Diário do Estudante 2019/2020

 
Status
Não está aberto para novas mensagens.
não percebo qual é o problema de se aceitar a hipótese do contínuo

Não é exactamente um problema.

Quando Cantor descobriu que havia uma infinidade de cardinalidades infinitas distintas, apercebeu-se em especial de que os números naturais e os números reais formam conjuntos infinitos com cardinalidades distintas. A cardinalidade do conjunto dos números naturais é a menor cardinalidade infinita, \(\aleph_0\), enquanto que o conjunto dos números reais tem cardinalidade dada pela expressão \(2^{\aleph_0}\). Na altura, Cantor conjecturou, baseando-se nos exemplos que tinha encontrado, que não havia uma cardinalidade infinita entre estas duas, isto é, que \(2^{\aleph_0}\) é na realidade igual a \(\aleph_1\), a menor cardinalidade infinita maior que \(\aleph_0\). A isto chamamos a hipótese do contínuo.

Durante muito tempo, os matemáticos tentaram arranjar uma demonstração (ou um contra-exemplo) para a hipótese do contínuo, sem sucesso. Até que um matemático em especial, Paul Cohen (doutorado em análise, numa área pouco relacionada com estes assuntos sobre cardinais), assistiu a uma palestra sobre o assunto, interessou-se por ele e, em dois ou três anos, inventou uma técnica totalmente nova para trabalhar com estes problemas e resolveu-o. Da forma mais surpreendente possível, mostrando que, em certo sentido, a hipótese do contínuo não é verdadeira nem falsa, mas independente dos axiomas estabelecidos para a teoria dos conjuntos e, por isso, indemonstrável.

Uma vez que a hipótese do contínuo é compatível com a teoria usual dos conjuntos, bem como a negação da hipótese do contínuo, podemos escolher trabalhar em dois universos de conjuntos distintos, um no qual a hipótese do contínuo se verifica e outro no qual esta não se verifica. Há argumentos a favor e contra cada uma das opções, tanto matemáticos como de índole mais filosófica. Aquilo que escolhemos depende largamente da nossa concepção do que é um conjunto, o que é um problema filosófico bastante mais complexo e profundo do que poderia parecer. Há inclusivamente alguns matemáticos e lógicos que argumentam que não deve sequer ser atribuído um valor de verdade à hipótese do contínuo.

Portanto... a questão é muito delicada.
 
Não é exactamente um problema.

Quando Cantor descobriu que havia uma infinidade de cardinalidades infinitas distintas, apercebeu-se em especial de que os números naturais e os números reais formam conjuntos infinitos com cardinalidades distintas. A cardinalidade do conjunto dos números naturais é a menor cardinalidade infinita, \(\aleph_0\), enquanto que o conjunto dos números reais tem cardinalidade dada pela expressão \(2^{\aleph_0}\). Na altura, Cantor conjecturou, baseando-se nos exemplos que tinha encontrado, que não havia uma cardinalidade infinita entre estas duas, isto é, que \(2^{\aleph_0}\) é na realidade igual a \(\aleph_1\), a menor cardinalidade infinita maior que \(\aleph_0\). A isto chamamos a hipótese do contínuo.

Durante muito tempo, os matemáticos tentaram arranjar uma demonstração (ou um contra-exemplo) para a hipótese do contínuo, sem sucesso. Até que um matemático em especial, Paul Cohen (doutorado em análise, numa área pouco relacionada com estes assuntos sobre cardinais), assistiu a uma palestra sobre o assunto, interessou-se por ele e, em dois ou três anos, inventou uma técnica totalmente nova para trabalhar com estes problemas e resolveu-o. Da forma mais surpreendente possível, mostrando que, em certo sentido, a hipótese do contínuo não é verdadeira nem falsa, mas independente dos axiomas estabelecidos para a teoria dos conjuntos e, por isso, indemonstrável.

Uma vez que a hipótese do contínuo é compatível com a teoria usual dos conjuntos, bem como a negação da hipótese do contínuo, podemos escolher trabalhar em dois universos de conjuntos distintos, um no qual a hipótese do contínuo se verifica e outro no qual esta não se verifica. Há argumentos a favor e contra cada uma das opções, tanto matemáticos como de índole mais filosófica. Aquilo que escolhemos depende largamente da nossa concepção do que é um conjunto, o que é um problema filosófico bastante mais complexo e profundo do que poderia parecer. Há inclusivamente alguns matemáticos e lógicos que argumentam que não deve sequer ser atribuído um valor de verdade à hipótese do contínuo.

Portanto... a questão é muito delicada.

Ah. (Um "ah" sonoro e prolongado, sem quaisquer segundas interpretações, entenda-se.)

Obrigado. Vossa infinitude recorda-se do significado da baba? Babei-me.

Devo perguntar, pessoalmente, de que lado da barricada vossa infinitude se coloca.
 
Vossa infinitude recorda-se do significado da baba? Babei-me.

Recordo-me perfeitamente.

Devo perguntar, pessoalmente, de que lado da barricada vossa infinitude se coloca.

Não tenho uma posição definida. Tendo a achar, no entanto, que não há mal nenhum em estudar-se teoria dos conjuntos com e sem a hipótese do contínuo, explorando as consequências de ambos os cenários. Também ainda não tenho uma posição filosófica sobre a concepção de conjunto, mas é um tema que me interessa e que poderá fazer-me pender para algum dos lados...
 
Não tenho uma posição definida. Tendo a achar, no entanto, que não há mal nenhum em estudar-se teoria dos conjuntos com e sem a hipótese do contínuo, explorando as consequências de ambos os cenários. Também ainda não tenho uma posição filosófica sobre a concepção de conjunto, mas é um tema que me interessa e que poderá fazer-me pender para algum dos lados...

Do (pouco) que passei a saber graças a vossa infinitude (alguma pesquisa autónoma logo se seguirá posteriormente), parece-me uma atitude deveras sábia e razoável. Como, de resto, seria de esperar, dada a sua proveniência.
 
  • Love
Reactions: Alfa
Heyo heyo! Como anda tudo?
Já estou farta de estar em casa, saí hoje para uma consulta e, sinceramente, foi o ponto mais alto deste mês.
Ando a ver o pessoal a ser fazer exercício em casa, a fazer pão (quero começar massa-mãe, ainda não tenho os ingredientes), tudo e mais alguma coisa. Para mim tem sido estudar, jogar Sims, tocar alguma coisa (e ver se escrevo alguma coisa). Tenho aproveitado para melhorar a minha técnica no ukulele e a tentar (ênfase no tentar) aprender a tocar a "Habanera" da "Carmen" de Bizet, mas isto está difícil (ainda safo uma nota ou um acorde no bandolim, mas nisto sou um zero à esquerda).

Tem sido bom para ouvir boa música, ler o que queria ler, pesquisar sobre algumas coisa, a tentar cortar o cabelo e fazer experiências na cozinha. Da última vez fiz arroz tufado, recomendo. É fácil, barato e dá 0 de trabalho.

E convosco, como anda tudo? Vá, fiquem em casa e l a v e m a s m ã o s
 
Quer isto dizer que vamos voltar à Faculdade a partir de 4 de Maio? O que acontece com as instituições que já decretaram a suspensão de toda a atividade presencial até ao final do ano letivo? Vão voltar atrás com o decretado anteriormente?
Não sei se é o meu receio de voltar à "normalidade" a falar mais alto, mas eu acho esta ideia um pouco difícil de ter bom resultado na prática 🤔
 
Quer isto dizer que vamos voltar à Faculdade a partir de 4 de Maio? O que acontece com as instituições que já decretaram a suspensão de toda a atividade presencial até ao final do ano letivo? Vão voltar atrás com o decretado anteriormente?
Não sei se é o meu receio de voltar à "normalidade" a falar mais alto, mas eu acho esta ideia um pouco difícil de ter bom resultado na prática 🤔

Essa das práticas voltarem e manterem as aulas teórica à distância. Por favor, não me façam ir para "semi-isolamento" para a Costa da Caparica, ao menos agora ainda tenho gente em casa 🙈
 
Quer isto dizer que vamos voltar à Faculdade a partir de 4 de Maio? O que acontece com as instituições que já decretaram a suspensão de toda a atividade presencial até ao final do ano letivo? Vão voltar atrás com o decretado anteriormente?
Não sei se é o meu receio de voltar à "normalidade" a falar mais alto, mas eu acho esta ideia um pouco difícil de ter bom resultado na prática 🤔
O reitor da UA acabou de fazer comunicado ( por e-mail ) a dizer que as aulas do 2° semestre são para continuar em regime online 🧐
 
  • Like
Reactions: Mstudent17
Não consigo entender como é que há pessoas que acham que faltar ao respeito a alguém é engraçado.
Mesmo a sério. Aqueles vídeos a gozar com os professores foram só estúpidos...

Estou perdido na vossa conversa. 😂 Panquecas aonde, como e quando?


Tive até estas horas a trabalhar e tou completamente morto, morrido e matado. Tenho menos tempo livre que na escola. Se continuar assim, nem sei o que faço...
 
Quer isto dizer que vamos voltar à Faculdade a partir de 4 de Maio? O que acontece com as instituições que já decretaram a suspensão de toda a atividade presencial até ao final do ano letivo? Vão voltar atrás com o decretado anteriormente?
Não sei se é o meu receio de voltar à "normalidade" a falar mais alto, mas eu acho esta ideia um pouco difícil de ter bom resultado na prática 🤔

O Presidente do IPP teve reunião hoje com os docentes se não me engano, não queria nadinha ter que voltar já em maio (apesar das saudades das aulas práticas e das pessoas)
 
Essa das práticas voltarem e manterem as aulas teórica à distância. Por favor, não me façam ir para "semi-isolamento" para a Costa da Caparica, ao menos agora ainda tenho gente em casa 🙈
Também teria de ir para Lisboa, com tudo o que isso implica, e para quê? Ter 2 ou 3 aulas 🙄 para mim isto só faz o mínimo sentido se for só para ir fazer os exames
Post automatically merged:

O reitor da UA acabou de fazer comunicado ( por e-mail ) a dizer que as aulas do 2° semestre são para continuar em regime online 🧐
Ao menos tomou uma posição, já o reitor da Nova, assim como o diretor da minha faculdade, parece que continuam na esperança 🤔
 
Também teria de ir para Lisboa, com tudo o que isso implica, e para quê? Ter 2 ou 3 aulas 🙄 para mim isto só faz o mínimo sentido se for só para ir fazer os exames
Post automatically merged:


Ao menos tomou uma posição, já o reitor da Nova, assim como o diretor da minha faculdade, parece que continuam na esperança 🤔
A minha faculdade também está na mesma... em águas de bacalhau, é esperar 😕
 
  • Haha
Reactions: Júlio Ribeiro

Tenho a certeza que já percebeste 😇 vamos ver se os nossos colegas de Diário conseguem também perceber. Onde vi isto vi pelo menos um par de respostas engraçadas
 
Tenho a certeza que já percebeste 😇 vamos ver se os nossos colegas de Diário conseguem também perceber. Onde vi isto vi pelo menos um par de respostas engraçadas
Caso para dizer o clássico: Porra, Júlio.

Se não entenderem, chumbaram em História do ensino básico 😒
 
  • Like
Reactions: Brooklyn
Caso para dizer o clássico: Porra, Júlio.

Se não entenderem, chumbaram em História do ensino básico 😒

Olha que vi imensa gente no post (isto é um post no facebook com mais de 100 comentários) a dizer que não sabiam xD

Mas também acho que conseguirão entender
 
  • Wow
Reactions: Brooklyn
Também teria de ir para Lisboa, com tudo o que isso implica, e para quê? Ter 2 ou 3 aulas 🙄 para mim isto só faz o mínimo sentido se for só para ir fazer os exames

Concordo a 100% contigo. O governo dá indicações para voltarmos e termos práticas presenciais durante um mês, sendo que recomenda que se mantenham as teóricas à distância. No meu caso era também ir para lá ter 2 ou 3 aulas e, de resto, continuar em casa. Tudo isto, sendo que as aulas terminam no dia 5 de Junho para mim, pelo que ia fazer isto durante um mês apenas.

Na minha opinião já não se justifica regressar este semestre , por vários motivos. Teria de ir de transportes públicos para a Costa, teria de ir de transportes públicos para a faculdade, etc. Para além disso, já se adaptaram métodos de avaliação e de aula e acho que seria desleal alterarem estes outra vez. Obviamente que preferia ter tido o semestre "normal", mas agora não há que inventar e não há volta atrás. Continuar este registo e ir lá durante 2 semanas em Junho para exames, como foi decidido há algumas semanas, parece o mais sensato.

Mas, tendo em conta que a FCT foi das últimas a fechar e a NOVA foi teimosa até que o governo mandou suspender as aulas, tenho mesmo um mau feeling.
 
Concordo a 100% contigo. O governo dá indicações para voltarmos e termos práticas presenciais durante um mês, sendo que recomenda que se mantenham as teóricas à distância. No meu caso era também ir para lá ter 2 ou 3 aulas e, de resto, continuar em casa. Tudo isto, sendo que as aulas terminam no dia 5 de Junho para mim, pelo que ia fazer isto durante um mês apenas.

Na minha opinião já não se justifica regressar este semestre , por vários motivos. Teria de ir de transportes públicos para a Costa, teria de ir de transportes públicos para a faculdade, etc. Para além disso, já se adaptaram métodos de avaliação e de aula e acho que seria desleal alterarem estes outra vez. Obviamente que preferia ter tido o semestre "normal", mas agora não há que inventar e não há volta atrás. Continuar este registo e ir lá durante 2 semanas em Junho para exames, como foi decidido há algumas semanas, parece o mais sensato.

Mas, tendo em conta que a FCT foi das últimas a fechar e a NOVA foi teimosa até que o governo mandou suspender as aulas, tenho mesmo um mau feeling.
Exato! Para mim a situação é muito semelhante, com os transportes limitados (tanto os de curto como de longo curso) como é suposto ir para a faculdade? Tenho d eir com 5 dias de antecedência para Lisboa porque só assim arranjei lugar? Tenho de sair de casa às 5 da manhã para não apanhar o metro cheio? Eliminar as horas de ponta nos transportes de Lisboa são a maior anedota de sempre.
Chego a Lisboa, e partilho casa com mais 5 pessoas (das mais variadas zonas do país) das quais não consigo controlar as suas rotinas... É suposto também andar de máscara em casa?
Outro ponto muito difícil de cobrir é o fornecimento de máscaras e desinfetantes.... Em muitas faculdades por vezes falta papel higiénico, e agora têm de fornecer máscaras aos alunos? De repente temos um stock infinito destes equipamentos... espero que saibam que uma máscara não dá para uma semana
A minha faculdade foi das primeiras a encerrar, mas das comunicações que o diretor tem feito aos alunos, sempre mostrou que mal seja possível é para voltar... Por isso nem sei o que pensar 🙄
 
Status
Não está aberto para novas mensagens.