De Ciências e Tecnologias para um curso superior de Humanidades

Madalena Mendes Almeida

Membro Caloiro
Matrícula
11 Julho 2016
Mensagens
3
Curso
Ciências e Tecnologias
Instituição
E.Secundária de Alcácer do Sal
Bom dia a todos!

Sou a Madalena, uma aluna mega feliz por finalmente ter concluído o 11.º ano e ansiosa por ingressar na última etapa do secundário. Frequento o Curso Científico-Humanístico na área das Ciências e Tecnologias e tenho boas notas às disciplinas específicas (e um desempenho ainda melhor nas gerais). Realizei os Exames Nacionais às disciplinas de Física e Química e Filosofia, sendo esta última a minha preferida e aquela em que me destaco por excelência.
Durante a minha infância sempre me foram incentivados hábitos e comportamentos ligados à área das Humanidades - com cerca de seis anos já sabia o poema "Mar Português", da autoria de Fernando Pessoa, de cor e salteado. Comecei a ler jornais desde cedo e a leitura rapidamente se tornou num hábito. Sempre fui boa aluna em todas as disciplinas. No entanto, sempre me destaquei na área das línguas. Para contrariar esta tendência, inscrevi-me no curso de Ciências e Tecnologias aquando do ingresso no Ensino Secundário, quer tenha sido para satisfazer a vontade da minha mãe quer para me sentir capaz de levar avante tarefas relacionadas com a Matemática (a disciplina em que me sentia mais fraquinha e menos confiante). Terminei o 10.º ano com média de 19 valores e o 11.º ano com média de 18 valores, tendo conseguido classificação superior no Exame Nacional de Filosofia do que no de Física e Química A.

Sempre senti um prazer enorme em estudar para os testes de Filosofia, e as aulas funcionavam como uma espécie de terapia - era ali que me sentia verdadeiramente eu. Toda a gente com quem falo reconhece pensar que a minha verdadeira vocação acontece na área das Línguas e Humanidades, e o meu coração diz-me o mesmo. No entanto, devido aos típicos dogmas associados à fraca empregabilidade e afins, a minha mãe jamais aceitaria a minha inscrição num curso superior ligado a esta área. Por enquanto, pensa que vou candidatar-me a Engenharia Aeroespacial ou Mecânica, ambas lecionadas no Instituto Superior Técnico.

Estou a considerar estudar Psicologia, uma vez que a complexidade relacionada com a ação e o comportamento humano sempre me fascinou. Quero estudar algo que me permita desenvolver assuntos segundo uma perspetiva quase filosófica e ilimitada e que me disponibilize uma quantidade enorme de reflexões no domínio da psicologia humana e dos problemas que afetam a mente. Não quero deixar passar em claro a curiosidade com que encaro o curso de Filosofia, embora este não possa trazer-me grandes oportunidades de trabalho a não ser no campo da Educação.

Como devo preparar a minha mãe para esta escolha?

Obrigada a todos pela vossa atenção! :)
 
  • Like
Reactions: Ana Rita Pais
Olá! :blush:
Aproveito para dizer que também vou para o 12º e que estou a estudar Línguas e Humanidades, também sempre fui bom aluno a todas as disciplinas mas sempre preferi e tive um maior gosto e vocação pelas áreas das Línguas e das Ciências Sociais.
Relativamente à situação com a tua mãe, acho que devias ser muito direta com ela e dizer-lhe que aquilo que sempre te fascinou foi a área das ciências sociais e humanas, apesar de seres boa aluna a todas as disciplinas, e que a tua disciplina preferida é filosofia e é nas aulas dessa mesma disciplina que tu encontras o teu "refúgio". Deves ainda explicar-lhe que nós para sermos felizes e para obtermos sucesso temos que ir para algo que realmente gostamos, que nos interessa e para o qual temos vocação - pode parecer demasiado poético mas é mesmo a realidade :laughing:.
E acredita que para um bom profissional haverá sempre um lugar. Não devemos ir atrás das taxas de empregabilidade do curso ou das saídas que cada coisa pode ter (apesar de ser algo também relativamente importante e que também devemos ter em consideração) mas sim daquilo que realmente nos preenche. As áreas de Humanidades não são EM NADA inferiores às das Ciências Experimentais. Tenho a certeza que vais dar uma excelente psicóloga e que te vais sentir muito realizada nessa área! E pede à tua mãe para mudar essa mentalidade. Acho que é interessante leres isto: http://uniarea.com/sim-vou-para-humanidades-problema Ah! E muitos parabéns pelas tuas notas! Qualquer coisa, diz! :blush:
Fica bem.
 
Bom dia a todos!

Sou a Madalena, uma aluna mega feliz por finalmente ter concluído o 11.º ano e ansiosa por ingressar na última etapa do secundário. Frequento o Curso Científico-Humanístico na área das Ciências e Tecnologias e tenho boas notas às disciplinas específicas (e um desempenho ainda melhor nas gerais). Realizei os Exames Nacionais às disciplinas de Física e Química e Filosofia, sendo esta última a minha preferida e aquela em que me destaco por excelência.
Durante a minha infância sempre me foram incentivados hábitos e comportamentos ligados à área das Humanidades - com cerca de seis anos já sabia o poema "Mar Português", da autoria de Fernando Pessoa, de cor e salteado. Comecei a ler jornais desde cedo e a leitura rapidamente se tornou num hábito. Sempre fui boa aluna em todas as disciplinas. No entanto, sempre me destaquei na área das línguas. Para contrariar esta tendência, inscrevi-me no curso de Ciências e Tecnologias aquando do ingresso no Ensino Secundário, quer tenha sido para satisfazer a vontade da minha mãe quer para me sentir capaz de levar avante tarefas relacionadas com a Matemática (a disciplina em que me sentia mais fraquinha e menos confiante). Terminei o 10.º ano com média de 19 valores e o 11.º ano com média de 18 valores, tendo conseguido classificação superior no Exame Nacional de Filosofia do que no de Física e Química A.

Sempre senti um prazer enorme em estudar para os testes de Filosofia, e as aulas funcionavam como uma espécie de terapia - era ali que me sentia verdadeiramente eu. Toda a gente com quem falo reconhece pensar que a minha verdadeira vocação acontece na área das Línguas e Humanidades, e o meu coração diz-me o mesmo. No entanto, devido aos típicos dogmas associados à fraca empregabilidade e afins, a minha mãe jamais aceitaria a minha inscrição num curso superior ligado a esta área. Por enquanto, pensa que vou candidatar-me a Engenharia Aeroespacial ou Mecânica, ambas lecionadas no Instituto Superior Técnico.

Estou a considerar estudar Psicologia, uma vez que a complexidade relacionada com a ação e o comportamento humano sempre me fascinou. Quero estudar algo que me permita desenvolver assuntos segundo uma perspetiva quase filosófica e ilimitada e que me disponibilize uma quantidade enorme de reflexões no domínio da psicologia humana e dos problemas que afetam a mente. Não quero deixar passar em claro a curiosidade com que encaro o curso de Filosofia, embora este não possa trazer-me grandes oportunidades de trabalho a não ser no campo da Educação.

Como devo preparar a minha mãe para esta escolha?

Obrigada a todos pela vossa atenção! :)
Olá Madalena, vou ser sincero no que te vou dizer, e espero que não leves a mal o que te vou dizer, porque não é com esse intuito. Na minha sincera opinião, acho que levas demasiado em conta a opinião da tua mãe ou dos teus pais, tanto que tens receio de lhe contar o que verdadeiramente queres para o teu futuro. Deves ter 17 anos, e deves de ir fazer 18 para o ano, e isso significa que já começas a ter idade para saber o que queres, e para fazeres os teus pais verem que nem tudo pode ser como eles querem. É claro que seria ótimo se pudesses ir para algo que ambos gostassem, que houvesse um alto índice de empregabilidade, que ganhasses eu salário e pêras, mas a realidade é que isso são várias condições difíceis de reunir! Estamos mal de emprego em muitas áreas, mas isso não significa que não vás ter um emprego. Se fores realmente boa no que queres, se fores dedicada, vais de certeza conseguir arranjar um emprego. Tens de pensar num curso que tenha uma boa empregabilidade, mas também tem de ser algo de que gostes, porque não adianta tirares um curso que não gostes mesmo que tenhas muito trabalho, porque vais acabar por não te sentir realizada, e isso não é nada bom. Fala com os teus pais, explica-lhes situação, porque afinal és tu que vais passar os próximos 3/4 anos a estudar, e se escolheres algo que não gostas, só podem acontecer duas coisas, ou acabas por desistir, ou acabas por estar a fazer o curso contrariada e sem vontade de o fazer.
Espero que de alguma forma te tenha ajudado, boa sorte! :)
 
Última edição:
Olá Madalena,

Estou atualmente a ingressar para o 3º ano da faculdade e também estive na tua situação. Segui para um curso de ciências mesmo não gostando muito de matemática, nem se físico-química, mas lá me aguentei com uma média razoável. Desde pequena que um dos meus sonhos era ser psicóloga (especificamente psicóloga forense) e esse sonho acompanhou-me até então. Como é óbvio, na candidatura ao ensino superior Psicologia foi a minha primeira opção. Os meus pais estavam cientes do meu sonho e da minha vontade em seguir em frente com essa ideia e como é óbvio alertaram-me sobre a falta de emprego nessa área, mas nunca me impediram de o seguir. Tal como o JotaM disse, para um bom profissional há sempre espaço e eu sempre tive a ambição de ser uma das melhores se entrasse nesse curso.
Por só ter concorrido na 2ª fase corria o risco de não ter sequer vaga em Psicologia, pelo que os meus pais (mesmo não concordando com a minha escolha) deslocaram-se comigo até à UAL e ainda paguei uns bons 180€ de inscrição para garantir a vaga, mesmo não tendo possibilidades de fazer uma licenciatura de 3 anos numa faculdade privada. Acontece que mesmo assim não entrei em Psicologia por umas décimas, mas acabei por ingressar no ensino público, noutro curso completamente diferente e que desconhecia totalmente (Administração Pública) e não posso dizer que tenha sido uma má escolha, mesmo que Psicologia Forense continue a ser o meu grande sonho.
Isto tudo para te dizer que mesmo que seja a tua mãe a pagar-te as propinas, acima de tudo está a tua felicidade e quando somos felizes com o que fazemos somos ainda melhores profissionais. Para além disso, uma licenciatura em Psicologia, seguido de Mestrado dá sempre outras chances a nível de mercado de trabalho.
Por isso, não tenhas medo de lhe dizer aquilo que sentes/achas, se não acabarás por ser infeliz a fazer algo que não gostas.

Espero que tudo te corra bem :)
 
Bom dia a todos!

Sou a Madalena, uma aluna mega feliz por finalmente ter concluído o 11.º ano e ansiosa por ingressar na última etapa do secundário. Frequento o Curso Científico-Humanístico na área das Ciências e Tecnologias e tenho boas notas às disciplinas específicas (e um desempenho ainda melhor nas gerais). Realizei os Exames Nacionais às disciplinas de Física e Química e Filosofia, sendo esta última a minha preferida e aquela em que me destaco por excelência.
Durante a minha infância sempre me foram incentivados hábitos e comportamentos ligados à área das Humanidades - com cerca de seis anos já sabia o poema "Mar Português", da autoria de Fernando Pessoa, de cor e salteado. Comecei a ler jornais desde cedo e a leitura rapidamente se tornou num hábito. Sempre fui boa aluna em todas as disciplinas. No entanto, sempre me destaquei na área das línguas. Para contrariar esta tendência, inscrevi-me no curso de Ciências e Tecnologias aquando do ingresso no Ensino Secundário, quer tenha sido para satisfazer a vontade da minha mãe quer para me sentir capaz de levar avante tarefas relacionadas com a Matemática (a disciplina em que me sentia mais fraquinha e menos confiante). Terminei o 10.º ano com média de 19 valores e o 11.º ano com média de 18 valores, tendo conseguido classificação superior no Exame Nacional de Filosofia do que no de Física e Química A.

Sempre senti um prazer enorme em estudar para os testes de Filosofia, e as aulas funcionavam como uma espécie de terapia - era ali que me sentia verdadeiramente eu. Toda a gente com quem falo reconhece pensar que a minha verdadeira vocação acontece na área das Línguas e Humanidades, e o meu coração diz-me o mesmo. No entanto, devido aos típicos dogmas associados à fraca empregabilidade e afins, a minha mãe jamais aceitaria a minha inscrição num curso superior ligado a esta área. Por enquanto, pensa que vou candidatar-me a Engenharia Aeroespacial ou Mecânica, ambas lecionadas no Instituto Superior Técnico.

Estou a considerar estudar Psicologia, uma vez que a complexidade relacionada com a ação e o comportamento humano sempre me fascinou. Quero estudar algo que me permita desenvolver assuntos segundo uma perspetiva quase filosófica e ilimitada e que me disponibilize uma quantidade enorme de reflexões no domínio da psicologia humana e dos problemas que afetam a mente. Não quero deixar passar em claro a curiosidade com que encaro o curso de Filosofia, embora este não possa trazer-me grandes oportunidades de trabalho a não ser no campo da Educação.

Como devo preparar a minha mãe para esta escolha?

Obrigada a todos pela vossa atenção! :)

Eu vim de Ciências e estou em Direito, pois sempre fui boa a áreas como filosofia e português. Se tinha escolhido outra coisa se fosse boa a matemática e a física? Sim, não vou mentir nisso. Agora, tu podes optar por ir para um curso ótimo a nível de emprego ou algo que te satisfaça psicologicamente. Acredita que há muito boa gente (incluindo eu), que ainda sofre desta indecisão mesmo estando na faculdade. Mas pensar no "e se...", não é bom. Para ser sincera, estou "fartinha" de ver gente sem vocação para cursos como Medicina, só para agradar aos pais e etc. Quanto à tua mãe , será difícil, mas se queres mesmo isso, há que lutar.
 
Eu vim de Ciências e estou em Direito, pois sempre fui boa a áreas como filosofia e português. Se tinha escolhido outra coisa se fosse boa a matemática e a física? Sim, não vou mentir nisso. Agora, tu podes optar por ir para um curso ótimo a nível de emprego ou algo que te satisfaça psicologicamente. Acredita que há muito boa gente (incluindo eu), que ainda sofre desta indecisão mesmo estando na faculdade. Mas pensar no "e se...", não é bom. Para ser sincera, estou "fartinha" de ver gente sem vocação para cursos como Medicina, só para agradar aos pais e etc. Quanto à tua mãe , será difícil, mas se queres mesmo isso, há que lutar.
Eu sou outro exemplo, fiz o secundário em ciências e tecnologias, no 12º ano não consegui fazer a matemática, acabei por mudar para humanidades e acabei com 18 a história, geografia e macs. Apesar de ser muito bom nestas disciplinas específicas de humanidades, não gosto delas, aliás arrisco mesmo em dizer que detesto a área de humanidades (mas isso vai de cada um). Apenas tinha boas notas porque quando mudei de área prometi a mim mesmo que iria dar o meu melhor para subir a média, e apesar de não gostar destas disciplinas, conseguia perceber as coisas com facilidade. Agora acabei o secundário em línguas e humanidades, e por muito irónico que pareça, vou entrar em saúde, mais especificamente em enfermagem. Fiz este ano o exame de biologia e após 3 anos bem ser biologia e geologia, com muito esforço, consegui 16 no exame, e vou conseguir entrar na área onde sei que me irei sentir realizado, todos os dias ;):)
 
Eu sou outro exemplo, fiz o secundário em ciências e tecnologias, no 12º ano não consegui fazer a matemática, acabei por mudar para humanidades e acabei com 18 a história, geografia e macs. Apesar de ser muito bom nestas disciplinas específicas de humanidades, não gosto delas, aliás arrisco mesmo em dizer que detesto a área de humanidades (mas isso vai de cada um). Apenas tinha boas notas porque quando mudei de área prometi a mim mesmo que iria dar o meu melhor para subir a média, e apesar de não gostar destas disciplinas, conseguia perceber as coisas com facilidade. Agora acabei o secundário em línguas e humanidades, e por muito irónico que pareça, vou entrar em saúde, mais especificamente em enfermagem. Fiz este ano o exame de biologia, por incrível que pareça, e após 3 anos bem ser biologia e geologia, consegui 16 no exame, e vou conseguir entrar na área onde sei que me irei sentir realizado, todos os dias ;):)

Rodrigo que bom!!!! :D
Acabaste por provar um bocadinho das duas áreas, mas o que importa é fazermos aquilo que nos faz felizes.
Desejo-te toda a sorte do mundo nesta nova etapa. A ti e a todos os que vão para a universidade... Meus caros, deixem-me que vos diga, o melhor ainda está para vir!
 
Rodrigo que bom!!!! :D
Acabaste por provar um bocadinho das duas áreas, mas o que importa é fazermos aquilo que nos faz felizes.
Desejo-te toda a sorte do mundo nesta nova etapa. A ti e a todos os que vão para a universidade... Meus caros, deixem-me que vos diga, o melhor ainda está para vir!
Só para veres o quão sortido eu sou, este ano fiz 4 exames nacionais, história, geografia, macs e biologia. Com receio de não conseguir entrar em saúde, só estudei para biologia, não estudei nada mesmo para os outros. Consegui ter positiva a história, macs e geografia, sendo que no de geografia tive 14. Não sei como, mas foi assim, eu acho aquilo fácil, mas a verdade é que foi uma tortura estar dois anos a fazer estas disciplinas xD E quanto ao de biologia, estava convencido que ia ter uma negativa das grandes, sai do exame a achas que ter aí um 6. Mais tarde quando fui ver os resultados, tive 16, a 4ª melhor nota de entre 240 alunos, sendo a maioria alunos diurnos com aulas, e eu não tinha esta disciplina à 3 anos. Estava à espera de nem sequer conseguir o exame de biologia e de ter negativas aos outros 3 exames, e ia candidatar-me a recursos humanos aí no ISCSP com o exame de português, mas não sei como, e não sei se algum dia vou perceber, como tive tanta sorte nos exames ;):D
 
Última edição:
Só para veres o quão sortido eu sou, este ano fiz 4 exames nacionais, história, geografia, macs e biologia. Com receio de. Ao conseguir entrar em saúde, só estudei para biologia, não estudei nada mesmo para os outros. Consegui ter positiva a história, macs e geografia, sendo que no de geografia tive 14. Não sei como, mas foi assim, eu acho aquilo fácil, mas a verdade é que foi uma tortura estar dois anos a fazer estas disciplinas xD E quanto ao de biologia, estava convencido que ia ter uma negativa das grandes, sai do exame a achas que ter aí um 6. Mais tarde quando fui ver os resultados, tive 16, a 4ª melhor nota de entre 240 alunos, sendo a maioria alunos diurnos com aulas, e eu não tinha esta disciplina à 3 anos. Estava à espera de nem sequer conseguir o exame de biologia e de ter negativas aos outros 3 exames, e ia candidatar-me a recursos humanos aí no ISCSP com o exame de português, mas não sei como, e não sei se algum dia vou perceber, como tive tanta sorte nos exames ;):D
A vida encarregou-se de permitir que possas fazer aquilo que mais gostas.
Muitos parabéns pelas tuas notas :)
Boa sorte com esse curso!
Beijinhos ;)
 
Última edição:
  • Like
Reactions: Rodrigo
Bom dia a todos!

Sou a Madalena, uma aluna mega feliz por finalmente ter concluído o 11.º ano e ansiosa por ingressar na última etapa do secundário. Frequento o Curso Científico-Humanístico na área das Ciências e Tecnologias e tenho boas notas às disciplinas específicas (e um desempenho ainda melhor nas gerais). Realizei os Exames Nacionais às disciplinas de Física e Química e Filosofia, sendo esta última a minha preferida e aquela em que me destaco por excelência.
Durante a minha infância sempre me foram incentivados hábitos e comportamentos ligados à área das Humanidades - com cerca de seis anos já sabia o poema "Mar Português", da autoria de Fernando Pessoa, de cor e salteado. Comecei a ler jornais desde cedo e a leitura rapidamente se tornou num hábito. Sempre fui boa aluna em todas as disciplinas. No entanto, sempre me destaquei na área das línguas. Para contrariar esta tendência, inscrevi-me no curso de Ciências e Tecnologias aquando do ingresso no Ensino Secundário, quer tenha sido para satisfazer a vontade da minha mãe quer para me sentir capaz de levar avante tarefas relacionadas com a Matemática (a disciplina em que me sentia mais fraquinha e menos confiante). Terminei o 10.º ano com média de 19 valores e o 11.º ano com média de 18 valores, tendo conseguido classificação superior no Exame Nacional de Filosofia do que no de Física e Química A.

Sempre senti um prazer enorme em estudar para os testes de Filosofia, e as aulas funcionavam como uma espécie de terapia - era ali que me sentia verdadeiramente eu. Toda a gente com quem falo reconhece pensar que a minha verdadeira vocação acontece na área das Línguas e Humanidades, e o meu coração diz-me o mesmo. No entanto, devido aos típicos dogmas associados à fraca empregabilidade e afins, a minha mãe jamais aceitaria a minha inscrição num curso superior ligado a esta área. Por enquanto, pensa que vou candidatar-me a Engenharia Aeroespacial ou Mecânica, ambas lecionadas no Instituto Superior Técnico.

Estou a considerar estudar Psicologia, uma vez que a complexidade relacionada com a ação e o comportamento humano sempre me fascinou. Quero estudar algo que me permita desenvolver assuntos segundo uma perspetiva quase filosófica e ilimitada e que me disponibilize uma quantidade enorme de reflexões no domínio da psicologia humana e dos problemas que afetam a mente. Não quero deixar passar em claro a curiosidade com que encaro o curso de Filosofia, embora este não possa trazer-me grandes oportunidades de trabalho a não ser no campo da Educação.

Como devo preparar a minha mãe para esta escolha?

Obrigada a todos pela vossa atenção! :)

Madalena, após ver o teu comentário, decidi dar um feedback, caso o queiras receber! ;)

Eu vou para o último ano de Psicologia, área Psicologia Clínica e da Saúde. E compreendo o teu receio de contar à tua mãe a pretensão de ires para o meu/nosso curso, uma vez que pensas que será difícil a adaptação dela para a tua ideia. Sei que por vezes, com 17/18 anos, ainda não nos sentimos tão seguros das nossas opções para irmos "contra" os nossos pais e outros familiares, principalmente porque o curso de psicologia pode ter pouca empregabilidade ou pela ideia das pessoas de que quem vai para Psicologia é só para cuidar de "maluquinhos"!
Contudo, quero primeiro felicitar-te pela pessoa forte que és! Por saberes que os teus pais não aceitam bem a ideia de ires para um curso da área das Ciências Sociais e Humanas e mesmo assim manteres o teu desejo. Muitos não fazem isso e cedem a pressões mal fundamentadas dos pais para determinados cursos onde nunca se sentirão realizados.
Em segundo, quero dar-te força para dares a entender um ponto de vista fundamentado e preciso/conciso do que queres aos teus pais e que eles consigam aceitar bem essa opção. Eu quero acreditar que sim.

A Psicologia é um campo de estudo muito grande e está em todo o lado, uma vez que estudamos todos os processos cognitivos, emocionais e comportamentais do ser humano, sobre uma perspetiva biopsicossocial, abrangendo múltiplas áreas do saber e do interesse (daí pertencer às Ciências Sociais e não só às Ciências da Saúde). E dado o teu gosto às questões epistemológicas/filosóficas do conhecimento e da ciência, eu acredito que será um curso que te completará, que te fará sentir-te "em casa", uma vez que a curiosidade que mostras não abarca meramente o seres psicóloga, mas o genuíno interesse e empatia pelos processos cognitivos das outras mentes humanas para além da tua e pelo interesse no estudo da relação mente-corpo-pessoa-comunidade, princípios basilares para seres uma bom profissional. E, como alguns já disseram, há pouca empregabilidade em psicologia, somos mal pagos e temos pouca estabilidade, contudo para quem é realmente bom, há sempre um lugar.

Boa sorte e espero que tudo te corra pelo melhor.
RF
 
Gostaria de pedir uma opinião, estou indecisa entre fazer o exame de história B ou filosofia, como prova de ingresso para um curso da área de línguas e humanidade no ensino superior, mas não sei nada de nenhuma das disciplinas porque como estou em ciências nao tenho história e a minha stora de filosofia não dá matéria. Vou ter que estudar por fora e ter explicações, qual será mais fácil de tirar boa nota? História b é matéria idêntica à do básico? Aguardo resposta...
 
Eu sou outro exemplo, fiz o secundário em ciências e tecnologias, no 12º ano não consegui fazer a matemática, acabei por mudar para humanidades e acabei com 18 a história, geografia e macs. Apesar de ser muito bom nestas disciplinas específicas de humanidades, não gosto delas, aliás arrisco mesmo em dizer que detesto a área de humanidades (mas isso vai de cada um). Apenas tinha boas notas porque quando mudei de área prometi a mim mesmo que iria dar o meu melhor para subir a média, e apesar de não gostar destas disciplinas, conseguia perceber as coisas com facilidade. Agora acabei o secundário em línguas e humanidades, e por muito irónico que pareça, vou entrar em saúde, mais especificamente em enfermagem. Fiz este ano o exame de biologia e após 3 anos bem ser biologia e geologia, com muito esforço, consegui 16 no exame, e vou conseguir entrar na área onde sei que me irei sentir realizado, todos os dias ;):)
Olá Rodrigo tudo bem? Estou a acabar o 12o e o curso que quero tirar é da área de ciências, só que não sabia que era possível e como fazer isso e então gostava de saber como, já que o curso em que estou atualmente não tem nada a ver com a área em que quero ingressar ...