FMUL Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa

Olá a todos! Alguém me consegue dar um feedback de como é o 3 ano na fmul? Só de pensar que é ano barreira, já me dá uma coisa má 😅
 
  • Like
Reactions: perceptions
Olá! Vou-me candidatar ao ensino superior este ano e a FMUL está na minha lista! Se algum aluno ou ex-aluno desta instituição me pudesse fornecer os pontos fortes e fracos desta instituição iria ficar eternamente grata!
Olá!
Aconselho que leias os posts iniciais deste tópico, como a @Marini assinalou, porque dão logo uma boa ideia geral da FML.

Vou tentar resumir aquilo que acho que são os pontos fortes e fracos na minha opinião, do que vivi até agora (vou para o 3º ano).

Pontos fortes:
- Organização do ensino em módulos: integração das várias áreas disciplinares - menos exames por época, do que se fossem cadeiras isoladas e como a matéria se relaciona entre si, pode facilitar a compreensão da mesma; no próprio exame, mesmo que estejas menos preparada para a área disciplinar x, tens a y e a z que podem ajudar a subir a nota (se fosse tudo em separado, ficarias talvez na cadeira x com uma nota mais baixinha); and also cada elemento de avaliação dentro de cada área disciplinar de um módulo tem uma percentagem menor, por englobar muitas coisas dentro dele - por exemplo, a oral parece um bicho de sete cabeças, mas, na realidade, pelo menos em neuroanatomia, valeu 8% de todo o módulo (que englobava elementos de avaliação de neuroanatomia, neurofisiologia, neurofarmacologia e psicologia - o que ajuda a diluir a percentagem que cada parte vale na nota final).
- Com esta questão dos módulos, a matéria é leccionada de forma faseada e progressiva, existindo então várias cadeiras, ao longo dos semestres, relacionadas com as Anatomias, Farmacologia, Fisiologia, ..., o que permite que todo o seu conteúdo extensíssimo não seja logo dado num semestre só, de uma vez, como pode acontecer noutras faculdades;
- Estudar nas instalações do maior hospital do país, onde podemos estagiar em determinadas alturas do curso e temos acesso aos vários serviços - podes te dirigir a um serviço de cirurgia quando te apetecer e dizendo que és aluna da faculdade e se eles tiverem possibilidade de te receber no bloco, podes assistir a uma cirurgia, por exemplo;
- Em todos os anos pré-clínicos (1º-3º ano) temos algum contacto com a realidade da medicina, tanto hospitalar como no centro de saúde, através de estágios de curta/média duração. A meu ver, é o suficiente para aquilo que é ainda o nosso conhecimento da parte mais clínica nesses anos.
- Estágio de enfermagem (2 semanas) num hospital (acompanhamos enfermeiros no serviço e serve para perceber o seu papel importante nas equipas multidisciplinares) + estágio no centro de saúde (2 semanas) com um médico de família (acompanhar consultas e poderás sempre praticar alguns gestos clínicos como auscultação, otoscopia, análise de exames imagiológicos, entre outras coisas - tudo depende do teu tutor) - final do 1º ano;​
- Estágio no centro de saúde (mesma coisa que o anterior - aquilo que vês e praticas também depende dos utentes que apanhas em consulta - por exemplo, neste até vi a colocação de um DIU, coisa que não ocorre todos os dias, pelo menos no centro de saúde onde fiz o estágio) - entre os dois semestres do 2º ano; (AH important one: podes fazer estes estágios no centro de saúde na tua terrinha, se fores estudante deslocada)​
- Estágio hospitalar (+- 1 mês) - final do 3º ano;​
- Boa localização em Lisboa, na Cidade Universitária (acesso fácil a todo o tipo de transportes);
- Horários pacatos: como só temos práticas e teórico-práticas obrigatórias, o horário em si acaba por ser leve, se não fores a todas as teóricas (algumas valem a pena, outras nem por isso). O que torna o tempo curto é a enorme quantidade de coisas para estudar... :/
- Existência do currículo optativo/disciplinas optativas e outras alternativas para obter créditos (investigação, estágios de iniciação pedagógica, ...): permite ter algum contacto com uma área de interesse relacionada com saúde/medicina e que normalmente não há tempo de abordar ou forma de encaixar no currículo obrigatório (aka as cadeiras "normais" do semestre).
- Falando da situação atual, acho que a faculdade, pelo menos no meu ano, fez um esforço para que pudessem haver alternativas de forma a não sermos totalmente prejudicados. Os exames continuaram a valer a percentagem que valiam anteriormente e houveram formas alternativas para fazer a componente prática ou teórico prática. Sobrecarregaram-nos um bom bocado, but well, era um cenário novo para todos e antes assim, do que não arranjarem alternativas e depois a nota final seria apenas 100% baseada num exame teórico...
- Toda a parte extracurricular, de apoio aos alunos (logo no início e pelo curso fora!) e a parte cultural da faculdade é mesmo incrível (para não estar a repetir o que já foi dito, vou buscar este excelente post publicado na 1ª página):
Atividades
Por menos interessado que estejas na vida académica, haverá sempre este workshop ou aquele evento que atrairá a tua atenção. Temos a sorte de contar com a Associação de Estudantes da Faculdade de Medicina de Lisboa (AEFML), conhecida por ser das mais proativas. Todos os dias spammam o correio com actividades que estão a desenvolver, workshops relacionados com medicina ou não que abriram vagas, diversos eventos...
A AEFML foi fundada a 30 de Setembro de 1914 (fazendo este ano uns soberbos 104 anos), sendo uma das mais antigas associações estudantis de Portugal. É uma associação sem fins lucrativos que tem por objectivo a defesa dos interesses dos estudantes da FMUL na vida escolar e na sociedade em geral. Estatutariamente, todos os estudantes inscritos na FMUL têm o direito de participação democrática na vida associativa, designadamente o de elegerem e serem eleitos para cargos associativos (sendo as eleições anuais).
Como já disse, a abrangência dos projetos da AEFML é extensíssima. É tão extensa, que não tenho paciência nem tempo para os descrever todos aqui :p. Os seus departamentos são os seguintes (se tiveres interesse sobre algum ponto em particular, clica na respetiva hiperligação):
Grandes eventos:
  • Noite da Medicina - Falar da FMUL sem referir a Noite da Medicina seria um crime. Um dos melhores eventos que vocês terão o prazer de assistir enquanto caloiros e de assistir/participar nos anos seguintes. É um evento que tem vindo a ser realizado no Coliseu e mais recentemente no Campo Pequeno em que os professores, familiares dos alunos e alunos são convidados. Neste são apresentados sketches que satirizam a universidade, peças musicais, dança, teatro. O evento ocorre habitualmente nos primeiros dias de novembro. Divirtam-se no youtube a pesquisar pela Noite da Medicina da FML. Deixo alguns exemplos!


  • Olimpíadas da Medicina - são também um ícone da FMUL. É como uma viagem de finalistas.

  • AIMS Meeting - é a maior conferência médica europeia organizada por alunos de Medicina. Todos os anos, durante três dias, médicos, cientistas e estudantes reúnem-se e debatem alguns dos assuntos mais relevantes da nossa era. Além de teres a possibilidade de assistir a palestras lecionadas por alguns dos mais reputados profissionais de cada campo médico, poderás ainda envolver-te e atividades (como competições de investigação, clínicas e científicas), bem como programas culturais (principalmente para os estudantes que não são de Portugal).
  • Sarau Cultural - mais explícito o nome não podia ser. É um sarau estupendo onde assistimos a dança, canto e representação num evento organizado por e para alunos de Medicina. É como uma Noite da Medicina, mas no 2º semestre (e aposta muito mais na vertente cultural). É realizado na Aula Magna da ULisboa.
  • Magusto - evento recreativo que tem lugar em novembro, aquando da celebração do dia de São Martinho.
  • Hospital dos Pequeninos - pretende-se, através de um jogo de representação, reduzir a ansiedade que as crianças sentem quando confrontadas com um profissional de saúde. Por outro lado, pretende-se que os futuros profissionais de saúde utilizem os seus conhecimentos para ajudar as crianças a perderem o medo da “bata branca”, de uma maneira lúdico-didática adaptada à sua idade.
Outros projetos e eventos:
Contudo, nem todas as atividades extracurriculares dentro da FMUL estão vinculadas à AE:

Tradição e Ambiente Académicos
FML Lifestyle

Descrição por @lckk:


Iniciativas de apoio aos alunos de 1º ano
A AEFML e a FMUL têm apostado nos últimos anos na criação de iniciativas de apoio aos alunos recém-chegados à faculdade. Não é difícil imaginar o que os alunos sentem quando transitam do ensino secundário para o ensino superior, as suas apreensões e ansiedades. É um mundo totalmente novo, estranho, assustadoramente aberto (e, por vezes, chega a parecer um pouco agreste). Considero que, e na falta de metáfora melhor, nos sentimos a cair de supetão sem para-quedas. Ora, várias iniciativas funcionam como esse para-querdas que evita o embate:
  • Mentoring - na semana das matrículas, serás convidado, na banca da AEFML, a proceder ao registo no Mentoring. É muito simples: preenches um questionário com os teus gostos e características e ser-te-á atribuído imediatamente o mentor que apresenta maior compatibilidade com os dados que introduziste. O mentor é responsável por te acompanhar ao longo do teu percurso académico (com maior enfoque no 1º ano, que é um ano de adaptação), dando conselhos sobre o melhor material de estudo ou esclarecendo qualquer dúvida que te possa surgir. O Mentoring surgiu há relativamente pouco tempo e está a ser um sucesso tremendo (de tal modo que a FMUL e a AEFML estabeleceram uma parceria na realização deste projeto).
  • Solvin'it - há sempre aquelas matérias que provocam o terror nos alunos, pela sua complexidade ou pelo facto de não terem sido suficientemente abordadas nas aulas. O Solvin'it consiste num conjunto de sessões que são lecionadas por alunos mais velhos.
  • Estágios de Iniciação Pedagógica - já descritos. Os alunos de anos seguintes que ficaram aprovados com distinção a determinadas cadeiras podem candidatar-se aos estágios de iniciação pedagógica, passando a ser monitores. A sua função é acompanhar os alunos subsequentes, prestando-lhes conselhos e auxiliando-os no decorrer das as aulas (e mesmo fora delas).
  • Espaço S - Tendo em consideração que os primeiros momentos na faculdade podem ser muito stressantes, bem como o período de avaliações, numa iniciativa conjunta da AEFML com a FMUL e com o apoio do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental do Hospital Santa Maria, foi criado o Espaço S com o objetivo de prestar apoio psicológico ao Aluno FMUL e intervir na promoção da Saúde Mental na faculdade. Trata-se de um Espaço onde poderás trabalhar, lidar, reflectir sobre os assuntos que para ti são essenciais para o teu bem-estar. Onde poderás compreender-te e compreenderes os teus problemas. Um espaço onde poderás ser tu, sem barreiras, onde o que tu achas ser importante é o que realmente é importante. Conta com um Psicólogo Clínico exclusivo, sem ligação de docência à FMUL. Pretende-se desta forma que o espaço seja um local independente e com autonomia que permita salvaguardar a confidencialidade de todos os que pretenderem ser recebidos.

Praxe
Comentário da @LFTBAS:

Pontos fracos:
- Honestamente, não consigo te dizer um mega ponto fraco que seja só a respeito da FML, acho que são pontos fracos comuns a muitas faculdades;
- Haverem alguns professores menos bons, tanto na parte da qualidade do ensino, como na exigência (normalmente, por excesso de xD);
- O facto de, no início do semestre, a afluência às teóricas ser maior e haverem alguns auditórios (não são todos, claro) que não têm capacidade para todos (especialmente os auditórios mais velhotes do hospital - já todos devem ter visto uma foto de jornal de alunos sentados nas escadas dos auditórios - no entanto, como a afluência diminui ao longo do semestre, isso deixa de ser um problema nas aulas teóricas);
- O rácio tutor/aluno, do que sei, poderia ser melhor (vai ser implementada uma reforma aos anos clínicos e um dos objetivos é melhorar isso);
- Voltando à história dos módulos, nem todos têm a melhor das integrações entre as várias áreas disciplinares - talvez no 1º ano, principalmente no 1º semestre, a integração não é tão visível, mas depois no 2º ano a coisa melhora e muito - also, claro que temos que estudar mais matéria por exame, porque são várias áreas disciplinares envolvidas (se bem que, em alguns exames, só estamos a ser avaliados a uma área disciplinar, como se fosse uma cadeira isolada, depende do ano/semestre que estivermos a falar).

(Se alguém da FML se lembrar de mais coisas, juntem-se à conversa)
Post automatically merged:

Olá a todos! Alguém me consegue dar um feedback de como é o 3 ano na fmul? Só de pensar que é ano barreira, já me dá uma coisa má 😅
Também estou curiosa! Daquilo que vi do 3º ano da minha mentora, acho que é bastante fazível, no need to worry. Se já fizeste todas as cadeiras do 1º e 2º ano, a exigência não há de ser muito diferente. E mesmo que tenhas alguma coisa para trás, existe uma época extra.
Até vamos ter cadeiras girinhas com coisas mais clínicas :)

Quando ela me enviar o documento com todos os conselhos dela para o próximo ano, posso partilhar contigo, se quiseres!
 
Última edição:
Olá!
Aconselho que leias os posts iniciais deste tópico, como a @Marini assinalou, porque dão logo uma boa ideia geral da FML.

Vou tentar resumir aquilo que acho que são os pontos fortes e fracos na minha opinião, do que vivi até agora (vou para o 3º ano).

Pontos fortes:
- Organização do ensino em módulos: integração das várias áreas disciplinares - menos exames por época, do que se fossem cadeiras isoladas e como a matéria se relaciona entre si, pode facilitar a compreensão da mesma; no próprio exame, mesmo que estejas menos preparada para a área disciplinar x, tens a y e a z que podem ajudar a subir a nota (se fosse tudo em separado, ficarias talvez na cadeira x com uma nota mais baixinha); and also cada elemento de avaliação dentro de cada área disciplinar de um módulo tem uma percentagem menor, por englobar muitas coisas dentro dele - por exemplo, a oral parece um bicho de sete cabeças, mas, na realidade, pelo menos em neuroanatomia, valeu 8% de todo o módulo (que englobava elementos de avaliação de neuroanatomia, neurofisiologia, neurofarmacologia e psicologia - o que ajuda a diluir a percentagem que cada parte vale na nota final).
- Com esta questão dos módulos, a matéria é leccionada de forma faseada e progressiva, existindo então várias cadeiras, ao longo dos semestres, relacionadas com as Anatomias, Farmacologia, Fisiologia, ..., o que permite que todo o seu conteúdo extensíssimo não seja logo dado num semestre só, de uma vez, como pode acontecer noutras faculdades;
- Estudar nas instalações do maior hospital do país, onde podemos estagiar em determinadas alturas do curso e temos acesso aos vários serviços - podes te dirigir a um serviço de cirurgia quando te apetecer e dizendo que és aluna da faculdade e se eles tiverem possibilidade de te receber no bloco, podes assistir a uma cirurgia, por exemplo;
- Em todos os anos pré-clínicos (1º-3º ano) temos algum contacto com a realidade da medicina, tanto hospitalar como no centro de saúde, através de estágios de curta/média duração. A meu ver, é o suficiente para aquilo que é ainda o nosso conhecimento da parte mais clínica nesses anos.
- Estágio de enfermagem (2 semanas) num hospital (acompanhamos enfermeiros no serviço e serve para perceber o seu papel importante nas equipas multidisciplinares) + estágio no centro de saúde (2 semanas) com um médico de família (acompanhar consultas e poderás sempre praticar alguns gestos clínicos como auscultação, otoscopia, análise de exames imagiológicos, entre outras coisas - tudo depende do teu tutor) - final do 1º ano;​
- Estágio no centro de saúde (mesma coisa que o anterior - aquilo que vês e praticas também depende dos utentes que apanhas em consulta - por exemplo, neste até vi a colocação de um DIU, coisa que não ocorre todos os dias, pelo menos no centro de saúde onde fiz o estágio) - entre os dois semestres do 2º ano; (AH important one: podes fazer estes estágios no centro de saúde na tua terrinha, se fores estudante deslocada)​
- Estágio hospitalar (+- 1 mês) - final do 3º ano;​
- Boa localização em Lisboa, na Cidade Universitária (acesso fácil a todo o tipo de transportes);
- Horários pacatos: como só temos práticas e teórico-práticas obrigatórias, o horário em si acaba por ser leve, se não fores a todas as teóricas (algumas valem a pena, outras nem por isso). O que torna o tempo curto é a enorme quantidade de coisas para estudar... :/
- Existência do currículo optativo/disciplinas optativas e outras alternativas para obter créditos (investigação, estágios de iniciação pedagógica, ...): permite ter algum contacto com uma área de interesse relacionada com saúde/medicina e que normalmente não há tempo de abordar ou forma de encaixar no currículo obrigatório (aka as cadeiras "normais" do semestre).
- Falando da situação atual, acho que a faculdade, pelo menos no meu ano, fez um esforço para que pudessem haver alternativas de forma a não sermos totalmente prejudicados. Os exames continuaram a valer a percentagem que valiam anteriormente e houveram formas alternativas para fazer a componente prática ou teórico prática. Sobrecarregaram-nos um bom bocado, but well, era um cenário novo para todos e antes assim, do que não arranjarem alternativas e depois a nota final seria apenas 100% baseada num exame teórico...
- Toda a parte extracurricular, de apoio aos alunos (logo no início e pelo curso fora!) e a parte cultural da faculdade é mesmo incrível (para não estar a repetir o que já foi dito, vou buscar este excelente post publicado na 1ª página):


Pontos fracos:
- Honestamente, não consigo te dizer um mega ponto fraco que seja só a respeito da FML, acho que são pontos fracos comuns a muitas faculdades;
- Haverem alguns professores menos bons, tanto na parte da qualidade do ensino, como na exigência (normalmente, por excesso de xD);
- O facto de, no início do semestre, a afluência às teóricas ser maior e haverem alguns auditórios (não são todos, claro) que não têm capacidade para todos (especialmente os auditórios mais velhotes do hospital - já todos devem ter visto uma foto de jornal de alunos sentados nas escadas dos auditórios - no entanto, como a afluência diminui ao longo do semestre, isso deixa de ser um problema nas aulas teóricas);
- O rácio tutor/aluno, do que sei, poderia ser melhor (vai ser implementada uma reforma aos anos clínicos e um dos objetivos é melhorar isso);
- Voltando à história dos módulos, nem todos têm a melhor das integrações entre as várias áreas disciplinares - talvez no 1º ano, principalmente no 1º semestre, a integração não é tão visível, mas depois no 2º ano a coisa melhora e muito - also, claro que temos que estudar mais matéria por exame, porque são várias áreas disciplinares envolvidas (se bem que, em alguns exames, só estamos a ser avaliados a uma área disciplinar, como se fosse uma cadeira isolada, depende do ano/semestre que estivermos a falar).

(Se alguém da FML se lembrar de mais coisas, juntem-se à conversa)
Post automatically merged:


Também estou curiosa! Daquilo que vi do 3º ano da minha mentora, acho que é bastante fazível, no need to worry. Se já fizeste todas as cadeiras do 1º e 2º ano, a exigência não há de ser muito diferente. E mesmo que tenhas alguma coisa para trás, existe uma época extra.
Até vamos ter cadeiras girinhas com coisas mais clínicas :)

Quando ela me enviar o documento com todos os conselhos dela para o próximo ano, posso partilhar contigo, se quiseres!
Muito obrigada!! 😊 estava curiosa precisamente pela coisas mais clínicas que vamos aprender. Sei que já fazemos uma osce mais clínica por exemplo
E sim, dava muito jeito o documento, muito obrigada!!😊 Sinto que infelizmente perdi muito contacto com a minha mentora ao longo deste segundo ano 😕
 
  • Fabulous
Reactions: doctorwhy
Boa tarde! Eu sou do Porto e este ano vou candidatar-me a Medicina, no entanto, com esta situação tenho receio de não entrar nem no Porto nem no Minho, pois a minha média é 183,2 (já agora, pensam que esta média é suficiente para entar na FMUL?). Eu gostaria de saber como é o ambiente na FMUL, se alguém for deslocado, como foi a sua adaptação em Lisboa, como é o ambiente nas residências, etc.
 
Boa tarde! Eu sou do Porto e este ano vou candidatar-me a Medicina, no entanto, com esta situação tenho receio de não entrar nem no Porto nem no Minho, pois a minha média é 183,2 (já agora, pensam que esta média é suficiente para entar na FMUL?). Eu gostaria de saber como é o ambiente na FMUL, se alguém for deslocado, como foi a sua adaptação em Lisboa, como é o ambiente nas residências, etc.
Olá Clara!!

Sim, acho que essa média é bastante boa para a FMUL.
Ontem respondi a essas mesmas questões no tópico dos aspirantes, deixo aqui a resposta:
O ambiente no curso é muito bom, mesmo! Desde o primeiro dia, sentes logo bastante apoio (principalmente, graças ao projeto Mentoring, em que te atribuem um mentor(a), que é um aluno mais velho que te vai acompanhar e partilhar todo o material, apoio e conselhos que precises. No meu caso, a minha mentora tornou-se numa das minhas melhores amigas da faculdade). Todos os anos partilham drives cheias de sebentas, desgravadas, livros, testes e exames antigos, etc, tudo o que possas imaginar. A Associação de Estudantes é super dinâmica e há imensos eventos e coisas giras para se fazer.

Atividades
Ver anexo 4692

Por menos interessado que estejas na vida académica, haverá sempre este workshop ou aquele evento que atrairá a tua atenção. Temos a sorte de contar com a Associação de Estudantes da Faculdade de Medicina de Lisboa (AEFML), conhecida por ser das mais proativas. Todos os dias spammam o correio com actividades que estão a desenvolver, workshops relacionados com medicina ou não que abriram vagas, diversos eventos...
A AEFML foi fundada a 30 de Setembro de 1914 (fazendo este ano uns soberbos 104 anos), sendo uma das mais antigas associações estudantis de Portugal. É uma associação sem fins lucrativos que tem por objectivo a defesa dos interesses dos estudantes da FMUL na vida escolar e na sociedade em geral. Estatutariamente, todos os estudantes inscritos na FMUL têm o direito de participação democrática na vida associativa, designadamente o de elegerem e serem eleitos para cargos associativos (sendo as eleições anuais).
Como já disse, a abrangência dos projetos da AEFML é extensíssima. É tão extensa, que não tenho paciência nem tempo para os descrever todos aqui :p. Os seus departamentos são os seguintes (se tiveres interesse sobre algum ponto em particular, clica na respetiva hiperligação):
Grandes eventos:
  • Noite da Medicina - Falar da FMUL sem referir a Noite da Medicina seria um crime. Um dos melhores eventos que vocês terão o prazer de assistir enquanto caloiros e de assistir/participar nos anos seguintes. É um evento que tem vindo a ser realizado no Coliseu e mais recentemente no Campo Pequeno em que os professores, familiares dos alunos e alunos são convidados. Neste são apresentados sketches que satirizam a universidade, peças musicais, dança, teatro. O evento ocorre habitualmente nos primeiros dias de novembro. Divirtam-se no youtube a pesquisar pela Noite da Medicina da FML. Deixo alguns exemplos!


  • Olimpíadas da Medicina - são também um ícone da FMUL. É como uma viagem de finalistas.
Ver anexo 4693

  • AIMS Meeting - é a maior conferência médica europeia organizada por alunos de Medicina. Todos os anos, durante três dias, médicos, cientistas e estudantes reúnem-se e debatem alguns dos assuntos mais relevantes da nossa era. Além de teres a possibilidade de assistir a palestras lecionadas por alguns dos mais reputados profissionais de cada campo médico, poderás ainda envolver-te e atividades (como competições de investigação, clínicas e científicas), bem como programas culturais (principalmente para os estudantes que não são de Portugal).
  • Sarau Cultural - mais explícito o nome não podia ser. É um sarau estupendo onde assistimos a dança, canto e representação num evento organizado por e para alunos de Medicina. É como uma Noite da Medicina, mas no 2º semestre (e aposta muito mais na vertente cultural). É realizado na Aula Magna da ULisboa.
  • Magusto - evento recreativo que tem lugar em novembro, aquando da celebração do dia de São Martinho.
  • Hospital dos Pequeninos - pretende-se, através de um jogo de representação, reduzir a ansiedade que as crianças sentem quando confrontadas com um profissional de saúde. Por outro lado, pretende-se que os futuros profissionais de saúde utilizem os seus conhecimentos para ajudar as crianças a perderem o medo da “bata branca”, de uma maneira lúdico-didática adaptada à sua idade.
Outros projetos e eventos:
Contudo, nem todas as atividades extracurriculares dentro da FMUL estão vinculadas à AE:

Tradição e Ambiente Académicos
FML Lifestyle

Descrição por @lckk:
«Se repararem, embora a designação seja FMUL, Faculdade de Medicina de Lisboa, a grande parte dos estudantes de lá identifica-a como FML. Porquê? Primeiro, porque só havia uma faculdade de medicina em Lisboa (e sejamos honestos, continua a haver só uma de jeito :p - pequena picardaria com Santana: reconheço o grande mérito de ambas). Em segundo lugar... pesquisem no google FML e vejam o primeiro resultado. Está tudo dito!

Como qualquer faculdade de medicina, e a FML não escapa, a exigência é máxima. A responsabilidade que teremos no futuro é máxima. Os professores esperam brilhantismo, inteligência, esforço, dedicação e mérito. Para isso, adivinhem? Bastante horas de estudo, bastante atenção nas aulas e preparação destas. É claro que durante o semestre podemos por isto um pouco de lado, afinal também não podemos dar em doidos antes de sermos médicos :p Já durante a época de exames, para as pessoas normais, aí sim, só se vê livros à frente. No entanto, qualquer que seja o desfecho de qualquer exame... Bairro!

E agora chega um dos pontos fundamentais.
Eu quando estava a escolher a faculdade disseram-me: "na FML é tudo marrões de nariz empinado com a mania e que se lixam aos outros, é tudo pessoal competitivo".
Marrões? Sim, uma grande parte. Assim o curso o exige
Competitividade? Piada :p
O curso de Medicina é difícil por si só, ninguém está lá para dificultar alguém.

- Vejamos, os professores por norma não escrevem sebentas. E seria realmente complicado ler a bibliografia recomendada para todas as disciplinas, ir a todas as aulas teóricas...
Resultado, há inúmeras sebentas, desgravadas das aulas teóricas, resumos de livros feitos pelos alunos e partilhados na reprografia e Cloud's.

- Há sempre alunos nas bibliotecas/salas de estudo a estudarem juntos e que tiram dúvidas entre eles. Até agora nunca ninguém mais velho ou do meio ano recusou responder-me a alguma coisa.

- A uma grande parte das disciplinas há Monitores, que são alunos mais velhos que dão em conjunto com o Assistente as aulas práticas, tiram dúvidas, explicam melhor uma matéria, dão aulas extra etc...

- Há um sistema bem organizado de Mentores em que os Mentores são alunos do 2º ou de 3º ano que acompanham o percurso desde o início dos alunos de 1º ano (durante a matrícula podem inscrever-se neste projecto). Eles recomendam materiais de estudo, emprestam-nos, dão dicas, apresentam a faculdade, a cidade... Basicamente dá jeito, porque conhecem logo uma pessoa que vos orienta.

- Há também Praxe, em que pode escolher Madrinha/Padrinho, mas que vou dedicar um ponto a esta.»


Iniciativas de apoio aos alunos de 1º ano
A AEFML e a FMUL têm apostado nos últimos anos na criação de iniciativas de apoio aos alunos recém-chegados à faculdade. Não é difícil imaginar o que os alunos sentem quando transitam do ensino secundário para o ensino superior, as suas apreensões e ansiedades. É um mundo totalmente novo, estranho, assustadoramente aberto (e, por vezes, chega a parecer um pouco agreste). Considero que, e na falta de metáfora melhor, nos sentimos a cair de supetão sem para-quedas. Ora, várias iniciativas funcionam como esse para-querdas que evita o embate:
  • Mentoring - na semana das matrículas, serás convidado, na banca da AEFML, a proceder ao registo no Mentoring. É muito simples: preenches um questionário com os teus gostos e características e ser-te-á atribuído imediatamente o mentor que apresenta maior compatibilidade com os dados que introduziste. O mentor é responsável por te acompanhar ao longo do teu percurso académico (com maior enfoque no 1º ano, que é um ano de adaptação), dando conselhos sobre o melhor material de estudo ou esclarecendo qualquer dúvida que te possa surgir. O Mentoring surgiu há relativamente pouco tempo e está a ser um sucesso tremendo (de tal modo que a FMUL e a AEFML estabeleceram uma parceria na realização deste projeto).
  • Solvin'it - há sempre aquelas matérias que provocam o terror nos alunos, pela sua complexidade ou pelo facto de não terem sido suficientemente abordadas nas aulas. O Solvin'it consiste num conjunto de sessões que são lecionadas por alunos mais velhos.
  • Estágios de Iniciação Pedagógica - já descritos. Os alunos de anos seguintes que ficaram aprovados com distinção a determinadas cadeiras podem candidatar-se aos estágios de iniciação pedagógica, passando a ser monitores. A sua função é acompanhar os alunos subsequentes, prestando-lhes conselhos e auxiliando-os no decorrer das as aulas (e mesmo fora delas).
  • Espaço S - Tendo em consideração que os primeiros momentos na faculdade podem ser muito stressantes, bem como o período de avaliações, numa iniciativa conjunta da AEFML com a FMUL e com o apoio do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental do Hospital Santa Maria, foi criado o Espaço S com o objetivo de prestar apoio psicológico ao Aluno FMUL e intervir na promoção da Saúde Mental na faculdade. Trata-se de um Espaço onde poderás trabalhar, lidar, reflectir sobre os assuntos que para ti são essenciais para o teu bem-estar. Onde poderás compreender-te e compreenderes os teus problemas. Um espaço onde poderás ser tu, sem barreiras, onde o que tu achas ser importante é o que realmente é importante. Conta com um Psicólogo Clínico exclusivo, sem ligação de docência à FMUL. Pretende-se desta forma que o espaço seja um local independente e com autonomia que permita salvaguardar a confidencialidade de todos os que pretenderem ser recebidos.

Praxe
Comentário da @LFTBAS:
Segundo o Código de Praxe da nossa faculdade, a praxe corresponde "ao conjunto de usos, costumes e normas que governam as relações entre os estudantes do Ensino Superior", sendo que se aplica "a qualquer estudante do Ensino Superior que, voluntariamente, se vincule à mesma". Compreende diversas atividades que são realizadas ao longo do ano letivo, tendo como objetivo principal, na minha opinião, integrar os novos alunos da faculdade. No início do ano letivo, há atividades, como, por exemplo, os Jogos Tradicionais e o Torneio Olímpico do Caloiro. Não sei em que é que consiste a 1ª atividade, mas a 2ª inclui vários jogos desportivos entre os caloiros e os "doutores". Em outubro, temos mais algumas atividades. Depois, existem as quintas "negras". Basicamente, ao longo do ano letivo, os caloiros e os "doutores" reúnem-se uma vez por semana para discutirem sobre um determinado tema. Em fevereiro, há mais 1/2 atividades para além das quintas "negras" e, depois, temos o batismo em março - o(a) caloiro(a) pode ser batizado(a) pelo(a) seu/sua padrinho/madrinha ou, então, pela CP (Comissão de Praxe). A seguir ao batismo, há mais 2/3 quintas "negras" e depois vem a semana da queima das fitas em maio (não é só para a praxe). Essa semana termina com a serenata monumental, que é quando os caloiros deixam de ser caloiros (am I right?). Além disso tudo, aprende-se imensas músicas - algumas delas são agradáveis e representam o nosso curso, mas depois há outras que têm com cada palavra... :tearsofjoy:
A praxe da FMUL é considerada bastante soft. Como já referi algures, ninguém é sujado nem humilhado e não há bebedeiras às quintas "negras" (aparentemente, elas existem noutras faculdades). O ambiente costuma ser fixe (principalmente no 2º semestre, que é quando as pessoas já se conhecem melhor).

Existe um passaporte onde são registadas as presenças dos caloiros nas atividades (quando vais a uma quinta "negra", por exemplo, no fim, pedes a um(a) "doutor(a)" para te dar uma assinatura). Antes do batismo, tens de entregar o passaporte à CP para verem o que fizeste ao longo do ano.

Os caloiros que vão à praxe devem vestir sempre essa t-shirt. Mas vais precisar dela mesmo que não vás à praxe (para a Noite da Medicina).

Não sei se expliquei bem, mas é isso o que acontece, muito resumidamente. Pode ser que alguém te consiga explicar mais alguma coisinha (eu fui praxada poucas vezes).

Ah, se não quiseres ir à praxe, estás à vontade. É frequente haver pessoas que não se identificam com a praxe (se bem que algumas delas depois acabam por ir no 2º ano xD).

Sobre as residências universitárias, não te consigo ajudar. Estive sempre num quarto alugado em Lisboa.
Aqui deverás encontrar mais informações úteis sobre isso: Alojamento Universitário, Residências ULisboa

Sendo estudante deslocada, adaptei-me bem a Lisboa e adoro a cidade! Mas a experiência pode variar de pessoa para pessoa, claro!
 
Olá Clara!!

Sim, acho que essa média é bastante boa para a FMUL.
Ontem respondi a essas mesmas questões no tópico dos aspirantes, deixo aqui a resposta:


Sendo estudante deslocada, adaptei-me bem a Lisboa e adoro a cidade! Mas a experiência pode variar de pessoa para pessoa, claro!
Ok, muito obrigada pelo esclarecimento, ajudou imenso! Beijinhos 😘
 
  • Fabulous
Reactions: doctorwhy
Olá!

Estou bastante indeciso entre a NMS e a FML. Neste momento, estou mais inclinado para a NMS, em grande parte por causa dos anos clínicos. Vi no entanto que na FML vai haver uma reforma dos anos clínicos, que talvez mexa um bocado com as coisas. Alguém quer falar no geral no que é que vai mudar com a reforma? E em particular, o rácio tutor-aluno vai mesmo ser melhorado?

Edit: Uma das coisas que me atrai na NMS é os estágios das especialidades serem ‘contiguos’: pelo que percebi, lá passa-se tipo 3 semanas numa especialidade, 1 noutra, etc., enquanto que na FML é mais do género: uma especialidade à terça, outra na quarta, etc. Isto também vai ser alterado com a reforma?
 
  • Like
Reactions: Simon_PE
Olá! :)
Alguém quer falar no geral no que é que vai mudar com a reforma? E em particular, o rácio tutor-aluno vai mesmo ser melhorado?
Citando o que já foi dito numas páginas atrás:
Atualmente, os anos clínicos são divididos nos chamados semestres de Medicina e Cirurgia. Um dos objetivos major dessa reforma consiste na criação da maior integração possível entre Medicina e Cirurgia, sendo que o mesmo vai acabar por se aplicar, naturalmente, à avaliação. Outra alteração, como já foi referido, será ao nível do rácio tutor:aluno, sendo o objetivo 1:4. Pretende-se ainda que haja um docente de Medicina responsável por uma turma. Foram apresentadas mais alterações, mas essas já acabam por incluir termos demasiado específicos... tudo para dizer que o que se pretende com esta reforma é tornar o ensino na FMUL cada vez mais integrado.
Isto foi o que nos apresentaram em janeiro de 2019: Reforma-Ensino-Clínico_Proposta.pdf
Entretanto houve uma sessão de esclarecimentos, julgo eu, mas eu não fui e depois meteu-se a covid pelo meio e não só a reforma foi adiada para 21/22, como não sei se alteraram alguma coisa entretanto daquilo que nos apresentaram anteriormente. Mas pronto, já dá uma boa ideia do que se pretende no futuro. E sim, o rácio vai ser melhorado, como já dito acima.

É assim, a NMS começa os anos clínicos no 3º ano, sim, porque efetivamente passam muito mais tempo no hospital e tal, mas, a meu ver, acaba por ser um ano híbrido, porque ainda têm algumas cadeiras teóricas de ano pré-clínico, uma ou outra do mesmo género de cadeiras que tive no 2º ano e vou ter no 3º ano, por exemplo. E na FML, tens ainda um certo tempo de estágios nos 3 primeiros anos, que acho que são o suficiente para o nível de conhecimento clínico (que é pouco, claramente) que temos na altura. No 3º ano, temos o estágio de maior duração, que é pouco mais de um mês. E como em qualquer estágio, tudo depende da produtividade e da sorte que tiveres. Às vezes ficas a segurar paredes por demasiadas horas (isto acontece um pouco por todas as faculdades, mas isso já é outra conversa ahahah).
E mais, a prática que tens ou não, até pode ir para além daquilo que o curso te oferece em si. Por exemplo, eu estagiei no verão passado, durante 3 semanas, no hospital da minha cidade, por vontade própria. Estive em Medicina Interna, 1 dia no bloco e 1 dia nos cuidados paliativos. E foi tudo voluntariamente - claro que envolve papelada e tal com o respetivo gabinete de formação do hospital e arranjar um tutor disponível, não é simplesmente aparecer lá. Integrei uma equipa médica (com especialistas, internos de especialidade, internos de ano comum e tb estavam lá outros estudantes, para além de mim), acompanhei-os, explicaram-me e deixaram-me fazer imensas coisas, pratiquei alguns gestos clínicos, fiz gasimetrias (punção arterial), coisas que provavelmente, pelo curso, só começaria a fazer nos anos clínicos. Ah e antes disso, no final do 1º ano, o meu professor de anatomia foi super prestável e recebeu-me a mim e a uma colega no seu serviço e foi aí que fiz a primeira gasimetria a um doente. E também já foi possível alguns alunos fazerem urgências com ele (ainda me hei de aventurar nisso, se for possível). Portanto, também a nossa experiência depende daquilo que procuramos, em termos de oportunidades, para além daquilo que o curso nos oferece.

Edit: Uma das coisas que me atrai na NMS é os estágios das especialidades serem ‘contiguos’: pelo que percebi, lá passa-se tipo 3 semanas numa especialidade, 1 noutra, etc., enquanto que na FML é mais do género: uma especialidade à terça, outra na quarta, etc. Isto também vai ser alterado com a reforma?
Nisto não te consigo dizer com certeza, mas parece-me que eles ficam algum tempo seguido numa certa especialidade... ou vá, por outras palavras, vão durante certo tempo seguido para o mesmo serviço estagiar... não percebo a lógica de saltar entre especialidades diariamente... mas lá está, não estou muito dentro desse assunto ainda...
@lckk como é que foi contigo?
Estou bastante indeciso entre a NMS e a FML.
Deixo aqui este post do droggy, acho que resume bem a questão NMS vs FML:
Sinceramente as duas faculdades em Lisboa são idênticas mas simultaneamente muito diferentes - é díficil dizer qual é a melhor até porque a própria experiência individual de cada um varia imenso. Se tu ouvisses as conversas que eu tive ao longo dos anos do curso com alguns colegas meus irias pensar que cada um tinha estado em faculdades diferentes.

Vamos a pontos mais objectivos:
a) A NOVA não tem tese de mestrado como as restantes faculdades do nosso país o que torna o 6º ano muito menos trabalhoso nesse aspecto (só temos de elaborar um relatorio de estágio). Há sempre rumores que irá mudar mas até agora nao aconteceu e muito sinceramente duvido que aconteça.
b) A FMUL permite que no 6º ano faças fora de Lisboa (podes ir para o Norte p.e) os estágios obrigatórios (ou pelo menos alguns dos estágios). Na NOVA, tens que fazer tudo em Lisboa. A unica excepção será a opcional de 2 semanas no fim que podes fazer noutro sítio qualquer do país (mas muita gente tem equivalências por fazer intercâmbios).
c) Habitação / distância hospitais - é a meu ver mais fácil arranjar habitação relativamente fixe e a preços não tão caros nas zonas próximas da FMUL do que na NOVA. Na NOVA tens muitos hospitais dispersos (e que variam de ano para ano) a "melhor" localização da tua casa. E alguns são relativamente longe como o amadora-sintra, vila franca de xira, cascais, etc. Sobretudo para quem nao tem carro, há alguns hospitais muito complicado e caro de chegar.
d) Relacionado com o ponto C, tens a questão de Carcavelos que o Covid veio certamente ainda baralhar mais as coisas. Ninguem sabe como se vai processar a mudança, como serão as aulas obrigatórias, etc. Prevejo (mas é a minha impressão que pode estar absolutamente errada) que vai haver muita confusão no inicio e muita chatice e muita injustiça. Apesar de nos ultimos anos o papel do edificio da faculdade em si ser mais diminuído (visto que andas pelos hospitais) a verdade é que vais ter sempre uma ou outra aula obrigatória e pode ser complicado gerir a coisa.

Eu diria que para quem já vive em Lisboa, escolha a faculdade que esteja mais perto de sua casa. Para quem é de fora, eu diria para escolher a FMUL (e contra mim falo) porque vai ter muito mais estabilidade (again, carcavelos) no futuro e tb porque é mais fácil arranjar habitação próximo (e acreditem que perder 2h/dia ou mais em transportes é uma seca descomunal).
Post automatically merged:

A avaliação prática é através de uma gincana
Só para atualizar esta parte: atualmente já não existe gincana nas Anatomias do 1º ano, como avaliação prática.
Agora, é um exame oral, digamos "normal", em que entram numa sala, sentam-se à frente do vosso assistente, que vos acompanhou durante o semestre nas aulas práticas, e este faz-vos perguntas. Quando as orais voltaram, que foi há pouco mais de um ano atrás, também foi decidido que os assistentes teriam que fazer um documento com todas as perguntas, que podem ser feitas na oral, para diminuir as discrepâncias que podem haver entre assistentes, em termos de perguntas feitas aos alunos. Esse documento é sempre disponibilizado durante o semestre.
 
Última edição:
Olá! Gostava que me ajudassem a esclarecer algumas questões relativas ao curso de Medicina na FMUL:
  • Quais são os hospitais dos anos clínicos? ( Ou onde posso consultar essa informação)
  • Como é a acessibilidade a laboratórios anatómicos para estudar, por exemplo, o Instituto de Anatomia? Os estudantes podem facilmente ir para estes espaços ou é um processo muito burocrático? E que outros espaços semelhantes a este existem para estudar?
  • Não estou muito bem esclarecida como funcionam os anos clínicos !?
Obrigada pela disponibilidade!
 
Olá!!

Quais são os hospitais dos anos clínicos? ( Ou onde posso consultar essa informação)
Bem, eu ainda não cheguei aos anos clínicos e fui ver se encontrava essa informação. Sei alguns, até porque fazem parte das opções que temos num dos estágios do 1º ano, mas não tenho a certeza se são todos.

Deixo aqui alguns posts antigos que reunem alguma informação:
Correto, geralmente a escolha dos hospitais é por candidatura e respetivo sorteio com base na tua preferencia. A "oferta" de hospitais varia de ano para ano. Mas há vários hospitais com os quais a FML tem protocolo nomeadamente (os que eu já ouvi falar até agora) Hospital Santa Maria, Hospital Pulido Valente, Hospital Fernando Fonseca, Hospital Beatriz Angelo, Hospital Garcia Orta, Hospital das Forças Armadas, Lusiadas e Cascais.
Medicina Interna (HSM, Pulido Valente, Amadora ou Almada), Cardiologia e Pneumologia (HSM ou Pulido Valente) tens práticas de manhã (4h)
Pediatria (HSM ou Lusíadas)
Cirurgia Geral: 2 aulas e meia por semana de cirurgia geral (no HSM, no S. José/Curry ou em Almada)
Cirurgia Plástica: aulas teóricas + 1 aula prática (na CUF, HBA ou no HSM
Psiquiatria: aulas no HSM ou no Júlio de Matos
Também encontrei isto no site da faculdade: Instituições Afiliadas
b) A FMUL permite que no 6º ano faças fora de Lisboa (podes ir para o Norte p.e) os estágios obrigatórios (ou pelo menos alguns dos estágios). Na NOVA, tens que fazer tudo em Lisboa. A unica excepção será a opcional de 2 semanas no fim que podes fazer noutro sítio qualquer do país (mas muita gente tem equivalências por fazer intercâmbios).
Portanto, suspeito que alguns dos hospitais fora de Lisboa, que aparecem nessa página de instituições afiliadas, sejam as possibilidades que existem para o 6º ano. Só vou ter uma noção mais clara do assunto quando lá chegar. De qualquer forma, pode ser que algum colega dos anos clínicos veja estes posts e consiga te esclarecer melhor do que eu.

Como é a acessibilidade a laboratórios anatómicos para estudar, por exemplo, o Instituto de Anatomia? Os estudantes podem facilmente ir para estes espaços ou é um processo muito burocrático? E que outros espaços semelhantes a este existem para estudar?
Podes ir estudar para o Instituto de Anatomia à vontade, respeitando os horários que eles estabelecem (agora não me lembro de cor). Lá também podes estudar com os vários ossos, que estão guardados num armário. É questão de pedir ao responsável que lá esteja para ir buscar aquilo que precisas. No 2º ano, também costumamos ir para lá para estudar os modelos que podem sair na OSCE. É simples, nada de burocrático.

Existem imensos espaços para estudares (clica onde diz "spoiler" para abrires as imagens e mais info):
Os espaços de estudo:
As instalações da faculdade e da Associação de Estudantes (AEFML) albergam variados espaços de estudo:
  • Aberta 21h/dia
    [*]
    imagem_15_10-620x412.jpg
  • B_Med_05_Peq.jpg
    B_Med_07_Peq-1024x683.jpg
  • Capacidade superior a 100 lugares e aberta 24h/dia. IMG_6086.JPG
  • Aberta 24h/dia P1090197.JPG
  • não encontrei foto, sad :(
Para além disto, podes sempre ir estudar para outros espaços da Universidade de Lisboa. Algumas pessoas vão para a faculdade de Letras, para Direito, para a Cantina, para o Caleidoscópio, etc.
Não estou muito bem esclarecida como funcionam os anos clínicos !?
Com a reforma dos anos clínicos, também não te consigo dizer a 100% como vai funcionar, mas os anos clínicos, na sua base, têm muitas horas de estágio num hospital e algumas horas de teoria. Enquanto que nos anos pré-clínicos, é muito mais teoria do que prática. Podes ver na primeira página, como é que funciona o 4º ano, até agora, antes da reforma.
4º ano:
É dividido o ano em 2 rotações: metade começa em Medicina, metade começa em Cirurgia.

Rotação de Medicina: Medicina + Pediatria
Medicina contém: Medicina Interna, Cardiologia, Pneumologia, Terapêutica, Oncologia, Dermatologia e Medicina Laboratorial
De manhã tens aulas práticas, à tarde, tens geralmente, 2h de seminários (teóricas obrigatórias).
Medicina Interna (HSM, Pulido Valente, Amadora ou Almada), Cardiologia e Pneumologia (HSM ou Pulido Valente) tens práticas de manhã (4h): tens um tutor, e cada tutor atribuí algo a fazer nesse dia - colher uma história, e discuti-la; treinar o exame objectivo; ver exames complementares de diagnóstico, discuti-los e elaborar planos de tratamento, fazer uma apresentação, discutir algum tema, algum caso na enfermaria, aprender a fazer pequenos procedimentos etc...
Nota: as práticas destas 3 disciplinas dependem muito de tutor para tutor, e do que cada um quer dedicar a estas; para além do tempo de aulas, é comum pedir para ir fazer bancos com os assistentes.
Há uma manhã reservada para Dermato e para Medicina Laboratorial: teórica de dermato de manhã, TP ou prática depois; a TP é basicamente outra teórica, a prática, consiste em assistir a consultas ou ir à enfermaria
Terapêutica, é uma TP (uma espécie de teórica obrigatória): à tarde, 1h e tal a falar sobre cada grupo de fármacos e como os usar.

Avaliação da Medicina toda: exame teórico + oral

Pediatria (HSM ou Lusíadas): aulas na sexta, semelhante às práticas de Medicina, mas numa enfermaria de Pediatria (ou Urgência, ou Neonatologia, ou Consulta...)
Avaliação de Pediatria: exame teórico + aulas práticas + trabalho de campo + oral

Rotação de Cirurgia:
Mesmo esquema: teóricas de tarde, práticas de manhã
Cirurgia Geral: 2 aulas e meia por semana de cirurgia geral (no HSM, no S. José/Curry ou em Almada): no bloco, nas urgências, na consulta ou na enfermaria a acompanhar o tutor
Cirurgia Plástica: aulas teóricas + 1 aula prática (na CUF, HBA ou no HSM - consiste em ir a assistir a consultas, ou ir ao bloco; os profs dão oportunidade em voltar lá se estiverem interessados)
Cirurgia Vascular: aulas teóricas + 2 TPs (teóricas obrigatórias)
Avaliação das 3 ciurgias: exame teórico + exame escrito prático + avaliação das práticas

Oftalmo: aulas teóricas + aulas práticas (assistir a consultas, treino de técnicas básicas e assistir aos exames todos xpto)
Avaliação: exame teórico + exame prático com imagens + avaliação das práticas

Neuro: aulas teóricas + aulas práticas (assistir a consultas, na enfermaria colher histórias clínicas e treinar o exame neurológico; podem pedir para ir a um banco de Neuro)
Avaliação: exame teórico + OSCE + práticas
Psiquiatria: aulas no HSM ou no Júlio de Matos, geralmente, falar com um doente sobre a sua história e delinear qual o Diagnóstico que proporiamos.
Mesmo com a reforma, não há de fugir muito deste esquema.
 
Obrigada pela visível dedicação na resposta muitíssimo completa!! 😍

Olá!!


Bem, eu ainda não cheguei aos anos clínicos e fui ver se encontrava essa informação. Sei alguns, até porque fazem parte das opções que temos num dos estágios do 1º ano, mas não tenho a certeza se são todos.

Deixo aqui alguns posts antigos que reunem alguma informação:






Também encontrei isto no site da faculdade: Instituições Afiliadas

Portanto, suspeito que alguns dos hospitais fora de Lisboa, que aparecem nessa página de instituições afiliadas, sejam as possibilidades que existem para o 6º ano. Só vou ter uma noção mais clara do assunto quando lá chegar. De qualquer forma, pode ser que algum colega dos anos clínicos veja estes posts e consiga te esclarecer melhor do que eu.


Podes ir estudar para o Instituto de Anatomia à vontade, respeitando os horários que eles estabelecem (agora não me lembro de cor). Lá também podes estudar com os vários ossos, que estão guardados num armário. É questão de pedir ao responsável que lá esteja para ir buscar aquilo que precisas. No 2º ano, também costumamos ir para lá para estudar os modelos que podem sair na OSCE. É simples, nada de burocrático.

Existem imensos espaços para estudares (clica onde diz "spoiler" para abrires as imagens e mais info):

Para além disto, podes sempre ir estudar para outros espaços da Universidade de Lisboa. Algumas pessoas vão para a faculdade de Letras, para Direito, para a Cantina, para o Caleidoscópio, etc.

Com a reforma dos anos clínicos, também não te consigo dizer a 100% como vai funcionar, mas os anos clínicos, na sua base, têm muitas horas de estágio num hospital e algumas horas de teoria. Enquanto que nos anos pré-clínicos, é muito mais teoria do que prática. Podes ver na primeira página, como é que funciona o 4º ano, até agora, antes da reforma.

Mesmo com a reforma, não há de fugir muito deste esquema.
 
  • Fabulous
Reactions: doctorwhy
O 6º ano fazes onde te apetecer. Há muitos hospitais da grande Lisboa e fora de Lisboa com protocolo criado e é só escolher a vaga. Aliás, até podes ir bater porta a porta a pedir que te aceitem os estágios noutros hospitais não protocolados, que se aceitarem podes ir.
Durante os outros 5 anos, são basicamente quase todos os hospitais da Grande Lisboa excepto os que estão directamente associados com a NOVA (CHLO acho que nunca, CHULC há algumas hipóteses em algumas cadeiras).
 
Olá, boa tarde. Tinha uma dúvida em relação à matrícula e a outros processos para entrar na FMUL. Por exemplo, no técnico é preciso a chave móvel digital. Nós precisamos disso para fazer alguma coisa? No site da FMUL para a matrícula já vi que era preciso o cc, o pré-requisito e fotos, mas o site é tão confuso para mim já estou toda confusa...
 
Olá, boa tarde. Tinha uma dúvida em relação à matrícula e a outros processos para entrar na FMUL. Por exemplo, no técnico é preciso a chave móvel digital. Nós precisamos disso para fazer alguma coisa? No site da FMUL para a matrícula já vi que era preciso o cc, o pré-requisito e fotos, mas o site é tão confuso para mim já estou toda confusa...
Olá!!

Tudo o que for preciso será transmitido a tempo e a horas aos novos alunos. Normalmente, essa informação é colocada no site da faculdade, na altura em que saem os resultados das colocações. Sobre essa chave móvel digital, nunca foi preciso até hoje e se fosse preciso fazer algo fora do comum com antecedência, provavelmente essa informação já estaria disponível.
 
  • Like
Reactions: MedDreamer
  • Like
Reactions: Dans15
Em termos de livros para os alunos do 1º ano, é recomendado comprar algum?
Para já, recomendo que esperes pelo início do ano para perceberes o que é que é realmente necessário ou não comprares, porque é um investimento considerável.
Nas próprias aulas e nos guiões das disciplinas, terás informação sobre a bibliografia recomendada.
Eu comprei alguns livros e acabei por me arrepender, porque passei a consultar muitos desses calhamaços pelo computador, que se arranjam facilmente e se partilham entre os vários anos pela drive. Já cheguei também a pedir emprestado um livro a uma amiga do ano à frente do meu, em vez de comprar.

Vais receber conselhos dos vários colegas mais velhos, do teu mentor ou mentora e, quem sabe, até encontras colegas, nos grupos do fb, que estão a vender os seus materiais e livros em bom estado por preços mais baratos.

Costumamos ter uma feira solidária na faculdade em meados de outubro em que se vendem livros e sebentas em 2.ª mão, por preços muito bons. Não sei se irá acontecer este ano...
 
  • Like
Reactions: David F
Para já, recomendo que esperes pelo início do ano para perceberes o que é que é realmente necessário ou não comprares, porque é um investimento considerável.
Nas próprias aulas e nos guiões das disciplinas, terás informação sobre a bibliografia recomendada.
Eu comprei alguns livros e acabei por me arrepender, porque passei a consultar muitos desses calhamaços pelo computador, que se arranjam facilmente e se partilham entre os vários anos pela drive. Já cheguei também a pedir emprestado um livro a uma amiga do ano à frente do meu, em vez de comprar.

Vais receber conselhos dos vários colegas mais velhos, do teu mentor ou mentora e, quem sabe, até encontras colegas, nos grupos do fb, que estão a vender os seus materiais e livros em bom estado por preços mais baratos.

Costumamos ter uma feira solidária na faculdade em meados de outubro em que se vendem livros e sebentas em 2.ª mão, por preços muito bons. Não sei se irá acontecer este ano...
Muito obrigado!
 
  • Like
Reactions: doctorwhy