Discussões político-sócio-económicas

Em quem votarás nas eleições legislativas 2022?

  • PS - Partido Socialista

    Votes: 4 11.8%
  • PPD/PSD - Partido Social Democrata

    Votes: 3 8.8%
  • PCP-PEV - Coligação Democrática Unitária

    Votes: 6 17.6%
  • BE - Bloco de Esquerda

    Votes: 5 14.7%
  • CDS-PP - Partido Popular

    Votes: 0 0.0%
  • PAN - Pessoas–Animais–Natureza

    Votes: 1 2.9%
  • IL - Iniciativa Liberal

    Votes: 11 32.4%
  • NC - Nós, Cidadãos!

    Votes: 0 0.0%
  • PCTP/MRPP - Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses

    Votes: 0 0.0%
  • PTP - Partido Trabalhista Português

    Votes: 0 0.0%
  • E - Ergue-te (ex-PNR - Partido Nacional Renovador)

    Votes: 0 0.0%
  • PDR - Partido Democrático Republicano

    Votes: 0 0.0%
  • MPT - Partido da Terra

    Votes: 0 0.0%
  • PURP - Partido Unido dos Reformados e Pensionistas

    Votes: 0 0.0%
  • L - LIVRE

    Votes: 0 0.0%
  • MAS - Movimento Alternativa Socialista

    Votes: 0 0.0%
  • PPM - Partido Popular Monárquico

    Votes: 1 2.9%
  • JPP - Juntos pelo Povo

    Votes: 0 0.0%
  • A - Aliança

    Votes: 0 0.0%
  • CH - Chega

    Votes: 3 8.8%
  • R.I.R. - Reagir Incluir Reciclar

    Votes: 0 0.0%
  • VP - Volt Portugal

    Votes: 0 0.0%

  • Total voters
    34

Rui Veiga

Membro Dux
Matrícula
28 Abril 2018
Mensagens
639
Curso
Engenharia física
Observa o comportamento de todos os animais na natureza. Eu não estou a esgrimir contigo, estou a dar-te o meu ponto de vista. Sou cidadão livre e não tenho que adoptar todas as ideias do momento só porque sim.
Claro que não, só esperava argumentos mais lógicos da tua parte.
 

LBlackMoon

Membro Catedrático
Colaborador Editorial
Matrícula
27 Fevereiro 2016
Mensagens
3,927
Curso
Direito
Instituição
FDUP
Claro que não, só esperava argumentos mais lógicos da tua parte.
Observa o comportamento de toda a natureza quanto a alimentação, e diz-me se matar para comer não é natural..
 
  • Like
Reactions: DFonseca

DFonseca

Single and ready to mingle 😏
Matrícula
10 Abril 2017
Mensagens
985
O problema é que a forma de infligir o mínimo possível de sofrimento é precisamente não matar o animal em primeiro lugar

Defendes então que não matemos qualquer animal para não o causar sofrimento? Por essa lógica, não matamos qualquer ser vivo, incluindo árvores, plantas e tudo mais alguma coisa que se mexa e que se não mexa e que possamos comer. Assim somos nós que morremos à fome e tudo fica bem depois disso... certo? Atenção, claro que estou contra a maneira como se matam os animais. Agora é ridículo chegarmos ao ponto de pôr em causa a nossa natureza omnívora. Sim, somos uma espécie omnívora, como tal podemos (e devemos!) comer carne. Sim, isso implicar matar animais. Sim, é como a Natureza "funciona": existem predadores e presas. Estamos todos (nós, seres humanos, animais, árvores, etc) no mesmo universo a lutar pela sobrevivência e, infelizmente, isso implica a morte de outros. O que podemos assegurar é dignidade nessa morte, ao menos. Sem dúvida. Agora, deixar de matar animais para nosso consumo, que tantos precisamos? Discordo. Respeito todas as opiniões e não tenho qualquer problema com os vegetarianos/vegans. Podem não comer carne à vontade. Mas não forcem o resto da humanidade a fazê-lo.
 

Rui Veiga

Membro Dux
Matrícula
28 Abril 2018
Mensagens
639
Curso
Engenharia física
Observa o comportamento de toda a natureza quanto a alimentação, e diz-me se matar para comer não é natural..
Ainda não percebi porque é que usas o "natural" como argumento.
 

Rafael__

👽
Especialista
Línguas, Relações Internacionais & Humanidades
Colaborador Editorial
Matrícula
14 Fevereiro 2016
Mensagens
2,971
Curso
Economia e Administração de Empresas
Instituição
U. Porto
Porquê escandaloso? Existe muitas outras opções para os privados, inclusive várias instituições privadas têm seguros próprios
Estamos a falar, então, de uma entidade privada e não pública. O estado tem de cuidar de todos os cidadãos como iguais. Eu não mereço ser tratado como um cidadão de segunda classe porque o meu pai não decidiu ser maquinista na CP e a minha mãe não decidiu ser hospedeira na TAP.

Se serves na função pública tens direito a optar por usufruir do ADSE, o que é uma mais valia e mascara os baixos salários face aos do privado.
Funcionários públicos ganham mais 500 euros do que os do privado

As forças militares, por exemplo, têm também outros seguros similares ao ADSE que funcionam da mesma forma, não me recordo do nome.
E muito bem merecido. Afinal de contas, arriscam a vida todos os dias para proteger o País e tudo o que ele significa.
 
  • Like
Reactions: dino3

garfo101

Melhor membro de sempre!
Colaborador Editorial
Matrícula
28 Novembro 2015
Mensagens
3,410
Curso
Som e Imagem
Instituição
ESAD.CR - IPLeiria
As forças militares, por exemplo, têm também outros seguros similares ao ADSE que funcionam da mesma forma, não me recordo do nome.
SAD-ADMG?
É o único que me recordo, sou beneficiária deste. xD
 
  • Like
Reactions: Rogério Pedro

Rui Veiga

Membro Dux
Matrícula
28 Abril 2018
Mensagens
639
Curso
Engenharia física
Defendes então que não matemos qualquer animal para não o causar sofrimento? Por essa lógica, não matamos qualquer ser vivo, incluindo árvores, plantas e tudo mais alguma coisa que se mexa e que se não mexa e que possamos comer.
Não, eu defendo evitar, tanto quanto possível o sofrimento, a morte de animais na produção de plantas é inevitável. Achas que as plantas sentem dor? Estímulos são coisas diferentes...
Sim, somos uma espécie omnívora, como tal podemos (e devemos!) comer carne.
Não, somos omnívoros comportamentais, isso é diferente. Diz então porque é que devemos comer carne, o que é tão importante na carne e porque é que eu ainda estou vivo depois de anos sem ela.
Sim, é como a Natureza "funciona": existem predadores e presas.
Sentes-te como um predador quando vais caçar no supermercado? Quando vês um coelho vivo sentes a necessidade de o atacar e o comer? Não.
Mas não forcem o resto da humanidade a fazê-lo.
O problema de usares esse argumento é o facto de tu próprio estares a "forçar" as tuas crenças nos outros animais. Eu não estou a forçar ninguém a fazer o que quer que seja, não te estou a apontar uma arma.
 

LBlackMoon

Membro Catedrático
Colaborador Editorial
Matrícula
27 Fevereiro 2016
Mensagens
3,927
Curso
Direito
Instituição
FDUP
Defendes então que não matemos qualquer animal para não o causar sofrimento? Por essa lógica, não matamos qualquer ser vivo, incluindo árvores, plantas e tudo mais alguma coisa que se mexa e que se não mexa e que possamos comer. Assim somos nós que morremos à fome e tudo fica bem depois disso... certo? Atenção, claro que estou contra a maneira como se matam os animais. Agora é ridículo chegarmos ao ponto de pôr em causa a nossa natureza omnívora. Sim, somos uma espécie omnívora, como tal podemos (e devemos!) comer carne. Sim, isso implicar matar animais. Sim, é como a Natureza "funciona": existem predadores e presas. Estamos todos (nós, seres humanos, animais, árvores, etc) no mesmo universo a lutar pela sobrevivência e, infelizmente, isso implica a morte de outros. O que podemos assegurar é dignidade nessa morte, ao menos. Sem dúvida. Agora, deixar de matar animais para nosso consumo, que tantos precisamos? Discordo. Respeito todas as opiniões e não tenho qualquer problema com os vegetarianos/vegans. Podem não comer carne à vontade. Mas não forcem o resto da humanidade a fazê-lo.
Bem dito.
Ainda não percebi porque é que usas o "natural" como argumento.
Porque é como as coisas funcionam. Existe algo chamado cadeia alimentar. Nós também fazemos parte dela.
E muito bem merecido. Afinal de contas, arriscam a vida todos os dias para proteger o País e tudo o que ele significa.
É porventura o mais justificado de todos os subsistemas.
SAD-ADMG?
É o único que me recordo, sou beneficiária deste. xD
A IASFA (Instituto de Assistência na Doença das Forças Armadas) engloba todos os subsistemas que existem, depois, para cada ramo: ADME: (Assist. na doença aos militares do exército) ADMA (aos Militares da Armada) ADMFA (da Força Aérea).
Sei que a GNR e a PSP também têm os seus sistemas.
 

Rui Veiga

Membro Dux
Matrícula
28 Abril 2018
Mensagens
639
Curso
Engenharia física
Porque é como as coisas funcionam. Existe algo chamado cadeia alimentar. Nós também fazemos parte dela.
.
"é como as coisas funcionam", excelente argumento. A diferença é que os animais carnívoros precisam de carne para sobreviver, tu não.

@LBlackMoon Esse apelo à natureza é uma grande falácia. O uso de coisas como o "natural" ou a "lei natural" para legitimar o abate desnecessário de animais chega até a ser cómico
 
D

Deleted member 30121

Guest
Tem uma certa validez. Os humanos desrespeitam completamente a vida de vários animais por considerá-los "inferiores", matando-os desnecessariamente. Agora o que eu não concordo é chamar "assassinos" ou "speciesist" ao pessoal que come carne. É perfeitamente normal comer carne no presente, pelo que é muito difícil para algumas pessoas deixar a carne já que o hábito também tem aqui um forte papel. Não se pode negar que ignoramos completamente a vida de animais como por exemplo o porco, que é mais inteligente que um cão, mas tendo dito isto, a mudança passa por informar e educar e não chamar nomes às pessoas. Tenho a certeza que a maioria das pessoas que come carne aqui no fórum gosta muito de animais e evita tanto quanto possível o seu sofrimento, são pessoas boas e com boas intenções, só que ainda não se aperceberam do sofrimento envolvido na indústria pecuária.
Acho que disseste tudo. Se fosse para aplicar o termo "specieisist" a alguém certamente não seria a quem come carne. Não sou especialista então não invento para ir dizer aos outros o que devem comer. e_e Da maneira como me alimento provavelmente matava toda a gente, e_e yay bolacha Maria

Lembro-me é de já ouvir discussões da família da parte da avó, pessoas mais velhas de aldeias pequenas, a comentar "Mas os animais servem para isto!" porque Deus criou os animais para servir o homem. Isto sim, faz-me um bocado de impressão.
E sim, compreendo muita gente não tem acesso aos mesmos recursos nem sabe usar a internet. Sei que há quem precise mesmo de criar animais para sobreviver.

E o que mais se vê em aldeias são cães presos fora de casa que ficam lá a vida toda ao frio e ao calor só para servir de alarme. Numa discussão dessas semelhante à outra alguém ainda tentou defender o cão dizendo que eles deviam de conviver connosco, enfim, faith in humanity restored.

Sempre vi os animais serem bem tratados. Toda a galinha, coelho, porco etc etc que tivemos foram acarinhados e bem tratados durante o seu tempo de vida, até ao abate. "Ai, que horrível! Tratavam bem os animais para depois os matar???"
Pois. As situações que vi eram bastante diferentes e isso talvez explique algumas discordâncias.

Os porcos e leitões dos tios passavam a vida no mesmo espaço pequeno cheio de moscas cuja porta era apenas aberta para atirar os restos da comida lá para dentro e ainda tentavam sempre espreitar cá para fora pelos defeitos da madeira. Os coelhos a mesma coisa mas ainda tinham como receber luz nas gaiolas. No geral acho que os animais que vi que mais bem tratados são durante a vida são as galinhas.

Que fique claro que nem toda a gente que tem animais para comer trata bem deles durante a vida.
 

Rui Veiga

Membro Dux
Matrícula
28 Abril 2018
Mensagens
639
Curso
Engenharia física
Sei que há quem precise mesmo de criar animais para sobreviver.
E não há nada de errado com isso! Quando há a necessidade absoluta é perfeitamente justificável.
 

Alfa

#pdralfa 🌈
Especialista
Matemática
Apoiante Uniarea
Matrícula
2 Agosto 2015
Mensagens
10,638
A natureza não é ética nem moral. Ela simplesmente é.

Mas é de lei natural que ele morra para que tu comas.

Ainda assim somos Homens. Animais racionais.

Esta mensagem parece-me altamente contraditória. Por um lado, assumes que a natureza não actua segundo normas éticas ou morais. Por outro, invocas a "lei natural" na discussão daquilo que é, sem dúvida, um problema ético. Por um lado, admites que o ser humano é dotado de racionalidade (chegaste mesmo a citar Protágoras quando este afirma que "o Homem é a medida de todas as coisas"). Por outro, pareces ter alguma dificuldade em aceitar que, precisamente por isso, pela nossa racionalidade e consciência moral, temos a responsabilidade de agir de forma ética, o que pode ultrapassar, evidentemente, a lei natural.

Ninguém aqui está a tentar igualar o ser humano aos outros animais; esta discussão põe-se e faz sentido precisamente por sermos diferentes dos outros animais no que diz respeito à razão e à ética. A questão que aqui se põe é: havendo uma alternativa viável, é legítimo usar seres vivos dotados de um grau de senciência como ferramentas, atendendo a que destes não podemos obter consentimento? É claro que não estou a falar aqui do género de consentimento informado que se espera de uma pessoa; ninguém quer pôr vacas a assinar termos de responsabilidade. Mas não parece apropriado reconhecer a seres sencientes a sua medida de agência e autonomia?
 

Mesquita

Membro Veterano
Matrícula
13 Agosto 2016
Mensagens
250
Curso
Engenharia Mecânica
Instituição
UAveiro
Se não fosse o ADSE, eu como muitos outros filhos de professores teríamos de ir aos Hospitais Públicos e no Algarve são uma bela miséria, até terem um serviço nacional de saúde decente, esse seguro compensa e muito. Até aos 25 anos serei beneficiário, felizmente.

Sim, os teus amigos que não usufruírem da ADSE que esperem.

Porquê escandaloso? Existe muitas outras opções para os privados, inclusive várias instituições privadas têm seguros próprios, alguns que até superam a ADSE, principalmente os do pessoal da banca... Se serves na função pública tens direito a optar por usufruir do ADSE, o que é uma mais valia e mascara os baixos salários face aos do privado. As forças militares, por exemplo, têm também outros seguros similares ao ADSE que funcionam da mesma forma, não me recordo do nome.

Claro que a solução mais correta seria melhorar o SNS, tentar aproximá-lo dos países nórdicos, por exemplo, ou do SNS da Alemanha, mas até lá chegarmos ainda há muito por percorrer e enquanto isso prefiro beneficiar do ADSE e não irei contestar algo que me suportou estes anos todos.

Eu nem sei por onde começar.

O que é que os seguros da banca têm a ver com um seguro fornecido pelo próprio estado?

Mascara o baixo salário comparado com o privado?
É preciso estar alheio daquilo que é a realidade do próprio país...

Trata-se de uma questão de igualdade. Aos olhos do estado todos os trabalhadores deviam estar em pé de igualdade.
Ainda percebia no passado, em que os FP estavam em de desvantagem, mas agora?

Não chegam as 35 horas?
Enfim.
 

dino3

Membro Catedrático
Matrícula
13 Outubro 2017
Mensagens
2,835
Curso
Engenharia Civil
Instituição
Universidade do Minho
Sim, os teus amigos que não usufruírem da ADSE que esperem.



Eu nem sei por onde começar.

O que é que os seguros da banca têm a ver com um seguro fornecido pelo próprio estado?

Mascara o baixo salário comparado com o privado?
É preciso estar alheio daquilo que é a realidade do próprio país...

Trata-se de uma questão de igualdade. Aos olhos do estado todos os trabalhadores deviam estar em pé de igualdade.
Ainda percebia no passado, em que os FP estavam em de desvantagem, mas agora?

Não chegam as 35 horas?
Enfim.

As 40 horas eram demais e agora que são 35 horas há falta de pessoal e de condições.
Então fica-se pelas 37,5 horas??:tearsofjoy:
 

jofiab

Membro
Matrícula
16 Maio 2017
Mensagens
36
A ADSE é um género de seguro de saúde dos funcionários públicos, gerido por uma entidade pública, constituído por fundos decorrentes dos descontos (3,5% do salário base) e que permite que os funcionários públicos possam recorrer a serviços de saúde privados. Acaba por ser bom para o serviço nacional de saúde ter um universo superior a 500 mil cidadãos que podem recorrer ao privado, ao invés de entupir o já entupido serviço nacional de saúde. Eu concordo que tenham este seguro de saúde, à semelhança de empresas privadas que também o têm, o que eu tendo a discordar é que a ADSE seja patrocinada por fundos públicos, o sistema deve ser gerido com fundos próprios.

Agora, podemos pensar esta questão pelo o lado do serviço nacional de saúde, nomeadamente perceber que impacto financeiro tem em sobrecarregar o mesmo serviço com um universo de funcionários públicos, aí podemos chegar à conclusão que financiar a ADSE seja mais compensatório, seja por representar um menor investimento, seja por garantir que o serviço nacional de saúde possa ter melhor resposta a quem recorre ao mesmo diariamente.

É uma questão essencialmente política, que motiva sempre muito debate e onde o debate tende a ser pouco proveitoso. Discordo da proposta do BE em baixar a contribuição, defendo que a ADSE seja financiada pelos seus constituintes, ou seja, pelos funcionários públicos. Se há uma subida do lado da despesa, então reequilibra-se aumentando a receita, assim sucessivamente. Deve ser sempre um sistema aberto, reavaliado anualmente e com toda a sua acção bem descortinada, que é conhecido as "aldrabices" que existe entre este seguro e prestadores de serviços privados.
 

Rogério Pedro

Membro Veterano
Matrícula
2 Fevereiro 2018
Mensagens
302
Curso
Procrastination PhD
Instituição
ADIV AD EDADISREVINU
@jofiab ficaste num ponto fulcral.
O sistema devia ser gerido com fundos próprios.

Então todos os outros seguros, de forças policiais, forças militares, também estes patrocionados pelo estado, teriam de ser abolidos só para obedecer aos caprichos morais, claro como dito anteriormente, o partido que se arriscasse a apresentar a proposta em parlamento perderia boa parte dos seus eleitores.
O sistema público está entupido, como já mencionaram e pelo menos com seguro há alternativas, não serei um hipócrita e incoerente se defender o fim destes sistemas, pois eu mesmo sou um usufruidor ativo.
A não esquecer que cada usufruidor contribui para o seu seguro mensalmente, se não me engano na faixa dos 50 euros, acho que é o que os meus pais pagam, sendo que o patrocínio do estado é residual.

Mas se a preocupação é o reforço do ADSE e destes seguros com dinheiro do Estado, é bom saber que muitas empresas privadas, colégios e outros negócios recebem fundos do estado, também.

E pelo dito anteriormente, os funcionários públicos recebem muito menos comparado com os do privado, isto para as mesmas funções com igual formação superior, por exemplo médicos no SNS e médicos no serviço privado, enfermeiros o mesmo, engenheiros a trabalhar para funções municipais e engenheiros no privado, tantos exemplos... Quanto muito, terias razão na parte dos docentes, que felizmente no público recebem bem mais que no privado, pelo menos é a realidade que tenho mais conhecimento.
 

LBlackMoon

Membro Catedrático
Colaborador Editorial
Matrícula
27 Fevereiro 2016
Mensagens
3,927
Curso
Direito
Instituição
FDUP
havendo uma alternativa viável, é legítimo usar seres vivos dotados de um grau de senciência como ferramentas, atendendo a que destes não podemos obter consentimento? É claro que não estou a falar aqui do género de consentimento informado que se espera de uma pessoa; ninguém quer pôr vacas a assinar termos de responsabilidade. Mas não parece apropriado reconhecer a seres sencientes a sua medida de agência e autonomia?
Claro que é lícito. A questão é: porque não seria? Se tu podes colocar par de cavalos a puxar uma charrete para dar umas voltas, porque não o farias? Assegura ao animal que tem comida e água e as devidas horas de descanso e higiente. De resto, isso não tem problema absolutamente nenhum.
O que critico é um radicalismo intrínseco que está a humanizar o animal. Um animal doméstico não é, pura e simplesmente autónomo. Nem pode ser. Se eu tenho um cão, como vou respeitar a sua "autonomia" se necessito de o prender para que não morda alguém?
O que quero dizer é que os direitos dos animais não implicam o fim da sua utilização pelo Homem. Se existe uma hipótese de ter uma relação com eles, então devemos tê-la, segundo padrões éticos. Agora, esses padrões éticos não podem ser simplesmente direccionados para um total ausência de domínio sobre eles, porque as coisas não funcionam assim. O Homem, como fim de todas as coisas, pode usar todos os meios à sua disponibilidade para atingir a plenitude desde que o faça, sim, nos termos da ética.

Da mesma forma que não tem qualquer problema usar uma charrete, também não tem mal nenhum comer carne. Desde que tenhas criado o animal em condições e o tenhas morto de forma digna. O problema é que industrialização e massificação da pecuária levou a que isso tenha deixado de acontecer. Por isso vejo sempre as origens da carne que compro e, de preferência, adquiro produtos vindos de pequenos produtores ou da chamada pecuária biológica. Como vês, a ética não está apenas na abstenção de certos actos, mas também (e sobretudo) numa maior responsabilização dos actos que levamos a cabo.

--//--

Quanto à ADSE, o aumento do número de beneficiários é fundamental para assegurar a sustentabilidade do sistema. Isto porque a população (e os funcionários públicos inclusive) estão e envelhecer, precisando de mais cuidados com a idade. Para isto, necessita-se de uma base de beneficiários jovem que desconte sem utilizar tanto (nisso consiste o equilíbrio financeiro do instituto). Concordo também com o que foi dito: quanto maior a proporção financeira da organização for assumida pelos seus próprios beneficiários, melhor.
 
Última edição:
  • Like
Reactions: crebellum

DFonseca

Single and ready to mingle 😏
Matrícula
10 Abril 2017
Mensagens
985
Achas que as plantas sentem dor? Estímulos são coisas diferentes...

Podem não sentir dor, mas não deixam de ser seres vivos à mesma. Como tal, devemos respeitar a sua existência... ou não? Separar animais de plantas creio que não é adequada na medida em que são ambos seres vivos e, como seres vivos que são, devemos respeitá-los. Os vegetarianos/vegans devem esquecer-se disso e só puxam o argumento de respeito pela vida para os animais, o que está correto nesse sentido, mas não está completo. Se puxam o argumento, puxem-no na totalidade, não só o que convém.

Só vi o resto das citações agora e aqui vão as respostas:


Não, somos omnívoros comportamentais, isso é diferente.

Não, estás errado. O nosso organismo e todo o sistema digestivo, por exemplo, é como é por sermos omnívoros. Somos capazes de digerir tanto carne como plantas e isso é mesmo da nossa natureza, não tem a ver só com motivos comportamentais.

Sentes-te como um predador quando vais caçar no supermercado? Quando vês um coelho vivo sentes a necessidade de o atacar e o comer? Não.

Não me sinto um predador mas garanto-te que se não houvesse civilização seríamos como os restantes animais: verdadeiros predadores e presas. Não sei o porquê de negares a existência de predadores e presas porque claramente existem.

O problema de usares esse argumento é o facto de tu próprio estares a "forçar" as tuas crenças nos outros animais. Eu não estou a forçar ninguém a fazer o que quer que seja, não te estou a apontar uma arma.

Forçar que crença? Não estou a perceber. Tudo o que falei são factos. Nada de crenças. Eu não disse que estavas a forçar ninguém, só disse que há uma parte que quer forçar.