Fuga de Informação Exame de Português

 
Se por acaso estas a ler isto e és a miuda dona da voz daquele audio, inha querida, estimo muito que te f#$%&, que Deus te recompense na medida do que mereces ;)

Não percebo. Que culpa tem ela?
 
  • Like
Reactions: Hedwig
Eu também discordo com a anulação a nível nacional de todas as provas de Português. Milhares de alunos que prestaram a prova não tiveram acesso à tal informação e realizaram o exame ordinariamente. Agora: houve fuga de informação? Claro está que sim, houve, mas o conteúdo que foi revelado na gravação daquela aluna era assim tão específico ao ponto de anular as provas de toda a gente? Não. De quem é a culpa da fuga de informação? De alguém dentro do IAVE que não cumpriu com o sigilo profissional e se não cumpriu, tem que ser penalizado. Os alunos não podem ser penalizados por algo que lhes é alheio. Só o IAVE se pode e tem que responsabilizar pelo ocorrido. Além disso: deixem-se de hipocrisia. Acho perfeitamente normal que a maioria se sinta injustiçada caso o exame seja anulado pois alguém que se preparou devidamente e tirou se calhar boa nota pode ver a descer por o exame poder dessa vez incidir em temas mais complicados, essa do "Se estudou mesmo sabe tudo" isso não é e verdade nem nunca será. Penso que a resolução do problema passará por punir severamente o autor da fuga (não a tal presidente ou aluna, uma vez que estas praticamente foram apenas os difusores da informação) é reformular métodos e talvez o número de pessoas que têm acesso ao exame. Adotar um sistema diferente.
 
Última edição:
  • Like
Reactions: Alfa
Segundo o que depreendo do regulamento, as anulações de que se falam são pontuais (isto é, anulações dos exames dos alunos que comprovadamente beneficiaram da fuga). Isto significa, portanto, que não se está a ponderar uma anulação global das provas, coisa que só faria sentido se a fuga atingisse maiores proporções. O problema da @LuísaF, a meu ver, é que está permanentemente a fazer alusões a regulamentos que, na verdade, não prevêem anulações globais de exames e a notícias que preferem abordar a temática na sua vertente sensacionalista, pondo em xeque, naturalmente, a qualidade e clareza da informação que já apresentada pelo IAVE até ao momento.

Os meios de comunicação podem conjeturar sobre uma anulação (de modo sensacionalista), mas não podem afirmar que algo é previsto nos regulamentos só porque sim. Isso não é ser sensacionalista, é passar informação falsa. E nunca essa informação foi negada por nenhum organismo, que é livre de o fazer.

Quanto à informação apresentada pelo IAVE, que claridade e clareza? Dizem que enviaram o processo para o ministério público, nem podem dizer muito mais.
 
Os meios de comunicação podem conjeturar sobre uma anulação (de modo sensacionalista), mas não podem afirmar que algo é previsto nos regulamentos só porque sim. Isso não é ser sensacionalista, é passar informação falsa.

Não seria a primeira vez que os meios de comunicação sugerem ou insinuam alguma coisa para criar algo que não existe.

Eu li algumas notícias e não detectei qualquer referência a regulamentos ou mecanismos oficiais de anulação, apenas insinuações vagas, por vezes só no título. Podes partilhar a notícia que fazia referência a isso de modo mais explícito?
 
Última edição:
  • Like
Reactions: davis

Mil obrigadas a sério! Não encontrei essa!

Não seria a primeira vez que os meios de comunicação sugerem ou insinuam alguma coisa para criar algo que não existe.

Eu li algumas notícias e não detectei qualquer referência a regulamentos ou mecanismos oficiais de anulação, apenas insinuações vagas, por vezes só no título. Podes partilhar a notícia que fazia referência a isso de modo mais explícito?

Sobre a anulação?
Por exemplo, esta fala: Exame de português pode ser anulado: inquérito aberto - E-Konomista
 

"Caso seja comprovada a fuga de informação antes da realização do exame, de acordo com o regulamento em vigor, a prova deverá ser anulada."

Continuo sem perceber qual o regulamento em vigor. Se for aquele que já aqui partilharam, é muito duvidoso que se aplique a esta situação.


Esta é ainda mais vaga sobre a anulação.
 
"Caso seja comprovada a fuga de informação antes da realização do exame, de acordo com o regulamento em vigor, a prova deverá ser anulada."

Continuo sem perceber qual o regulamento em vigor. Se for aquele que já aqui partilharam, é muito duvidoso que se aplique a esta situação.



Esta é ainda mais vaga sobre a anulação.


Sim, também não sei. Mas se anulação é confirmada como possibilidade, a possibilidade há de estar prevista nalguns regulamentos.

Não resisto a apontar o erro de português:

"Até lá, explica o instituto responsável pelos exames nacionais, espera que os investigadores apurem se a fuga sobre o conteúdo dos exames circulou antes ou depois da realização da prova."

Uma fuga circular depois é complicado :D
 
Sim, também não sei. Mas que anulação está a ser ponderada está. Logo, a possibilidade há de estar prevista nalguns regulamentos.

Não sei se está. A minha suspeita é a de que alguém encontrou o regulamento aqui partilhado e tirou (ou quis tirar) daí a conclusão que ele se aplicava a esta situação. A notícia que partilhaste agora dá-me mais segurança de que se trate do mesmo regulamento: "como estipula o regulamento dos exames nacionais em caso de fraude."

Não seria surpresa para mim que a imprensa tenha decidido insinuar a possibilidade de uma anulação, socorrendo-se de um regulamento duvidoso, para lançar uma sombra sobre o processo de realização dos exames nacionais. Como disse antes, não seria a primeira vez que algo assim acontece.
 
  • Like
Reactions: LordKelvin
Olá a todos, vou dar a minha opinião, não estou a dizer que não percebo os lados, porque percebo perfeitamente!!
Vamos começar no início (vou usar tópicos para ser mais fácil alguém responder e também diferenciar os meus argumentos).

1) Não sei se isto está correto, mas pelo que percebi nos ultimos dias: CASO se comprove a fuga a lei diz que o exame tem de ser anulado, ou seja, a JUSTIÇA diz que tem de ser anulado, contudo, os alunos sao pessoas e anular a tanta gente está JUSTIÇA passa a ser INjustica, porque? Vem comigo ao 2) ponto

2) Os exames de português ou história são exames abstratos e não exatos, como os de matemática A (que conseguimos mais ou menos adivinhar o que sai, complexos, geometria, derivadas...), isto é, preferia que me anulassem o de matemática porque eu sei a tipologia das perguntas

3) contudo o de português é muito mais abstrato, sai obras que eu dei, mas a interpretação é feita na hora, tanto me pode correr bem como me pode correr mal e também depende se acordei bem ou mal, ou do tempo

Quero eu dizer com isto: anular o exame de português é a JUSTIÇA, mas ao mesmo tempo é injustiça porque vamos ter de interpretar algo na hora (e pode ser mais difícil ou mais fácil), na gramática posso estar mais familarizado com os deiticos (que saíram no dia 19) e podem não sair no "exame a repor a 1 fase" e por ultimo, não nos esquecemos de algo muito importante, o grupo 3, que pelo que vi, ninguém o utilizou. Por exemplo, está composição correu-me bem, sabia os argumentos e exemplos a utilizar, contudo se este for anulado a próxima composição pode ser mais difícil para mim (quem diz para mim diz para o resto das pessoas, o meu objetivo não é focar as atenções em mim, apenas me estou a utilizar como exemplo). Vou citar a minha professora de português, após eu, no dia anterior ao exame me ter mostrado preocupado com a composição: "normalmente consegues tirar boa nota na composição, mas depende, às vezes escreves-me uma super boa e às vezes outras super mas, depende do tema" (claro que não a estou a citar, estou a transmitir o modo de pensamento).

Tivemos quase todos acesso à fuga falsa (memorial e Cesário) e se tivesse saído essas obras, e houvessem outros alunos a reclamar, será que íamos comê-los vivos? Será que íamos perceber? Pensem nisso

Em conclusão, e repetindo-me, anular o exame de português é complicado, pois as matérias podem nao ser as mesmas, neste nao saiu funções sintáticas e no "novo" pode sair (e eu posso não perceber nada de funções sintáticas).
Percebem o que eu quero dizer? Não quero passar como agressivo, só estou a dizer o meu ponto de vista e se for anulado, foi anulado, não vou reclamar e vou fazê-lo e se for anulado também não vou reclamar.

Espero que corra tudo bem para vocês :)
 
  • Like
Reactions: LuísaF
Não sei se está. A minha suspeita é a de que alguém encontrou o regulamento aqui partilhado e tirou (ou quis tirar) daí a conclusão que ele se aplicava a esta situação. A notícia que partilhaste agora dá-me mais segurança de que se trate do mesmo regulamento: "como estipula o regulamento dos exames nacionais em caso de fraude."

Não seria surpresa para mim que a imprensa tenha decidido insinuar a possibilidade de uma anulação, socorrendo-se de um regulamento duvidoso, para lançar uma sombra sobre o processo de realização dos exames nacionais. Como disse antes, não seria a primeira vez que algo assim acontece.

Não é a imprensa, é o IAVE que confirma.
 
Não é a imprensa, é o IAVE que confirma.

É o IAVE que confirma o quê? Não vi o IAVE confirmar o que quer que fosse relativamente a uma anulação nessas notícias.
 
É o IAVE que confirma o quê? Não vi o IAVE confirmar o que quer que fosse relativamente a uma anulação nessas notícias.

"O IAVE - Instituto de Avaliação Educativa - vai decidir durante esta semana se anula o exame nacional de Português do 12.º ano, por causa de uma alegada fuga de informação sobre o conteúdo da prova que foi realizada na passada segunda-feira .Contactado pelo i, o IAVE não adianta quando será tomada uma decisão dizendo apenas que «só no início da próxima semana» haverá mais informação sobre o futuro da prova."
 
"O IAVE - Instituto de Avaliação Educativa - vai decidir durante esta semana se anula o exame nacional de Português do 12.º ano, por causa de uma alegada fuga de informação sobre o conteúdo da prova que foi realizada na passada segunda-feira .Contactado pelo i, o IAVE não adianta quando será tomada uma decisão dizendo apenas que «só no início da próxima semana» haverá mais informação sobre o futuro da prova."

Não confirma, portanto, que tal esteja previsto nos "regulamentos".
 
Antes de mais, se calhar era boa ideia veres outras notícias também. ;)
Essa é a mais recente, de sábado passado. Contudo, a pessoa que denunciou a fuga de informação (não vou por nomes), diz ter tido conhecimento da mesma no sábado antes do exame. Logo, tendo em conta a cronologia, a fuga foi comprovadamente antes da realização da prova.
Mas quem devia ser ponido era quem andou a passar essa informação e não os alunos que realizaram o exame que pode ser o seu 'passaporte' para a entrada na Universidade.
 
  • Like
Reactions: mrscurious
Não pode ser possível acontecer algo que não esteja nos regulamentos.

Então, repito, mostrem-me onde está isso nos regulamentos. O que foi aqui partilhado não me satisfaz. Não houve qualquer fraude por parte dos alunos.

Mas quem devia ser ponido era quem andou a passar essa informação e não os alunos que realizaram o exame que pode ser o seu 'passaporte' para a entrada na Universidade.

Precisamente.
 
Então, repito, mostrem-me onde está isso nos regulamentos. O que foi aqui partilhado não me satisfaz. Não houve qualquer fraude por parte dos alunos.
.


O que estou a dizer é que, se anulação não estivesse prevista em nenhuns regulamentos, IAVE não poderia apresentá-la como possibilidade.
É legítimo exigires veres de que regulamentos se tratam
 
O que estou a dizer é que, se anulação não estivesse prevista em nenhuns regulamentos, IAVE não poderia apresentá-la como possibilidade.
É legítimo exigires veres de que regulamentos se tratam

Eu sei lá o que disse o IAVE. A notícia põe entre aspas apenas a expressão "só na próxima semana". Portanto, a conclusão que tiro é a de que na próxima semana o IAVE fará/dirá/decidirá alguma coisa. O resto, tanto quanto sei, pode ser liberdade excessiva do jornalista.
 
Não confirma, portanto, que tal esteja previsto nos "regulamentos".

Então, eu não sei se perecebi bem, mas pelo que entendi há um regulamento qualquer.
Pelo que li na mais recente notícia que até tiveram a gentileza de anunciar aqui, diz "a suspeita de fraude que venha a verificar-se posteriormente à realização de qualquer prova implica a suspensão da eventual eficácia dos documentos entretanto emitidos".

Mas quem devia ser ponido era quem andou a passar essa informação e não os alunos que realizaram o exame que pode ser o seu 'passaporte' para a entrada na Universidade.

Quem não tem nada a ver com isso e nem sabia da existência da fuga antes das notícias não devia ser prejudicado. Pelo menos acho eu.