Enfermagem

 
Olá Rodrigo, sou enfermeira à 15 anos e posso dizer-te que é uma profissão apaixonante, mas dura, muito dura. Tens como em todas as profissões o lado bom e o mau. Os bons vão desde a gratificação pessoal, aos doentes e famílias que te reconhecem, ao companheirismo dos colegas, não só enfermeiros mas de toda a equipa multidisciplinar, entre muitos outros. Os maus aspectos são vários, fáceis de enumerar, desanimadores em muitos momentos mas mesmo assim ainda não me fizeram desistir: trabalhar por turnos é difícil especialmente nas festas fins de semana e datas importantes; ter de lidar com doentes e famílias exigentes, agressivos, mal agradecidos e que te acham criado deles; o salário não compensa tudo o que fazes em cada turno; tens de estudar e te manter actualizado para toda a vida... E sim tens de dar banhos e mudar fraldas, e aspirar secreções, levar com vómitos em cima e urina nos pés... Vais ter de fazer múmias e dizer à família que o seu familiar morreu... E nem sempre vais conseguir controlar as lágrimas, nem sempre vais conseguir esquecer aquele doente... Não é fácil mas habituas-te sem dar conta porque na hora só pensas em deixar o doente limpo e confortável e a sentir-se digno outra vez... E no fim do turno, vais estourado para casa, a pensar que raio de profissão foste escolher, mas no dia a seguir um outro doente vai agarrar a tua mão, vai-te pedir ajuda, pode até nem conseguir falar mas vai-te olhar nos olhos e tudo vale a pena mais uma vez...
Estou a um exame de terminar o 2º ano do curso de licenciatura em Enfermagem. Os próximos 2 anos serão de estágio. E muitas vezes questiono-me se segui o caminho certo. Agradeço-lhe, Albina, pelo testemunho. Porque acredito que ser enfermeiro é ter o privilégio de tocar e mudar vidas humanas. E, por isso, ter o melhor retorno: o bem-estar do outro. Apesar do cansaço e do esforço, estou cada vez mais certa de que esta profissão é a minha profissão de sonho!
 
Olá Rodrigo, sou enfermeira à 15 anos e posso dizer-te que é uma profissão apaixonante, mas dura, muito dura. Tens como em todas as profissões o lado bom e o mau. Os bons vão desde a gratificação pessoal, aos doentes e famílias que te reconhecem, ao companheirismo dos colegas, não só enfermeiros mas de toda a equipa multidisciplinar, entre muitos outros. Os maus aspectos são vários, fáceis de enumerar, desanimadores em muitos momentos mas mesmo assim ainda não me fizeram desistir: trabalhar por turnos é difícil especialmente nas festas fins de semana e datas importantes; ter de lidar com doentes e famílias exigentes, agressivos, mal agradecidos e que te acham criado deles; o salário não compensa tudo o que fazes em cada turno; tens de estudar e te manter actualizado para toda a vida... E sim tens de dar banhos e mudar fraldas, e aspirar secreções, levar com vómitos em cima e urina nos pés... Vais ter de fazer múmias e dizer à família que o seu familiar morreu... E nem sempre vais conseguir controlar as lágrimas, nem sempre vais conseguir esquecer aquele doente... Não é fácil mas habituas-te sem dar conta porque na hora só pensas em deixar o doente limpo e confortável e a sentir-se digno outra vez... E no fim do turno, vais estourado para casa, a pensar que raio de profissão foste escolher, mas no dia a seguir um outro doente vai agarrar a tua mão, vai-te pedir ajuda, pode até nem conseguir falar mas vai-te olhar nos olhos e tudo vale a pena mais uma vez...

Olá,

Há algum livro (s) que recomende para nos ajudar a estudar no curso?
 
Boa noite,
Estou numa dúvida em relação a que universidade escolher para estudar enfermagem: A católica ou a ESEL? Estou muito inclinada para a católica mas por ser privada, não sei se tenho possibilidades para isso. Alguém me poderá dizer se a ESEL corresponde às expectativas ou a católica é uma escola melhor?
 
Boa noite,
Estou numa dúvida em relação a que universidade escolher para estudar enfermagem: A católica ou a ESEL? Estou muito inclinada para a católica mas por ser privada, não sei se tenho possibilidades para isso. Alguém me poderá dizer se a ESEL corresponde às expectativas ou a católica é uma escola melhor?
Estou com uma dúvida semelhante mas entre a católica do porto e a EsenfC, não tenho média para entrar na ESEP
 
  • Like
Reactions: ph+
Olá
Eu tenho uma dúvida, mesmo não tendo o exame de biologia positivo, é possível entrar no curso de enfermagem? Sei que em alguns cursos existe a opção do ano zero, mas acho que é apenas para alunos que não tenham concluído alguma disciplina do 12º ano, o que não é o meu caso. Eu tenho o 12º ano completo e tenho média para entrar, apenas o exame de biologia é que esta negativo....
Obrigada :)
Não te podes candidatar a enfermagem sem ter pelo menos 9,5 no exame de BioGeo independentemente da tua média mas podes sempre ir a segunda fase, o que vai acontecer é que só te vais poder candidatar à segunda e terceira fases de candidaturas. Foi o que me aconteceu o ano passado, tive 7,2 na primeira fase mas fui à segunda e tive 9,7. :)
 
Olá. Este ano vou me candidatar a enfermagem e já estava decidida ir para a Escola Superior de Enfermagem de Coimbra mas estou a achar que a minha média não vai ser suficiente e estou a considerar outras opções nomeadamente a Universidade Católica Portuguesa no Porto. Gostava que alguém que estudasse na UCP (porto ou em lisboa, visto que já me disseram que o curso é praticamente igual nos dois sítios) me desse a sua opinião. Também gostava de saber opiniões da EsenfC e qualquer outra pessoa que me consiga dar umas luzes sobre qual pode ser a melhor opção. Já me disseram até que, tendo possibilidades ecónomicas, a católica é uma melhor opção que a EsenfC. Obrigada :)
 
  • Like
Reactions: ph+
Boa noite,
Estou numa dúvida em relação a que universidade escolher para estudar enfermagem: A católica ou a ESEL? Estou muito inclinada para a católica mas por ser privada, não sei se tenho possibilidades para isso. Alguém me poderá dizer se a ESEL corresponde às expectativas ou a católica é uma escola melhor?
Olá, eu sou da esel, já fiz vários comentarias anteriores onde falo sobre a esel. Relativamente á catolica não posso falar muito porque não conheço, nem sei muito sobre a Licenciatura. Relativamente aos mestrados da catolcia em enfermagem já ouvi falar muito bem, mas quanto á licenciatura base não sei mesmo nada.
Quanto á ESEL, é uma escola reconhecida em enfermagem no pais e lá fora, más e dificil como curso, pois é muito trabalhoso.
 
  • Like
Reactions: csa
Olá Rodrigo, sou enfermeira à 15 anos e posso dizer-te que é uma profissão apaixonante, mas dura, muito dura. Tens como em todas as profissões o lado bom e o mau. Os bons vão desde a gratificação pessoal, aos doentes e famílias que te reconhecem, ao companheirismo dos colegas, não só enfermeiros mas de toda a equipa multidisciplinar, entre muitos outros. Os maus aspectos são vários, fáceis de enumerar, desanimadores em muitos momentos mas mesmo assim ainda não me fizeram desistir: trabalhar por turnos é difícil especialmente nas festas fins de semana e datas importantes; ter de lidar com doentes e famílias exigentes, agressivos, mal agradecidos e que te acham criado deles; o salário não compensa tudo o que fazes em cada turno; tens de estudar e te manter actualizado para toda a vida... E sim tens de dar banhos e mudar fraldas, e aspirar secreções, levar com vómitos em cima e urina nos pés... Vais ter de fazer múmias e dizer à família que o seu familiar morreu... E nem sempre vais conseguir controlar as lágrimas, nem sempre vais conseguir esquecer aquele doente... Não é fácil mas habituas-te sem dar conta porque na hora só pensas em deixar o doente limpo e confortável e a sentir-se digno outra vez... E no fim do turno, vais estourado para casa, a pensar que raio de profissão foste escolher, mas no dia a seguir um outro doente vai agarrar a tua mão, vai-te pedir ajuda, pode até nem conseguir falar mas vai-te olhar nos olhos e tudo vale a pena mais uma vez...
Estou sem palavras para o que me escreveste, vê-se perfeitamente que foi sentido e é de alguém que apesar de não estar satisfeita com muita coisa, gosta incondicionalmente do que faz, ainda que por vezes se questione se está no caminho certo.
Quanto a mim é exatamente isto que me faz querer ser enfermeiro "mas no dia a seguir um outro doente vai agarrar a tua mão, vai-te pedir ajuda, pode até nem conseguir falar mas vai-te olhar nos olhos e tudo vale a pena mais uma vez...". Saber que podemos ser úteis e tentar fazer alguém um pouco mais feliz, conhecendo ou não esse alguém.
 
Olá Rodrigo! Vou dar-te uma opinião pessoal de quem ficou um ano a fazer melhorias para entrar em enfermagem. Eu sempre tive a opção entre Medicina e Enfermagem, uma vez que não me apliquei como devia decidi que ia entrar em enfermagem na ESEP. Com isto quero dizer que não fico menos feliz por ter entrado em enfermagem. Neste meu primeiro ano o diretor da ESEP disse "antes de irem para medicina deiam uma oportunidade a enfermagem". Ao final de um ano não podia estar mais de acordo. É realmente um curso apaixonante que tem as partes boas e más e que cabe a cada um de nós saber como encará-las da melhor maneira. Espero que se fores para enfermagem percebas que somos cada vez mais profissionais de saúde independentes. Os auxiliares de saúde ajudam imenso mas sim irás dar banhos, tratar de corpos, mudar fraldas, etc etc etc. Tanto os profissionais de saúde como os auxiliares de saúde são importantes embora com funções diferentes. Como futuros profissionais temos um curso fantástico por fazer mais pelos outros e acredito que os utentes por nós. Espero que se realmente escolheres enfermagem consigas sentir o orgulho que é dizer que és estudante de enfermagem e que no futuro vais ser um profissional a marcar a diferença na vida de quem realmente precisa dos nossos cuidados. Boa sorte :)
Concordo totalmente contigo. De certeza que ainda vamos marcar a vida de muita gente, pela positiva claro :)
 
  • Like
Reactions: RafaelaSmartiesSly
Olá :)

Eu ando na ESEP (2º ano), por isso vou falar daquilo que sei por experiência própria!
Cadeiras: o 1º ano é essencialmente teórico; o 2º já é composto por mais práticas e o 3º e 4º dedicados exclusivamente a ensino clínico.
- 1º ano: Parentalidade, Saúde do adulto e do idoso, Informação em Saúde, Introdução à Investigação, Comportamento e Relação, Introdução à enfermagem, Introdução à prática clínica I, Anatomia, Fisiologia, Bioquímica e Microbiologia, Psicologia da saúde e Socioantropologia da saúde. Tens ainda opcionais como: Empreendedorismo, Terapias complementares, Língua gestual portuguesa, Inglês técnico, Alemão e Espanhol.
- 2º ano: A pessoa depende e os familiares cuidadores, Gestão da doença e dos regimes terapêuticos, Respostas corporais à doença I, Respostas corporais à doença II, Intervenções resultantes de prescrições, Introdução à gestão em enfermagem, Bioética e ética em enfermagem, Introdução à prática clínica II, Introdução à prática clínica III, Farmacologia, Patologia I, Patologia II.
- 3º ano:
Ensino clínico: saúde familiar, enfermagem comunitária, medicina, cirurgia, parentalidade e gravidez
- 4º ano:
Ensino clínico: cuidados continuados na comunidade, internamento em cuidados continuados, saúde mental e psiquiatria, pediatria, obstetrícia e tens como opcionais: ensino clínico na comunidade ou em meio hospitalar (sinceramente nem sei bem o que isto é :tearsofjoy:)

Ensino clínico: não te posso dizer muito porque ainda não passei por ele (está mesmo quase!) mas vão-se ouvindo histórias xD
Existe alguma coisa em concreto que queiras saber? Assim é mais fácil descobrir xd

Vida académica: aqui tens a praxe e o grupo académico (GAEP).Não te vou dizer qual deves escolher mas sim que deves experimentar os dois e ver onde te sentes melhor!

Dificuldades: pessoalmente não encontrei nada de mais. Claro que a adaptação no início custa (afinal, é um choque grande em relação ao secundário!) mas vais ver que ao fim de um mês, se calhar nem isso, já é tudo rotina! Estás preocupada com alguma coisa em específico?

Qualquer dúvida é só perguntares!


Agradeço imenso a tua resposta! Foi esclarecedora. Eu acho que me sinto capaz de ser enfermeira, no entanto tenho receio de não ter competências para lidar com certas situações, de não ter estômago, como se costuma dizer... Não sei se isto será normal ou não, mas eu fico com receio, pois tenho que me decidir em relação ao meu futuro e sinto-me à nora...
 
  • Like
Reactions: ph+
Agradeço imenso a tua resposta! Foi esclarecedora. Eu acho que me sinto capaz de ser enfermeira, no entanto tenho receio de não ter competências para lidar com certas situações, de não ter estômago, como se costuma dizer... Não sei se isto será normal ou não, mas eu fico com receio, pois tenho que me decidir em relação ao meu futuro e sinto-me à nora...
Tive a mesma dúvida que tu :) Arrisquei, fui, não gostei e mudei de curso :)
 
  • Like
Reactions: Anaisabel98
Tive a mesma dúvida que tu :) Arrisquei, fui, não gostei e mudei de curso :)

Eu não queria muito andar a mudar de curso
Podes-me dizer as razões pelas quais mudaste? Já agora, desculpa ser "cusca", mas mudaste para quê?
 
Eu não queria muito andar a mudar de curso
Podes-me dizer as razões pelas quais mudaste? Já agora, desculpa ser "cusca", mas mudaste para quê?
Não é questão de querer ou não andar a mudar de curso. Como é óbvio também não gostei, mas se já não conseguia mais foi o melhor que eu fiz.
Eu mudei essencialmente por não ter tido contacto com os contextos clínicos logo no 1ºano, aliados a outros assuntos pessoais mudei.
 
Boa tarde.
Para mim este ultimo ano foi um inferno, nao pelas disciplinas em si, mas prla persao que senti ao longo do mesmo, sendo que nao tinha uma ideia ficça do que queria seguir, apenas sabia que tinha que ser algo na area da saude que me permitisse ter cintacto direto com os pacientes e teria que ser algo em que me sentisse util e realizada. Ao longo do ano inumeras escolhas me foram passado pela cabeça, TO, fisioterapia, entre outras, mas agora a dias das colocaçoes, deu me um bichinho pra enfermagem, e acho que sera o mais indicado pra mim.
Sou de vila real, e tenho a UTAD perto, o que me iria poupar em gastos, mas eu sempre tive ambiçao de estudar no porto.
Para alem do mais a ESEP é muito bem vista, ja a escola de enfermagem da UTAD, pelo que me apercebi passa muito na sombra nesta area.
Terminei o 12°, e apesar de ter acabado com boa media (17), a media do 10° e do 11° nao era a melhor, e acabei por ficar com media total do secundario de 16. Porem matematica nao é de todo a minha vocaçao, sempre foi uma disciplina que me deu um arraso na media em relaçao a outras. Sou muito uma miuda da biologia e da psicologia, disciplinas que adoro. E tenho em conta isto, é certo que o exame de matematica me vai provocar mais descidas na media, sendo que se a "merda" que fiz no exame nao for muito ma, a minha media deve ir parar a uns 15,75.
Porem, com o exame de bio como prova de ingresso, nao sei se irei conseguir entrar, visto que a media no ano passado disparou relativamente ao que era costume na ESEP.
Acham que as medias este ano irao baixar? Visto que o exame de bio de 2015 teve maus resultados comparado com o de 2014.
E como é o ambiente na ESEP?
Gostava que alguem me falasse do ambiente que se vive nesta e das praxes da mesma.
P.s: desculpem la o testamento
 
Olá, estou numa situação de dilema entre o curso de enfermagem e o de medicina.

Acabei agora o meu 11'ano, com uma média alta (18,6), e sempre pensei que Medicina era o certo para mim.

Mas confesso que Medicina "assusta-me". Oferece-me bastantes dúvidas e acabo por repensar e achar enfermagem um tanto mais "leve".

Estou consciente do quão semelhantes os cursos são e interesso-me bastante por FQ e Biologia, portanto em relação a isso não tenho qualquer dúvida. Hesito mais ao pensar que "não vou aguentar" medicina...

Gostaria de saber se alguém sentiu esta indecisão, como lidou com a situação e como foi a experiência no curso que escolheu...

(Se fosse estudar Medicina, tentaria entrar para a FMUP. Se fosse estudar Enfermagem, tentaria entrar para a ESEP.)

Obs. Também sei que ainda é cedo para andar a pensar nisto, mas queria desde já ler o que possam dizer sobre isto e conhecer realidade de ambos os cursos.
 
  • Like
Reactions: Cândido Faísca
Olá, estou numa situação de dilema entre o curso de enfermagem e o de medicina.

Acabei agora o meu 11'ano, com uma média alta (18,6), e sempre pensei que Medicina era o certo para mim.

Mas confesso que Medicina "assusta-me". Oferece-me bastantes dúvidas e acabo por repensar e achar enfermagem um tanto mais "leve".

Estou consciente do quão semelhantes os cursos são e interesso-me bastante por FQ e Biologia, portanto em relação a isso não tenho qualquer dúvida. Hesito mais ao pensar que "não vou aguentar" medicina...

Gostaria de saber se alguém sentiu esta indecisão, como lidou com a situação e como foi a experiência no curso que escolheu...

(Se fosse estudar Medicina, tentaria entrar para a FMUP. Se fosse estudar Enfermagem, tentaria entrar para a ESEP.)

Obs. Também sei que ainda é cedo para andar a pensar nisto, mas queria desde já ler o que possam dizer sobre isto e conhecer realidade de ambos os cursos.
Se pensas que a vida dos enfermeiros é mais leve que as dos médicos estás muito enganada.
Os enfermeiros têm que estudar muito também e trabalhar muito. Para não falar nas dificuldades depois em termos profissionais e nos horários que têm que cumprir.
 
Se pensas que a vida dos enfermeiros é mais leve que as dos médicos estás muito enganada.
Os enfermeiros têm que estudar muito também e trabalhar muito. Para não falar nas dificuldades depois em termos profissionais e nos horários que têm que cumprir.

É isto que não ponho em causa nem assumo que um é mais facil que o outro. Estudar mais ou menos não é o problema! Procurava só opiniões que me pudessem fazer distinguir bem os cursos.
Desculpa se não ficou bem esclarecido na primeira mensagem
 
  • Like
Reactions: Fresh Off Mars