História A - Exame

alexd0610

Membro
Matrícula
28 Outubro 2017
Mensagens
19
Alguém me pode mandar um link ou dizer quais as matérias que deva estudar para o Exame de História? É que não consigo encontrar isso em lado nenhum...
 

Augusto Pontes

Membro Caloiro
Matrícula
6 Junho 2019
Mensagens
2
Terminei o secundário com 18 a história e portanto fui cheio de confiança para o exame nacional. A verdade é que tive 13.4 no exame, errei uma pergunta de escolha múltipla e outra de ordem cronológica tendo logo perdido 3 valores. Este ano vou repetir o exame novamente(como externo) pois é a minha prova de ingresso mas desta vez não me sinto tão confiante. Alguém tem um palpite do que possa vir a sair no exame acerca da matéria do 11 ano? (é a que mais tenho dificuldade )
 

Afonso Ramos

Membro Veterano
Matrícula
16 Abril 2018
Mensagens
131
Curso
Psicologia
Instituição
FPCEUC
Terminei o secundário com 18 a história e portanto fui cheio de confiança para o exame nacional. A verdade é que tive 13.4 no exame, errei uma pergunta de escolha múltipla e outra de ordem cronológica tendo logo perdido 3 valores. Este ano vou repetir o exame novamente(como externo) pois é a minha prova de ingresso mas desta vez não me sinto tão confiante. Alguém tem um palpite do que possa vir a sair no exame acerca da matéria do 11 ano? (é a que mais tenho dificuldade )
Bem, o liberalismo em Portugal saiu o ano passado, mas não sei se isto é viável, visto que eles repetem, por exemplo, estado novo quase todos os anos.
 
  • Like
Reactions: Augusto Pontes

Augusto Pontes

Membro Caloiro
Matrícula
6 Junho 2019
Mensagens
2
Bem, o liberalismo em Portugal saiu o ano passado, mas não sei se isto é viável, visto que eles repetem, por exemplo, estado novo quase todos os anos.
Sim, eles dão sempre muita importância a essa parte da matéria do 12 ano, daí repetirem! Não creio que eles fossem por novamente o liberalismo, acredito mais sair algo relacionado com o absolutismo ou hegemonia britânico (módulo 4)
 

Maria.121

Membro
Matrícula
28 Fevereiro 2018
Mensagens
18
Curso
Línguas e Humanidades
Boas malta, o que é que consideram mais relevante para o exame de história e quais são as vossas suposições para este ano?
 

DaniielaFr

Membro Caloiro
Matrícula
19 Junho 2019
Mensagens
4
Olá!!

A minha professora disse que de matéria de 10º devia sair a parte da navegação , no 11º a revolta liberal em Portugal e no 12º focar no 25 de Abril, mas que não tinha a certeza
 
  • Like
Reactions: anamargarida_10

mazevedo_

Membro Caloiro
Matrícula
20 Junho 2019
Mensagens
1
Vou com 12 ao exame de História. Imaginemos que o exame me corre mal e tiro 4 valores. Segundo as contas, acabo a disciplina com 10, mas aí surge a questão: acabo mesmo a disciplina com esta nota ou sou obrigado a ter 9,5 no exame para manter a positiva visto que a disciplina é específica?
 

Blasty

ModFofa
Equipa Uniarea
Moderador
Matrícula
29 Abril 2016
Mensagens
5,957
Curso
Medicina
Instituição
FMUP
Vou com 12 ao exame de História. Imaginemos que o exame me corre mal e tiro 4 valores. Segundo as contas, acabo a disciplina com 10, mas aí surge a questão: acabo mesmo a disciplina com esta nota ou sou obrigado a ter 9,5 no exame para manter a positiva visto que a disciplina é específica?
Acabas a disciplina, mas não podes usar esse exame como prova de ingresso.
 

faagrac

Membro
Matrícula
19 Outubro 2018
Mensagens
12
Alguém sabe se a pergunta de desenvolvimento continuará este ano a valer 2 valores, ou regressará aos 5 valores de anos passados?
 

F10

Membro
Matrícula
4 Junho 2019
Mensagens
49
Alguém sabe se a pergunta de desenvolvimento continuará este ano a valer 2 valores, ou regressará aos 5 valores de anos passados?
Não se sabe. A meu ver, a pergunta de desenvolvimento a valer apenas 2 valores é muito pouco. Ainda para mais quando as perguntas de seleção valem 1 valor/cada.
 

LBlackMoon

Membro Dux
Colaborador Editorial
Matrícula
27 Fevereiro 2016
Mensagens
3,749
Curso
Direito
Instituição
FDUP
Alguém sabe se a pergunta de desenvolvimento continuará este ano a valer 2 valores, ou regressará aos 5 valores de anos passados?
Essa questão é imprevisível. No ano passado, mudou para 2 valores. Este ano, é uma incógnita. O melhor é estar-se mesmo preparado para tudo, o melhor possível.
 
  • Like
Reactions: Die-anna

kk2001

Membro
Matrícula
18 Junho 2016
Mensagens
63
Curso
Marketing
Instituição
ESTGV
I need help. Alguém que possa resumir a guerra civil entre liberais e absolutistas.
 

LBlackMoon

Membro Dux
Colaborador Editorial
Matrícula
27 Fevereiro 2016
Mensagens
3,749
Curso
Direito
Instituição
FDUP
I need help. Alguém que possa resumir a guerra civil entre liberais e absolutistas.
A Guerra civil decorre de um conflito político. Como saberás, D. Pedro IV (que se considerava legítimo rei à data da morte do seu pai, D. João VI), na altura imperador do Brasil, viu-se como titular de duas coroas. Como tal, abdicou da coroa portuguesa para a sua filha, D. Maria da Glória (futura D. Maria II), e outorgou a Portugal uma Carta Constitucional (1826) que deveria orientar a governação do Reino. Ao atingir a maioridade, D. Maria casaria com o seu tio, D. Miguel, que assumiria até lá a regência; desde que jurasse cumprir a Carta.

A Guerra estala, precisamente, quando o juramento de cumprir a Carta Constitucional é violado por D. Miguel. Chegado a Portugal, ele desrespeita-a, convoca Cortes e declara-se rei absoluto; exatamente contra o espírito liberal que inspirava aquele documento. D. Pedro IV, no Brasil, soube disto. Conhecendo a traição do irmão, renunciou à Coroa do Brasil e rumou para Portugal, de modo a restaurar o trono que havia sido usurpado a D. Maria, sua filha e legítima detentora.

O conflito armado processa-se, então, entre a facção Liberal (liderada por D. Pedro, e outros liberais de velha guarda: o Duque de Saldanha, António José Severim de Noronha (Duque da Terceira) e ainda alguns oficiais estrangeiros; e a facção absolutista (miguelista) comandada por D. Miguel, reunindo abundante apoio entre a Igreja Católica e outros nobres como o Visconde de Montalegre. O momento mais icónico deste conflito, que foi composto por diversas escaramuças, foi o Cerco do Porto. O términus ocorre na Concessão de Évoramonte (1834) em que D. Miguel renuncia integralmente a todas as pretensões que tem à Coroa Portuguesa e é banido do Reino.

Se precisares de saber algo mais em particular, está à vontade. Tentei ser o mais resumido possível.
 
  • Fabulous
  • Like
Reactions: Bmfs and Ariana_

kk2001

Membro
Matrícula
18 Junho 2016
Mensagens
63
Curso
Marketing
Instituição
ESTGV
A Guerra civil decorre de um conflito político. Como saberás, D. Pedro IV (que se considerava legítimo rei à data da morte do seu pai, D. João VI), na altura imperador do Brasil, viu-se como titular de duas coroas. Como tal, abdicou da coroa portuguesa para a sua filha, D. Maria da Glória (futura D. Maria II), e outorgou a Portugal uma Carta Constitucional (1826) que deveria orientar a governação do Reino. Ao atingir a maioridade, D. Maria casaria com o seu tio, D. Miguel, que assumiria até lá a regência; desde que jurasse cumprir a Carta.

A Guerra estala, precisamente, quando o juramento de cumprir a Carta Constitucional é violado por D. Miguel. Chegado a Portugal, ele desrespeita-a, convoca Cortes e declara-se rei absoluto; exatamente contra o espírito liberal que inspirava aquele documento. D. Pedro IV, no Brasil, soube disto. Conhecendo a traição do irmão, renunciou à Coroa do Brasil e rumou para Portugal, de modo a restaurar o trono que havia sido usurpado a D. Maria, sua filha e legítima detentora.

O conflito armado processa-se, então, entre a facção Liberal (liderada por D. Pedro, e outros liberais de velha guarda: o Duque de Saldanha, António José Severim de Noronha (Duque da Terceira) e ainda alguns oficiais estrangeiros; e a facção absolutista (miguelista) comandada por D. Miguel, reunindo abundante apoio entre a Igreja Católica e outros nobres como o Visconde de Montalegre. O momento mais icónico deste conflito, que foi composto por diversas escaramuças, foi o Cerco do Porto. O términus ocorre na Concessão de Évoramonte (1834) em que D. Miguel renuncia integralmente a todas as pretensões que tem à Coroa Portuguesa e é banido do Reino.

Se precisares de saber algo mais em particular, está à vontade. Tentei ser o mais resumido possível.
Muito obrigado! Mas mais uma pergunta depois da convenção de Évoramonte e carta constitucional de 1826 deixa de estar em vigor e é substituída pela const. 1822 ou permanece
 

LBlackMoon

Membro Dux
Colaborador Editorial
Matrícula
27 Fevereiro 2016
Mensagens
3,749
Curso
Direito
Instituição
FDUP
Muito obrigado! Mas mais uma pergunta depois da convenção de Évoramonte e carta constitucional de 1826 deixa de estar em vigor e é substituída pela const. 1822 ou permanece
Restaura-se a Carta. A Carta virá a ter interrupções na sua vigência mais à frente (Revolução de Setembro), com uma curta vigência da Constituição da Monarquia de 1822 e depois com a convocação de Cortes Gerais, Extraordinárias e Constituintes; onde se redigirá a Constituição de 1838. A vigência desta é curta, e não tarda a vir o Cabral a restaurar a Carta.
 
  • Like
Reactions: kk2001

kk2001

Membro
Matrícula
18 Junho 2016
Mensagens
63
Curso
Marketing
Instituição
ESTGV
Este ano é o centenário da assinatura do tratado de versalhes. Acham que pode surgir alguma questão relacionada com este acontecimento?
 

LBlackMoon

Membro Dux
Colaborador Editorial
Matrícula
27 Fevereiro 2016
Mensagens
3,749
Curso
Direito
Instituição
FDUP
Este ano é o centenário da assinatura do tratado de versalhes. Acham que pode surgir alguma questão relacionada com este acontecimento?
Não necessariamente. Não há relação direta entre as datas comemorativas e o aparecimento em exame (o que até seria contraditório ao sigilo que rodeia os exames, que não devem ser previsíveis). Isso é pura e simplesmente mito.
 
  • Like
Reactions: kk2001

F10

Membro
Matrícula
4 Junho 2019
Mensagens
49
Como é que vos correu o exame?
A mim, acho que me correu mal. Tantas horas de estudo e vou ter certamente uma nota aquém, infelizmente.
Ainda para mais, os meus colegas acharam o exame fácil.