e reiniciar a máquina. Tenho boas notas, por isso, nunca tive necessidade de mudar este meu hábito. Em dias de aulas ou época de exames, o mínimo que posso chegar é 5 horas de sono. Tento seguir a média das 8 horas, na maioria das vezes. Café bebo, mas não é tanto pelo sono, é mais por gosto e no máximo 2 por dia, 3 é muito raro.
Na verdade, consigo fazer diretas, desde que não seja a estudar ahahah
Concordo plenamente!
Privação de sono dá distúrbios neurológicos graves, com psicose e em último caso morte, so... acho que não deve ser um skill set 😂
Reduzir o número de horas de sono até um determinado limiar, claro, temos muitas vezes que sacrificar as nossas horas de descanso (acho que era isto que queriam dizer na verdade).
Ainda assim, a única vez que fiz uma direta para um exame correu muito mal, não recomendo!
um bom médico tem que ser sobretudo uma boa pessoa
às vezes temos que ser "más pessoas", mas um dia vais perceber essa parte... 😂

Fora de brincadeiras, há uns meses tive uma oral (prop cirurgica), em que a primeira pergunta que o professor fazia era:
"Ora bem, que tipo de médico querem ser?"
O professor fez esta pergunta a todos os meus colegas de turno, ou seja éramos uns 15. O objetivo era responder a especialidade médica, mas nenhum de nós interpretou a questão dessa forma (estávamos demasiado concentrados na oral). Assim, as 15 pessoas responderam um tanto a medo:
" então... quero ser... um bom médico".
Isto porque na nossa opinião só havia 2 tipos "os BONS médicos" e "os MAUS médicos" 😂
No fim, o professor exaltou-se (não era das pessoas mais simpáticas do mundo) e perguntou porque raio dizíamos todos o mesmo 😂
 
às vezes temos que ser "más pessoas", mas um dia vais perceber essa parte... 😂
"Más pessoas"? Agora fiquei com medo😂 talvez certas decisões que são obrigados a tomar por falta de meios? (Espero que seja "só" isso😅)
 
Neste ponto, até tenho um testemunho diferente.. Dormir foi uma das coisas que, até hoje, nunca prescindi. Muito menos, numa véspera de exame ou dia importante. Já tentei inúmeras vezes fazer direta a estudar, quando precisava mesmo de avançar na matéria, mas, no máximo, chegava às 3 da manhã, tinha a cabeça a latejar e pensava "que se lixe isto, amanhã há mais"... E como o estudo é mais leitura, perceber e memorizar, do que exercícios práticos, chega a um ponto em que tudo o que leio é igual a ler nada, por isso, mais vale ir dormir e reiniciar a máquina. Tenho boas notas, por isso, nunca tive necessidade de mudar este meu hábito. Em dias de aulas ou época de exames, o mínimo que posso chegar é 5 horas de sono. Tento seguir a média das 8 horas, na maioria das vezes. Café bebo, mas não é tanto pelo sono, é mais por gosto e no máximo 2 por dia, 3 é muito raro.
Na verdade, consigo fazer diretas, desde que não seja a estudar ahahah
Muito same! 😝
 
  • Love
Reactions: doctorwhy
Como sei que esse tema que abordaste já foi perguntado e discutido no passado por aqui, deixo algumas ideias de outros uniarenses, com as quais me identifiquei.




------

Saber inglês já safa muita coisa... Falando por mim, sou fluente no português e inglês, mais nada. De resto, não vejo assim grande importância... Só se estiveres a pensar em fazer Erasmus pra determinado país ou tirar a especialidade lá fora...

EDIT: podes clicar nas respostas de cada pessoa e ler o contexto em que foram perguntadas e/ou mais coisas que foram ditas e eu não copiei, onde diz "@ user disse".
Oiii! Vou tentar responder às tuas perguntas, embora as minhas respostas são apenas baseadas na minha opinião enquanto estudante do primeiro ano.
- Infelizmente não exigem testes psicológicos como pré-requisito (sou apoiante da realização dos mesmos), na minha opinião um bom médico tem que ser sobretudo uma boa pessoa isto é: gostar de ajudar os outros, ser altruísta ao ponto de se ter que se sacrificar pelo doente. Deve ser o mais imparcial possível e acima de tudo resiliente não desistir à pequena adversidade, ser forte pois o burnout médico é um tema bastante comum.
-Isso já depende de cada um... por exemplo medo de sangue ou agulhas muitos acabam por se habituar outros não, já ouvi histórias de quem superasse e também do contrário.
- skill set: não dormir (esta é a mais importante mas pode-se tentar resolver com litros de café); muito estudioso (marrão); ter facilidade em decorar; saber lidar com a pressão.
- As línguas depende do que pensas fazer no final do curso se queres emigrar, muitos tentam tirar a especialidade no estrangeiro (visto que há poucas vagas em Portugal o que torna ainda mais difícil ficares numa especialidade que realmente gostes). Na primeira semana de aulas tive professores a dizerem para apostarmos numa língua estrangeira caso não entremos cá na especialidade (e um prof disse ainda que 40% de nós acabaria por ir para medicina geral e familiar...).

Espero ter ajudado, se precisares podes mandar mensagem! Boa sorte para os exames!🍀

Obrigada! Vou aproveitar agora para dormir sempre 14 horas por dia para depois não sentir saudades 😝
E já que se fala nisso, como lidam com o burnout? Por maior que seja o espírito de sacrifício, dá cabo de qualquer um.
Quanto a ser uma "boa pessoa", a minha opinião é 50/50. Acho que um médico deve ter um lado humano muito forte, ser empático, atencioso, enfim, importar-se genuinamente e saber lidar com pessoas... Mas também é preciso conciliar isto com a imparcialidade, com algum distanciamento e frieza (muitas vezes como mecanismo de defesa). Como conseguem fazer isto - ou como pensam conseguir?
Nunca tinha pensado nisto, mas psicologicamente, ir para Medicina deve ser quase como ir para a tropa.
 
  • Like
Reactions: Joana FG
Como conseguem fazer isto - ou como pensam conseguir?
Não é uma coisa que se programe e se pense, é literalmente seres tu mesm@ e adaptares-te ao ambiente. Assim que comecei a ter estágios, soube equilibrar ambos os lados, é uma coisa natural. À medida que vamos conhecendo melhor a realidade da Medicina nos hospitais, centros de saúde, e não só, vamos tendo novas experiências e, em algumas, aprendemos a lidar com elas e adquirimos novas capacidades. Há profissionais melhores e piores, como em qualquer profissão. Não sei se já ouviram falar de plasticidade neuronal, mas o nosso cérebro não é “estanque” com novas experiências e aprendizagens na vida e para além disso, a maturação cerebral, nomeadamente nas zonas do córtex pré frontal (onde temos a área relacionada com a personalidade e tomada de decisões) só termina mais perto dos 30 anos do que dos 20. Ainda têm muito tempo e espaço para aprender e crescer, não desesperem. A mensagem da Fish em que ela falava sobre todos os tipos de médicos que podem existir, consoante a especialidade que têm, mostra bem que não se pode meter tudo no mesmo saco e que não há um tipo de personalidade ideal.
Nunca tinha pensado nisto, mas psicologicamente, ir para Medicina deve ser quase como ir para a tropa.
Aiii que exagero!!! Não é nada... 🤣
Uma pessoa estuda muito, sim, mas também com bastante gosto. E para além disso, também temos vida fora disso. Desporto, atividades e grupos da faculdade (grupo de teatro, orquestra, tuna, grupo de pintura, cinema, etc)... as faculdades de Medicina são super dinâmicas, sempre com projetos, congressos, palestras, workshops, espetáculos culturais, tudo organizado por alunos para alunos (já ouviste falar na Noite da Medicina? os futuros finalistas já estão a preparar o espetáculo para novembro de 2020, desde dezembro de 2019). 😍
 
1) Qual é o lugar da personalidade em Medicina? Que características pessoais são desejáveis? (Se possível, sejam específicos, pois há traços ideais comuns a todas as profissões)

2) Que características pessoais são um obstáculo para a prática médica? Na vossa opinião, são superáveis? Se sim, como? (Dou o meu exemplo concreto: tenho fobia de vomitar e de ver vomitar. Bem sei que ir para Medicina assim é como largar um miúdo com medo de tornados no meio do Kansas... 😅)

3) Como descreveriam o skill set ideal de um estudante de Medicina?

- É importante para um estudante de Medicina/médico ser fluente em línguas estrangeiras para além do inglês? Se sim, quais e porquê?
1) É assim, em Medicina há de tudo e mais alguma coisa, n dá para responder a isso.
2) São superáveis, e se não forem há muitas especialidades que não tens que levar com certas coisas. Eu conheci um médico na urgência que diz que ainda hoje há coisas que lhe metem super impressão, à uns dias (naquela altura) inclusive viu um abcesso enorme e quase vomitou. Não é isso que te impede de ser médico.
3) Querer aprender - uma coisa que eu noto na minha faculdade é que há muita gente a não querer aprender, tipo secundário xD ("muita" <=> + do que o desejável)

Alunos de medicina costumam ser marrões, auto-didatas (isto vais desenvolvendo no curso) e querem sempre mais.

EDIT: Tu tens tempo para fazeres de tudo, incluindo dormir 10 horas como eu faço. Tens time-killers que abdicas quando estás mais apertado como redes sociais, mas acabas por ter tempo para tudo... Mas é ótimo ver-te tão preocupado nestas questões! Eu também as tinha!

EDIT do edit: Na 1º vez que fui ver uma cirurgia *humana*, era meio-dia e meio quando finalmente entrei no bloco, a cirurgiã a quem tinha pedido chamou-me para opé dela e estava a delirar com a oportunidade, fiquei lá quietinho a ver a 1 metro do paciente. Até me mostrou parte da veia!!! Antes também vi parte de outra mas foi da galeria. Passado uns 40 minutos, eu, nunca tendo desmaiado uma vez na vida, desmaiei. A razão não foi a cirurgia, aquilo até já me tinha aborrecido, porque era às varizes, e queria sair de lá para ir comer alguma coisa, então estava super fraco, precisamente porque não comi nada desde as 8 da noite do dia anterior (nunca faças este erro) e tombei para o lado. Foi horrível porque caí de cara e fraturei o condilo da mandibula, então foi no mínimo cómico. Eu desmaiei porque sabia que estava fraco e era MUITO MAU DESMAIAR, mas também não queria pedir para sair e perder aquele momento, dado que queria ver mais, então comecei a agoirar imenso e desmaiei por causa do nervosismo 😤
Resultado, fiquei com medo de que me tornasse a acontecer, e tornou quando recebi uma notícia má de uma coisa não relacionada. Não tenho dúvida que existe uma probabilidade de quando tornar ao bloco desmaiar, por causa do medo que vou ter que torne a acontecer e que por isso não possa seguir uma grande paixão que é precisamente a cirurgia, mas não tenho dúvidas que mesmo que aconteça vou voltar e combater isso porque é tudo psicológico. E eventualmente, se quiser cirurgia lá estarei para NUNCA CONTAR AO MEU PACIENTE QUE DESMAIEI NA 1º CIRURGIA ahahahahah
Este tipo de história é do que mais há em medicina, acontece, mesmo que não tivesse sido pela fraqueza e falta de horas de sono que tinha, ou seja, puramente por me fazer impressão por não estar habituado, com muito apoio de amigos ou até profissional, consegues ultrapassar estas coisinhas e ser médico na mesma. Atualmente continuo a ver cirurgias na net para ganhar motivação para marrar e estou bem da vida, so go for it 😂
 
Última edição:
Olhem, fiz curso e PNA e nunca comprometi o sono. Pelo contrário, na altura de estudar para a PNA o mais importante foi manter uma rotina que garantisse sono e também tempo para descanso. É uma maratona, não para correr 100 metros.
Hoje em dia faço alguns turnos à noite e claro que aí (a menos que esteja muito calmo :P) não se dorme, mas compensa-se no dia seguinte.

Quanto à pessoa com fobia de vómitos, as fobias tratam-se com exposição ao estímulo fóbico :p se necessário (e isto não é,de forma alguma, uma vergonha) com apoio profissional - para aprender que o mundo não se vira ao contrário quando alguém vomita.
(claro que ver vomitar também não é propriamente a minha atividade favorita, não...)
 
(já ouviste falar na Noite da Medicina? os futuros finalistas já estão a preparar o espetáculo para novembro de 2020, desde dezembro de 2019). 😍

Siiim! 😍 É só GENIAL. In all honesty, escolheria a FML só para poder estar envolvida no espetáculo 😆 (just kidding... mas como a Nova vai para Carcavelos...)

EDIT do edit: Na 1º vez que fui ver uma cirurgia *humana*, era meio-dia e meio quando finalmente entrei no bloco, a cirurgiã a quem tinha pedido chamou-me para opé dela e estava a delirar com a oportunidade, fiquei lá quietinho a ver a 1 metro do paciente. Até me mostrou parte da veia!!! Antes também vi parte de outra mas foi da galeria. Passado uns 40 minutos, eu, nunca tendo desmaiado uma vez na vida, desmaiei. A razão não foi a cirurgia, aquilo até já me tinha aborrecido, porque era às varizes, e queria sair de lá para ir comer alguma coisa, então estava super fraco, precisamente porque não comi nada desde as 8 da noite do dia anterior (nunca faças este erro) e tombei para o lado. Foi horrível porque caí de cara e fraturei o condilo da mandibula, então foi no mínimo cómico. Eu desmaiei porque sabia que estava fraco e era MUITO MAU DESMAIAR, mas também não queria pedir para sair e perder aquele momento, dado que queria ver mais, então comecei a agoirar imenso e desmaiei por causa do nervosismo 😤
Resultado, fiquei com medo de que me tornasse a acontecer, e tornou quando recebi uma notícia má de uma coisa não relacionada. Não tenho dúvida que existe uma probabilidade de quando tornar ao bloco desmaiar, por causa do medo que vou ter que torne a acontecer e que por isso não possa seguir uma grande paixão que é precisamente a cirurgia, mas não tenho dúvidas que mesmo que aconteça vou voltar e combater isso porque é tudo psicológico. E eventualmente, se quiser cirurgia lá estarei para NUNCA CONTAR AO MEU PACIENTE QUE DESMAIEI NA 1º CIRURGIA ahahahahah
Este tipo de história é do que mais há em medicina, acontece, mesmo que não tivesse sido pela fraqueza e falta de horas de sono que tinha, ou seja, puramente por me fazer impressão por não estar habituado, com muito apoio de amigos ou até profissional, consegues ultrapassar estas coisinhas e ser médico na mesma. Atualmente continuo a ver cirurgias na net para ganhar motivação para marrar e estou bem da vida, so go for it 😂

Aconteceu-me quase o mesmo! A única diferença é que não era nenhuma cirurgia...
Estava a ter uma aula prática em Ciências Naturais no 9º ano. A minha turma estava toda de pé em torno de uma mesa onde havia um boneco com o qual íamos praticar SBV. Estava cheia de dores de cabeça e meio mole, mas pensava que era só sono. O pessoal ia trocando e fazendo as manobras, reparei que começava a ficar tonta, e de repente parecia que estavam todos a dançar o tango... Comecei a ouvir um zumbido e ficou tudo cinzento e borrado, e eu só pensava "Nãodesmaiesnãodesmaiesnãodesmaies". Por um único motivo: não queria que ninguém pensasse que eu tinha desmaiado por causa do SBV. Porque realmente não era por causa disso! 😂
Não tenho sequer ideia do que pode ter provocado tal coisa. Também nunca tinha desmaiado. Enfim, cosas que pasan. Obrigada pelo aviso... Nada de passar fome!
PS: Não cheguei a desmaiar lá na aula. Desmaiei mais tarde em casa 😅

Quanto à pessoa com fobia de vómitos, as fobias tratam-se com exposição ao estímulo fóbico :p se necessário (e isto não é,de forma alguma, uma vergonha) com apoio profissional - para aprender que o mundo não se vira ao contrário quando alguém vomita.
(claro que ver vomitar também não é propriamente a minha atividade favorita, não...)

É algo que me acompanha desde o jardim de infância, depois de uma funcionária do refeitório me ter dado um estalo por ter vomitado e sujado o chão. Fez-me limpar e tudo. A senhora era mesmo mázinha.
Claro que, racionalmente, sei que vomitar é um mecanismo natural utilizado pelo corpo humano para rejeitar substâncias nocivas. A bit on the gross side, até já tentei estudar que órgãos se contraem e dilatam para que o vómito contrarie a gravidade, para tentar encontrar algum fascínio pela coisa (spoiler: não encontrei).
Já pensei provocar o vómito para perceber que é só um mal momentâneo, mas não consigo. Vou ter de crescer. Por agora, o medo manda em mim.
 
Querer aprender - uma coisa que eu noto na minha faculdade é que há muita gente a não querer aprender, tipo secundário xD ("muita" <=> + do que o desejável)
Isso é uma coisa que me incomoda e faz muita confusão. Custa-me a entender como é que há pessoas que estudam só para passar, como se os conhecimentos não interessassem para nada.

Não vou dizer que nunca fiquei "feliz" apenas por ver que passei, porque seria mentira. Foi um alívio gigante ver que tinha passado a anatomia no 1º semestre do 1º ano, mesmo que com uma nota péssima. Até porque nessa época de exames não me sentia capaz de nada e só pensava que nunca na vida ia acabar o curso e era melhor mudar. 😂

No entanto, não compreendo como é que algumas pessoas parecem mesmo só querer passar a tudo, sem se importarem com a aprendizagem. 🤷‍♀️ Não me arrisco a dizer se será o caso de muitas ou de poucas pessoas, até porque a maioria dos colegas que conheço é fantástica e tenho a certeza que vão ser excelentes médicos, mas pronto. <3

Eu pelo menos tenho um medo enorme, talvez meio irracional, de não estar a aprender ou a fixar coisas que no futuro poderão ser importantes. Como é que sei agora aquilo que de facto é relevante na prática? Não sei. 😶
 
1) É assim, em Medicina há de tudo e mais alguma coisa, n dá para responder a isso.
2) São superáveis, e se não forem há muitas especialidades que não tens que levar com certas coisas. Eu conheci um médico na urgência que diz que ainda hoje há coisas que lhe metem super impressão, à uns dias (naquela altura) inclusive viu um abcesso enorme e quase vomitou. Não é isso que te impede de ser médico.
3) Querer aprender - uma coisa que eu noto na minha faculdade é que há muita gente a não querer aprender, tipo secundário xD ("muita" <=> + do que o desejável)

Alunos de medicina costumam ser marrões, auto-didatas (isto vais desenvolvendo no curso) e querem sempre mais.

EDIT: Tu tens tempo para fazeres de tudo, incluindo dormir 10 horas como eu faço. Tens time-killers que abdicas quando estás mais apertado como redes sociais, mas acabas por ter tempo para tudo... Mas é ótimo ver-te tão preocupado nestas questões! Eu também as tinha!

EDIT do edit: Na 1º vez que fui ver uma cirurgia *humana*, era meio-dia e meio quando finalmente entrei no bloco, a cirurgiã a quem tinha pedido chamou-me para opé dela e estava a delirar com a oportunidade, fiquei lá quietinho a ver a 1 metro do paciente. Até me mostrou parte da veia!!! Antes também vi parte de outra mas foi da galeria. Passado uns 40 minutos, eu, nunca tendo desmaiado uma vez na vida, desmaiei. A razão não foi a cirurgia, aquilo até já me tinha aborrecido, porque era às varizes, e queria sair de lá para ir comer alguma coisa, então estava super fraco, precisamente porque não comi nada desde as 8 da noite do dia anterior (nunca faças este erro) e tombei para o lado. Foi horrível porque caí de cara e fraturei o condilo da mandibula, então foi no mínimo cómico. Eu desmaiei porque sabia que estava fraco e era MUITO MAU DESMAIAR, mas também não queria pedir para sair e perder aquele momento, dado que queria ver mais, então comecei a agoirar imenso e desmaiei por causa do nervosismo 😤
Resultado, fiquei com medo de que me tornasse a acontecer, e tornou quando recebi uma notícia má de uma coisa não relacionada. Não tenho dúvida que existe uma probabilidade de quando tornar ao bloco desmaiar, por causa do medo que vou ter que torne a acontecer e que por isso não possa seguir uma grande paixão que é precisamente a cirurgia, mas não tenho dúvidas que mesmo que aconteça vou voltar e combater isso porque é tudo psicológico. E eventualmente, se quiser cirurgia lá estarei para NUNCA CONTAR AO MEU PACIENTE QUE DESMAIEI NA 1º CIRURGIA ahahahahah
Este tipo de história é do que mais há em medicina, acontece, mesmo que não tivesse sido pela fraqueza e falta de horas de sono que tinha, ou seja, puramente por me fazer impressão por não estar habituado, com muito apoio de amigos ou até profissional, consegues ultrapassar estas coisinhas e ser médico na mesma. Atualmente continuo a ver cirurgias na net para ganhar motivação para marrar e estou bem da vida, so go for it 😂

Completando a última questão, não precisas necessariamente de ser fluente numa língua estrangeira. Acho que é benéfico se compreenderes suficientemente bem o Inglês (porque alguma de bibliografia disponibilizada é em Inglês, e nem sempre as traduções para português são muito fidedignas, visto que são traduzidas para português do Brasil ou são traduzidas com erros). Para quem se sentir mais confortável com o Espanhol ao invés do Inglês também arranja boas traduções em espanhol de quase tudo o que está em Inglês.

Mas no fundo, não vai ser entrave nenhum, não te preocupes. Conheço pessoas que não sabem nem Inglês, nem Espanhol e conseguem perceber o que diz meio que em "Portunhol" ( 😁 ) ou em português do Brasil (sempre que existe tradução para português) e não é por isso que deixam de aprender tão bem quanto os outros. Não há problema 😉
 
  • Like
Reactions: Rodrigo Martins
Completando a última questão, não precisas necessariamente de ser fluente numa língua estrangeira. Acho que é benéfico se compreenderes suficientemente bem o Inglês (porque alguma de bibliografia disponibilizada é em Inglês, e nem sempre as traduções para português são muito fidedignas, visto que são traduzidas para português do Brasil ou são traduzidas com erros). Para quem se sentir mais confortável com o Espanhol ao invés do Inglês também arranja boas traduções em espanhol de quase tudo o que está em Inglês.

Mas no fundo, não vai ser entrave nenhum, não te preocupes. Conheço pessoas que não sabem nem Inglês, nem Espanhol e conseguem perceber o que diz meio que em "Portunhol" ( 😁 ) ou em português do Brasil (sempre que existe tradução para português) e não é por isso que deixam de aprender tão bem quanto os outros. Não há problema 😉
Confirmo, inglês até agora só a maldita física aplicada à medicina 😤 de resto tens sempre empt-br ou inglês
 
  • Fabulous
Reactions: Joana Praia
Siiim! 😍 É só GENIAL. In all honesty, escolheria a FML só para poder estar envolvida no espetáculo 😆 (just kidding... mas como a Nova vai para Carcavelos...)
Eu voltava a escolher a FML, se fosse candidata outra vez. 🤗 A Noite da Medicina é uma das muitas tradições incríveis da faculdade. Estudar no grande hospital de Santa Maria é um sonho, e é praticamente uma 2a casa. E que saudades que eu já tenho... 🥺
Isso é uma coisa que me incomoda e faz muita confusão. Custa-me a entender como é que há pessoas que estudam só para passar, como se os conhecimentos não interessassem para nada.
Eu pelo menos tenho um medo enorme, talvez meio irracional, de não estar a aprender ou a fixar coisas que no futuro poderão ser importantes. Como é que sei agora aquilo que de facto é relevante na prática? Não sei. 😶
Faço das tuas palavras as minhas... Acho que é uma realidade em qualquer faculdade.
 
  • Like
Reactions: Brooklyn and Blasty
Já vi o plano curricular e assim, mas gostava de saber mais acerca da parte mais prática da faculdade, quando começa, se no primeiro ano já contactamos com algo e o quê.
Relativamente ao plano em si, não temos propriamente qualquer contacto com doentes no 1º ano. No entanto, há imensas atividades da AE que eu recomendo imenso que participes, como o Hospital dos Pequeninos ou a Semana do Bem Estar e da Saúde (em que fazemos rastreios cardiovasculares), e inúmeros outros workshops. 🥰
No 1º semestre do 2º ano, em Cardio, temos a oportunidade de ir ver uma cirurgia. Não é obrigatório, mas acho que toda a gente quer ahahah. Foi a melhor coisa que vi na faculdade até agora e queria voltar. <333
No 2º semestre do 2º ano, temos de ir a um centro de saúde e fazer uma entrevista a um doente, no âmbito da cadeira de Psicologia.
Para além disso, a partir do 2º ano podes escolher optativas, sendo que por exemplo uma delas te permite fazer voluntariado (com doentes ou não, depende do que escolheres e de onde ficares). E tem sempre imensas vagas mesmo, por isso se quiseres não será um problema. xD
De resto, não temos propriamente mais coisas práticas nos 2 primeiros anos, que me lembre... Sei que no 3º ano temos propedeutica e aí já temos algum contacto, mas, como ainda não tive e não sei como funciona ao certo, vamos esperar que apareça alguém mais velho para te esclarecer. 😂

Só mais uma coisinha, também gostava de perguntar aos estudantes da FMUP qual a experiência que tiveram/têm tido com a vida académica, incluindo isso as praxes, tunas, etc.
Há sempre muitas festas e não vão faltar oportunidades para te divertires, claro!
Não sou a melhor pessoa para te falar de praxe, mas se for algo que tu gostes vais encontrar uma grande tradição nesse sentido. É uma cena vivida muito intensamente aqui, parece-me. xD
E claro que tens as tunas (feminina e masculina), que são atividades praxisticas. Mas também tens outros grupos, como exemplo um grupo de teatro, que não é praxistico. :)
 
EDIT do edit: Na 1º vez que fui ver uma cirurgia *humana*, era meio-dia e meio quando finalmente entrei no bloco, a cirurgiã a quem tinha pedido chamou-me para opé dela e estava a delirar com a oportunidade, fiquei lá quietinho a ver a 1 metro do paciente. Até me mostrou parte da veia!!! Antes também vi parte de outra mas foi da galeria. Passado uns 40 minutos, eu, nunca tendo desmaiado uma vez na vida, desmaiei. A razão não foi a cirurgia, aquilo até já me tinha aborrecido, porque era às varizes, e queria sair de lá para ir comer alguma coisa, então estava super fraco, precisamente porque não comi nada desde as 8 da noite do dia anterior (nunca faças este erro) e tombei para o lado. Foi horrível porque caí de cara e fraturei o condilo da mandibula, então foi no mínimo cómico. Eu desmaiei porque sabia que estava fraco e era MUITO MAU DESMAIAR, mas também não queria pedir para sair e perder aquele momento, dado que queria ver mais, então comecei a agoirar imenso e desmaiei por causa do nervosismo 😤

Já me aconteceu o mesmo. Eram 18h, estava desde manhã no piso de obstetrícia sem comer nada, de repente há uma cesariana de emergência à qual me deram a oportunidade de assistir, mal cheguei ao bloco desmaiei e bati com a cabeça na beira de um tabuleiro 😂 ainda andei 2 semanas com um hematoma. Logicamente que não disse aos meus colegas o que aconteceu verdadeiramente 😂 mas lá está, nem foi da cirurgia em si que ainda nem tinha acontecido

Olhem, fiz curso e PNA e nunca comprometi o sono. Pelo contrário, na altura de estudar para a PNA o mais importante foi manter uma rotina que garantisse sono e também tempo para descanso. É uma maratona, não para correr 100 metros.

Aiii só espero quando chegar lá saber gerir tão bem o stress como tu 😂
estás em que especialidade? 🥰
 
Já me aconteceu o mesmo. Eram 18h, estava desde manhã no piso de obstetrícia sem comer nada, de repente há uma cesariana de emergência à qual me deram a oportunidade de assistir, mal cheguei ao bloco desmaiei e bati com a cabeça na beira de um tabuleiro 😂 ainda andei 2 semanas com um hematoma. Logicamente que não disse aos meus colegas o que aconteceu verdadeiramente 😂 mas lá está, nem foi da cirurgia em si que ainda nem tinha acontecido
Tiveste mais sorte que eu! Eu parti o condilo da mandíbula 😅 Ainda bem que não sou o único!!! ahahahah
 
  • Haha
Reactions: AEL
Aiii só espero quando chegar lá saber gerir tão bem o stress como tu 😂
estás em que especialidade? 🥰
Não estou ainda numa especialidade, sou interna de Formação Geral (ex-Ano Comum) num hospital da zona norte.
E acho que este ano está a ser mais stressante do que estudar para a PNA 😅 não a menosprezando, claro. e não menosprezando o stress dos atuais alunos do 6.º ano,bem como o dos alunos de 11.º e 12.º... enfim, não está fácil para ninguém 😷
 
  • Like
Reactions: AEL
Não estou ainda numa especialidade, sou interna de Formação Geral (ex-Ano Comum) num hospital da zona norte.
E acho que este ano está a ser mais stressante do que estudar para a PNA 😅 não a menosprezando, claro. e não menosprezando o stress dos atuais alunos do 6.º ano,bem como o dos alunos de 11.º e 12.º... enfim, não está fácil para ninguém 😷
Olá, gostaria de te colocar umas questoes, se não te importares de responder :) : estando na formação geral, esta é feita sempre em hospitais, independentemente da especialidade que vais escolher?
Que horários fazem na formação geral?
São tipo uns tempos nuns serviços, uns tempos noutros? E quem segue medicina geral e familiar também segue essa formação geral nos hospitais?
 
Não estou ainda numa especialidade, sou interna de Formação Geral (ex-Ano Comum) num hospital da zona norte.
E acho que este ano está a ser mais stressante do que estudar para a PNA 😅 não a menosprezando, claro. e não menosprezando o stress dos atuais alunos do 6.º ano,bem como o dos alunos de 11.º e 12.º... enfim, não está fácil para ninguém 😷

Achando que ser o primeiro ano era o pior ano a fazer... Este ano só toda a expectativa de o exame se realizar ou não, e de começar em março já trancado em casa a estudar <3
 
  • Like
Reactions: a fish
Olá, gostaria de te colocar umas questoes, se não te importares de responder :) : estando na formação geral, esta é feita sempre em hospitais, independentemente da especialidade que vais escolher?
Que horários fazem na formação geral?
São tipo uns tempos nuns serviços, uns tempos noutros? E quem segue medicina geral e familiar também segue essa formação geral nos hospitais?
A base do IFG é igual para todos, independentemente da especialidade que futuramente escolham (ou mesmo se depois não escolherem nenhuma especialidade). Tens um hospital/centro hospitalar como base, e fazes 2 meses de Pediatria, 4 meses de Medicina Interna, 3 meses de Cirurgia e 3 meses de MGF (num centro de saúde; neste período também deves passar umas semanas pela Saúde Pública). Alguns hospitais, de forma informal, deixavam que algum deste tempo fosse passado em opcionais (numa outra especialidade qualquer). O horário é de 40h semanais, incluindo 12h semanais de Urgência (exceto no estágio de MGF, em que não há Urgência e seriam as 40h no Centro de Saúde). Na prática, há hospitais que são mais relaxados com isto do horário :P
(e, na prática, desde há 1 mês que isto está completamente virado do avesso na esmagadora maioria dos hospitais, e em cada um à sua maneira)

Achando que ser o primeiro ano era o pior ano a fazer... Este ano só toda a expectativa de o exame se realizar ou não, e de começar em março já trancado em casa a estudar <3
está oficialmente apontado para 30 de novembro :) e ao menos não há pressão para se andar sempre a tentar fugir ao estágio 😓 mas sim, péssimo...
 
A base do IFG é igual para todos, independentemente da especialidade que futuramente escolham (ou mesmo se depois não escolherem nenhuma especialidade). Tens um hospital/centro hospitalar como base, e fazes 2 meses de Pediatria, 4 meses de Medicina Interna, 3 meses de Cirurgia e 3 meses de MGF (num centro de saúde; neste período também deves passar umas semanas pela Saúde Pública). Alguns hospitais, de forma informal, deixavam que algum deste tempo fosse passado em opcionais (numa outra especialidade qualquer). O horário é de 40h semanais, incluindo 12h semanais de Urgência (exceto no estágio de MGF, em que não há Urgência e seriam as 40h no Centro de Saúde). Na prática, há hospitais que são mais relaxados com isto do horário :P
(e, na prática, desde há 1 mês que isto está completamente virado do avesso na esmagadora maioria dos hospitais, e em cada um à sua maneira)


está oficialmente apontado para 30 de novembro :) e ao menos não há pressão para se andar sempre a tentar fugir ao estágio 😓 mas sim, péssimo...

Muito obrigada pela resposta!!!
Se não for muito chata, faz-se noites?
As 40h semanais é nos 5 dias, ou nos 7 dias com os fins de semana? Isto nos hospitais, porque acho que nos centros de saude é nos 5 dias.
Essas 12h de urgencia, sao turnos seguidos?
E as restantes horas os turnos são de oito horas por dia? Tipo horario fixo?

Mais uma vez muito obrigada pela amabilidade de responderes!!