Direito

 
Boa noite, a minha dúvida reside na média de acesso à faculdade. Alguém tem noção se as médias irão subir ou descer em Direito ?
Boa tarde Rui!
No que concerne as médias de acesso tenho quase a certeza que vão subir (tendo em conta os resultados auspiciosos dos exames nacionais deste ano letivo...). Pelo menos umas quatro/cinco décimas, creio.
Carolina.
 
Boa noite, a minha dúvida reside na média de acesso à faculdade. Alguém tem noção se as médias irão subir ou descer em Direito ?

As médias poderão subir ou não. Claro, que as médias do exames nacionais subiram mas não temos como saber se subiram porque houveram menos alunos a tirar negativas ou mais alunos a tirar 20. Isso tem o seu peso.

Acho que temos de esperar para ver :blush:
 
Olá malta!

Na vossa opinião, qual será a faculdade de direito que tenha um ensino mais acessível a quem queira licenciar-se em Direito, sem possibilidade de assistir às aulas? Apenas comparecer à época de exames e fazê-los. Todo o semestre seria um estudo à distância, agarrando-se à bibliografia e, quiçá, esclarecendo dúvidas por e-mail.

Obrigado. :)
 
Olá malta!

Na vossa opinião, qual será a faculdade de direito que tenha um ensino mais acessível a quem queira licenciar-se em Direito, sem possibilidade de assistir às aulas? Apenas comparecer à época de exames e fazê-los. Todo o semestre seria um estudo à distância, agarrando-se à bibliografia e, quiçá, esclarecendo dúvidas por e-mail.

Obrigado. :)
Olá! Não sei quanto às outras, mas sei que a Nova é assim. Não há presenças obrigatórias, avaliação nas aulas (participação, oralidade, etc). O exame final conta 100% da nota, pelo que podes estudar durante o semestre e só precisas de ir à faculdade em janeiro e junho, que são os meses de avaliação.
 
Olá malta!

Na vossa opinião, qual será a faculdade de direito que tenha um ensino mais acessível a quem queira licenciar-se em Direito, sem possibilidade de assistir às aulas? Apenas comparecer à época de exames e fazê-los. Todo o semestre seria um estudo à distância, agarrando-se à bibliografia e, quiçá, esclarecendo dúvidas por e-mail.

Obrigado. :)

Olá. Creio que em todas as faculdades tens o método de avaliação final disponível, que te permite fazer isso mesmo. Sei que é assim na FDUP, na FDUL e na FDUNL (pelo menos)
 
Boa noite. Estou a pensar licenciar-me em Direito e depois fazer um mestrado/pós-graduação na área das Ciências da Comunicação/Jornalismo. O que acham?
 
Boa noite. Estou a pensar licenciar-me em Direito e depois fazer um mestrado/pós-graduação na área das Ciências da Comunicação/Jornalismo. O que acham?
São áreas pouco relacionaveis, em termos de saidas profissionais. Diria que se queres comunicação social vai logo para uma licenciatura da área :)
 
  • Like
Reactions: anacsilva
São áreas pouco relacionaveis, em termos de saidas profissionais. Diria que se queres comunicação social vai logo para uma licenciatura da área :)
Mas existem muitos jornalistas, por exemplo, licenciados em Direito, Gestão, História...etc..
 
Mas existem muitos jornalistas, por exemplo, licenciados em Direito, Gestão, História...etc..

Okay; a questão é: não há necessidade.

O curso de Direito tem zero a ver com Jornalismo e vai-te dar zero bases, não te vai servir para absolutamente nada. Ficavas muito melhor servido com uma licenciatura na área.
 
  • Like
Reactions: RMoon99
Mas existem muitos jornalistas, por exemplo, licenciados em Direito, Gestão, História...etc..
Isso são os acasos da vida, pessoas com um enorme talento para a área, e maioria desses que mencionas são de outra geração, em que o importante não era o curso, mas a vocação. Atualmente, isso não se põe, se fores a um jornal apresentar uma candidatura para lá, com uma licenciatura diferente eles não te vão aceitar porque não tens bases de estratégia de comunicação, técnicas de escrita, etc
Se a licenciatura não fosse importante não existia pura e simplesmente xD
Outra coisa, muito dos casos das pessoas que entraram no ramo jornalístico vindas de outras áreas é porque se destacaram e tinham boa imagem (famosos digamos). A Olívia Ortiz é fisioterapeuta, mas trabalha na televisão porque era modelo e foi a primeira portuguesa a ganhar um titulo qualquer.
Em suma, só entra sem formação, quem tem uma imagem social que compense e atraia pessoas
 
Caso a ideia seja ser jornalista na área do Direito, aí faz sentido seguir uma licenciatura em Direito e posteriormente frequentar um Mestrado ou Pós-Graduação na área da Comunicação Social. Ao nível das unidades curriculares optativas, convém escolher algo relacionado com a escrita, se bem que qualquer licenciado em Direito deverá dominar a escrita.

Direito dá uma boa base para depois seguir para muitas áreas profissionais. Desde que depois haja formação mais específica.
 
Caso a ideia seja ser jornalista na área do Direito, aí faz sentido seguir uma licenciatura em Direito e posteriormente frequentar um Mestrado ou Pós-Graduação na área da Comunicação Social. Ao nível das unidades curriculares optativas, convém escolher algo relacionado com a escrita, se bem que qualquer licenciado em Direito deverá dominar a escrita.

Direito dá uma boa base para depois seguir para muitas áreas profissionais. Desde que depois haja formação mais específica.

Peço desculpa mas não consigo mesmo concordar
 
  • Like
Reactions: RMoon99
Peço desculpa mas não consigo mesmo concordar

Obviamente que há licenciaturas que dão bases mais directas para a opção que pretende. Mas acredito que nada tenha que ser assim tão direito, tão rígido, talvez o erro seja meu e o ensino seja assim mesmo, limitador.
 
Obviamente que há licenciaturas que dão bases mais directas para a opção que pretende. Mas acredito que nada tenha que ser assim tão direito, tão rígido, talvez o erro seja meu e o ensino seja assim mesmo, limitador.

A questão não é essa; a questão é que Direito não é um curso assim tão geral que dê bases para tudo. O 1.º ano é muito geral mas os restantes 3 anos são muito específicos e dificilmente podem ser aplicados a outra área.
 
A questão não é essa; a questão é que Direito não é um curso assim tão geral que dê bases para tudo. O 1.º ano é muito geral mas os restantes 3 anos são muito específicos e dificilmente podem ser aplicados a outra área.

Caso a ideia seja seguir comunicação social mais virado para o Direito, aí dá. Quando afirmei que dá bases para muitas áreas, significa que há mais opções para além da de advogado, que a profissão quase exclusiva do Direito. Só na área da consultadoria há uma panóplia de opções que podem seguir.

Há jornalistas formados na área de Economia, por exemplo. Depende imenso do que se quer fazer na área de comunicação social.