Diário do Estudante 2

 
Status
Não está aberto para novas mensagens.
O orgasmo feminino.
Então definitivamente tinham de ser sexólogos a falar sobre isto, não podiam ser profs

Mas sim, educação sexual faz muita falta. Ainda no outro dia uma rapariga de um grupo onde estava vomitou e não fazia a mínima ideia que isso afetava o efeito da pílula. Pah ._.
 
Então definitivamente tinham de ser sexólogos a falar sobre isto, não podiam ser profs

Mas sim, educação sexual faz muita falta. Ainda no outro dia uma rapariga de um grupo onde estava vomitou e não fazia a mínima ideia que isso afetava o efeito da pílula. Pah ._.
explica isso a miudos e ve a cara deles. é de rir. Mas preocupante porque não sabem coisas importantes xD
 
Acho que aqui entra depois a dicotomia de oferta formativa que tens nos grandes centros urbanos vs resto do país. Alguém que estude em Lisboa ou no Porto tem acesso a tudo e mais alguma coisa, só por preguiça é que não experimenta outras atividades fora da escola, caso a mesma já não inclua esse tipo de atividades. Já no resto do país não é bem assim. É por isso que no meu outro projecto inicialmente

Não obrigatoriamente, porque na minha faculdade temos pessoas de todos os pontos do país, portanto, acaba-se por abranger grande parte do mapa.
Mas sim, este é um caso particular. Falando por experiência própria, a diferença do acesso à educação e cultura no interior ou nos grandes centros é gritante.
 
  • Like
Reactions: davis
Acho que é mesmo importante serem profissionais qualificados a fazer isto.
Numa das tais sessões que referi dadas por alunos de Enfermagem, a professora dos alunos fez questão de interromper a palestra para dizer que a homossexualidade era uma escolha. Embora não fosse a ideia prévia que tinha, aquilo baralhou-me durante uns tempos porque, professora de quem me dava a palestra, ela estava numa posição de dupla autoridade. (por outro lado, sinceramente a homossexualidade ser uma escolha ou não tem pouca diferença na minha atitude.) isto foi com uma pessoa que tinha formação - imagine-se a frequência e gravidade de barbaridades que saem de quem não a tem... eu tenho formação específica para dar este género de palestras e (ainda) não tive coragem - em boa parte porque não me sentia capaz para responder a qualquer pergunta que me atirassem (mais em coisas tipo nutrição - em que todos se desdizem :s - do que em sexualidade). E se é para ensinar coisas erradas lá pelo meio das corretas, não sei até que ponto valerá a pena...
 
Não és o único com essa opinião. E olha que os pontos em que tocaste mesmo assim não são os piores.

Eu não tive, de todo, educação sexual no secundário. Tive uma aula de educação sexual no nono ano. Que se focou em métodos contraceptivos. O que, sendo importante, não é tudo.

O que a educação sexual inclui, na prática:
  • Métodos contraceptivos
  • Doenças sexualmente transmissíveis
  • Histórias de terror sobre raparigas que engravidaram na adolescência
O que a educação sexual devia incluir e não inclui:
  • Consentimento, consentimento, consentimento. Há quem nem saiba o que é.
  • O sexo a uma luz minimamente positiva.
  • O sexo como actividade recreativa e não procriativa.
  • O sexo homossexual.
  • Orientações sexuais diferentes da heterossexual.
  • O sexo anal.
  • O clítoris.
  • O orgasmo feminino.
  • ...
Devia haver pelo menos uma aula que fosse aberta a questões sobre estes assuntos.

Tenho de concordar que a Educação Sexual é muito pouco valorizada, e acho que é um tema importantísimo, uma vez que, na minha opinião (realço o facto de ser uma opinião) é visível que, hoje em dia, os jovens iniciam a atividade sexual cada vez mais cedo e abordam o tema da sexualidade e das relações de uma forma diferente, e têm por vezes um grande desconhecimento do assunto, o que pode ser perigoso. Eu lembro-me que tive essa disciplina durante um ano e não aprendi absolutamente nada de novo. É exatamente como dizes, nem todos os temas importante são falados, e aqueles que são, são falados de uma forma superficial. Mas como alguém já disse, acho que isso se deve ao facto de ser um tema "tabu".

Acho curioso essa perspectiva, porque as universidades de medicina costumam fazer vários projectos em que propõem aos alunos irem à sua ex-escola básica ou secundário dar uma palestra. E todos os anos, se evita o tema da educação para a sexualidade diretamente por ser um tema demasiado cliché.
O ano que eu fiz, era sobre violência no namoro, por exemplo.

Este ano acho muito interessante o tema do 3º ciclo:“ Os perigos da adolescência: tristeza vs depressão

A semana passada fui assistir a uma palestra sobre violência no namoro. Tenho de admitir que não aprendi muita coisa da novo, mas considero que é um tema muito importante, que devia ser muito mais divulgado.
 
  • Like
Reactions: Azami and Alfa
sim, um curso do Centro de Aconselhamento e Orientação de Jovens e dois promovidos pela Associação Nacional de Estudantes de Medicina. :) Cada um é basicamente um fds de palestras (umas mais com informação sobre o tema, outras mais de vertente pedagógica) - e pronto, acham que isso (juntamente com o que se aprende no curso - que, lá está, por exemplo em Nutrição é fraco fraquinho) te prepara para dar sessões em escolas. E no ICBAS, por exemplo, no curso de Medicina propriamente dito exigem que vão a escolas...
 
  • Like
Reactions: Vomoto
sim, um curso do Centro de Aconselhamento e Orientação de Jovens e dois promovidos pela Associação Nacional de Estudantes de Medicina. :) Cada um é basicamente um fds de palestras (umas mais com informação sobre o tema, outras mais de vertente pedagógica) - e pronto, acham que isso (juntamente com o que se aprende no curso - que, lá está, por exemplo em Nutrição é fraco fraquinho) te prepara para dar sessões em escolas. E no ICBAS, por exemplo, no curso de Medicina propriamente dito exigem que vão a escolas...
Anda aqui ao Porto fazer uns workshops
 
  • Like
Reactions: Vomoto
Anda aqui ao Porto fazer uns workshops
este ano obviamente que não dá :p para o ano queria fazer, embora perto da minha área de residência seja sempre mais prático ;)
 
Então definitivamente tinham de ser sexólogos a falar sobre isto, não podiam ser profs

Mas sim, educação sexual faz muita falta. Ainda no outro dia uma rapariga de um grupo onde estava vomitou e não fazia a mínima ideia que isso afetava o efeito da pílula. Pah ._.

Não é completamente descabido da parte dela. Óbvio que ela aparenta ter o QI de uma mesa, mas a menos que ela vomite a pílula em si ou nas 2/3h após tomar...está protegida na mesma. Isto num estado "isolado" claro. Agora se mantiver vómitos frequentes por 24h ou mais, há evidência de diminuição do efeito da pílula.
 
  • Like
Reactions: enigmaticFren
Não é completamente descabido da parte dela. Óbvio que ela aparenta ter o QI de uma mesa, mas a menos que ela vomite a pílula em si ou nas 2/3h após tomar...está protegida na mesma. Isto num estado "isolado" claro. Agora se mantiver vómitos frequentes por 24h ou mais, há evidência de diminuição do efeito da pílula.
É descabido porque ela não fez esse raciocínio x) Ela nem sequer sabia que isso a podia desproteger, tive de ser eu a dizer-lhe. E tendo em conta que ela gregou tipo às 2am, nem isso, acho que devia ter vomitado a pílula.
 
Bom dia! :grin:

#WhenACamerasFrameRateIsSyncedToAHelicoptersRotor

source.gif
 
Acho que liguei tantas vezes para a minha faculdade hoje que decoraram o meu número e agora desligam-me sempre as chamadas :sob::sob:
e não há um amigo/familiar/... com um outro telemóvel pronto a colaborar? :P
 
  • Like
Reactions: BrunaS98
Status
Não está aberto para novas mensagens.